SUSPEITO DE MATAR KELLY ERA FORAGIDO DE “SAIDINHA”

A revista Carta Capital deste final de semana traz na capa a manchete “Yes, nós somos bananas”. Embora a manchete faça a alusão à música do Braguinha, a matéria trata da passividade dos brasileiros, diante de tanta coisa errada acontecendo no país, sem que se ouça o som de uma única panela.

Mas, o que esperar de um país onde uma moça que mandou matar os pais é beneficiada com a chamada “saidinha” no Dia dos Pais? É o caso de nos perguntarmos, diante de casos como o da jovem Kelly, até quando teremos que aturar essa tal de “saidinha”?

A notícia é do Diário da Região:

O suspeito de matar a vendedora Kelly Cristina Cadamuro, 22 anos, que solicitou a carona por meio do WhatsApp, é foragido de ‘saidinha’ temporária. 

Segundo a Polícia Civil de Rio Preto, Jonathan Pereira do Prado foi liberado, junto a outros 1.517 detentos, do Centro de Progressão Penitenciária (CPP) de Rio Preto no dia 24 de março, na primeira saidinha temporária do ano autorizada pela Justiça.

O suspeito possui diversas passagens pela polícia, incluindo crimes de roubo, estelionato e lesão corporal enquadrada na lei Maria da Penha. Dois mandados de prisão estão em aberto contra Jonathan, um expedido em fevereiro de 2013 e outro em abril deste ano, após fugir do CPP.

Jonathan está preso na Cadeia de Frutal e em depoimento na manhã desta sexta-feira, confessou ter roubado e matado a jovem durante viagem a Itapagipe.

A Polícia Civil de Frutal está tratando a morte de Kelly como latrocínio (roubo seguido de morte), embora o delegado responsável pelo caso, Bruno Giovannini de Paulo, não descarte outras hipóteses.

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *