MESÓPOLIS: EX-PREFEITO E EX-VEREADORA SÃO CONDENADOS PELA JUSTIÇA DE JALES POR IMPROBIDADE

O ex-prefeito de Mesópolis, Otávio Cianci – recordista da região em ações de improbidade administrativa – e a ex-vereadora Eunice Camilo da Silva, a Nice do Sapo, foram condenados pela Justiça de Jales por ato de improbidade. A ação foi ajuizada pelo Ministério Público em setembro de 2015 e a sentença do juiz da 2ª Vara de Jales, Alexandre Yuri Kiataqui, é de dezembro de 2017.

Sucedeu assim: em 2011, quando Eunice era a presidente da Câmara de Mesópolis, o então prefeito Tavinho autorizou a utilização de um caminhão do município para transporte de material usado na reforma da residência da vereadora. Com o detalhe de que o motorista do caminhão – Luiz Olímpio – também era vereador. Além disso, o prefeito ainda designou um servidor municipal para executar a repaginação da casa de Eunice.

Em sua defesa, Eunice – como se ela não tivesse que dar exemplo – alegou que era costume da Prefeitura ceder o caminhão para atendimento dos munícipes em obras particulares. Alegou também que o pedreiro designado pelo prefeito trabalhou por apenas quatro dias na reforma, o que gerou certa polêmica, pois uma testemunha da vereadora disse que foram apenas um dia e meio de trabalho, enquanto o próprio servidor – Genésio Cavelani – garantiu que foram quinze dias de exaustivo trabalho na casa da vereadora.

Resumo da ópera: Eunice foi condenada a pagar multa correspondente a três vezes o prejuízo causado aos cofres públicos, enquanto Tavinho terá que pagar multa relativa a duas vezes o mesmo prejuízo, cujo valor ainda vai ser calculado. Além das multas, os dois personagens foram condenados, também, a ressarcir os cofres municipais pelos prejuízos oriundos da conduta ímproba de ambos.

A ex-vereadora Nice do Sapo é um dos agentes políticos que está requerendo na Justiça de Jales o pagamento do 13° salário e do 1/3 de férias relativos ao período em que prestou serviços ao ordeiro povo de Mesópolis. O pedido dela – R$ 12 mil – foi julgado procedente, em primeira instância, mas não se pode dizer que a fase da ex-vereadora é das melhores.

Não bastasse a multa e o ressarcimento a que foi condenada, ela está sendo acionada na Justiça pela Prefeitura de Mesópolis, por conta de uma dívida de R$ 13 mil. Ou seja, o 13° salário – se vier – não será suficiente para a ex-vereadora acertar suas contas com os cofres públicos.

5 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *