PARA ESPECIATO, CEI VISA APENAS ATINGIR PREFEITO

Já fazia algum tempo que o discurso da perseguição pessoal ao prefeito estava esquecido. Não sei se os prezados leitores se lembram, mas foi o próprio prefeito, em um passado não muito remoto, quem lançou essa balela de perseguição pessoal. Coisa de quem mede os outros pela própria régua. Na época, o alvo era o Ministério Público.

Ontem, na sessão da Câmara, o vereador Luis Especiato(PT), insatisfeito com a confirmação da CEI da Falsidade Ideológica, mais uma vez lançou mão dessa retórica. Na opinião do vereador, a CEI teria como objetivo único e exclusivo atingir o prefeito. E disse mais: que ao fazer isso, os vereadores também estariam atingindo, irresponsavelmente, uma empresa que gera empregos em Jales e, nas palavras dele, já ajudou muita gente.

Essa falsa preocupação com a empresa é só um pano de fundo prá tentar esconder a responsabilidade do prefeito. Quem está sendo investigado é o senhor Parini. A empresa solicitou uma Certidão e o setor responsável pela emissão negou. A empresa então solicitou ao prefeito e ele, ao invés de também negar, como a lei recomenda, determinou que a Certidão fosse emitida. Portanto, a empresa fez a parte dela, que era solicitar a Certidão. O prefeito deveria ter feito a parte dele, que era negar. Mas aí, os outros interesses que estavam em jogo falaram mais alto.

Especiato aproveitou também para ler as conclusões do delegado que presidiu o inquérito. E ele fez isso como se as conclusões da autoridade policial fossem definitivas. Já postei alguma coisa sobre o relatório do delegado, e não vou ficar repetindo. Repetirei apenas que, nos casos “Carroça” e “Reforma das Praças“, a Justiça de Jales deu a sua opinião de que Parini era inocente, mas o Tribunal de Justiça entendeu diferente e o condenou por três votos a zero, nos dois casos. Quem garante que, também no caso da Certidão com declaração falsa, o Tribunal de Justiça não pense diferente do senhor delegado?

Apesar de repercutir as conclusões do delegado, Especiato confessou que não viu o processo. Pois eu vi! E acho que tem muita coisa lá que precisa ficar melhor explicada. Espero que os vereadores façam isso.

19 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *