UM POUQUINHO DE ALGUMAS COISAS

O prefeito Pedro Callado confirmou ao repórter Tony Ramos, do Jornal do Povo (Assunção) o interesse da Funec em trazer para Jales alguns cursos, a começar pelo curso de Direito. Callado disse que a Funec pretende trazer apenas cursos inexistentes em Jales. Disse, também, que a Funec não pediu nada à Prefeitura, nem mesmo um prédio para instalar o curso. Segundo Callado, a própria Fundação é quem vai procurar um prédio na cidade e pagar o aluguel por ele.

Os advogados da Prefeitura de Jales estão contestando decisão da Justiça local que obriga o município a fornecer um medicamento – uma espécie de botox – à esposa de um influente político local. De outro lado, segundo informações obtidas pelo blog, o advogado da mulher já teria protocolado um documento junto à Justiça desistindo da ação contra o município. O político, para quem ainda não sabe, é o vereador Tiquinho. O caso veio à tona justamente no período em que ele ocupava o cargo de prefeito interino.

A Prefeitura de Jales reabriu – pela 5ª vez seguida – a licitação visando a aquisição parcelada de combustível para a frota municipal. Nas quatro vezes anteriores, não apareceu nenhum interessado em participar da licitação. Tudo indica que, nesta quinta vez, também não teremos interessados. Atualmente, os combustíveis estão sendo fornecidos pelo Posto Universitário, com base em um contrato emergencial.

O vereador Júnior Rodrigues(PSB), não perdoa a traição do PT na eleição para a presidência da Câmara. Mas não foi só o PT que o deixou contrariado: ele avalia que o ex-vice Clóvis Viola não se esforçou muito para ajudá-lo. No dia da eleição, Júnior – que ajudou a aprovar as contas da dupla Parini e Clóvis – pediu a intervenção do ex-vice junto ao PT. Clóvis, que é parente da mãe de Júnior, até fez contatos com Luís Especiato, mas não conseguiu convencer o PT a cumprir o acordo costurado em 2012.

Pessoas próximas ao prefeito Pedro Callado garantem que ele não será candidato à reeleição. O tucanato local e a deputada Analice Fernandes – que é quem dá as cartas no PSBD de Jales – já estariam conscientes de que Callado está fora do jogo e estudam alternativas para as eleições de 2016. Uma das alternativas pode ser a união com o prefeiturável do DEM, Flávio Prandi Franco.

José Devanir Rodrigues, o Garça, reassume a provedoria da Santa Casa daqui a dois dias. Ele entrou em contato para desmentir a versão de que o empresário Edmílson Lázaro, atual vice-provedor, tenha sido esquecido por ocasião da formação da nova diretoria. Segundo Garça, Edmílson foi convidado para ocupar outros dois cargos, mas queria continuar como vice-provedor. E os novos vice-provedores – Toshiro Sakashita e Júnior Ferreira – já estavam escolhidos.

Os petistas Pérola Cardoso e Luís Rosalino foram os vereadores que mais viajaram por conta da Câmara, em 2015. Juntos, eles gastaram R$ 3,6 mil em viagens que incluíram visitas a Hortolândia, Barretos, São Carlos, São Paulo e Brasília. Tiago Abra(SD) fez apenas duas viagens, mas foi um dos que mais gastou: R$ 2,1 mil. Sérgio Nishimoto e Nenê do Pet Shop foram os únicos que não viajaram. No total, a Câmara gastou R$ 11,8 mil com viagens.

O deputado Itamar Borges(PMDB) declarou, em entrevista radiofônica, que incluiu três emendas parlamentares destinadas a Jales, no orçamento estadual de 2016. Nenhuma delas, no entanto, para a Prefeitura. Santa Casa, APAE e Hospital de Câncer são os beneficiários das emendas do beijoqueiro. Cumpre lembrar que, na maioria das vezes, essas emendas não se tornam realidade.          

11 comentários

  • Anônimo

    CARDOSO, por que você como dono do Blog e também jornalista nas hora vagas, não procura ouvir o outro lado da história, ou versão do empresário Edmilson Lázaro, atual vice- provedor, mesmo eu não sabendo se o mesmo irá dizer suas verdades, pois pelo que eu e muita gente sabe, essa não é a verdadeira versão? Isso cabe ao verdadeiro senso jornalistico, ou seja tentar ouvir os dois lados ou as duas versões.
    Quem era e quem é hoje o Junior Ferreira?
    O que fez Toshiro Sakashita nos últimos anos para a Santa Casa a não ser a reforma de um quarto?
    Na eleição passada Toshiro trabalhou para quem e quem o mesmo criticava abertamente?
    A que entidade Toshiro pertence?
    Junior Ferreira era filiado a algum partido? e agora é?
    Junior Ferreira alguma vez, ajudou a Santa Casa? Participou de alguma diretoria? Por que que só agora?
    E vai por aí afora. Não é puxação saco e não tenho nenhum interesse nem em politica e nem pertencer a nenhuma diretoria, simplesmente gosto da verdade e como já disse ajudo essa entidade e de coração, não me intrometo nesse tipo de coisa, mas ouço muito bem as conversas, por aí a fora.
    Quero deixar bem claro, colaboro e sempre quando posso com a Santa Casa, que não é de ninguém, mas sim do povo jalesense e das cidades vizinhas, que colaboram e muito com a mesma, ela não pertence a uma só entidade e na sua diretoria deveria ter, gente de todas as qualificações e classes sociais e trabalhistas, pois quem sempre põe a mão no bolso é a população ( ou seja os mesmos ), cadê a colaboração do Governo do Estado, Governo Municipal, da Dep, Analice Fernandes, do dep. Itamar etc………Correr atrás do dinheiro é fácil, o difícil e tira-lo do bolso.
    Isso não é nenhuma critica aos dois últimos provedores, pois não sou burro, mas são coisas que a ´população, tenho certeza deseja saber.
    Precisamos ouvir o outro lado, se o mesmo quiser falar e se o Sr. Cardoso, for procurar saber, é claro.
    Feliz Ano Novo a todos.

  • anonimo

    Essa do Botox é pra acabar.

  • Eu

    Se Jales bobear e, por acaso, Urãnia aceitar tal extensão, a consequência será estudantes jalesenses se deslocando para Urânia para fazer o curso de Direito.

  • Zezé

    A Funec podia trazer Psicologia também!!!

  • Fabiana

    Amigo Cardosinho, já ouvi muitas pessoas falando que acham o “maior abusrdo o governo do estado ter que pagar botox para pacientes que entram na justiça”, mas há de se esclarecer que a Toxina Botulínica Tipo A (botox) é um medicamento muito utilizado para pacientes que sofreram algum tipo de paralisia facial (que causa assimetria), e daí se confunde com algo estético. O padre Fábio de Mello, por exemplo, sofreu uma paralisia facial que o obrigou a utilizar o botox, e daí, muitos desavisados da imprensa “caíram” em cima criticando.

    • Anônimo

      Mas Fábio de Mello recorreu a justiça para que o contribuinte pagasse seu tratamento? Se o estado paga as contas de quem tem recursos e condições financeiras, vai ficar muito mais difícil atender quem de fato precisa.

    • Anônimo

      Pode usar o que quiser… O que não pode é fazer isso custeado pela Prefeitura de Jales, até porque, a cidadã em questão tem condição financeira para isso… #vergonha

      • Fabiana

        Pessoal, eu até entendo a opinião de vocês, porque realmente nos revoltamos com algumas situações porque “a pessoa tem condições financeiras”. Mas as coisas não funcionam assim.
        Já está na carta magna: “Saúde: direito de todos, dever do Estado”.
        Não importa se a pessoa é milionária, ela tem direito!
        Meu marido mesmo necessitou de um medicamento bem caro, e eu, mesmo trabalhando na saúde, nunca entrei na justiça! Isso é uma questão de consciência de cada um. Conheço pessoas muito bem de situação financeira aqui em Jales que brigam com o pessoal da Farmácia quando não tem uma simples Dipirona lá. Só trabalhando lá prá ver o que acontece. Concordo! #vergonha

        • Anônimo

          Falou bem Fabiana, questão de consciência, questão de falta de consciência. Pode ser lícito pegar a última cartela de diclofenaco e sair dali em seu carro zero, mas não convêm às pessoas do bem. Foi muito válido os desavisados da imprensa caírem em cima. Graças a isso hoje os eleitores já sabem que existe na cidade um político que padece de um mal denominado falta de consciência.

          • Fabiana

            Talvez eu tenha me expressado mal, mas em momento algum critiquei o fato da esposa do vereador entrar com uma ação para adquirir um medicamento. A saúde, como todos sabemos, é DIREITO DE TODOS!
            O que eu critico mesmo é o fato de muitas pessoas de situação financeira invejável tratarem os funcionários da saúde pública como lixo quando não tem seus medicamentos.
            Se a pessoa vai lá, que seja em uma BMW 2016 pegar seu medicamento mas tem respeito pelo funcionário, não vejo nada de mal.
            O que acho terrível é passar pelo constrangimento que certa vez passei com um empresário aqui de Jales que até rogou praga no meu trabalho porque não tínhamos o Rivotril.
            Isso é a falta de consciência a que me refiro.
            Se você interpretou que afirmei que o político não tem consciência, é porque não soube interpretar o que escrevi.
            Desculpe aos leitores do blog que não entenderam minha opinião.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *