EFEITO LAVA JATO: DESTRUIÇÃO DE EMPREGOS E R$ 10 BI DA PETROBRAS PARA OS AMERICANOS

O texto é do blogueiro Esmael Moraes:

Sempre houve suspeitas de que a lava jato trabalhava em linha com os interesses estrangeiros, mormente com os Estados Unidos. As colaborações ilegais da força-tarefa do juiz Sérgio Moro com o Tio Sam alimentaram nesses últimos anos a teoria de que ele, o magistrado, era um agente duplo. Poderia ser apenas mais uma teoria da conspiração, mas a doação de R$ 10 bilhões da Petrobras a investidores norte-americanos, a título de indenização, era o batom na cueca que faltava para provar a verossimilhança dessa história.

A Lava Jato jura que durante toda a operação devolveu à estatal de petróleo R$ 1,47 bilhão, portanto, 6,5 vezes menos que a Petrobras devolverá aos abutres de Wall Street em decorrência da própria Lava Jato.

Até a Globo, que é antipovo e antinação, se assustou com o tamanho do rombo da lava jato na Petrobras, pois o acordo judicial bilionário é 6,5 vezes maior do que o dinheiro recuperado pela força-tarefa comandado por Moro, Deltan Dallagnol e Fernando dos Santos Lima, e devolvido com a devida pirotecnia aos cofres da petroleira.

Na quarta-feira (3), o senador Roberto Requião (MDB-PR), presidente da Frente Em Defesa da Soberania Nacional, indignado, perguntou se o silêncio da Procuradoria-Geral da República era por que ela fazia parte desse “acordo” lesa-pátria da petroleira brasileira com os investidores norte-americanos. O parlamentar ainda não obteve resposta do órgão que, em tese, estaria acima dos procuradores da Lava Jato.

O diabo é que o estrago da Lava Jato não é só na Petrobras. Há toda uma cadeia produtiva que foi destruída a pretexto de combater a corrupção. Peguemos, por exemplo, duas áreas para não ficarmos cansativos: 1- os estaleiros foram desmontados e, consequentemente, a indústria naval brasileira; 2- a engenharia nacional foi defenestrada e o mercado aberto aos profissionais estrangeiros devido o ataque às empreiteiras locais.

Soma-se à doação bilionária da Petrobras — R$ 10 bilhões — para acionistas norte-americanos, a destruição das indústrias da construção pesada e naval, os milhões de desempregados gerados no país. O procurador Fernando dos Santos Lima, da Panela de Curitiba, apressou-se ontem mesmo em tirar o corpo fora da responsabilidade, mas, ao mesmo tempo confessou, ao dizer que “nunca teve interesse em preservar empregos” no Brasil.

Milhões de desempregados e R$ 10 bi da Petrobras para os americanos. Então a Lava Jato era para isso?

Socorro, chame o ladrão!

22 comentários

  • e a gente poraqui pagando o oio da cara na gasolina eta brasil veio.

  • Tá çertu

    Tá çertu. Culpada é a lava jato que investigou os malfeitores. Devia ter deixado todo mundo impune.
    Culpados não são mesmo os que usaram a Petrobras pra se enriquecerem….

  • LULA RENUNCIA EM JANEIRO.

    Lula deve jogar a toalha logo após julgamento no TRF-4 em janeiro.

    Lula deve anunciar em janeiro a retirada de sua candidatura nas eleições de 2018.

    O ex-presidente Lula deve participar de uma reunião com a cúpula do PT logo após a divulgação do acórdão (a decisão do órgão colegiado) do Tribunal Regional Federal da quarta região de Porto Alegre sobre o recurso do petista no caso do triplex do Guarujá.
    Lula foi condenado a 9 anos e 6 meses de prisão na primeira instância. A depender da combinação dos votos de seus julgadores na Segunda Instância, o petista terá poucas chances de judicializar o registro de sua candidatura. A preocupação maior, dependendo do cenário, será evitar a prisão.
    É justamente diante de um cenário já definido que Lula e a cúpula do PT se reunirá para definir a estratégia do partido a partir de então. A possibilidade de Lula anunciar a sua desistência de disputar a Presidência da República é tida como certa, caso o petista seja condenado em consonância pelo colegiado. circunstância em que as chances de embargos são dramaticamente reduzidas, na mesma proporção que crescem a chances do petista ser preso.
    Segundo a Folha, o STJ já discute nos bastidores a possibilidade de condenação de Lula no dia 24 de janeiro, pelo TRF-4. Ministros acreditam que um veredicto negativo por 3 a 0 será fatal para o petista, dificultando inclusive a possibilidade de concessão de liminar pelo STJ que permita que ele leve adiante uma candidatura presidencial. Neste caso, de unanimidade, prevaleceria a discussão sobre a possibilidade de prisão de Lula, e não sobre a sua candidatura.
    Entre continuar desafiando as autoridades tentando impor sua candidatura e estimulando um ambiente político instável e propor uma trégua para não ser preso imediatamente, Lula deve optar pela segunda alternativa. Há coisas as quais se pode lutar. Outras não. Este é o consenso da cúpula do PT. Seria mais proveitoso ao partido indicar um outro nome para concorrer no lugar de Lula com ele solto do que insistir na candidatura do petista e aumentar as chances de sua prisão.
    Outro ponto positivo neste cenário, segundo interlocutores do PT, seria a possibilidade de ter mais tempo para iniciar uma campanha com outro nome, além das chances maiores de formação de alianças no espectro de partidos da esquerda, resistentes em formar alianças com Lula diante da incerteza de sua candidatura.
    É bem provável que o ex-presidente Lula anuncie sua retirada da disputa eleitoral ainda no mês de janeiro.

  • Antonio Carlos Pinto

    Taí a nova mãe Dinah, agora repaginada, fazendo previsão política. Acordo Coxinha!

  • PSEUDO IMBECIL AI ACIMA.

    Pedido patético de prefeito por tropas evidencia sucesso do lulismo.
    05/01/2018 02h00
    Poucas figuras são tão constantes nas relações humanas quanto a do inimigo. De Sun Tzu a Oscar Wilde, de cosmogonias dualistas a letras de rock, o conhecimento do adversário e de seu potencial simbiótico permeia a história.
    É fascinante ver como o lulismo logrou manipular em seu favor a figura do antagonista. Até 2002, era o “nós contra eles”, interrompido pelo Lulinha paz e amor, só para ser sacado sempre que a vitimização ou demonização se faziam necessárias.
    O mais recente exemplo vem de Porto Alegre, onde o prefeito do MBL, digo, do PSDB resolveu pedir que o Exército e a Força Nacional impeçam algo como uma horda sanguinária de saquear a cidade durante o julgamento do recurso de Lula no dia 24, como se estivesse na Bagdá cercada pelos mongóis em 1258.

    O prefeito caiu como um pato nas provocações de irresponsáveis apoiadores de Lula, um séquito misto de acólitos e réus, condição que encontra um resumo na presidente do PT.
    Além de inconstitucional, o pedido de Marchezan Jr. é patético, ainda mais quando forças federais estão sobrecarregadas pelos fardos da insegurança pública. O circo anunciado pelo PT não parece demandar mais que simples operação policial.
    Claro, o lado petista sempre forçou a barra, falando nos “exércitos do Stédile” e do “povo na rua” e outra tolices. O incrível é comprar isso pelo seu valor de face, como o próprio Planalto ameaçou fazer.
    As prováveis confirmação de condenação e punição eleitoral do petista causarão alvoroço, mas bem menos do que os seus fiéis vendem.
    Como a apatia do pós-impeachment e corte do oxigênio do imposto sindical às antes ameaçadoras “manifestações populares” demonstram, a chance de o Brasil vir abaixo porque “eleição sem Lula é golpe” é algo tão provável quanto o DEM ter candidato viável à Presidência.
    Eis mais um legado dos anos Lula: uma oposição primária e reativa, que faz o jogo de seus inimigos.
    ESTÃO DOIDINHOS A DIREITA BRASILEIRA COM A POSSIBILIDADE DE LULA TORNAR-SE CANDIDATO A PRESIDENTE. ENTÃO PREVALECE AQUELE DITADO: QUEM TEM C…………TEM MEDO.

  • Fern@ndinho

    Contagem regressiva…
    Tic TAC TIC TAC
    Independente do que ocorrer no entorno, a situação estará absolutamente controlada. Foi assim em Curitiba, assim será em Porto Alegre. Não sei porque tanta conversa!
    O defunto vai ser enterrado e pronto!!!

  • Fern@ndinho

    Alguém se lembra que a Bolívia se apoderou de duas refinarias e ninguém fez nada?
    A sucata comprada em Pasadena a peso de ouro?
    Quem investiu em uma empresa administrada por bandidos, tem todo direito de ser ressarcido. A questão é que lá (USA), a justiça funciona. Não existe a indústria dos recursos e supremo que manda ficar em cada, depois de tanto roubar…

  • DIREITA BURGUESA CAPITALISTA—-A CLARA E EVIDENTE INCOMPETÊNCIA DO JUIZ SÉRGIO MORO PARA PROCESSAR E JULGAR O EX-PRESIDENTE LULA POR AFRÂNIO SILVA JARDIM EX MINISTRO DO STF.
    Afrânio Silva Jardim
    Lanço aqui um DESAFIO para os leigos em Direito e para qualquer Procurador da República sobre a alegada existência de conexão que prorrogue a competência da 13ª Vara Federal de Curitiba para julgar crimes que teriam sido praticados em São Paulo, todos da competência da Justiça Estadual. Vamos lá:
    Que hipótese de conexão do artigo 76 do Cod. Proc. Penal existe entre o crime de lavagem de dinheiro, praticado pelo doleiro Alberto Youssef, através do Posto Lava Jato, sito no Paraná, e os crimes atribuídos ao ex-presidente Lula, que teriam sido praticados em São Paulo ???

    Código de Processo Penal:

    Art. 70. A competência será, de regra, determinada pelo lugar em que se consumar a infração, ou, no caso de tentativa, pelo lugar em que for praticado o último ato de execução.
    Art. 76. A competência será determinada pela conexão:
    I – se, ocorrendo duas ou mais infrações, houverem sido praticadas, ao mesmo tempo, por várias pessoas reunidas, ou por várias pessoas em concurso, embora diverso o tempo e o lugar, ou por várias pessoas, umas contra as outras;
    II – se, no mesmo caso, houverem sido umas praticadas para facilitar ou ocultar as outras, ou para conseguir impunidade ou vantagem em relação a qualquer delas;
    III – quando a prova de uma infração ou de qualquer de suas circunstâncias elementares influir na prova de outra infração.
    O juiz Sérgio Moro não diz, não explica, não demonstra. Ele apenas assevera que os processos contra o ex-presidente Lula são da sua competência, porque conexos com aquele processo originário e outros mais. Meras afirmações, genéricas e abstratas.
    A Constituição da República dispõe, expressamente, em seu artigo 5, que:
    ” Inciso LIII – ninguém será processado nem sentenciado senão pela autoridade competente”.
    Trata-se pois de incompetência absoluta, que acarreta nulidade absoluta de todo o processo, na medida em que estamos diante de um direito fundamental tutelado pela Constituição Federal.
    Ressalto que a prevenção é critério de fixação da competência entre órgãos jurisdicionais que sejam todos já genuinamente competentes. A prevenção não é critério de modificação da competência!
    Como uma incompetência tão flagrante e acintosa pode perdurar em um país sério ???
    Note-se que aqui sequer estamos pondo em questão a própria competência (ou incompetência) do juiz Sérgio Moro para aqueles processos originários, que teriam “atraído” os demais crimes para a 13ª Vara Federal de Curitiba.
    De qualquer forma, é importante notar, tendo em vista o art.109 da Constituição Federal, que:
    a) A Petrobrás é uma sociedade empresária de direito privado (economia mista);
    b) A competência da justiça federal é prevista, taxativamente, na Constituição Federal, que leva em consideração o titular do bem jurídico violado pelo delito e não a qualidade do seu sujeito ativo; Aqui, o importante é o bem jurídico atingido pelo crime e não a qualidade do autor do delito.
    c) A prevenção não é fator de modificação ou prorrogação de competência, mas sim de fixação entre foros ou juízos igualmente competentes.
    Relevante salientar ainda que, no processo penal, a conexão ou continência se dá entre infrações penais e não entre processos.
    Ademais, importa ressaltar que a conexão pode modificar a competência de foro ou juízo, mas não a competência de justiça, prevista na própria Constituição Federal. O Código de Processo Penal não pode ampliar e nem derrogar a competência prevista na Lei Maior, salvo quando ela expressamente o admite, como nos crimes eleitorais, pois ela menciona expressamente os “crimes eleitorais e comuns conexos”.
    Por derradeiro, a conexão pode modificar a competência, como acima dito, para que haja unidade de processo e julgamento, evitando dispersão da prova e sentença contraditórias.
    (Art. 79. A conexão e a continência importarão unidade de processo e julgamento, salvo: …)
    No caso em tela, que contradição poderia haver entre a sentença do caso originário do doleiro e a sentença relativa ao Triplex do ex-presidente Lula??? Fica aqui mais um desafio: apontem uma possível contradição entre as duas sentenças.
    De qualquer sorte, se um dos processos já foi julgado, não haverá por que modificar a competência originária, pois não haverá mais possibilidade de um só processo e uma só sentença.
    Neste caso, diz a lei que eventual unificação e soma de penas se fará no juízo das execuções penais. Vejam o que diz o art.82: “Se, não obstante a conexão ou continência, forem instaurados processos diferentes, a autoridade de jurisdição prevalente deverá avocar os processos que corram perante os outros juízes, salvo se já estiverem com sentença definitiva. Neste caso, a unidade dos processos só se dará, ulteriormente, para o efeito de soma ou de unificação das penas)”.
    Saliento, mais uma vez, que a prevenção é critério de fixação da competência entre órgãos jurisdicionais que já sejam todos genuinamente competentes. Vale dizer, a prevenção não modifica a competência, mas “desempata” entre foros ou juízos igualmente competentes.
    Assim, se um determinado órgão jurisdicional pratica uma medida cautelar sem competência para tal, ele não passa a ser competente para as infrações conexas. A sua incompetência originária não é sanada, mas sim ampliada.
    A toda evidência, a regra do art.70 do Cod. Proc. Penal está sendo desconsiderada de forma absurda. Tal dispositivo legal é expresso ao dizer, de forma cogente, que a competência de foro é fixada pelo lugar em que se consumou a infração penal e, no caso de tentativa, pelo lugar em que foi praticado o último ato de execução.
    Destarte, não havendo conexão entre infrações praticadas em foros distintos ou não havendo mais a possibilidade de um só processo e um só julgamento, não há justificativa para a modificação da competência do foro originário.
    Desta forma, verifica-se que o ex-presidente Lula não está sendo julgado por um órgão jurisdicional competente. Na realidade, o juiz Sérgio Moro escolheu o seu réu e, com o auxílio entusiasta do Ministério Público Federal, foi buscar um determinado contexto insólito para “pinçar” acusações contra o seu “queridinho réu”.
    Vale dizer, a garantia do “juiz natural” foi totalmente postergada. Por isso, muito antes da sentença condenatória, todos sabiam que o ex-presidente Lula seria condenado por seu algoz !!!
    Por isso a conclusão esse é infame, é preparado, é imoral, é por medo de que Lula se lance candidato e ganhe facilmente a eleição para presidente do Brasil e no primeiro turno.
    A direita tem medo e preparou a queda de Dilma através de um golpe e esta querendo impedir Lula de ser candidato.

  • FERNANDINHO não sei o motivo, mas você só lembrou das refinarias da Bolívia e de Pasadena, mais os roubos ou crimes de FHC da direita brasileira mafiosa, burguesa, capitalista e odiosa sua pessoa nada colocou, mas eu vou lhe fazer lembrar a falacia que a direita fez no Brasil:–
    FHC não tem grandeza nem moral para se colocar como arauto da ética e mensageiro do impeachment.
    . “De acordo com os relatos feitos à Folha, Fernando Henrique fez uma análise do cenário político e disse que o partido deveria falar a mesma língua ao discutir as alternativas para o país sair da crise… Há duas semanas, aliados de Aécio defenderam a renúncia de Dilma e do vice Michel Temer e a realização de nova eleição. Alckmin tem sido cauteloso sobre a possibilidade de impeachment agora, quando ele não teria condições de deixar o governo para disputar com Aécio a indicação do PSDB e se candidatar à Presidência”.
    Haja cinismo e oportunismo. Para quem saiu quase escorraçado do Palácio de Planalto, odiado pelo povo, e colecionou várias denúncias de “falcatruas” – sempre engavetadas pelos poderes públicos e blindadas pela mídia chapa-branca -, FHC confirma que não tem qualquer grandeza, caráter e moral. Neste aspecto, os fascistas mirins que o rotularam de “senil”, “gagá” e “traidor” estão certos. Para os que ainda acreditam nas bravatas de FHC, reproduzo abaixo uma pequena lista dos seus crimes:
    A lista dos crimes tucanos ou da direita ordinária que a unica coisa que sabe fazer e privatizar a preço de bananas as maiores riquezas do Brasil:
    1) Denúncias abafadas: Já no início do seu primeiro mandato, em 19 de janeiro de 1995, FHC fincou o marco que mostraria a sua conivência com a corrupção. Ele extinguiu, por decreto, a Comissão Especial de Investigação, criada por Itamar Franco e formada por representantes da sociedade civil, que visava combater o desvio de recursos públicos. Em 2001, fustigado pela ameaça de uma CPI da Corrupção, ele criou a Controladoria-Geral da União, mas este órgão se notabilizou exatamente por abafar denúncias.
    2) Caso Sivam: Também no início do seu primeiro mandato, surgiram denúncias de tráfico de influência e corrupção no contrato de execução do Sistema de Vigilância e Proteção da Amazônia (Sivam/Sipam). O escândalo derrubou o brigadeiro Mauro Gandra e serviu para FHC “punir” o embaixador Júlio César dos Santos com uma promoção. Ele foi nomeado embaixador junto à FAO, em Roma, “um exílio dourado”. A empresa ESCA, encarregada de incorporar a tecnologia da estadunidense Raytheon, foi extinta por fraude comprovada contra a Previdência. Não houve CPI sobre o assunto. FHC bloqueou.
    3) Pasta Rosa: Em fevereiro de 1996, a Procuradoria-Geral da República resolveu arquivar definitivamente os processos da pasta rosa. Era uma alusão à pasta com documentos citando doações ilegais de banqueiros para campanhas eleitorais de políticos da base de sustentação do governo. Naquele tempo, o procurador-geral, Geraldo Brindeiro, ficou conhecido pela alcunha de “engavetador-geral da República”.
    4) Compra de votos: A reeleição de FHC custou caro ao país. Para mudar a Constituição, houve um pesado esquema para a compra de voto, conforme inúmeras denúncias feitas à época. Gravações revelaram que os deputados Ronivon Santiago e João Maia, do PFL do Acre, ganharam R$ 200 mil para votar a favor do projeto. Eles foram expulsos do partido e renunciaram aos mandatos. Outros três deputados acusados de vender o voto, Chicão Brígido, Osmir Lima e Zila Bezerra, foram absolvidos pelo plenário da Câmara. Como sempre, FHC resolveu o problema abafando-o e impedido a constituição de uma CPI.
    5) Vale do Rio Doce: Apesar da mobilização da sociedade em defesa da CVRD, a empresa foi vendida num leilão por apenas R$ 3,3 bilhões, enquanto especialistas estimavam seu preço em ao menos R$ 30 bilhões. Foi um crime de lesa-pátria, pois a empresa era lucrativa e estratégica para os interesses nacionais. Ela detinha, além de enormes jazidas, uma gigantesca infra-estrutura acumulada ao longo de mais de 50 anos, com navios, portos e ferrovias. Um ano depois da privatização, seus novos donos anunciaram um lucro de R$ 1 bilhão. O preço pago pela empresa equivale hoje ao lucro trimestral da CVRD.
    6) Privatização da Telebrás: O jogo de cartas marcadas da privatização do sistema de telecomunicações envolveu diretamente o nome de FHC, citado em inúmeras gravações divulgadas pela imprensa. Vários “grampos” comprovaram o envolvimento de lobistas com autoridades tucanas. As fitas mostraram que informações privilegiadas foram repassadas aos “queridinhos” de FHC. O mais grave foi o preço que as empresas privadas pagaram pelo sistema Telebrás, cerca de R$ 22 bilhões. O detalhe é que nos dois anos e meio anteriores à “venda”, o governo investiu na infra-estrutura do setor mais de R$ 21 bilhões. Pior ainda, o BNDES ainda financiou metade dos R$ 8 bilhões dados como entrada neste meganegócio. Uma verdadeira rapinagem contra o Brasil e que o governo FHC impediu que fosse investigada.
    7) Ex-caixa de FHC: A privatização do sistema Telebrás foi marcada pela suspeição. Ricardo Sérgio de Oliveira, ex-caixa das campanhas de FHC e do senador José Serra e ex-diretor do Banco do Brasil, foi acusado de cobrar R$ 90 milhões para ajudar na montagem do consórcio Telemar. Grampos do BNDES também flagraram conversas de Luiz Carlos Mendonça de Barros, então ministro das Comunicações, e André Lara Resende, então presidente do banco, articulando o apoio da Previ para beneficiar o consórcio do Opportunity, que tinha como um dos donos o economista Pérsio Arida, amigo de Mendonça de Barros e de Lara Resende. Até FHC entrou na história, autorizando o uso de seu nome para pressionar o fundo de pensão. Além de “vender” o patrimônio público, o BNDES destinou cerca de 10 bilhões de reais para socorrer empresas que assumiram o controle das estatais privatizadas. Em uma das diversas operações, ele injetou 686,8 milhões de reais na Telemar, assumindo 25% do controle acionário da empresa.
    8) Juiz Lalau: A escandalosa construção do Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo levou para o ralo R$ 169 milhões. O caso surgiu em 1998, mas os nomes dos envolvidos só apareceram em 2000. A CPI do Judiciário contribuiu para levar à cadeia o juiz Nicolau dos Santos Neto, ex-presidente do TRT, e para cassar o mandato do senador Luiz Estevão, dois dos principais envolvidos no caso. Num dos maiores escândalos da era FHC, vários nomes ligados ao governo surgiram no emaranhado das denúncias. O pior é que FHC, ao ser questionado por que liberara as verbas para uma obra que o Tribunal de Contas já alertara que tinha irregularidades, respondeu de forma irresponsável: “assinei sem ver”.
    9) Farra do Proer: O Programa de Estímulo à Reestruturação e ao Sistema Financeiro Nacional (Proer) demonstrou, já em sua gênese, no final de 1995, como seriam as relações do governo FHC com o sistema financeiro. Para ele, o custo do programa ao Tesouro Nacional foi de 1% do PIB. Para os ex-presidentes do BC, Gustavo Loyola e Gustavo Franco, atingiu 3% do PIB. Mas para economistas da Cepal, os gastos chegaram a 12,3% do PIB, ou R$ 111,3 bilhões, incluindo a recapitalização do Banco do Brasil, da CEF e o socorro aos bancos estaduais. Vale lembrar que um dos socorridos foi o Banco Nacional, da família Magalhães Pinto, a qual tinha como agregado um dos filhos de FHC.
    10) Desvalorização do real: De forma eleitoreira, FHC segurou a paridade entre o real e o dólar apenas para assegurar a sua reeleição em 1998, mesmo às custas da queima de bilhões de dólares das reservas do país. Comprovou-se o vazamento de informações do Banco Central. O PT divulgou uma lista com o nome de 24 bancos que lucraram com a mudança e de outros quatro que registraram movimentação especulativa suspeita às vésperas do anúncio das medidas. Há indícios da existência de um esquema dentro do BC para a venda de informações privilegiadas sobre câmbio e juros a determinados bancos ligados à turma de FHC. No bojo da desvalorização cambial, surgiu o escandaloso caso dos bancos Marka e FonteCindam, “graciosamente” socorridos pelo Banco Central com 1,6 bilhão de reais. Houve favorecimento descarado, com empréstimos em dólar a preços mais baixos do que os praticados pelo mercado.
    11) Sudam e Sudene: De 1994 a 1999, houve uma orgia de fraudes na Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam), ultrapassando R$ 2 bilhões. Ao invés de desbaratar a corrupção e pôr os culpados na cadeia, FHC extinguiu o órgão. Já na Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), a farra também foi grande, com a apuração de desvios de R$ 1,4 bilhão. A prática consistia na emissão de notas fiscais frias para a comprovação de que os recursos do Fundo de Investimentos do Nordeste foram aplicados. Como fez com a Sudam, FHC extinguiu a Sudene, em vez de colocar os culpados na cadeia.
    12.Apoio a Fujimori—o presidente FHC apoiou o terceiro mandato consecutivo do corrupto ditador peruano Alberto Fujimori, um sujeito que nunca deu valor à democracia e que fugiu do País para não viver os restos de seus dias na cadeia. Não bastasse isso, concedeu a Fujimori a medalha da Ordem do Cruzeiro do Sul, o principal título honorário brasileiro. O Senado, numa atitude correta, acatou sugestão apresentada pelo senador Roberto Requião (PMDB-PR) e cassou a homenagem.
    13.- Explosão da dívida pública
    Quando FHC assumiu a Presidência da República, em janeiro de 1995, a dívida pública interna e externa somava R$ 153,4 bilhões. Entretanto, a política de juros altos de seu governo, que pratica as maiores taxas do planeta, elevou essa dívida para R$ 684,6 bilhões em abril de 2002, um aumento de 346%. A dívida já equivalia em 2001, preocupantes 54,5% do PIB.
    14. – Verbas do BNDES—além de vender o patrimônio público a preço de banana, o governo FHC, por meio do BNDES, destinou cerca de R$ 10 bilhões para socorrer empresas que assumiram o controle de ex-estatais privatizadas. Quem mais levou dinheiro do banco público que deveria financiar o desenvolvimento econômico e social do Brasil foram as teles e as empresas de distribuição, geração e transmissão de energia. Em uma das diversas operações, o BNDES injetou R$ 686,8 milhões na Telemar, assumindo 25% do controle acionário da empresa.
    Agora caro fascista da direita brasileira faça uma comparação entre os números das cafajestagem da direita, com os números da esquerda.

    • Fern@ndinho

      Quando FHC entregou o governo, não foi nos padrões atuais! Moeda estabilizada, inflação baixa e país no grau de investimento!
      Questão de gosto, mas não se esqueça que eleitores do PT foi quem colocou o Temer no governo. Não fui eu…

  • FERNANDINHO agora vou lhe contar um caso que na época foi muito noticiado na mídia brasileira principalmente na Folha de São Paulo e, por você ser um babaca da direita não citou para todos que leem o blog possam dar uma lida:——
    Na virada do século, na iminência do apagão, Fernando Henrique Cardoso acertou com o general Hugo Banzer, da Bolívia, e com investidores estrangeiros um contrato de compra de gás daquele país.
    Era na modalidade “take or pay”: isto é, pagávamos a quantidade previamente contratada, usássemos ou não usássemos o gás boliviano.
    A Folha, em 2001, publicou a reportagem acima, dizendo:
    “Só no primeiro trimestre do ano, a Petrobras pagou para os donos do trecho brasileiro do gasoduto Brasil-Bolívia cerca de US$ 30 milhões sem ter nenhum benefício em troca. No ano passado, foram outros US$ 20 milhões. O cálculo foi feito com base no custo de transporte atual. Quando o Brasil assinou o contrato de construção do gasoduto, ele garantiu aos investidores que transportaria uma quantidade mínima de gás natural. (…) Dadas a demanda atual e a produção nacional, a Petrobras traz da Bolívia 10,5 milhões de metros cúbicos de gás por dia. Paga, no entanto, pelo transporte de 16,3 milhões de metros cúbicos -paga por tudo, mas usa só 64,41%. São mais de US$ 250 mil desperdiçados por dia.”
    Agora, a partir de uma matéria (requentada) do Estadão, o pessoal que o Chico Buarque definiu como aquele que “fala grosso com a Bolívia e fala fino com os EUA” está fazendo uma onda porque o Brasil está reformando uma termoelétrica desativada desde 2009 e adaptando-a para uso de gás (abundante na Bolívia e inexistente em Porto Velho, onde ela está) na Bolívia.
    Estaríamos subsidiando aquele “índio”, dizem os gênios da geopolítica.
    Como eles não leem nem os jornais da direita, não ficaram sabendo que há 20 dias estiveram em Brasília emissários do Governo boliviano, com os quais o Brasil negocia uma ampliação do fornecimento de gás, agora plenamente utilizado, para operar usinas termoelétricas a gás, próximas aos grandes centros urbanos (com baixíssimo custo de transmissão, portanto).
    Já a Bolívia tem problemas, por falta de linhas de transmissão, no atendimento das áreas mais isoladas do país , com pequenas usinas como a que servia Porto Velho antes de sua interligação ao Sistema Elétrico Nacional e das usinas do Madeira. Mas, ao mesmo tempo, tem locais de grande potencial de geração, os quais são de enorme interesse para o Brasil, e nenhum dinheiro para investir em seu aproveitamento.
    Um dentro do território boliviano, Cachuela Esperanza (Cachoeira Esperança) e outro a ser explorado de forma binacional, como Itaipu, , no rio Mamoré, que faz divisa entre o Brasil e a Bolívia, no Estado de Rondônia. “Essa usina ficaria entre as cidades de Guajará-Mirim e Abunã e teria capacidade para gerar cerca de 3.000 MW”, segundo a Folha, duas vezes mais que a Hidrelétrica de Furnas.
    Qual é a sugestão da turma de cérebro acochinhado para que os dois países possam explorar conjuntamente estas riquezas? Intervenção militar? O Bolsonaro vai invadir La Paz?
    É duro debater com quem tem a cabeça assim, de “valentão”.
    E que não lembra de como, no governo deles, perdeu-se dinheiro com o gás boliviano, embolsado pelos empresários e pelo governo Banzer, sem benefício para a população daquele país, que ainda nos considerava saqueadores de suas riquezas.
    Sabe meu caro FERNANDINHO BABACA DA DIREITA qual foi a consequência para o Brasil: jogou fgora Us$ l milhão de dólares por dia. Isto era e é o governo da direita mais FDP do Brasil e você não cita. Por que ? Tem vergonha? Não sabia? Ignorância? Falta de compreensão? Falta de humildade? ou Falta de hombridade e Caráter.
    És muito infantil e sem recursos literários.
    Quanto ao dia 24 vamos esperar, pois temos milhares de opções: desde o voto em branco ou nulo até o Bolsonaro. Menos é claro candidato da direita sem vergonha.

    • Fern@ndinho

      Seus comentários são importantes, mas por favor, mostre educação e mantenha a conversa em bom nível!
      Eu votei no Aécio e está provado que ele é bandido. Por isso, ainda espero vê-lo na cadeia. O que ainda não percebi, se caso Lula for condenado, por comprovação de seus crimes; que ninguém dos seus eleitores, quer vê-lo atrás das grades. Essa é a nossa diferença, CARÁTER!!!

  • Munir

    CONVERSA FIADA.TODOS SABEM QUE ESSA MULTA FOI DEVIDO ÀS FALCATRUAS DO GOVERNO LULA E DILMA COM A PETROBRAS CAUSANDO PREJUÍZOS AOS AMERICANOS QUE COMPRARAM AÇÕES DA MESMA .

  • FERNANDINHO—–MALUCO BELEZA geralmente eu não costumo dar resposta a nenhum salafrário e ordinário, mas vou abrir uma exceção, realmente eu fiz duas cópias do que eu mesmo escrevi e coloquei em outro assunto, agora se queres saber se tenho ou não argumentos, tente discutir sobre politica atual comigo seu verme, agora sobre Alzheimer, quem deve estar é a vossa m………. que vive me chamando de meu machão.

    • Fern@ndinho

      Tudo bem…
      Fique a vontade para usar ctrl c e ctrl v.
      Deve ser do Brasil 247: 2+4+7=13, esse número do capeta.
      Mas e o período entre FHC e os dias de hoje? Esqueceu? Então parece que o problema está com vc…
      E a fortuna do Lulinha? Gamecorp???

  • MUNIR se não me engano pelo nome és médico, então deveria pesquisar melhor as noticias e saber a veracidade das mesma se não vai continuar passando vergonha.

    http://tijolaco.com.br/blog/wp-content/uploads/2014/01/fhcfidelchavez.jpg.

    Munir só para lhe mostrar que comigo não tem conversa fiada, o que tem é que quando responde alguma coisa tens que estar bem informado e ter certeza do que escreve. Vou lhe dar alguns exemplos:-

    Fernando Henrique diretamente e o BNDES, sob seu comando fizeram empréstimos a Cuba e a Bolívia , aliás muito corretamente.
    Aqui está o memorando de entendimento entre Brasil , Cuba e Bolívia para financiar a compra de alimentos com recursos orçamentários e construções de refinarias de gás na Bolívia – reparem, orçamentários, diretamente da União – através do Proex (leia-se Banco do Brasil) em US$ 15 milhões, para Cuba firmado em 1998 e 18 milhões para a Bolívia no mesmo ano.
    Sem falar do financiamento a ônibus de turismo para a ilha de Fidel, como está consignado no relatório de atividades do BNDES do ano de 2000?
    “(…)o apoio do BNDES a exportações de ônibus de turismo e urbanos para Cuba somou cerca de US$ 28 milhões. Cabe destacar o financiamento concedido para a aquisição de 125 ônibus Busscar com mecânica Volvo, utilizados na dinamização da atividade turística desse país, no valor total de US$ 15 milhões”
    Mas teve também para a “Venezuela chavista” de que fala a nota do PSDB:
    “Projeto da Linha IV do Metrô de Caracas (Construtora Norberto Odebrecht S.A.) – Construção do primeiro trecho, com extensão de 5,5 km. O investimento total do projeto soma US$ 183 milhões, sendo o financiamento do BNDES de US$ 107,5 milhões, correspondentes a 100% das exportações brasileiras de bens e serviços e ao seguro de crédito às exportações.”
    Deu para compreender quem esta com conversa fiada e não existe nada de multa, ,pois os três países sempre pagaram suas contas com o BNDES em dia, a unica relevância foi quando o presidente da Bolivia no governo de Lula tomou 2 refinarias brasileiras.
    Aqui comigo não tem politico e muito menos partido, tem a verdade , apesar de eu torcer por Lula e Suplicy .
    Estudos, Pesquisas, Leituras, etc…… instrui muito.

  • Lula e o seu silêncio

    O silêncio de Lula sobre os U$ 3 bilhões que a Petrobras terá que pagar a investidores americanos por corrupção do PT.

    Lula reclama do preço do gás, mas se cala sobre multa de R$ 9.5 bilhões que Petrobras terá que pagar por corrupção do PT.

    Nos últimos dias, o ex-presidente Lula e seus seguidores tem ocupado a imprensa e as redes sociais para reclamar do preço do gás de cozinha e dos combustíveis no Brasil. Mas até o momento, nenhuma palavra sobre o acordo fechado pela Petrobras, que se comprometeu a pagar US$ 2,95 bilhões em multas (cerca de R$ 9,5 bilhões) a participantes de uma ação coletiva instaurada na Justiça americana. Na ação, os investidores exigiam reparação por terem sido lesados pelo esquema de corrupção na estatal comandada por Lula e seus aliados.
    Lula que reclama do preço do gás, também não menciona que a Petrobras terá que desembolsar bilhões de reais para escapar de penas mais severas por ilícitos que renderam ao ex-presidente petista benefícios imorais, como o triplex no Guarujá, o sitio em Atibaia e outras vantagens indevidas por contratos superfaturados na estatal.

  • LULA E SEU SILÊNCIO somente os boçais escrevem o que não sabem e o que não ´é verdade, para numa tentativa colocar a conta em Lula. Daqui a pouco meu amigo pseudo o seu irmão será filho de Lula também, só falta você escrever isso . Preste atenção na época da compra o presidente era Lula, mas a compra da refinaria em Pasadena pela brasileira Petrobras Texas (EUA), em 2006, ( foi autorizada por Dilma ), levantou então suspeitas de superfaturamento e evasão de divisas na negociação. Mas o caso ganhou ainda mais repercussão porque, na época, quem presidia o Conselho de Administração da estatal, que deu aval à operação, era a atual presidente da República, Dilma Rousseff. e não Lula.
    Outra coisa precisa ser mais inteligente e explicar bem o que escreves. Que multa de 9,5 bilhões a Petrobras terá que pagar por corrupção do PT. Pois pelo que eu sei estudei a apreendi o PT é um partido politico e não tem meios de um partido fazer corrupção, a não ser os políticos do partido. Então me explique para que eu possa lhe informar melhor, pois gosto de discutir com pessoas de alto nível e tudo bem explicado, para não ficar nenhuma duvida.
    Ao ler mais embaixo entendi o que quis dizer mas não conseguiu entender a ligação que tem o acordo feito entre a Petrobras e o governo americano, sobre a refinaria de Pasadena para que o processo não seguisse em frente e a Petrobras gastasse mais dinheiro com o processo. Governo americano fez uma proposta e a Petrobras viu que seria melhor concordar do que seguir com o processo e pagará 9,5 bilhões e não o PT e sim a Petrobras, QUE COMPROU A REFINARIA COM A AUTORIZAÇÃO DE DILMA E NÃO DE LULA. Agora me explique qual a ligação com o gá a 65 reais no Brasil, pois o mesmo vem da Bolívia e não dos EUA e, qual a ligação que tem isso que quer dizer e não tem a devida competência, com o preço da Gasolina. Um Boçal ou Imbecil, quando acusa uma pessoa tem que ter instrumentos legais para provar. Tu como um desqualificado em politica tens em alguma escritura que o triplex e o sitio são de Lula, tem algum documento comprovando em cartório com firma reconhecida que o triplex e o sitio são de Lula, tens alguma fotografia ou filmagem do Lula comprando o triplex e o sitio, tens cópia original ou xerox de contratos com empresas com a assinatura de Lula, onde consta as vantagens do superfaturamento em alguma estatal, conseguiu achar dinheiro de Lula em bancos no Brasil ou no Exterior, tem alguma filmagem de dinheiro em malas que são de Lula .Eu por exemplo tenho a convicção que és um FDP . eu estou certo ou errado?: onde estão minhas provas? a sr,juiz eu tenho apenas convicção. apenas convicção?

  • LULA E SEU SILÊNCIO meu caro colega da direita burguesa capitalista já que só sabe mostrar os erros de quem ficou quase 16 anos no poder é só fazendo o Brasil cresce e só não continuou por causa da Mafia do PSDB e PMDB, vou lhe mostrar o que o PSDB, fez em oito anos:–

    https://novobloglimpinhoecheiroso.files.wordpress.com/2014/11/petrobras_p36_afundando02.jpg?w=450&h=252

    Relator da CPI da Petrobras: “Acho que temos de ir no passado da Petrobras e investigar coisas como a entrega a baixos preços um bilionário lote contendo 40% das ações preferenciais da Petrobras em março de 1999 (arrematadas na Bolsa por George Soros pela bagatela de US$1 bilhão e valiam mais de US$45 bilhões) o acidente da plataforma P36, que além dos prejuízos materiais de mais de US$11 bilhões ocorreram perdas de vidas humanas, 11 petroleiros morreram no acidente mais catastrófico da história da Petrobras, vamos ouvir o ex-presidente da ANP David Zylberstajn (genro de FHC) e demais gestores da estatal durante o governo Fernando Henrique, além de outros acidentes graves que ocorreram na Petrobras durante o governo FHC ceifaram vidas de petroleiros”. afirmou João Pedro. Em 2001, a plataforma P36, na Bacia de Campos (RJ), afundou após três explosões, deixando 11 mortos”.
    O pior acidente da história da Petrobras ocorreu na madrugada de 15 de março de 2001, após três explosões sucessivas em um tanque de óleo e gás da plataforma P36, instalada no Campo do Roncador, litoral norte fluminense. Ao todo, 11 funcionários morreram. A empresa chegou a montar uma megaoperação de resgate da plataforma, mas não teve sucesso: cinco dias depois, a estrutura de 40 mil toneladas estava no fundo do mar. Na época, era a maior plataforma semissubmergível do mundo.
    De acordo com relatório conjunto emitido pela Agência Nacional do Petróleo (ANP) e pela Marinha, a principal causa das explosões foi um problema no fechamento de uma válvula. Os técnicos também apontaram erros e deficiência na construção da plataforma fabricada integralmente no exterior através de contrato turn-key que impedia o acompanhamento de etapas importantes da obra. A plataforma chegou ao Brasil em dezembro de 2000 com mais de quinhentas não conformidades, quem intermediou a negociata da compra da plataforma foi o genro de FHC David Zylberstajn e o empresário German Eframovitch, dono da empresa Marítima Offshore, um “testa-de-ferro” dos tucanos que tinha empresas offshore fantasma no exterior e negócios bancários na Ilhas Cayman.
    No ano seguinte à tragédia, dois acidentes mataram cinco operários. O primeiro, em julho, ocorreu na Refinaria Gabriel Passos (Regap), em Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte. Dois homens que trabalhavam na manutenção de uma das tubulações de combustível foram carbonizados. Em setembro de 2002, três petroleiros morreram em uma explosão ocorrida num duto de transferência de gás natural da Petrobras, em Candeias, a cerca de 70 quilômetros de Salvador.
    Gestão FHC: Explosão na P36 foi causada por erros de manutenção e projeto, diz ANP
    O acidente com a plataforma P36 da Petrobras foi causado por erros de projetos, manutenção e operação, segundo relatório da ANP (Agência Nacional do Petróleo) e da Marinha. O relatório é bem diferente do que foi apresentado pela Petrobras no mês passado.
    Segundo a ANP, a principal causa da explosão foi um problema no fechamento de uma válvula.
    Entre as deficiências do projeto, estão até a classificação da área onde se localizava o tanque que explodiu, que não era considerada como área de risco.
    De acordo com o relatório, deveriam ser utilizados dispositivos de detecção e contenção de gás e ainda equipamentos resistentes a explosões.
    Outra deficiência no projeto é a ligação do tanque de emergência a um equipamento chamado “manifolde de produção”, onde ficam armazenados óleo e gás. Segundo o superintendente de Desenvolvimento e Produção da ANP, Oswaldo Pedrosa, só havia uma válvula isolando o tanque desse equipamento. O correto seria a existência de mais válvulas, para garantir o isolamento entre o tanque e os combustíveis.
    LULA E SEU SILÊNCIO–agora me responda o total do prejuízo da refinaria de Pasadena e o total do afundamento da plataforma P-36.
    Responde COXINHA?

  • LULA E SEU SILÊNCIO e esse fato que aconteceu no governo da direita dá para você me explicar direitinho ou você não sabia:—

    Folha’ noticia propina ‘reduzida’ à Petrobras no governo FHC.
    Jornal informou que estaleiro de Cingapura admitiu ter pago propina em contratos da Petrobras, mas relativizou os desvios cometidos nos governos tucanos que na realidade passou de mais de 12 milhões de reais.
    Corrupção na Petrobras tem raízes no governo FHC, mas Folha preferiu relativizar denúncias contra tucanos
    A Lava Jato vai deixando 2017 sem que nenhum jornal da grande mídia tenha coragem de expor a blindagem que a força-tarefa de Curitiba, especialmente, impôs ao tucanato e seus aliados. Prova disso é a reportagem da Folha desta quarta (27) sobre um acordo do Keppel Fels com autoridades dos EUA, Cingapura e Brasil, no qual o estaleiro admitiu que pagou propina a executivos da Petrobras ainda no governo FHC, mas sem detalhes.
    Folha aproveitou os primeiros parágrafos (os mais importantes, dentro das regras do jornalismo) não para dizer que esta não é a primeira vez que há denúncias de “suborno” no governo tucano sem notícia de investigação, nem para problematizar o fato de que, mais uma vez, não houve interesse em aprofundar as acusações no acordo. Não. O jornal se preocupou em fazer uma distinção entre quem roubou mais e quem roubou menos, frisando que o pixuleco sob FHC era um trocado, uma mixaria, propininha, valor muito inferior ao que o estaleiro afirma ter pago durante os governos do PT.
    Para fixar bem na memória do leitor, Folha fez esta anotação não uma, mas duas vezes:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *