BOLSONARO TERÁ QUE ASSINAR DIPLOMA E PAGAR 50 MIL EUROS DE PRÊMIO A CHICO BUARQUE

Por essa o Bozo não esperava. A notícia é da revista Fórum:

Pouco afeito à literatura e à arte, Jair Bolsonaro terá que desembolsar 50 mil euros do governo e assinar o diploma do Prêmio Camões 2019, que tem como vencedor o escritor, cantor e compositor brasileiro Chico Buarque, amigo do ex-presidente Lula, com quem esteve na quinta-feira (19) na superintendência da Polícia Federal em Curitiba, onde o petista cumpre prisão política.

Bolsonaro não cumprimentou Chico pela conquista do prêmio, um dos maiores reconhecimentos da literatura em língua portuguesa,  quando foi divulgado o resultado, em maio.

O Prêmio Camões de Literatura foi instituído em 1988 pelos governos do Brasil e de Portugal com o objetivo de consagrar um autor de língua portuguesa que, pelo conjunto de sua obra, tenha contribuído para o enriquecimento do patrimônio literário e cultural de nossa língua comum.

Segundo reportagem da coluna Radar, da revista Veja, as três vias do diploma, assinadas pelo presidente português, Marcelo Rebelo de Sousa, já chegaram ao governo para o crivo de Bolsonaro, antes de retornarem a Lisboa. Estão com Osmar Terra, a quem a Cultura está subordinada.

Chico foi escolhido por unanimidade, pelo júri formado por representantes do Brasil, Portugal, Moçambique e Angola. A cerimônia de entrega ainda será marcada, em Lisboa.

Na semana passada, o Itamaraty vetou a exibição de um filme sobre o cantor, compositor e escritor numa mostra de filmes no Uruguai.

2 comentários

  • Pai! Afasta de mim esse cálice

    Amigo de Lula, o artista fez campanha para o PT desde a criação do partido e gosta de ir para Cuba. Mora em Paris. Ídolo dos petistas. Teve muitos privilégios, na era PT .Dizem que um livro com fotos de Chico Buarque foi financiado, via Lei Rouanet, para obter até R$ 417 mil. Essa lei beneficiou um grupo de cantores e artistas ligados ao partido.
    Na última votação do afastamento da Dilma, Chico ficou o tempo todo na galeria do Senado, ao lado do Lula. Durante todo o processo de deposição de Dilma, reforçou as fileiras dos que gritavam “é golpe!”.
    Eleitor de Fernando Haddad em 2018, o artista também não desejou boa sorte a Bolsonaro depois da vitória nas urnas.Faz sentido o Bolsonaro não cumprimentar o compositor, pelo Prêmio Camões.
    Os dois nada têm em comum e, até onde se sabe, o capitão nunca se interessou pelos escritos do vencedor da honraria literária.
    Bolsonaro e Chico nasceram e viveram em mundos distintos. Hoje, eles representam os polos inconciliáveis da política brasileira.

  • botelho pinto

    APESAR DE VOCÊ , AMANHA SERA OUTRO DIA. . . . . .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *