Arquivos mensais: Janeiro 2012

HONÓRIO AMADEU, 1967

De Ourinhos, o amigo Luiz Carlos Seixas me mandou a foto acima. A foto é de 1967 e mostra o Seixas sendo cumprimentado pelo professor Fuad Athiê, tendo, ao fundo, o então prefeito Honório Amadeu. À direita, aparece também o então vice-prefeito José Antonio Caparroz, acompanhado por dona Maria Francisca Caparroz.

Enquanto o Seixas nos mandava a foto, aqui em Jales, o tio dele, nosso historiador Genésio Mendes Seixas, cuidava de escrever um artigo sobre o ex-prefeito. O artigo conta coisas interessantes e estará, certamente, nos nossos jornais, no próximo final de semana. Para não estragar o prazer da leitura dominical, reproduzo, abaixo, apenas um pequeno trecho do artigo:

“Em 1957, por influência do pai e do fundador Euphly Jalles, Honório deu a largada à corrida política que durou 20 anos. Foram quatro anos como vice-prefeito de Euphly; vereador no mandato seguinte com Rollemberg como prefeito, e ocupou este cargo majoritário entre 1965 a 1969. Nessa peleja venceu os candidatos Dr. José Reis – apoiado por Jalles e João do Carmo Lisboa – do partido político de Ademar de Barros.”

MARIDO DE RITA LEE LEMBRA PRISÃO DE 1976 E AJUDA DE ELIS REGINA

A notícia é do portal Terra. E a charge abaixo é do Sponholz, publicada originalmente no Jornal da Manhã(PR):

Roberto de Carvalho, marido de Rita Lee, foi à sua página oficial no Facebook defender sua mulher, detida após o show em Aracaju, capital do Sergipe, no último sábado (28). Ao relembrar a vez em que Rita Lee foi presa em 1976 por porte de maconha, ele postou uma foto de Rita na época e disse que os dois fatos parecem ligados entre si, “com mais de 30 anos de distância”.

No texto, o músico lembrou de Elis Regina, que teria ajudado Rita a sair da cadeia, assim como a vereadora Heloísa Helena fez Aracaju: “Quando entrei na sala do delegado, estavam os policiais com a Rita e dei de cara com a Heloisa Helena. Tive um flash incrível de 1976, quando a Elis foi ao DEIC defender a Rita daquela prisão absurda”.

“(Foi) como se os dois fatos, com mais de 30 anos de distância entre si, estivessem estampados em duas cartas diferentes sobre a mesa, e uma linha mágica e invisível ligasse essas duas mulheres incríveis em um mesmo pensamento, em uma mesma ação, tornando-as irmãs gêmeas em um ato de desprendimento, coragem, e acima de tudo, fraternidade. Foi muito emocionante, altamente impactante”, desabafou Roberto.

OS GLADIADORES DO TERCEIRO MILÊNIO

Reproduzo, abaixo, um trecho do artigo “Violência x Violência”, do Marco Antonio Poletto, publicado pelo jornal A Tribuna, de domingo:

Dia desses assistia ao Globo Esporte quando escutei Galvão Bueno desesperado gritando: Um, dois, três… ACABOU, ACABOU, ACABOU, É O BRASIL! O BRASIL É CAMPEÃO DO MUNDO! Pensei: Mas o que será? Futebol não pode ser. Basquete e vôlei não são.

Curioso olhei para a tela. Qual não foi minha admiração quando vi que o desespero do Galvão era por causa da vitória brasileira no tal do MMA ou UFC, nova febre do esporte em que dois indivíduos trocam sopapos, chutes e cabeçadas.

Sai sangue pra todo lado e vence quem derruba seu oponente. Os gritos do Galvão me levaram a refletir:- Como podemos apreciar um esporte tão brutal e violento como esse UFC? Mesmo depois de milênios será que ainda nos comprazemos com as arenas romanas agora chamadas de octógonos?

O artigo do Poletto, por inteiro, pode se lido aqui. E abaixo, um vídeo com a narração do Galvão:

You need to a flashplayer enabled browser to view this YouTube video

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DIMINUI PRAZO PARA PAGAMENTO DE PRECATÓRIOS

A notícia foi divulgada, na semana passada, por sites especializados. O TJ-SP analisou o orçamento de vários municípios e, em muitos casos, diminuiu o prazo que tais municípios – amparados pela Emenda Constitucional 62 – haviam estipulado para pagamento de seus precatórios.

Palmeira D’Oeste, por exemplo, teve seu prazo diminuído de 15 anos para apenas 01 ano. No caso de Jales, não se tem nenhuma notícia sobre diminuição do prazo ou aumento da alíquota. Como já foi dito, o prefeito Humberto Parini optou por depositar a alíquota mínima (1,5% da receita corrente líquida) para pagamento de precatórios, o que deverá prorrogar a dívida com dona Minerva por uns quinze anos. A decisão do prefeito fez com que a dívida com os Jalles saltasse de R$ 4 milhões para algo em torno de R$ 7 milhões, uma vez que o município perdeu o desconto que era concedido em cada parcela paga.   

Antes da EC 62, Jales reservava cerca de R$ 2 milhões para pagamento de precatórios, dos quais, quase R$ 1,5 milhão era destinado ao pagamento da família Jalles. Depois da Emenda, Parini está depositando cerca de R$ 900 mil, por ano, dos quais apenas a metade deverá engordar as contas bancárias dos herdeiros do fundador. Se o TJ-SP cismar que a Prefeitura poderia pagar mais, poderá determinar o aumento da alíquota, como fez com o município de São Paulo. Abaixo, a notícia: 

Após analisar a situação dos precatórios de vários municípios de São Paulo, o Tribunal de Justiça paulista reduziu em até 14 anos o prazo para os pagamentos. Entre estes casos estão os municípios de Caieiras, Santa Gertrudes, Guapiaçu e Palmeira d’Oeste, que ao se adequarem à Emenda Constitucional 62 optaram por pagar os precatórios em 15 anos. Todos tiveram de reduzir este prazo para apenas 1 ano.

Levantamento feito pelo TJ-SP mostrou que o ritmo de pagamento anterior à EC 62 nesses municípios permitiria que em 1 ano o débito fosse quitado.

Com a promulgação da Emenda, estados e municípios que estavam em mora foram automaticamente incluídos no “regime especial de pagamento de precatórios”. A partir daí, o ente federativo passou a ter a opção de efetuar o pagamento em até 15 anos ou em parcelas mensais no valor de 1/12 do total devido.

Mas para o desembargador e coordenador da Diretoria da Execução de Precatórios (Depre), Venício Antonio de Paula Salles, “não se pode, por causa da Emenda 62, pagar em 15 anos precatórios que segundo o ritmo normal que vinha sendo adotado pelo município seria pago em um”.

Outros municípios que optaram pela quitação em 15 anos também tiveram seus prazos corrigidos pelo tribunal. Após analisar a capacidade orçamentária, por meio de processo administrativo, o TJ limitou o pagamento de precatórios do município de Américo Brasiliense a dois anos; Sertãozinho a três; Limeira e Adamantina a quatro. Quem teve a menor redução foi São João da Boa Vista, que pagará os precatórios em seis anos.

As alterações também alcançaram aqueles que optaram pelo pagamento mensal (como é o caso de Jales). Após avaliação do Depre, constatou-se que, se mantida a alíquota mínima, adotada pelos municípios, eles quitariam seus precatórios em mais de 30 anos. Por isso, houve uma adequação da alíquota com base no orçamento de cada município, para que os pagamentos não ultrapassem 15 anos.

O município de São Paulo, por exemplo, havia destinado uma alíquota de 1,5% da receita corrente líquida. Este índice foi reajustado para 2,55%. Rio Grande da Serra teve o maior aumento no índice, passando de 1,5% para 3%.

EQUIPAMENTOS DA COZINHA PILOTO APODRECEM EM DEPÓSITO DA PREFEITURA

Em julho do ano passado, movidos por boatos sobre o destino dos equipamentos da Cozinha Piloto – desativada depois da terceirização da merenda escolar – três vereadores encaminharam um requerimento ao prefeito Parini e à secretária de Educação, professora Élida Barison, recheado de perguntas a respeito do assunto.

A resposta veio em 71 folhas, onde se tenta convencer os vereadores curiosos de que os equipamentos estão muito bem cuidados. Um desperdício de papel! Na foto acima, um registro de onde estão armazenados alguns equipamentos da Cozinha Piloto. Eles apodrecem em um terreno anexo ao Almoxarifado Municipal, onde, antigamente, ficavam estacionados os ônibus do transporte escolar.

E, na foto abaixo, uma visão mais aproximada de alguns equipamentos da padaria que funcionava na Cozinha Piloto. Essa é apenas a parte visível de mais uma demonstração de descaso com o dinheiro público. Esses  equipamentos, se eu não estiver enganado, foram adquiridos no governo Rato e, com a tercerização, foram abandonados. Evidentemente que muitos outros equipamentos foram igualmente abandonados ou desapareceram.

       

PREFEITO É CONDENADO A OITO ANOS DE PRISÃO POR CRIME CONTRA A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

A notícia é do jornal Gazeta do Povo, do Paraná:

Preso na tarde de domingo (30), o prefeito de Jundiaí do Sul, Valter Abras (PSDB), foi condenado a oito anos de prisão em regime semiaberto por crime contra a administração pública. O mandado de prisão foi expedido em 25 de fevereiro e cumprido em Ribeirão do Pinhal, onde Abras morava. O processo já tramitou em todas as esferas do Judiciário, portanto, não cabe mais recursos.

Segundo o delegado de Ribeirão do Pinhal, Tristão Borborema, os crimes teriam sido cometidos durante a primeira gestão de Abras na Prefeitura de Jundiaí do Sul, nos anos 1990. A condenação, por crime ambiental, determinada pelo Tribunal de Justiça do Paraná, de um ano e um mês de prisão, veio em 2008. Como não cumpriu a pena, não pôde assumir o cargo de prefeito, para o qual tinha acabado de ser reeleito.

No final do ano passado, cerca de três anos depois de ter sido reeleito e condenado, ele conseguiu reverter a situação e assumiu o cargo após decisão favorável do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

CORAÇÃO DO ROMÂNTICO WANDO APRESENTA PROBLEMAS

Alguma calcinha muito especial deve ter mexido com o veterano coração do Wando. Alguns sites estão dizendo que o estado de saúde do cantor é gravíssimo. A notícia abaixo é do jornal O Tempo, de Minas Gerais:

Devido a um grave problema cardíaco, o cantor Wando está internado no Centro de Terapia Intensiva (CTI) do Hospital Biocor, em Nova Lima, na região metropolitana de Belo Horizonte.

De acordo com a assessoria de imprensa da unidade de saúde, o músico deu entrada no hospital na última sexta-feira (27).

Após passar por exames, em caráter de urgência, Wando foi submetido à uma cirurgia de angioplastia coronariana. O procedimento médico foi recomendado para desobstruir as artérias do coração do cantor, que na manhã desta segunda-feira (30) respira com ajuda de aparelhos, além de estar sob efeito de sedativos.

JOVEM RESGATADA EM RIACHO DE POPULINA ESTÁ COM HIPOTERMIA

A notícia foi postada agora à tarde, pelo G1:

A jovem Caroline Laila Soares, de 19 anos, que caiu com o carro em um barranco às margens da Rodovia Eliéser Montenegro Magalhães, próximo a Populina, no interior de São Paulo, está internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da Santa Casa de Fernandópolis.

Ela sofreu fraturas e apresentava hipotermia, mas estava consciente, segundo informações da equipe médica divulgadas nesta segunda-feira (30). A família da jovem suspeita que ela tenha esperado pelo resgate no local do acidente por três dias.

Segundo familiares, a jovem saiu de casa na quinta-feira (26). O tio de Caroline, Ademar Almeida Silva, disse que os parentes começaram as buscas após notar que ela não chegou ao destino.

A notícia completa, inclusive com o vídeo veiculado pela TV Tem, pode ser vista aqui.

TIAGO ABRA: ‘O DRAMA DA SACOLINHA’

Na semana passada, fui escalado pelo Paulo Aruca, editor de A Tribuna, para ouvir clientes dos nossos supermercados e escrever uma matéria sobre o fim da distribuição gratuita das sacolinhas de plástico. Nas minhas andanças, a imensa maioria das pessoas que ouvi, se disse favorável à medida, que – até prova em contrário – visa a preservação do meio ambiente.  

E hoje, um visitante do blog cobrou a opinião deste aprendiz de blogueiro sobre o assunto. Vejam aí:

Anônimo
30 janeiro 2012 às 8:48

Faz tempo que precisamos de um Prefeito… Cardosinho em relação a não distribuição de sacolas no mercado o que você pensa?  não li nada a respeito no seu blog… até mais!

A minha opinião sobre o fim da sacolinha gratuita não tem a menor importância, mas eu concordo com o que escreveu o Tiago Abra, em artigo publicado no jornal A Tribuna, neste final de semana, abaixo reproduzido:

Os supermercados pararam de distribuir gratuitamente as sacolinhas de plástico na quarta-feira. Grande parte da população de São Paulo ficou revoltada e encheu as redes sociais de reclamações.

O principal argumento é de que esta seria uma medida para os comerciantes ganhar ainda mais dinheiro e que a preservação do meio ambiente é uma desculpa. Na verdade, essa revolta é causada pelo comodismo, pelo fato de você poder ir ao supermercado, pegar quantas sacolas quiser, sem se preocupar com o que acontecerá depois.

Infelizmente, campanhas de conscientização não bastam para educar o povo. Desde criança escuto coisas do tipo “precisamos preservar o meio ambiente, recicle, não jogue lixo nas ruas”. Mas nada disso adianta. Infelizmente, o brasileiro só aprende quando mexem no seu bolso.

Na Europa, o cliente tem que pagar se quiser pegar sacola plástica. A esmagadora maioria leva sua própria sacola reciclável, sem reclamar. Ao contrário, é elegante colaborar com a preservação do meio ambiente, afinal um mero pedaço de plástico demora mais de 100 anos para se decompor.

Mas e se eu estiver de moto? Quando morei em Londres, ia ao trabalho de bicicleta todos os dias e sempre andava com uma mochila para o caso de ter que passar no supermercado ou em outro lugar. Ou seja, ao invés de ficar arrumando desculpas, é preciso que cada um arrume uma solução, o que é simples de se fazer neste caso. Sem drama.

Pequenas atitudes fazem a grande diferença, sim. E para que isso aconteça é necessário uma mudança de hábitos de todos. É preciso parar de olhar somente para o próprio umbigo e começar a pensar no bem coletivo.

A charge lá de cima é do talentoso Cazo e foi publicada originalmente no jornal Comércio do Jahu, de Jaú(SP). O Jornal de Jales também publica as charges do Cazo.  

1 2 3 18