Arquivos mensais: julho 2021

JORNAL DE JALES: SECRETÁRIO DESMENTE BOATOS DE QUE PREFEITURAS RECEBEM RECURSOS DO GOVERNO POR CADA MORTE POR COVID

Eis a capa do Jornal de Jales deste domingo, cuja principal manchete diz que a live beneficente realizada logo após a posse dos novos dirigentes do Rotary Clube de Jales rendeu 500 cestas básicas que serão entregues ao Fundo Social de Solidariedade, presidido pela primeira-dama Alziane Rossafa. A live foi protagonizada pela banda Born, composta por músicos e cantores da cidade e, segundo o jornal, o resultado da ação solidária foi considerado muito bom, pois rendeu 250 cestas básicas. E como uma empresa da cidade, o Proença Supermercados, se comprometeu a doar a mesma quantidade que fosse arrecadada na live, o total atingiu 500 cestas básicas. O novo presidente do Rotary é o engenheiro Adriano Lorenssete. 

Destaque, também, para a reinauguração do Museu Histórico de Jales que, devidamente repaginado, volta a receber visitantes. A matéria informa que, desde a segunda-feira, 19, o museu está aberto ao público interessado em conhecer a história da cidade. Em homenagem póstuma, o museu localizado no Espaço Cultural “José Carlos Guisso”, ao lado do Centro Cultural, passou a ser denominado de Armando Pereira da Silva, pintor primitivista falecido há 18 anos e autor de telas que retrataram logradouros públicos, festas e demais manifestações culturais.

O alerta do delegado Higor Vinícius Jorge, especialista em crimes cibernéticos, sobre os novos golpes que estão sendo aplicados por meio do whatsapp; o rasante da deputada Analice Fernandes à região para atividades que incluíram a inauguração da Clínica da Mulher de Urânia; a onda de frio que deixou a temperatura abaixo de zero em Jales; a dengue que, em tempos de pandemia do coronavírus, já registra mais de 300 casos positivos em Jales; e o presente de aniversário que a Polícia Ambiental de Jales deu a um menino de nove anos, morador de Urânia, são outros assuntos do Jornal de Jales.

Na coluna Fique Sabendo, o jornalista Deonel Rosa Júnior destaca um requerimento de informações endereçado pelo vereadores Bruno de Paula(PSDB) e Andrea Moreto(PODE) ao prefeito Luís Henrique Moreira. Influenciados por boatos segundo os quais cada morte por covid rendia dinheiro para as prefeituras, eles perguntaram ao prefeito sobre eventual repasse de verbas públicas ao município em razão das mortes causadas pela pandemia de coronavírus. Em resposta, o secretário de Fazenda, Ademir Maschio deixou claro que os boatos não passavam disso mesmo: boatos. Ele explicou que a Prefeitura recebeu recursos do governo federal, mas apenas para tratamento das vítimas da covid, compra de medicamentos, insumos, equipamentos, etc. 

GENERAL QUE AMEAÇOU ELEIÇÕES DE 2022 RECEBEU R$ 100,7 MIL DE SALÁRIOS EM JUNHO

Deu no DCM:

No governo do homem que passou os últimos três anos afirmando que “acabou a mamata” há supersalários imorais e todo tipo de regalia para amigos e aliados. E quem não poderia ficar de fora é o fiel escudeiro de Jair Bolsonaro, o general da reserva do Exército Walter Braga Netto.

O atual ministro da Defesa, que nesta semana se viu em meio a uma controvérsia depois de, segundo reportagem do jornal O Estado de São Paulo, ameaçar a democracia com a suspensão das eleições de 2022, caso o voto impresso não fosse implantado no país, recebeu a simplória bagatela de R$ 100,7 mil de salário no mês de junho.

Exemplo clássico da mamata que seria combatida na administração pública por seu chefe, a dinheirama é fruto de uma série de penduricalhos e agrados que são somados ao já polpudo salário do ministro, que ocupa também a patente hierárquica mais alta do Exército Brasileiro. A prática de somar vencimentos e ultrapassar o teto máximo de pagamento a servidores, profundamente imoral e vergonhosa, foi liberada pelo governo Bolsonaro em maio deste ano.

De acordo com o Ministério da Defesa, o rechonchudo depósito de junho a Braga Netto foi composto por seu salário, de R$ 30,9 mil, primeira parcela do 13° salário e “outras remunerações eventuais”, que não são explicadas e tampouco detalhadas.

MARIA BETHÂNIA – “EU NÃO EXISTO SEM VOCÊ”

Iniciada em 1956, a parceria entre Tom Jobim e Vinícius de Moraes produziu pérolas da Música Popular Brasileira, como é o caso de “Garota de Ipanema” que, além de uma das mais regravadas no mundo, foi também, durante muito tempo, a segunda mais tocada do planeta, perdendo apenas para “Yesterday”, dos Beatles.

Entre essas pérolas podemos incluir a eterna “Eu Não Existo Sem Você”, cuja eternidade pode ser comprovada não apenas pelo tempo – como canta Gal Costa na lindíssima “Eternamente”, de Sérgio Natureza e Tunai – mas também pela quantidade de regravações que, nesse caso, já passa de uma centena.

Lançada em 1958, no histórico disco “Canção do Amor Demais”, de Elizeth Cardoso – considerado o marco zero da Bossa Nova – com Tom Jobim no piano, João Gilberto ao violão e a Divina cantando, “Eu Não Existo Sem Você”, foi regravada já naquele mesmo ano pela Maysa Matarazzo (ou Maysa Monjardim, já que ela não gostava de ser chamada de Matarazzo, o sobrenome do ex-marido milionário, André).

De lá para cá, como já se disse, foram mais de 100 regravações, de Agostinho dos Santos a Chitãozinho e Xororó, passando por Jair Rodrigues, Emílio Santiago, Nana Caymmi, Oswaldo Montenegro, Toquinho e até o Fábio Júnior. Aqui mesmo, neste modesto blog, eu já postei uma bonita versão dessa música, com a Monique Kessous e o neto do Tom, Daniel Jobim.

A versão de hoje é com a Maria Bethânia. A nossa Abelha Rainha gravou “Eu Não Existo Sem Você” para o disco “Que Falta Você Me Faz”, de 2005, só com músicas de Vinícius de Moraes. O vídeo abaixo, no entanto, é de um ensaio da Bethânia.

 

A TRIBUNA: FECHAMENTO DE DELEGACIA DA POLÍCIA FEDERAL EM JALES NÃO É BOATO E SERIA RETALIAÇÃO DE PESSOAS COM INFLUÊNCIA POLÍTICA

No jornal A Tribuna deste final de semana, a principal manchete destaca um suposto estudo que visa fechar a Delegacia da Polícia Federal de Jales, o que significaria uma grande perda para a cidade e a região. Segundo a matéria do repórter Alexandre Ribeiro, o Carioca, os rumores sobre o fechamento não são simplesmente boatos de redes sociais. O jornalista garante que são realmente concretas as informações dando conta de que a superintendência da Polícia Federal em São Paulo tem planos de fechar a Delegacia em Jales, com o remanejamento de funcionários para Rio Preto e Araçatuba. Especula-se que a medida seja – pasmem! – uma represália às operações realizadas pela PF na região, que levaram para a prisão empresários com grande influência política.

Destaque, igualmente, para o ritmo da vacinação em Jales, que, segundo o jornal, já começa a desafogar a Santa Casa e a UPA, que já não estão mais pressionadas pelo excesso de pacientes com covid e a falta de leitos. Segundo o diretor administrativo do Consirj, José Roberto Pietrobom, há cerca de 40 dias não existem pacientes intubados na UPA. De seu lado, a taxa de ocupação dos leitos covid da Santa Casa também caiu significativamente. Na sexta-feira, a UTI do hospital tinha, pela primeira vez em vários meses, 04 vagas desocupadas, o que significa uma taxa de ocupação de 63,64%.

A reativação do Museu Histórico de Jales, que estava fechado há 10 anos, devidamente batizado com o nome do pintor Armando Pereira da Silva; as temperaturas negativas e as geadas ocorridas em Jales e região durante a semana; as tentativas de golpes contra milhares de clientes da Vivo; as visitas que alguns pré-candidatos ao governo estadual fizeram à região; o alerta de um empresário a respeito dos danos ambientais causados pela psicultura; e o ofício do vereador Ricardo Gouveia ao delegado da PF, Jackson Gonçalves, pedindo informações sobre os rumores de fechamento da Delegacia de Jales, são outros assuntos de A Tribuna.

Na coluna Enfoque, destaque para o discurso da deputada estadual Analice Fernandes(PSDB), durante a inauguração da Clínica da Mulher, em Urânia. A deputada tucana, para inquietação dos bolsonaristas presentes, não poupou críticas ao presidente Bolsonaro, a quem ela classificou como incompetente na gestão da pandemia. A coluna está informando, também, que a Prefeitura de Jales abriu uma licitação para contratar a agência publicitária que irá cuidar da publicidade oficial e está disposta a investir até R$ 500 mil em um ano. Em 2020, a municipalidade gastou R$ 61 mil com esse tipo de serviço e, neste ano, já foram gastos R$ 186 mil até a primeira quinzena de julho.

JOICE DIZ SUSPEITAR DE DUAS PESSOAS DEPOIS DE SOFRER SUPOSTAS AGRESSÕES

A estranhíssima história da deputada Joice, a quinta mais votada em Jales, continua rendendo. Ela, aparentemente, levou uma surra, mas não se lembra de nada. Se o prezado leitor quiser ler a extensa notícia do site Poder360, de hoje, por inteiro, pode clicar aqui. Abaixo, um trecho da matéria:

A deputada Joice Hasselmann (PSL-SP) acionou o Conselho Nacional do Ministério Público nesta 6ª feira, 23,  para pedir a investigação sobre as supostas agressões que sofreu em seu apartamento em Brasília na madrugada do último domingo, 18. Em conversa com o Poder360, a deputada disse já ter 2 suspeitos, nega ter sofrido violência doméstica e diz que pediu à Polícia Legislativa da Câmara para reforçar a segurança nos prédios de apartamentos funcionais.

Por cerca de 2 horas, Joice relatou à promotora de Justiça do Ministério Público de São Paulo, Gabriela Manssur, o episódio, do qual ela diz não se lembrar, e a reação de pessoas na internet que a acusam de estar acobertando um caso agressão contra a mulher, além de ameaças. Manssur é integrante da Ouvidoria da Mulher no CNMP.

“Estou levantando todas as informações para encaminhar ao Ministério Público. Vou encaminhar todo tipo de violência política e de gênero cometida contra mim. Se eles estão achando que, porque eu estou fisicamente debilitada, eu vou deixar que esse tipo de crueldade siga, eu não vou mesmo. Se acharam que eu ia me assustar, não me conhecem. Se acharam que iam me parar, perderam a chance. Não vou deixar colocarem um bode expiatório nesse caminho”, disse.

O caso já está sendo investigado pela Polícia Legislativa da Câmara e por policiais da Polícia Civil de São Paulo. Ela também prestou depoimento aos agentes legislativos nesta 6ª feira.

De acordo com Joice, se tivesse sido vítima de um caso de agressão doméstica, seria “a primeira a estar batendo panela” contra. “Eu seria a 1ª a pedir prisão. Com quem que seja. Poderia ser meu pai, meu irmão, meu marido. Eu jamais compactuaria com isso”, disse.

A deputada recebeu o Poder360 em seu apartamento em Brasília na 6ª feira. Ela afirma não se lembrar do que aconteceu durante a madrugada de domingo, apenas do momento em que acordou, por volta das 7h, e se viu envolta em uma poça de sangue.

Inicialmente, achou que havia caído ou desmaiado e disse que não procurou um hospital porque o seu marido, o médico neurocirurgião Daniel França, prestou os primeiros socorros. Ela também disse que os hematomas só começaram a aparecer dias depois.

Apesar de seu marido e de funcionários estarem em casa na noite do incidente, Joice afirma que ninguém ouviu nada. Por isso, acredita que a ação foi articulada por profissionais. “É alguém que sabia dos meus hábitos”, disse. Segundo Joice, ela e o marido dormem em quartos separados porque o médico ronca.

Joice contou ser lutadora de boxe e muay thai e, por isso, acredita ter sido “apagada” antes de sofrer as agressões. A deputada relatou ter uma lesão na cabeça, pouco acima da nuca, onde acredita que possa ter recebido um 1º golpe.

CÂMARA DISCUTE NA SEGUNDA-FEIRA A CRIAÇÃO DE NOVA TAXA DE COLETA DO LIXO

Recebi do advogado Gustavo Alves Balbino, com mestrado em Ciências Ambientais, um texto sobre a criação de uma “nova” taxa que está sendo proposta pelo prefeito LH. Por oportuno, reproduzo abaixo, o texto:

Olá,

Segunda-feira próxima, dia 26 de julho, teremos Sessão na Câmara de Jales.

Dentre vários assuntos, consta no site da Câmara a proposição de Projeto de Lei Complementar Nº 15/2021. Segundo o site oficial o Projeto “cria e institui a Taxa em Razão dos Serviços Públicos de Coleta, Remoção e Tratamento ou Destinação de Lixo ou Resíduos Provenientes de Imóveis e as Contribuições de Serviços Públicos de Saneamento Básico, conforme Lei Federal nº 14. 026, de 15 de julho de 2020 e dá outras providências”.

Sobre o assunto, já dissertei em artigo – “Eu uso, eu pago” – que foi enviado aos jornais desta pacata cidade e publicado pela Folha Noroeste.

O prefeito, em suas justificativas, diz ser contra a criação de tal taxa, mas como afirmado por mim no referido artigo, em caso de não instituição, o alcaide poderá responder administrativa, civil e penalmente, por RENÚNCIA DE RECEITA.

O fato é: até o dia 1º de janeiro de 2009 existia em Jales uma cobrança pela coleta do lixo. Após esse período, tal contribuição foi excluída nos carnês de IPTU.

Em maio de 2016, uma Comissão Especial foi nomeada pelo então prefeito Pedro Callado, por provocação do vereador Gilberto Alexandre de Moraes, que tinha dúvidas sobre se os moradores de Jales pagavam ou não a taxa para a coleta do lixo. A Comissão concluiu que a taxa tinha sido, realmente, revogada.

Por final, concluo: a cobrança é válida e legítima. Porém a carga tributária nacional, estadual e municipal é elevadíssima. E pela contrapartida ridícula dos governos (saúde, educação, segurança ofertadas ao povo dizem por si só) e os casos recentes de corrupção (Operação Farra do Tesouro I, II, Construção de moradias que esfarelam com o passar dos dedos) não deixa a população animada com mais uma taxa. Se o crédito fosse, de fato, revertido para bom uso, acredito que todos (a maioria) seriam favoráveis.

Esperamos que com a taxa do lixo, os serviços prestados pela Prefeitura – ainda que terceirizado por empresa privada (Beta Ambiental atualmente LTDA) sejam prestados com maior qualidade.

DEU NA FOLHA NOROESTE DE HOJE

No jornal Folha Noroeste, edição digital deste sábado, a principal manchete destaca que a Prefeitura está reformando as escolas municipais de Jales, preparando as mesmas para a volta às aulas presenciais, que está prevista para o segundo semestre do ano. De acordo com o prefeito Luís Henrique Moreira, “a Secretaria de Educação está se programando para receber os alunos da rede municipal da melhor forma possível assim que as aulas presenciais puderem voltar. Por esta razão, já iniciamos o processo de melhoria em nossas escolas”. Pelo menos três escolas de ensino infantil (EMEI’s) estão recebendo pinturas nova e em uma delas está sendo instalada uma porta antipânico. A escola de ensino médio “João Arnaldo Andreu Avelhaneda” também está recebendo pintura externa. 

Nas páginas internas, destaque para matéria sobre a inauguração – ou reinauguração, se preferirem – do Museu Histórico de Jales, depois de 10 longos anos fechado. A novidade é que, além da restauração de suas peças, o Museu foi batizado, por meio de decreto do prefeito LH, com o nome do falecido pintor primitivista jalesense Armando Pereira da Silva. A matéria lembra que o Museu foi desativado em março de 2011, na administração Parini, para ceder espaço a uma exposição – “Hiroshima e Nagasaki, um agosto para nunca esquecer” – sobre a segunda guerra mundial, em comemoração aos 100 anos da imigração japonesa. A exposição durou uma semana e o fechamento do museu durou 10 anos.

Na coluna FolhaGeral, o mefistofélico redator-chefe Roberto Carvalho, o Neco, comenta a reinauguração do Museu Histórico. O colunista rende um raríssimo elogio à administração Luís Henrique, afirmando que o prefeito realizou em seis meses de governo, “o que não foi feito nas administrações municipais anteriores”, ou seja, a reforma do prédio do Espaço Cultural “José Carlos Guisso”, que abriga o Museu. Segundo Roberto, o telhado do prédio estava totalmente arruinado e, quando chovia, a água invadia o local onde estavam as peças pertencentes ao acervo do Museu. Ele destacou, por fim, a atuação do secretário Wilter Guerzoni, que, sem recursos financeiros, arregaçou as mangas e foi à luta para deixar o Museu pronto para visitação.

JALES COMPLETA UMA SEMANA SEM ÓBITOS POR COVID. E A CIDADE LABORATÓRIO DA CORONAVAC NÃO REGISTRA ÓBITOS HÁ 25 DIAS

O boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde nesta sexta-feira confirma que Jales não registrou nenhuma morte em consequência da covid nos últimos sete dias. O último óbito registrado em Jales – de um homem de 62 anos – ocorreu na manhã da sexta-feira passada, 16 de julho. Desde aquela data, a cidade permanece com 241 óbitos por covid.

Outro dado positivo é taxa de ocupação da UTI-Covid da Santa Casa de Jales que, na manhã desta sexta-feira, era de menos de 64%. Dos 11 leitos, pelo menos quatro estavam desocupados. Além disso, dos pacientes que ocupavam os demais sete leitos, apenas quatro eram de Jales. De seu lado, a taxa de ocupação da Enfermaria era de 65%, com 13 dos 20 leitos ocupados.

Está claro que esses números já são resultado da vacinação. No entanto, aqui em Jales – e no resto do Brasil – enquanto o pessoal da Saúde tenta convencer as pessoas a se vacinarem, alguns imbecis teimam em propagar fake news que buscam desacreditar as vacinas, principalmente a “vacina chinesa do João Dória”, a CoronaVac.

Esses propagadores do negacionismo com a saúde do povo brasileiro e com a volta do país à normalidade se, por exemplo, divulgassem os números do coronavírus em Serrana, a cidade de 45,6 mil habitantes onde o Instituto Butatan realizou projeto de vacinação em massa de adultos com a CoronaVac.

Segundo o boletim divulgado pela Prefeitura de Serrana, a cidade não registrava até ontem, quinta-feira, uma única morte por covid desde o dia 28 de junho. Ou seja, já lá se vão 25 dias sem mortes pela covid. Em março, Jales registrou 41 óbitos, enquanto Serrana contabilizou 18. Em julho, até ontem, Jales tinha 10 óbitos, enquanto Serrana, repita-se, não registrou nenhuma.

Lembrando que, lá como cá, uma parcela da população, influenciada por negacionistas, não se vacinou ou não tomou a segunda dose. Registre-se, também, que nessa quinta-feira, 22, Serrana tinha apenas três pessoas hospitalizadas, nenhuma delas em UTI.

E ainda tem muito idiota, inclusive aqui em Jales, que continua compartilhando bobagens que colocam em dúvida a eficácia da vacina.

COMERCIANTE DE JALES É ALVO DE AÇÃO POR DANOS MORAIS, EM FUNÇÃO DE ÁUDIO NO WHATSAPP

As redes sociais continuam agitadas em Jales, com intenso troca-troca de farpas que, em alguns casos, produzem desavenças que acabam indo parar no Judiciário.

Na semana passada, foi a vez de um comerciante do Jardim Santo Expedito – Ednerito Saciente – virar alvo de uma ação por danos morais. O autor da ação está pedindo R$ 44 mil de indenização, por conta de um áudio postado por Ednerito em um grupo de comerciantes no whatsapp.

No áudio, o comerciante divulga notícia dando conta de que uma pessoa de Jales teria “levado um cacete do dono de um bar”. O autor da ação – que teria sido o alvo do suposto “cacete” – garante que a notícia é inverídica e se diz ofendido pela fake news envolvendo seu nome.

Na polícia, o comerciante confirmou a autoria do áudio, mas disse que não tinha a intenção de prejudicar ninguém. Ele afirmou, ainda, que acreditava que o áudio ficaria restrito às poucas pessoas que faziam parte do grupo de whatsapp “comércio de Jales”.

Como se vê, não ficou!

1 2 3 7