EM ARTIGO, BLOGUEIRA CRITICA O ANONIMATO

Eu já fiz, aqui no blog, dois ou três alertas sobre os perigos das ofensas contidas em comentários anônimos. Mesmo assim, elas – as ofensas – continuam chegando em razoável quantidade, inclusive à minha ilustre pessoa.

Na medida do possível, tenho tentado não liberar os comentários ofensivos, mas a linha que separa a crítica da ofensa é muito tênue e, de vez em quando, escapa alguma coisa.

Volta e meia, sou chamado à polícia por conta de boletins registrados por pessoas que se julgam ofendidas por comentaristas anônimos. Há alguns dias, tive que enviar um relatório com quase 40 páginas de comentários para a Justiça.

A propósito desse assunto – o anonimato – a amiga Fabiana Palácios enviou um interessante artigo, que reproduzo abaixo:

O “poder” do anominato (baile de máscaras)

Gosto muito de ler e principalmente de escrever, e me tornei “blogueira” quando tive a ideia de criar um blog em 2009 como forma de alcançar pessoas no mundo inteiro que hoje passam pelo que eu chamo de “vale tenebroso da síndrome do pânico”.

Meu milagre aconteceu numa madrugada fria em abril de 2008, e de lá para cá, tenho postado mensagens, testemunhos e reflexões sobre a minha vida, que realmente se transformou (para melhor) nesses últimos 7 anos, graças a Deus!

Leitora assídua do blog do meu amigo Cardosinho, faço sempre meus comentários e sou assim capaz de fazer muitas reflexões também. E entre tantas, hoje quero fazer uma sobre a questão do anonimato.

   Pensando a respeito, fiquei a meditar de quanto danoso pode ser o “poder” que o anonimato tem. Se uso dessa forma para me expressar, posso sentar-me confortavelmente numa cadeira e de dentro de minha casa, sem que ninguém me veja, sentir-me à vontade para denegrir imagens , levantar falsos testemunhos, ridicularizar as pessoas, dar-lhes apelidos desrespeitosos, julgar, e acreditem vocês, até levar comentários de amigos no facebook para rodas de fofoca, fazendo com que pessoas que não lhe conhecem, lhe apontem o dedo e julguem. Quanta falta de respeito, de ética, de honestidade. Enfim, através do anonimato posso ser o “todo poderoso” sem que ninguém saiba quem está escrevendo, assim pensa o anônimo.

Nos meus quarenta anos de vida, aprendi muita coisa. Como esposa, mãe, funcionária pública, cristã católica e voluntária, aprendi que é semeando o bem que verdadeiramente conseguiremos ser felizes de verdade. Não há outro caminho! É preciso deixar algo bom nessa vida enquanto aqui estamos, senão… de que nos vale ter vivido?

Sofri durante quase quatro anos a “enfermidade da alma” (assim eu chamo a depressão e síndrome do pânico),  e sei que se hoje estou completamente curada, foi justamente por ajudar as pessoas, por esquecer um pouco dos meus míseros problemas e fazer todo o possível para melhorar a vida das pessoas.

Ingratidão? O que mais recebi e continuo recebendo, mas não desanimo. Isso nunca me abalou, apesar de me entristecer, claro.

Ao pensar na quantidade de pessoas que já me escreveram (a maioria fora do país) agradecendo-me por ajudá-las com o testemunho de minha cura, sinto-me feliz e realizada, pois sei que NÃO FOI PELO ANONIMATO que as ajudei. Se consegui ajudá-las, foi mostrando exatamente  quem eu sou.

Concluindo minha reflexão, penso que se quisermos “mudar” o mundo, não o será se escondendo atrás de pseudônimos, mas mostrando literalmente nossa cara, sendo e mostrando ao mundo o que somos no lugar mais importante de nós: na VIDA.

Se afirmo que sou cristão, por exemplo, tenho que “dar provas” disso lá no meu trabalho, na minha vizinhança, na minha família, na escola, e principalmente, quando ninguém está vendo, enfim, em todas as áreas da minha vida, em todos os grupos em que convivo diariamente.

Por isso, se minha reflexão servir de alguma coisa, que ela seja para que as pessoas reflitam um pouco sobre o que elas tem plantado, o que tem semeado no coração das outras, o que tem deixado de bom para nossos filhos, família, amigos… para o mundo!

Que nosso  maior testemunho na “festa da vida” possa ser nossa verdade, nossa autenticidade. Que essa seja nossa melhor roupa, maquiagem e acessório indispensável. E esse testemunho amigos não aceita edição de imagem, nem filtro, nem nada que “melhore” sua aparência, porque no “baile de máscaras” da vida, só é merecedor da verdadeira felicidade quem tiver coragem suficiente para entrar sem usar uma.

(Fabiana de Cássia Batista Palácios. Filha, mãe, esposa, blogueira, voluntária, católica e apaixonada por Deus e pela vida). 

26 comentários

  • prof zico

    A minha opinião é curta e grossa: Todo anônimo é um covarde.
    Se servir a carapuça que coloquem.
    A futuras criticas saiam do anonimato pois não sou o dono da verdade e nem da razão.

  • prof zico

    Cardosinho foi a melhor publicação que eu já li em seu blog.

  • π

    Passe a passar um Sundow agora…

  • zucão

    Bonita e oportuna a reflexão da Senhora Fabiana. Gostaria de dizer, que quando comecei a entrar no mundo fascinante da internet e leitor assíduo do blog do Cardosinho, achei engraçado o uso do anonimato e cheguei a criar até um codinome para mim, mas foi por pouco tempo pois achei que aquilo não batia com meu caráter. Um recadinho para quem faz uso desse viés rasteiro

  • Joselaine

    Fa que lindo seu artigo… Quem verdadeiramente te conhece sabe o quão doce, bataladeira, amiga és… Sem contar o tamanho do seu coração, fique tranquila Deus sabe e vê todas as coisas… O mal está por todo lado, mas só quem tem Ele , como vc tem, no coração pode suportar as pedras injustas q lhe atiram. Continue assim, essa pessoa linda por dentro e por fora que vc é. Chacoalhe a poeira e siga, vc é muito mais q isso tudo.bjs..
    Grande abraço Cardosinho. Parabéns pelas matérias
    … Ótima semana a todos.

  • Elza Barrado Reina

    Lindo comentário Fabiana. Tenho o prazer de dizer que conheço um pouco da sua história. Como cristã participou do ministério de cântico da comunidade que participo ” Nossa Senhora da Ressurreição ” onde deixou muita saudade quando mudou.
    Sou como você , acho que os blogueiros têm que assumir os seus atos e não criticar por detrás.
    Vamos semear o bem e não a ofensa.
    Vamos nos identificar. Sem manifestações apócrifas.

  • TO COM MEDO

    CARDOSINHO, É POSSÍVEL DESCOBRIR QUEM SÃO OS ANONIMOS?

  • Fabiana vc e uma pessoa incrível vc disse tudo meus parabéns continue sempre com muita fé e coragem.bjs

  • Fabiana

    Eu preclaro amigo, nessa postagem se contará nos dedos os anônimos! Kkkkkkkkk.
    Obrigada! E um grande abraço a meus verdadeiros amigos, que me conhecem sem máscaras.

  • Tucano abandonado

    Fabiana, você esqueceu que em uma cidade como essa, dar a cara a tapa pode representar perseguição pro resto da vida. Comento aqui com apelido sim, pois se eu falar quem sou pode ter certeza que no mesmo dia estarão me detonando na cidade, tentando achar falhas em mim e na minha família, ainda mais sendo comerciante. ACHO QUE SE VOCÊ NÃO OFENDER NINGUÉM, MAS SIM MOSTRAR A REALIDADE, O ANONIMATO PODE SER UMA VALVULA DE ESCAPE PARA QUEM QUER COLOCAR A BOCA NO MUNDO E TEM MEDO DE REPRESÁLIA

  • Marcio

    Ótimo texto. Mas acho que se todos escrevessem apenas com argumentos e soubessem respeitar a opinião do outro não haveria a necessidade de máscaras.

  • Anônimo

    Lindo texto Fabi! Disse tudo! Neste mundo de ilusão, nós cristãos temos que ser autêntico, sermos nós mesmos, como Cristo foi. Em nenhum momento se escondeu de sua cruz, muito pelo contrário a agarrou e foi até o fim! E o que ele encontrou sendo Ele mesmo?! A vitória! E é como ele devemos ser verdadeiros! Abraços Fabiana minha grande irmã na fé!

  • Fernanda Carvalho

    Parabéns pelo lindo artigo Fabiana….concordo plenamente com você… Do que adianta dar opiniões, questionar , argumentar e se “esconder”….. Bonito mesmo é ser verdadeiro, ser autêntico, falar o que pensa sem desrespeitar o outro e assumir acima de tudo o que se fala…..

  • Fabiana

    Minha amiga, tens em mim muita admiração! Concordo com você, tem gente que faz crítica pela crítica e tem vergonha de mostrar a cara, literalmente.

  • Daniela Cavalari

    Fabiana, muito me admira sua coragem, seus testemunhos e sua fé! Me identifico muito com seu modo de pensar, pois assim como você sou muito autêntica, não faço nada pra agradar ninguém a não ser a Deus, ele sabe de todas as coisas e o que há em nosso coração! Vamos continuar fazendo o bem, e deixe os covardes, os atoas e os pobres de espírito continuar no anonimato, como você mesma disse, colhemos o que plantados.
    To contigo
    Bejinhos

  • Nicinha

    Sábias palavras minha amiga de fé!
    Infelizmente o ser humano tem se aprimorado muito no quesito maldade, mas saiba que Deus conhece o seu coração e àqueles que tem gratidão na alma tb!
    Continue crescendo cada vez mais na bondade e na fé! Um forte abraço!

  • Daiane J.G.L.Geraldelli

    Concordo,Fa.
    Sou do tipo de pessoa que dou minha cara a tapa,sem me importar com a opinião dos outros, pois acredito que só quem tem o poder de julgar é Deus e só ele conhece a verdade dos nossos corações.
    Veja bem,revolucionários, grandes pensadores, pessoas bem sucedidas,nunca se esconderam atrás de máscaras.
    Só os fracos e covardes se escondem no anonimato.

  • Débora Rosrigues

    Fá parabens pelo belo texto…aqueles que não te conhece só tem a perder,e lembre-se;a recompensa por ser o que é como é não vem de homens..um gde bjo.

  • A rede está povoada de anônimos e até acrônimos.Não é o meu caso,mesmo em site gay,eu entro com o meu nome civil completo,prenome e sobrenome.

  • FRANCIELI

    Ótimo texto Fabiana!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *