EM CURITIBA, FORMANDOS DA UNESPAR PEDEM LULA LIVRE

Esse não foi o único gesto de solidariedade ao ex-presidente Lula, ocorrido na semana passada. Na quinta-feira, 21, um grupo de juízes (sim, existem magistrados para quem Lula foi preso sem provas) participou do famoso “boa noite, presidente”, na porta da PF de Curitiba. A notícia é do blog do Esmael:

A formatura do curso de Artes Cênicas, Artes Visuais, Música, Dança, Teatro e Musicoterapia da Universidade Estadual do Paraná (Unespar), que aconteceu na noite de sábado (23) em Curitiba, teve pedido de Lula Livre e denúncia de conquistas ameaçadas.

‘Ninguém vai conseguir oprimir o amor, ninguém vai calar a nossa luta que sempre foi e sempre será legitima. Nós somos feitos de amor, de luta e de resistência. E resistir, minhas queridas e queridos, não é nada novo pra nós’, disseram os oradores Clau Lopes e Aline Ramos.

11 comentários

  • Vai ficar na vontade!

    Está muito difícil o PT esquecer o Lula. Parece que substitui-lo é impossível. Com aproximadamente, 6 processos a serem julgados, eu acho difícil que ele saia da cadeia.
    A ultima chance foi a eleição do Haddad quando o povo escolheu Bolsonaro para não ver Lula sair da cadeia. Foi um voto anti lulismo. Por isso, elegemos um presidente incapacitado. Portanto meia duzia de estudantes petistas querem a saída de Lula e a população não quis!
    A tese petista de que Lula foi preso sem provas ou por vontade de Moro, não é verdadeira! Tendo em vista, que no primeiro julgamento, Lula passou por Moro, TRF-4, TJ e finalmente pelo STF. Está bom ou quer mais!
    Fora os mais de 100 recursos. Resta agora, aos advogados de Lula recorrerem a segunda condenação. Daqui a pouco sai o julgamento do terceiro processo!
    Eu não sou advogado mas acho que esses formandos do curso de Artes Cênicas, Artes Visuais, Música, Dança, Teatro e Musicoterapia deveriam saber disso. kkkkkk

  • jalesexburacosp

    tadinho do lula,inocente e preso…que DÓZINHA

  • Marreta

    DOLEIRO QUE TERIA REPASSADO DINHEIRO PARA ELISEU PADILHA É ENCONTRADO

    .MORTO.ttps://i2.wp.com/www.polemicaparaiba.com.br/wp-content/uploads/2019/03/doleiro-albernaz-temer-moreira-padilha.jpg?w=900

    Preso duas vezes, o doleiro Antônio Claudio Albermaz Cordeiro foi encontrado morto dentro de sua casa, em Porto Alegre (RS), na tarde de domingo (24). A Polícia Civil vai investigar as circunstâncias da morte. Por enquanto, a principal hipótese é de suicídio.
    Em 2018, Tonico – como era conhecido – foi preso pela Operação “Câmbio Desligo” e, de acordo com a Globo News, confirmou que realizava operações escusas pela Odebrecht.
    Tonico contou ainda que, em 2014, recebeu um senhor na faixa de 60 anos, alto e totalmente grisalho, para retirar o dinheiro. O homem não teria se identificado; apenas dito a senha “Angorá” – codinome atribuído a Padilha e ao ex-ministro Moreira Franco, também detido na semana passada.
    A prisão preventiva do doleiro, em 2018, foi revertida dois dias depois pelo ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF).
    Em 2016, ele já havia sido preso na 26ª Fase da Lava-Jato, batizada de Xepa.
    OS MILICIANOS ESTÃO AGINDO.

  • Eurico

    PARLAMENTARES DO PSL AMEAÇAM REBELIÃOCONTRA O GOVERNO JAIR BOLSONARO.
    Deputados da legenda não querem carregar o peso de defender o pacote de maldade da Previdência sem receberam nada em troca; até o MEC estaria na “pauta de reivindicação”.

    https://www.revistaforum.com.br/wp-content/uploads/2019/02/bolsonaro-bancada-psl-e1550152351466.jpg

    A coluna Painel, da jornalista Daniela Lima, na Folha de S. Paulo desta segunda-feira (25), informa que as batidas de cabeça na articulação política de Jair Bolsonaro e o que alguns deputados federais de seu partido chamam de falta de prestígio podem levar a bancada do PSL na Câmara a abandonar o barco da Reforma da Previdência.

    PUBLICIDADE

    Os parlamentares do partido do presidente não querem carregar o peso de defender o pacote de maldades contra os trabalhadores brasileiros sem receber nada em troca. Até o Ministério da Educação estaria na pauta de negociação. Há quem defenda o nome Bia Kicis (PSL/DF) para o comando da pasta.

    Líder do PSL na Casa, o deputado Delegado Waldir (PSL) deve chamar reunião com a bancada para esta quarta (27) para definição da “nova postura” em relação ao Planalto. O grau da insatisfação já atingiu o tem de chantagem: ou Bolsonaro muda, ou tiram o corpo fora.
    Os parlamentes devem, após esse encontro, reivindicar agenda direta com Bolsonaro e um canal de diálogo permanente com o presidente.
    O Planalto, por ora, mantém resistência em negociar com o que chama de “velha política”.
    Sinais de desgaste da relação entre o PSL e Jair Bolsonaro já vêm sendo apontado pela Fórum. Na semana passada, Delegado Waldir declarou que a legenda abriria mão da indicação de relatores para a PEC da Reforma da Previdência.
    O deputado Alexandre Frota (PSL) – que de entusiasta, tornou-se persona non grata para o presidente – também twittou sobre a dificuldade de viabilizar a proposta que, na prática, desmonta o Sistema de Seguridade Social no Brasil.

  • Tem uma luz no final do túnel para Lula!

    Depois que Lula foi julgado e preso por Moro, TRF-4, STJ e STF. Agora Lula recorreu ao STJ para pedir o cancelamento dos julgamentos de Moro e TRF-4 sob o argumento de que deveria ser julgado pela justiça eleitoral.
    Neste mês, o STF entendeu que crimes de corrupção e lavagem de dinheiro associados a caixa dois devem ir para a Justiça Eleitoral, e não Federal. A decisão do STF foi considerada uma derrota para a Lava Jato.
    O STF já abriu uma chance para soltar os políticos corruptos da cadeia. Resta saber se a lei nova é retroativa e se a justiça eleitoral vai facilitar a soltura dos políticos já presos? O advogados vão ganhar mais dinheiro dos políticos presos. kkkkk
    Depois que soltaram Temer por que não mandar Lula para casa? kkkkk

  • ANONIMO

    DEPUTADOS DEFENDEM QUE, DA FORMA COMO ESTA, O PROJETO DE BOLSONARO E PAULO GUEDES
    NÃO DEVERIA SEQUER PASSAR PELAS SESSÕES INICIAIS DA CCJeestá, o projeto de Bolsonaro e Paulo

    A oposição ao governo na Câmara — formada por PDT, PT, PCdoB, PSB, PSOL e Rede — quer enterrar a Reforma da Previdência antes mesmo que ela passe pelas primeiras discussões. Nesta terça-feira 26, os seis partidos divulgaram uma nota pública contra a proposta de Paulo Guedes.
    Os deputados (são 133) consideram que, da forma como está, a PEC não deveria sequer passar pelos primeiros debates da Comissão de Constituição e Justiça, ponto inicial de tramitação da reforma. Criticam principalmente o desmonte do regime de repartição, a queda no valor dos benefícios e “exigências inatingíveis” aos trabalhadores rurais.
    Argumentam ainda que a reforma prejudica a economia de 72% das cidades brasileiras, dependentes dos benefícios de seguridade social. E que, com o corte no BPC e outros benefícios, a assistência social será transformada em política de “cobertura à miserabilidade”.
    Não se trata, porém, de uma recusa total aos debates da reforma. Por uma Previdência sustentável, eles defendem que o caixa seja reforçado via taxação de lucros e dividendos, revisão de desonerações e combate à sonegação fiscal.
    Mas o governo não parece disposto a debater. O ministro Paulo Guedes desistiu em cima da hora de participar de audiência da CCJ que estava marcada para esta terça-feira 26. Ele teria sido orientado a esperar a indicação do relator, ainda em aberto. “Ou ele não se sente seguro pra defender sua proposta, ou não tem respeito pelo Parlamento”, critica Alessandro Molon (PSB), um dos articuladores do convite.

  • anonimo

    CENTRÃO DESMONTA PEC DA PREVIDÊNCIA ENQUANTO BOLSONARO VAI AO CINEMA.

    Dois movimentos na manhã desta terça-feira marcaram o início do desmonte do projeto de reforma da Previdência enviado pelo governo ao Congresso. Enquanto o presidente Jair Bolsonaro ia ao cinema, os líderes dos partidos do Centrão na Câmara (PR, PSD, PTB, SD, PRB) se aliaram ao MDB e ao PSDB e assinaram nota declarando que vão tirar três pontos do texto: as mudanças no BPC, na aposentadoria rural e a desconstitucionalização do tema.
    Uma sinalização extremamente negativa para o Planalto, agravada pela decisão do ministro da Economia, Paulo Guedes, de desmarcar na última hora sua ida à CCJ da Câmara, também nesta manhã, onde explicaria o projeto e iniciaria um processo de apaziguamento dos ânimos entre Executivo e Legislativo.
    A oposição não assinou a nota do Centrão expandido, mas está claro que estará a seu lado nesses cortes no texto. Semana passada, foram exatamente esses os pontos citados pelo senador Jaques Wagner (PT-BA) em vídeo em que comentou a reforma da Previdência.
    Nesse quadro, caem todas as previsões de que esta terça seria um dia de recomposição e reaproximação entre governo e aliados do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, conforme tinham acenado ontem articuladores de ambos os lados. Não foi.
    Bolsonaro e Guedes estão perdendo a queda de braço.

  • ANONIMO

    COVARDE: Bolsonaro acaba de liberar $ 1 bilhão para comprar votos para aprovar a reforma de previdência.

    Com a base de apoio ao governo cada vez mais desarticulada, o preço para dar o pontapé inicial à reforma da previdência no Congresso aumentou. O governo liberou R$ 1 bilhão em emendas parlamentares em troca de votos pela reforma. Mais clássica moeda de troca entre legislativo e executivo, a liberação de emendas em período pré votação, se levada ao pé da letra, ganha ares de ’propina’ política. Há mais R$ 2 bilhões para serem liberados e o governo tentará ditar o ritmo à medida em que o desenho da votação for ficando mais evidente.
    A reportagem do jornal Folha de S. Paulo destaca que “o governo Bolsonaro tinha a intenção (…) de pagar todas as emendas, que somam R$ 3 bilhões. Mas apenas parte delas —que representam R$ 1 bilhão— tinham cumprido todos os requisitos. O restante pode ser liberado ainda neste ano. ’Hoje foi liberado esse recurso. Deve ter sido liberado pelos ministérios e vai chegar para os beneficiários a partir da semana que vem’, disse o deputado [Major Vitor Hugo].”
    A matéria ainda informa que “cerca de R$ 700 milhões se referem a emendas individuais e aproximadamente R$ 300 milhões foram apresentadas por bancadas. O líder do governo na Câmara afirmou ainda que a medida atende a praticamente todos os partidos, inclusive os de oposição. A liberação de emendas coincide com a retomada dos trabalhos do Congresso após o feriado de Carnaval e a previsão de início dos trabalhos das comissões das Casas, previsto para esta semana.”

  • ANONIMO

    POR FLORESTAN FERNANDES PARA O JORNALISTAS PELA DEMOCRACIA:::::::*****

    Em 2017 jantei com Fernando Pimentel em Belo Horizonte. Durante a conversa, o então governador mineiro disse que naquele dia tinha ocorrido a formatura de uma turma da PM à qual ele não compareceu. O motivo era o homenageado, nada menos que o deputado federal Jair Bolsonaro. Fernando contou que o capitão estava viajando Brasil afora e sendo o paraninfo dos novos policiais militares. As solenidades sempre terminavam com saudações parecidas com as dos militares fascistas de extrema-direita do passado.
    Talvez tenha sido através dessas festas de formatura que Bolsonaro deu início à sua enorme rede no WhatsApp, utilizando os números de celulares de PMs, de seus amigos e parentes. Depois vieram os contatos de fieis evangélicos e ruralistas. Neste fim de semana almocei com o jurista Celso Antônio Bandeira de Mello que lá pelas tantas me disse que um oficial de alta patente contou a ele que Bolsonaro teria hoje sob seu controle o baixo escalão do Exército. E que poderia estar jogando na desordem institucional para repetir, à sua maneira, o que fez Getúlio Vargas no Estado Novo, ou o que tentou Jânio Quadros em 1961 na expectativa de voltar com plenos poderes nos braços do povo, fechar o Congresso Nacional, onde tinha minoria, e enquadrar os ministros do STF.
    Essa é uma teoria que faz sentido e, se for verdadeira, não saiu dos dois neurônios do capitão. Teria saído de alguma agência de inteligência com know how em golpes de Estado. Me ocorreu que foi justamente a CIA a principal articuladora dos movimentos golpistas que resultaram em um período longo de ditaduras militares nos países na América Latina nos anos 60 e 70. A agência de espionagem americana fez parte do roteiro de Bolsonaro em sua visita recente a Washington.
    Vale lembrar que, em 2009, o exército hondurenho sequestrou o presidente Manuel Zelaya e o enviou para o exílio na Costa Rica. O golpe foi tramado para impedir que o presidente, eleito democraticamente, conseguisse convocar uma Assembleia Nacional Constituinte. Na época, o historiador e cientista político Muniz Bandeira cravou o seguinte comentário: “Provavelmente, o golpe em Honduras contou com a ajuda de setores da CIA e do Pentágono, que se alinham com os neoconservadores e se opõem ao presidente Barack Obama”. Dias depois do sequestro, Zelaya retornou a Honduras e tentou recuperar seu mandato. Sem sucesso, refugiou-se na embaixada do Brasil por quatro meses.
    Em 2012, o presidente do Paraguai Fernando Lugo foi destituído da presidência num impeachment relâmpago que durou pouco mais de 24 horas O julgamento a jato de Lugo, sem tempo nenhum para a defesa, se configurou num claro golpe de Estado. A decisão já estava pronta e escrita. Por coincidência, a embaixadora americana na época, Liliana Ayalde, era a mesma diplomata dos EUA no Brasil em 2016 durante o impeachment da presidenta Dilma Rousseff.
    O pressuposto para um golpe ter apoio e vingar é a desordem institucional e social. Esses ingredientes sobram no Brasil do atual governo. Como disse o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, o governo Bolsonaro é um deserto de ideias. E não só de ideias, mas de quadros com o mínimo de competência para tocar os ministérios. Se a CIA está por trás de tudo isso, só o tempo dirá. Mas é bom ficar atento. Não acho que existam ingênuos no poder. Bolsonaro como presidente da República é o comandante em chefe das Forças Armadas e, certamente, tem apoio do pessoal do “baixo clero” do Exército, de PMs e até de ex-PMs que operam nas milícias do país.

  • Chico Pinga

    GUEDES EM UM ATO DE COVARDE, SE FURTA A VIR DEBATER NO CONGRESSO A REFORMA DA PREVIDÊNCIA, TÍPICO DE POLÍTICOS COVARDES DA DIREITA BRASILEIRA!!

  • Chico Pinga

    CARLOS BOLSONARO VOLTA AO TWITTER E SUGERE QUE RODRIGO MAIS QUE CHANTAGEAR O GOVERNO MILICIANO DE SEU PAI.

    O filho do presidente tuitou: “As pessoas que querem Bolsonaro longe das redes sociais sabem que é isso que o conecta com o povo”, e acrescentou que “o querem fraco e sem apoio popular pois assim conseguiriam chantageá-lo”

    Geralmente, quando Carlos Bolsonaro vai ao Twitter provoca estragos, principalmente dentro do governo. Embora sem mencionar nomes, o filho do presidente fez uma postagem na qual dá a entender que Rodrigo Maia quer chantagear a administração do pai.
    “As pessoas que querem Bolsonaro longe das redes sociais sabem que é isso que o conecta com o povo, já que não tem mídia a seu favor. Foi isso que garantiu sua eleição, inclusive. Em outras palavras, o querem fraco e sem apoio popular pois assim conseguiriam chantageá-lo”, postou o filho do presidente.
    O recado, claramente, tem endereço certo. Afinal, na sexta-feira (22), o presidente da Câmara, durante entrevista, fez uma dura crítica a Jair Bolsonaro. Maia disse que o presidente devia sair do Twitter e articular a base na Câmara para conseguir aprovar a reforma da Previdência.
    VIVA A BAGUNÇA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *