PSDB PAULISTA PERDEU MAIS DA METADE DE SUA BANCADA NA CÂMARA FEDERAL

O PSL é o partido que elegeu mais parlamentares na bancada de São Paulo na Câmara Federal, com 09 representantes, entre eles a jornalista Joice Hasselmann, o ator pornô Alexandre Frota e o herdeiro da família imperial brasileira Luiz Philippe O. Bragança.

Eduardo Bolsonaro, o filho do “coiso”, que foi eleito em 2014 com 82,2 mil votos, dessa vez alcançou mais de 1,8 milhão de votos, numa prova irrefutável de que o povo paulista realmente sabe o que quer. 

O PT ficou logo atrás, com 08 representantes paulistas na Câmara, dois a menos que os 10 eleitos em 2014. Já o PSDB emagreceu bem mais: em 2014, os eleitores paulistas elegeram 14 tucanos para a Câmara Federal, enquanto agora em 2018 apenas 06 tucanos foram eleitos pelos paulistas.

O DEM cresceu, passando de 04 deputados em 2014, para 05 eleitos em 2018. E o MDB, que, em 2014, fez apenas 02 deputados federais por São Paulo, dessa vez elegeu 03.

Abaixo, a relação completa dos 70 deputados federais eleitos por São Paulo:

Eduardo Bolsonaro (PSL) –  1.814.443 (8,75%)
Joice Hasselmann (PSL) 1.030.293 (5,14%)
Celso Russomanno (PRB) 497.370 (2,48%)
Kim Kataguiri (DEM) 442.875 (2,21%)
Tiririca (PR) 431.215 (2,15%)
Tabata Amaral (PDT) 253.145 (1,26%)
Policial Katia Sastre (PR) 252.531 (1,26%)
Sâmia Bomfim (Psol) 240.576 (1,20%)
Pastor Marco Feliciano (Podemos) 226.729 (1,13%)

Capitão Augusto (PR) 224.573 (1,12%)
Baleia Rossi (MDB) 202.365 (1,01%)
Vinicius Poit (Novo) 198.378 (0,99%)
Luiza Erundina (Psol) 172.126 (0,86%)
Renata Abreu (Podemos) 155.417 (0,78%)
Rui Falcão (PT) 154.186 (0,77%)
Ivan Valente (Psol) 148.750 (0,74%)
Alexandre Frota (PSL) 147.967 (0,74%)
Marcos Pereira (PRB)  133.406 (0,67%)
Carlos Zarattini (PT) 130.719 (0,65%)
Arnaldo Jardim (PPS) 129.533 (0,65%)
Marco Bertaiolli (PSD) 126.698 (0,63%)
Guilherme Mussi (PP) 126.349 (0,63%)
Marcio Alvino (PR) 124.193 (0,62%)
Alex Manente (PPS) 124.139 (0,62%)
Nilto Tatto (PT) 121.208 (0,60%)
Carlos Sampaio (PSDB) 121.179 (0,60%)

Ricardo Izar (PP) 119.715 (0,60%)
Fausto Pinato (PP) 117.089 (0,58%)
Alexandre Leite (DEM) 113.890 (0,57%)
Tenente Derrite (PP) 113.680 (0,57%)
Cezinha de Madureira (PSD) 113.485 (0,57%)
Luiz Philippe O. Bragança (PSL) 112.778 (0,56%)
Vitor Lippi (PSDB) 110.447 (0,55%)
Paulo Freire Costa (PR) 102.985 (0,51%)
Enrico Misasi (PV) 102.682 (0,51%)
Samuel Moreira (PSDB) 100.211 (0,50%)
Rodrigo Agostinho (PSB) 100.013 (0,50%)
Vanderlei Macris (PSDB) 99.558 (0,50%)
Jefferson Campos (PSB) 95.442 (0,48%)
David Soares (DEM) 94.666 (0,47%)
Bruna Furlan (PSDB) 93.997 (0,47%)
Coronel Tadeu (PSL) 93.809 (0,47%)
Miguel Lombardi (PR) 91.955 (0,46%)
Vinicius Carvalho (PRB) 89.214 (0,45%)

Geninho Zuliani (DEM) 88.433 (0,44%)
Rosana Valle (PSB) 87.928 (0,44%)
Eli Corrêa Filho (DEM) 86.936 (0,43%)
Gilberto Nascimento (PSC) 85.496 (0,43%)
Eduardo Cury (PSDB) 85.259 (0,43%)
Alexandre Padilha (PT) 83.500 (0,42%)
Professor Luiz Flávio Gomes (PSB) 83.319 (0,42%)
Arlindo Chinaglia (PT) 83.136 (0,41%)
Roberto Alves (PRB) 78.063 (0,39%)
Paulo Teixeira (PT) 76.615 (0,38%)
Carla Zambelli (PSL) 72.997 (0,36%)
Luiz Carlos Motta (PR) 72.342 (0,36%)
Milton Vieira (PRB) 71.924 (0,36%)
Paulinho da Força (SD) 70.780 (0,35%)
Maria Rosas (PRB) 70.649 (0,35%)

General Peternelli (PSL) 70.581 (0,35%)
Junior Bozzella (PSL) 70.123 (0,35%)
Vicentinho (PT) 68.629 (0,34%)
Abou Anni (PSL) 67.432 (0,34%)
Alencar Santana (PT) 63.285 (0,32%)
Adriana Ventura (Novo) 61.851 (0,31%)
Orlando Silva (PCdoB) 61.296 (0,31%)
Roberto de Lucena (Podemos) 52.285 (0,26%)
Ricardo Nunes (MDB) 46.640 (0,23%)
Douglas Belchior (Psol)  44.485 (0,22%)
Alexis (Novo) 44.728 (0,22%)

1 comentário

  • PT está preso no Nordeste! Os votos lulistas e nordestinos salvaram Haddad.

    No primeiro turno das eleições mostra que o PT não chegou perto de morrer pelo “tiro” do Bolsonaro, como praticamente aconteceu com o PSDB, mas está preso no Nordeste, no território e na Câmara, no Legislativo.
    Bolsonaro venceu em 17 das 26 estados. Os únicos em que perdeu são justamente os estados da região Nordeste. Os votos lulistas e nordestinos salvaram Haddad, para o 2o. turno. Muito pouco para um partido que foi governo por 13 anos e saiu dizendo que foi um golpe! Só os nordestinos acreditaram nisso.
    O Norte, Minas Gerais e o Rio, que foram petistas em eleições passadas, migraram para Bolsonaro. Como foi a desigualdade regional, mais que a questão de gênero, a frear a vitória antecipada do capitão do PSL.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *