Categoria: Geral

GOVERNADOR JOÃO DÓRIA ANUNCIA VACINAÇÃO DE IDOSOS DE 60 A 64 ANOS

Por enquanto, a vacinação para os idosos de 65 e 66 anos está mantida para o dia 21 de abril. A notícia é do G1:

O governo de São Paulo anunciou nesta quarta-feira (14) que idosos de 63 e 64 anos serão vacinados contra a Covid-19 a partir do dia 29 de abril. A expectativa é a de imunizar 840 mil pessoas dessa faixa etária.

Já a população com 62, 61 e 60 anos deve começar a ser imunizada no dia 6 de maio. Desse grupo, cerca de 1,4 milhão de pessoas devem ser vacinadas em todo o estado.

Segundo o governador João Doria (PSDB), o cumprimento do cronograma, entretanto, depende majoritariamente do recebimento da vacina Oxford/AstraZeneca, produzias pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

“Estamos avançando e precisamos reforçar que, para a faixa etária de 65 a 60 anos, como o governador acabou de falar, nós aguardamos que o Ministério da Saúde nos envie, de acordo com o cronograma que já foi enviado a todos os estados, a vacina da Fiocruz”, explicou a Coordenadora Geral do Programa Estadual de Imunização, Regiane Cardoso de Paula.

Ainda de acordo com Regiane, a maioria dessa população será imunizada com a vacina da Fiocruz.

VACINAÇÃO REDUZ MORTES DE PROFISSIONAIS DA SAÚDE POR COVID NO PAÍS

A notícia é do portal RBA:

Estudos localizados indicam redução significativa de casos de covid-19 e também de mortes entre profissionais de saúde, após o início da vacinação, em janeiro. Dados do Conselho Federal de Medicina (CFM) indicam queda de 83% nas mortes de médicos em março, na comparação com janeiro. Foram 59 profissionais mortos em janeiro, e 10 em março.

O Hospital das Clínicas de São Paulo, que teve seus 20 mil funcionários vacinados, registrou redução de 73,8% nos casos. Os dados ainda são preliminares e novos estudos devem ser realizados para determinar a efetividade real da vacinação contra a covid-19 entre os profissionais de saúde. Mas os números iniciais são animadores.

O superintendente da Escola de Saúde Pública do Ceará, Marcelo Alcântara, considera que a proteção dos profissionais de saúde após a vacinação, em meio à segunda onda da pandemia no Brasil, mostra a efetividade das vacinas contra a covid-19.

O estado nordestino registrou um aumento de 74,6% nos casos, na população em geral, entre os dias 8 e 14 de março, em relação ao pico da pandemia em 2020. Mas entre os profissionais de saúde houve queda de 72% nos novos casos, no mesmo período.

“Entre os profissionais de saúde não temos uma segunda onda e a única diferença entre um grupo e outro é a vacinação. Isso é sinal de que a imunização funcionou muito bem”, explicou Alcântara, em entrevista ao jornal O Globo.

Dados de outros estados mostram a mesma relação entre vacinação e proteção dos profissionais de saúde. Em Pernambuco, houve aumento de 27% nos novos casos de covid-19 na população em geral, em março, enquanto nos trabalhadores da saúde os novos casos caíram 9%. Na Bahia, houve aumento de 25,8% nos novos casos entre janeiro e março. Mas, entre os profissionais de saúde, houve queda de 24,4%.

PAI, MÃE E FILHO MORREM DE COVID EM MENOS DE 24 HORAS

A notícia é do UOL:

Em um intervalo de 24 horas, três membros da mesma família morreram por complicações da covid-19. O pai, a mãe e um dos filhos morreram entre ontem e hoje em Santa Cruz do Rio Pardo (SP).

Hoje de manhã foi confirmada a morte de Luiz Alberto Santos, 70 anos, depois de ficar internado por quase um mês. Ele teve complicações com a doença e acabou não resistindo à covid-19. Ele não soube das mortes de um dos filhos e da esposa ontem.

O primeiro a morrer havia sido Sérgio Luís Witemburg, 39 anos, que deixa esposa e um filho. Horas depois foi a vez de Nilza Witemburg Pontes dos Santos, de 70 anO irmão de Sérgio fez um desabafo nas redes sociais pela perda dos familiares. “Em um dia, eu perdi minha família e toda a referência de retidão, de honestidade, de humanidade, de justiça, de integridade, que forjaram meu caráter. Estou desolado, destruído”, escreveu o jornalista Luís Fernando Witemburg.

“Cuidem-se. Fiquem em casa. Usem máscara sobre o nariz e a boca. Higienizem as mãos. Exijam a aceleração da vacinação. Não ouçam o que o ‘excrementíssimo’ presidente da República fala. Se aquele imbecil fosse um homem sério, ou minimamente apto a exercer a função para a qual foi eleito, haveria uma política pública eficiente de vacinação e de combate a esse vírus. E meus pais e meu irmão estariam vivos”, concluiu.

MOTORISTAS EXIGEM PRIORIDADE NA VACINAÇÃO E AMEAÇAM COM LOCKDOWN NOS TRANSPORTES

A notícia é da assessoria de imprensa do Sindicato dos Motoristas de Jales e Região:

A Federação dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Estado de São Paulo, junto com seus sindicatos filiados encaminhou ao governador João Doria solicitação para que seja dada prioridade aos motoristas na campanha de vacinação contra a Covid 19.

Depois de uma reunião plenária no dia 1º de abril, na sede do SINDMOTORISTAS – Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano de São Paulo foi dado prazo até o próximo dia 20 para que seja fixada uma data para essa inclusão. Caso contrário, a categoria promete uma paralisação completa dos transportes do Estado nesse dia. Também não está descartada uma paralisação geral, se nada for decidido.

Os motoristas afirmam que o lockdown conta com o amplo apoio e participação de todas as entidades e centrais sindicais do Estado de São Paulo para exigir providências das autoridades estaduais e municipais para definir prioridade e data para a imunização de todos os trabalhadores em transporte.

O presidente do Sindicato dos Motoristas de Jales e Região e diretor da federação, José Roberto da Silveira lembra que muitos profissionais estão morrendo no exercício da profissão, considerada como atividade essencial por transportar pessoas, mercadorias e equipamentos utilizados na área de saúde.

Entre as entidades que apoiam a mobilização estão a UGT (União Geral dos Trabalhadores), CUT (Central Única dos Trabalhadores), Força Sindical, CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil), Nova Central Sindical, CNTTT (Confederação Nacional dos Trabalhadores dos Transportes Terrestres), ITF- Federação Internacional dos Trabalhadores em Transportes e FESTT-CUT (Federação Estadual dos Trabalhadores em Transportes e Trânsito do Estado de São Paulo).

A carta enviada ao governador é assinada pelo presidente da Federação, Valdir de Souza Pestana, pelo presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transportes e Logística, Paulo João Estausia e pelo presidente do SINDMOTORISTAS e deputado federal José Valdevan de Jesus Santos (Noventa).

PREFEITO DE CHAPECÓ E ALEXANDRE GARCIA OMITEM QUE CIDADE FEZ “LOCKDOWN” E ATRIBUEM DIMINUIÇÃO DE ÓBITOS A TRATAMENTO PRECOCE

O ex-urubólogo Alexandre Garcia afirmou hoje, em seu comentário no Antena Ligada, que o presidente Bolsonaro e o ministro da Saúde, Queiroga, irão a Chapecó(SC) para ver pessoalmente o “milagre” operado pelo prefeito da cidade, João Rodrigues (PSD), que estaria conseguindo baixar os números da covid com o tal tratamento precoce.

Tanto o ex-urubólogo, quanto o prefeito – que divulgou um vídeo compartilhado pelo presidente – omitem, no entanto, que o setor de saúde de Chapecó entrou em colapso há pouco mais de um mês. A falta de leitos levou à transferência de pacientes de Chapecó para o Espírito Santo e obrigou o prefeito a adotar medidas restritivas – quase um lockdown – que incluíram o fechamento do comércio.

No vídeo do prefeito e no comentário do Alexandre Garcia não há nenhuma citação às medidas restritivas. O prefeito propagandeia que conseguiu baixar os números da covid apenas seguindo protocolos que incluem o tal tratamento precoce, que não tem comprovação científica.

O prefeito e o ex-urubólogo não disseram, também, que Chapecó tinha, ontem, 129 pessoas internadas na UTI, em estado grave, como mostra o boletim acima. Igualmente, não disseram que Chapecó registrava 127 óbitos no dia 04 de janeiro e ontem, 05 de abril, registrava 537. Com tratamento precoce e tudo, foram 410 óbitos em três meses de 2021. 

Reparem que, na milagrosa Chapecó, o número de óbitos aumentou 422% em três meses. Em Jales, onde não ocorreu nenhum milagre, a cidade registrava 78 óbitos no início do ano e ontem contabilizava 163, um crescimento de 208%, bem menor, portanto, do ocorrido em Chapecó.

Por fim, é preciso registrar que, realmente, as mortes por covid caíram nos últimos dias, em Chapecó. No dia 1º de março, foram 19 óbitos, enquanto no dia 04 de abril, foram 06. Mas, será que essa diminuição se deve ao tratamento precoce ou ao lockdown? 

Em Araraquara, que viveu situação parecida com a de Chapecó, o que funcionou foi o lockdown. Mas, sobre Araraquara o ex-urubólogo não diz nada.

JUIZ CONDENA EX-MARIDO A PAGAR METADE DAS DESPESAS COM ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO

A notícia está pendurada no portal Conjur:

Ex-cônjuge deve arcar com metade das despesas sobre animal de estimação mesmo após divórcio. Com esse entendimento, o juiz Rodrigo de Carvalho Assumpção, da 4ª Vara Cível da comarca de Patos de Minas (Alto Paranaíba), condenou homem a pagar R$ 200 mensais à ex-esposa, com a qual adquiriu seis cães ainda em casamento.

Os animais Nick, Fred, Baby, Laika, Thor e Sharon ficaram sob guarda da mulher após a separação de fato, e impõem sobre ela o gasto de R$ 400 mensais para alimentação. Por conta disso, a autora fez o pedido de 50% do valor.

Em sua decisão, o juiz pontuou que não há norma qualquer aplicável a tal pedido, porém a Lei de Introdução às Normas do Direito Brasileiro orienta que, “quando a lei for omissa, o juiz decidirá o caso de acordo com a analogia, os costumes e os princípios gerais do direito”.

O magistrado ressaltou que animais não são “sujeitos de direito” e sim tipificados como “coisas”, mas argumentou inviável ignorar que são “dotados de sensibilidade”. Para ele, a aquisição de um cão de estimação é comprometimento inafastável aos cuidados necessários a sua sobrevivência e à integridade física.

Desse modo, ainda que inviável a equiparação da obrigação à prestação de alimentos tradicional, se mostrou possível condenar o homem ao custeio do valor determinado. O cônjuge, ao longo do processo, não mostrou contestação. O processo ocorre em segredo na Justiça.

AO VISITAR MARIDO COM COVID, MULHER DESCOBRE QUE ELE TINHA AMANTE E LEVA CASO À POLÍCIA

A covid está deixando sequelas de todo tipo. Deu no jornal Extra, de Fernandópolis:

Uma mulher de 48 anos foi até uma delegacia, na noite de quarta-feira, 31, em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, após descobrir que o marido, infectado pelo novo coronavírus e prestes a ser intubado, estava em um hospital particular com a amante.

Segundo o boletim de ocorrência, a vítima é casada há 20 anos com o homem, um bombeiro. O casal tem uma filha.

Durante a tarde, ela recebeu uma ligação do companheiro enquanto estava no trabalho, segundo informações do boletim de ocorrência. Ele relatou que estava com Covid e que iria procurar atendimento médico, mas que ela “não precisava ir até o hospital, pois ele já estava melhor”.

A mulher, entretanto, disse que mesmo com o pedido do marido, decidiu ir até o hospital pois estava preocupada. Ao chegar ao local e buscar informações sobre ele, foi atendida por um funcionário que informou que o paciente estava “acompanhado da namorada”.

Conforme o relato da mulher, ela ficou sabendo que o marido poderia ser intubado, já que “estava piorando”. A esposa, então, aguardou no local até encontrar com a “namorada” e descobrir que a amante, ainda por cima, era uma amiga sua.

Também segundo a ocorrência, ela conseguiu conversar com o bombeiro, que teria dito à esposa: “A partir de hoje a fulana (a amante) cuida das minhas coisas. Você pode ir embora, cuida da sua vida”.

Em seguida, a mulher disse soube que a amante também pegou os documentos dele, bem como cartões de banco e o aparelho celular.

EM 23 DIAS, COVID DESTROÇA FAMÍLIA LEVANDO MÃE E TRÊS FILHOS

Neste Domingo de Páscoa, o bispo dom Reginaldo Andrietta relatou no rádio a visita que fez a uma pessoa da Diocese, para levar ajuda espiritual a ela, que se encontra deprimida com a perda de três familiares para a covid. É inacreditável o que essa doença está fazendo com algumas famílias e, ainda assim, tem gente que continua brincando com ela.

A notícia é do G1:

Morreu na sexta-feira (2), vítima da Covid-19, o motorista Adeílton Ferreira, membro de uma família em que três pessoas já haviam falecido no intervalo de 23 dias por causa da doença, no mês passado. Além dele, morreram a mãe e dois irmãos, todos moradores de Macaparana, na Zona Norte de Pernambuco.

A primeira morte foi de Allef, de 25 anos, que aconteceu em 7 de março. No dia 20 do mesmo mês, faleceu o irmão dele, Ademilson, de 34 anos. Na terça-feira (30), morreu a mãe dos rapazes, Maria Áurea Oliveira, de 67 anos. Adeílton, de 39 anos, era o irmão mais velho.

Distante 121 quilômetros da capital pernambucana, Macaparana tem cerca de 25 mil habitantes e nenhuma UTI para Covid. No município, até a sexta-feira (3), foram registrados 817 casos e 14 mortes.

Adeílton deixa, além da esposa, dois filhos, um de 15 anos e outro de 4. As mortes aconteceram sem que os parentes pudessem receber a informação sobre o outro, já que estavam todos intubados quando ocorreram os óbitos.

Segundo Adriana, o marido contraiu o novo coronavírus com a mãe, que dever te pego a doença com os outros dois filhos.

“Eles eram muito ligados. Um dia, a mãe, que deve ter pego a doença com os outros dois filhos, passou mal e meu marido foi prestar o socorro. Foi quando ele se infectou”, disse.

JORNAL NACIONAL: MORRERAM MAIS BRASILEIROS POR COVID EM MARÇO DO QUE A SOMA DE 109 PAÍSES EM UM ANO

Deu na revista Fórum:

Na edição de ontem, sexta-feira (2), o Jornal Nacional destacou por um longo tempo, em letras garrafais, que a Covid-19 matou mais brasileiros em março do que a soma das mortes pela doença em 109 países nos últimos 12 meses.

“Agora a gente vê um gráfico com dados do site ‘Nosso Mundo em Dados’, que é ligado à Universidade de Oxford, e olha só: ele mostra que apenas no mês de março o Brasil teve 66.573 mortes por Covid, segundo a BBC. É um número tão grande que é maior do que a soma dos óbitos em 109 países durante toda a pandemia”, diz Alan Severiano, que apresenta diariamente os dados da Covid-19.

“Esse grupo aqui inclui 36 países com Índice de Desenvolvimento Humano mais alto do que o Brasil, como Coreia do Sul e Austrália e 26 países com mais de 20 milhões de habitantes, como Angola. Esses 109 países tiveram juntos 64.571 mortes ao longo de toda a pandemia”, completa.

Em pleno feriado, quando é reportado menor número de dados sobre a Covid-19, o Brasil registrou 2.922 novos óbitos pela doença nas últimas 24 horas no boletim fechado às 18h32 da sexta-feira (2). No total, 328.206 brasileiros já morreram em decorrência da contaminação do coronavírus desde o início da pandemia, há cerca de um ano.

1 2 3 233