MANUTENÇÃO DA CÂMARA MUNICIPAL CUSTOU R$ 2,3 MILHÕES EM 2017

Considerada uma das casas legislativas mais econômicas do Estado de São Paulo, a Câmara de Jales custou aos contribuintes jalesenses pouco mais R$ 2,3 milhões durante o ano de 2017, ou menos de 2% do orçamento municipal previsto para o ano passado. De acordo com a legislação, as câmaras municipais de cidades com menos de 100 mil habitantes podem gastar até 7% do orçamento anual do município, o que, no caso de Jales, corresponderia a R$ 7,9 milhões em 2017.

Divididos entre os 49.110 habitantes de Jales – segundo estimativa do IBGE para 2017 – os R$ 2,3 milhões gastos pela Câmara significam R$ 48,19 para cada um deles. O valor é bem menor do que gastou, por exemplo, cada habitante de Fernandópolis para custear o Legislativo da vizinha cidade. A Câmara de Fernandópolis – que possui 13 vereadores, três a mais que os 10 vereadores de Jales – gastou R$ 4,3 milhões em 2017, o que representa R$ 62,61 para cada um dos seus 68.670 habitantes.

A maior despesa da Câmara de Jales, em 2017, não foi com o pagamento dos vereadores, mas com os salários dos servidores efetivos, que custaram pouco mais de R$ 886 mil durante o ano. A folha de pagamento dos vereadores consumiu R$ 619,2 mil, enquanto os servidores comissionados custaram R$ 122,2 mil. No total, a folha de pagamento da Câmara consumiu pouco mais de R$ 1,6 milhão em 2017.

Afora a folha de pagamento dos servidores e dos vereadores, o maior gasto da Câmara foi com a Rádio Nova Cultura Ltda, responsável pela transmissão radiofônica das sessões do Legislativo. Em 2017, as transmissões custaram R$ 51,9 mil, quase o dobro dos R$ 28,5 mil pagos em 2016.

9 comentários

  • João

    também,…servidores da camara tem reajuste por decretos…promoções por decretos…
    aiiii se o MP passar um pente fino la….
    ia sair cada barbaridade tcheeee

  • Mi

    e no ipasm hein….tem ASG que virou contador sem prestar concurso…

  • ANA MARIA

    Vereador e Deputado Estadual só serve para gerar despesa, pois quem manda no Estado e no Município é o Executivo.
    No Estado de São Paulo por exemplo o poder está nas mãos de um único partido há 24 anos, e nunca passou uma CPI sequer, pois aliciam todos os partidos, inclusive o Tribunal de Contas. Aí o Prefeito e o Governador inaugura uma obra e fala que foi tal deputado que pediu.
    Legislativo no Brasil é igual pick up Fiat: Não serve pra nada. Não presta pra carga e nem pra carregar gente.

  • pra que esse monte de dinheiro gasto com vereadores sendo que não servem para nada a cidade ta um lixo acabada e vai acabando cada vez + ninguém faz nada não ve nenhun vereador so aparece na hora de pedir voto a marginal em frente o benazzi ta uma zona quando chove nem tem como passar lá mato sujeira não tem calçada lagoa enorme de água parada que isso gente será quem jales tem mais 4 anos perdidos chega oque já perdeu fassa alguma coisa vereadores andem pelas ruas e ve os problemas que jales tem ufa .p—-.

  • atolado

    Cade o almento dus funcionários da prefeitura, o douto presidente do cindicato vamo da sinal de vida ai pooooooooooooooooo

  • Edma

    Aí cadê o MP para fiscalizar…esta aííí comprovado supostamente a pior legislação…
    Diminuir gasto nem a pau Juvenal, rever salários de decretos, gratificações nada…tem funcionário com ranchos, carrões, etc…
    Se o MP não fizer nada…Vamos com projeto de intenção popular…

  • funcionario

    Pió, o ipasm virou assossiação de árbitro, na sala do asg so fala de arbitrage, fais um penti fino no computado do asg, so tem prestassão de conta de arbitrage.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *