8 comentários

  • UMA CIDADE LIMPA QUE EU QUERO... ...

    INFELISMENTE OS CANDIDATOS NAO VOTAM PELA OBRIGAÇOES DE DEIXAR A RUAS DAS CIDADES LIMPAS

    UMA SIMPLES E HUMILDE SUGESTAO NA MINHA (Timida) OPINIAO OS CANDIDATOS NUM DEVERIAM JOGAR SEUS SANTINHOS MAIS COMO OS NOBRES PUX…S… E QUE FAZEM ISSO APOS TERMINO DA VOTAÇAO ELES DEVERIAS LIMPAR OU PAGA A VARREDEIRAS COM PAGAMENTO EM DOBRO DAS HORAS EXTRAS… …MUITOBRIGADUUU…Fim de Papo, Moçada!!!… … …

  • Escolher um presidente não, um pai!

    Os verdadeiros problemas do Brasil são crise econômica, desemprego, violência, saúde, educação e corrupção.
    O que se discute nesta eleição são ideologia do gênero, machismo, feminismo e racismo. Quero que entendam de uma vez, o seu voto vai escolher um presidente não, um pai!
    Precisamos que o futuro presidente resolva os nossos problemas e não que ensine os valores, isso nós temos que aprender na escola e em casa.
    Se eu tivesse que aprender os valores com o presidente, eu estaria preso em Curitiba.
    “Não eduque seu filho para respeitar os negros, os gays, brancos e índios. Eduque para respeitar o ser humano. Assim você não precisará dar explicações sobre as escolhas de cada um

  • Junio

    NAZISTA? NAZISTA É O PLANO DE GOVERNO DITATORIAL DO HADDAD CARDOSINHO! O CARA QUER NOVA CONSTITUIÇÃO! POR FAVOR CARDOSINHO OLHE PRO POVO BRASILEIRO, NÃO QUEREMOS UMA VENEZUELA AQUI

  • Você sabe votar ?

    Acabei de efetuar o meu dever de voto, que todos nos brasileiros temos, mas várias pessoas na FILA de votação ainda não sabiam em quem votar, principalmente Deputados Federais e Senadores.
    Teve um caso na minha secção que a pessoa queria votar DUAS vezes no mesmo senador.
    Acho que devemos voltar aos tempos de:
    Médici, Figueiredo…….
    O povo quer exigir o que dos governos ?.
    Na fila de votação não sabe em quem votar.
    Não deveríamos ter no país voto obrigatório, metade da população NÃO SABE VOTAR.
    Parece o nordeste.

  • Seus PeTralhas, algum comentário a fazer ?

    Aos babacas esquerdistas, inclusive o nobre DONO do blog, algum comentário a fazer ?

  • Segue o líder

    Não iremos exterminar os irmãos nordestinos, sabem porque ?
    Porque sempre foram enganados, pelos PeTralhas, com troca de bolsas disso, bolsa daquilo, iremos levar a eles trabalho, saneamento básico, saúde, dignidade a esses nossos irmãos.
    Rumo ao segundo turno.
    SEGUE O LIDER, seus PeTralhas.

  • Joao

    CHUPA CARDOSINHO SEU ESQUERDISTA DO CARALHO

  • Gustavo Conde

    #Elenão

    A fala de Bolsonaro ao seu eleitor depois do primeiro turno é a expressão do que ele significa, se a olharmos de semiótica em punho. Ele estava atrás de uma mesa pesada de madeira, ampla, artificialmente bagunçada, em um ambiente escuro, captado por uma câmera de celular com poucos pixels.

    Bolsonaro só não estava sozinho porque seria estranho demais, até para a campanha troglodita dele. Pôs Paulo Guedes ao seu lado, quase como um castigo. O economista, mudo, inerte, figurava ali como um vaso de flores mortas.

    Alguém deve ter pensado: “só os dois não fica bom. Põe uma intérprete de língua de sinais do outro lado”. Puseram. Algo totalmente inusitado (a tradução em libras, em transmissões é feita à parte, em outra janela de vídeo). Inovação? Esculhambação.

    O som dos gestos da tradutora podia ser ouvido na transmissão. Tapas, gemidos e fricções.

    Ambiente controlado, apartado da realidade, das pessoas, do próprio eleitor. Longe das TVs abertas, da imprensa, dos jornalistas.

    O discurso? O mais tolo, demagógico e desconectado de tudo.

    É isso que o eleitor brasileiro, saturado pela própria existência, pela própria insignificância e pela própria animalidade está gostando.

    Destaque-se: Bolsonaro se auto exila de toda e qualquer conexão com o mundo público do país e pode, assim, alçar o maior cargo público deste mesmo país.

    É um recado da história para todos nós. Há algo muito mais arraigado, muito mais estrutural do que Globo, guerra híbrida, conservadorismo, saturação da política e pulsão de morte em curso.

    Estamos diante de um colapso dos sentidos, de uma entropia linguística.

    Todas as estratégias de comunicação – até as mais sofisticadas – estão furiosamente fadadas ao fracasso diante desse extermínio a céu aberto da linguagem, seja ela política, história ou fática.

    A ascensão de Bolsonaro não é similar à ascensão do nazismo. É pior.

    Ela é o escárnio do pesadelo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *