Categoria: Esporte

JOGADORES E DIRETORIA DO PALMEIRAS SE IRRITAM COM BOLSONARO

O Bozo, que se diz palmeirense, afirmou ontem, no Rio de Janeiro, que “amanhã somos todos Flamengo”. A notícia é do DCM:

O Palmeiras jogará a final da Libertadores neste sábado (27) contra o Flamengo e o Bolsonaro afirmou que torcerá para a equipe rubro-negra. Tal declaração irritou jogadores e diretoria do clube alviverde. Isto porque o presidente da República já se declarou palmeirense. Inclusive, em 2018, participou da festa do título Brasileiro ao lado de Felipe Melo e companhia.

Conforme apurou o DCM, atletas e diretores que apoiam o governante se sentiram traídos. Tanto que Felipe Melo foi perguntado sobre o presidente e ele optou por não comentar. Uma postura incomum, pois o volante sempre foi apoiador declarado de Bolsonaro.

Ele não assumiu seu descontentamento, mas esperava a torcida do presidente. Seus colegas também não gostaram nem um pouco da manifestação do governante a favor do Flamengo. Os dirigentes, que sempre abriram as portas do clube para Bolsonaro, ficaram insatisfeitos.

Só que os diretores do Palmeiras pediram aos atletas que não se manifestem. Mesmo com a chateação, seguirão buscando ter uma boa relação com o presidente. Caso vençam a competição continental, não vão criar barreiras se o chefe do executivo federal resolver visitá-los.

JUÍZA ARQUIVA INQUÉRITO QUE APURAVA ACIDENTE ENVOLVENDO JOGADOR RALF

Com 437 jogos, apenas 17 a menos que o grande Rivellino, Ralf é o 14º colocado no ranking dos jogadores que mais vestiram a camisa do Corintians. Wladimir, que vestiu o manto em 805 jogos, é o primeiro.

Nos 437 jogos que disputou pelo Corinthians, apesar de jogar como volante, não foi expulso uma única vez e raramente ficava suspenso por conta de cartões amarelos. A campanha invicta do Corinthians na Libertadores de 2012 não seria invicta, não fosse Ralf. No primeiro jogo, o Corinthians perdia para o Deportivo Táchira, quando ele empatou o jogo já nos acréscimos do segundo tempo.

Por coincidência, Ralf, aos 37 anos, assinou contrato nesta sexta-feira com o Cianorte, para a disputa do campeonato paranaense de 2022. A notícia é do Conjur:

A juíza Cristina Elena Varela Werlang, da 1ª Vara Criminal do Foro Regional do Tatuapé, decidiu arquivar o inquérito instaurado para apurar acidente de trânsito que envolveu o jogador Ralf — ex-atleta do Corinthians, em 2019, na capital paulista. Na ocasião, um idoso foi atropelado, em um ponto de ônibus.

A decisão foi provocada após manifestação do Ministério Público e da defesa do atleta. O MP concluiu que não havia conduta criminosa que motivasse a denúncia, já que o atleta não conduzia o veículo no momento do acidente.

As alegações do MP são ancoradas nos depoimentos do jogador, de seu funcionário que conduzia o veículo, dos policiais que atenderam a ocorrência, das pessoas envolvidas no acidente e em imagens de câmeras de segurança.

O advogado do jogador, Daniel Bialski, desde o princípio afirmou que o jogador não estava na condução do veículo. “Todas as provas colhidas testemunhais, periciais e até os vídeos apresentados mostraram que Ralf  não estava conduzindo o veículo e, mais, que não há conduta ilícita alguma a se apurar, ainda mais que a vítima de lesões foi socorrida e houve o ressarcimento pleno pelos danos causados no acidente”, comentou.

O condutor do veículo sustenta que perdeu o controle após perceber que estava sendo seguido e que provavelmente seria assaltado por dois homens que estavam em uma motocicleta. Ele afirma que chegou a ver que um deles segurava uma arma.

RECORD DRIBLA A GLOBO E VOLTA A TRANSMITIR O CAMPELONATO PAULISTA DEPOIS DE 16 ANOS

Deu no portal Notícias da TV:

A Record venceu a concorrência pelos direitos do Campeonato Paulista e adquiriu a competição para TV aberta até 2025. A proposta inclui um pacote de 16 jogos e superou Globo, SBT e Band, que também entraram na negociação. A empresa de Edir Macedo volta a transmitir o Paulistão após 16 anos –ela dividiu com a Globo algumas edições do campeonato, até 2005.

Segundo apurou o Notícias da TV, a Record ofereceu duas vezes o valor que a Globo gostaria de pagar pelo pacote e mais que o dobro do SBT. A proposta foi considerada melhor, e os clubes aceitaram. A informação é confirmada pela Live Mode, empresa que negociou os direitos do evento e que pertence a Edgar Diniz, ex-dono do Esporte Interativo.

O contrato é válido por quatro anos –ou seja, até 2025. A emissora exibirá 16 partidas do Paulistão por temporada, sendo um jogo por rodada na primeira fase, um das quartas, um semifinal e os dois da final. 

Com isso, a Record terá direito aos dois eventos de futebol estadual mais importantes do Brasil. A emissora já é dona do Campeonato Carioca até o fim de 2022, para o qual desembolsou R$ 26 milhões pelo contrato.

Ao mesmo tempo, a emissora dá um duro golpe na Globo, que tem no Campeonato Paulista uma grande fonte de audiência entre janeiro e maio. Em 2021, a final entre São Paulo x Palmeiras ainda é o recorde de ibope do futebol na emissora, com 30 pontos de média.

OLIMPÍADAS: FLÁVIO BOLSONARO ATRIBUI RECORDE DE MEDALHAS A PROGRAMA CRIADO POR LULA

É incrível como os bolsonaristas são caras-de-pau….

Porta-voz do governo Bolsonaro, o ex-urubólogo Alexandre Garcia – que já foi uma Cassandra e se transformou em uma adorável Poliana – feliz com o recorde de medalhas obtido pelo Brasil nas Olimpíadas de Tóquio, exaltou a participação dos militares, responsáveis por 07 das 21 medalhas conquistadas, ou 33,33%. O recorde se deve a 02 medalhas de bronze a mais.

Garcia não foi o único. O general Eduardo Ramos, secretário-geral da Presidência, compartilhou, em suas redes sociais, um vídeo com imagens de cinco atletas fazendo continência no pódio. O detalhe é que apenas duas das imagens são destas Olimpíadas. As outras três são das Olimpíadas de 2016 e dos Jogos Pan-Americanos de 2019.

Registre-se que dos 301 atletas brasileiros que foram a Tóquio, 91 são militares. Registre-se, também, que nas Olímpiadas de 2016, quando Bolsonaro ainda era um deputado do baixo clero, os militares foram responsáveis por 13 das 19 medalhas obtidas pelo Brasil, ou 68%. 

Já o obscuro ministro da Educação, Milton Ribeiro, publicou uma imagem do ex-corinthiano Malcon, o camisa 17 da seleção brasileira, fazendo o gol do título. Acima da imagem, o genial ministro escreveu a seguinte pérola: “Como sempre o 17 de verde e amarelo salvando o Brasil”.

De seu lado, o senador Flávio Bolsonaro, especialista em “rachadinhas”, publicou texto em que atribui os resultados obtidos em Toquio ao Bolsa Atleta, “programa do governo federal de apoio ao esporte”. E o Flávio, sou obrigado a reconhecer, tem carradas de razão.

O Bolsa Atleta, realmente, é considerado um divisor de águas do setor esportivo e pavimentou o caminho para que os brasileiros pudessem se dedicar ao esporte nas mais diversas modalidades. O Bolsa Atleta tornou-se o maior programa de patrocínio individual do mundo e, nas Olimpíadas de Tóquio, respondeu pelo financiamento de 80% dos competidores brasileiros. 

O que o senador Flávio Bolsonaro não disse é que o Bolsa Atleta foi criado em 2005, pelo então presidente Lula.

GALVÃO RESPONDE BOLSONARO SOBRE COPA AMÉRICA: “QUANDO RECOMEÇOU O BRASILEIRÃO, EU FUI CONTRA”

Deu no portal da revista Fórum:

No final da disputa entre Brasil e Equador, na noite desta sexta-feira (4), o narrador Galvão Bueno mandou um recado indireto ao presidente Jair Bolsonaro e ao SBT sobre os jogos da Copa América acontecerem no Brasil durante a pandemia do coronavírus. A emissora concorrente será a responsável por transmitir a disputa.

Em evento na terça-feira (1º), Bolsonaro havia associado as críticas à Copa América ao fato de a TV Globo não ter os direitos de transmissão da competição. Galvão Bueno então disse que também foi contrário ao retorno do Brasileirão na pandemia, mesmo com o campeonato sendo exclusivo da TV Globo.

“Sempre fui muito claro no que falei. Quando recomeçou o Brasileirão ano passado, eu dizia que era contra. E os direitos de transmissão eram nossos. Quando recomeçou a Libertadores, eu dizia que era contra. E os direitos de transmissão não eram nossos. O jogo de hoje, válido pelas eliminatórias, eu gostaria que fosse adiado. Então, acho que dá pra se montar um raciocínio. É diferente de trazer mil pessoas do exterior, de vários países, e deixar por 25 dias circulando pelo Brasil”, afirmou o narrador.

Assim que a competição foi confirmada no Brasil, Galvão já havia apontado um “confronto político” na decisão e disse que torce para que “alguém tenha uma crise de bom senso e que essa loucura não aconteça”.

BOLSONARISTAS QUEREM TÉCNICO TITE FORA DA SELEÇÃO

Esses bolsominions são ridículos. Acho que o Tite vai ter que convocar o Felipe Melo para deixar eles calminhos. A notícia é do Poder360:

Aliados do presidente Jair Bolsonaro fizeram uma campanha nas redes sociais contra o técnico Tite na noite de 6ª feira (4.jun.2021). Com a hashtag #ForaTite, os usuários das redes pediam a saída do técnico da Seleção Brasileira e divulgaram imagens dele com o ex-presidente Lula (PT).

Tite se encontrou com Lula em 2012, quando o petista não era mais presidente. O técnico treinava o Corinthians na época. O time tinha ganhado a Copa Libertadores e o técnico mostrou a taça para o ex-presidente.

Desde 2016, Tite é técnico da Seleção. Em dezembro de 2018, ele se recusou a encontrar Bolsonaro, então presidente eleito, em uma possível comemoração do título da Copa América, que seria jogada no ano seguinte no Brasil. “A minha atividade não se mistura e eu não me sinto confortável em fazer essa mistura“, respondeu ao ser questionado por jornalistas.

Na época, o encontro com Lula também foi relembrado. Em entrevista ao canal SporTV, Tite afirmou que errou ao levar a taça para Lula. “Errei lá atrás, não faria com o presidente antes da Copa e nem agora porque entendo que misturar esporte e política não é legal. Fiz errado lá atrás? Sim. Faria de novo? Não.

Tite afirma desde 2017 que não se sente confortável em misturar a seleção brasileira com política. O técnico também se recusou a se encontrar com o então presidente Michel Temer, no final de 2017. Era uma tradição o time se encontrar com o presidente antes de viajar para a sede da Copa do Mundo.

O encontro com Lula ressurgiu na 6ª feira (4.jun) por causa de uma declaração do capitão da seleção brasileira, o jogador Casemiro, no final da partida pelas Eliminatórias da Copa Mundo entre os times do Brasil e do Equador. Ao ser questionado quanto à opinião do time sobre a Copa América ser realizada no Brasil, ele respondeu que os jogadores tinham se posicionado e iriam ir à público com a questão “no momento oportuno”.

Não podemos falar do assunto, todos sabem nosso posicionamento, mas não vamos falar do assunto. Todo mundo sabe, está mais claro impossível, o Tite deixou claro o que nós pensamos”. E completou: “Não só eu nem jogadores da Europa, como rolou, falo em nome de todos os jogadores com Tite e comissão técnica, é unânime.”

As declarações indicam que os jogadores da seleção estão decididos a dizer que preferem não jogar a Copa América, que foi trazida para o país numa iniciativa do presidente Bolsonaro.

Com isso, os aliados do presidente se manifestaram contra Tite. As publicações indicavam que o técnico é contra a realização da Copa América não pela pandemia, mas por ele supostamente discordar de Bolsonaro.

CRUZEIRO COMPLETA 100 ANOS DE HISTÓRIA E TOSTÃO, MAIOR ÍDOLO DO CLUBE, LAMENTA CRISE

O Cruzeiro, de Dirceu Lopes e do genial Tostão, era um dos poucos times brasileiros que enfrentavam o Santos de igual para igual. Os outros eram o Botafogo, de Garrincha, Didi e Nílton Santos, e o Palmeiras, de Dudu e Ademir da Guia.

Tostão – que teve um descolamento de retina ao levar uma bolada no olho, em 1969, num jogo contra o Corinthians – foi obrigado a encerrar sua carreira aos 27 anos, em 1973, para não correr o risco de ficar cego. Antes, foi campeão do mundo, em 1970, jogando no inesquecível ataque que, além dele e Pelé, tinha Jairzinho e Rivellino.

Aos 31 anos, formou-se em medicina e passou a exercer a profissão em Belo Horizonte. Após alguns anos de dedicação à medicina, passou a ser comentarista esportivo e cronista, conquistando, por sua inteligência e coerência, o respeito dos seus colegas de crônica esportiva.

Deu no portal da revista Fórum:

Ontem, sábado(2) foi um dia de celebração para metade de Minas Gerais e milhões de torcedores em todo o Brasil, torcedores do Cruzeiro. O clube de Belo Horizonte completou 100 anos de história, uma das mais gloriosas do futebol brasileiro.

No entanto, o atual momento do clube está longe de fazer jus à sua história vitoriosa. Rebaixado para a Série B em 2019, a Raposa (como a equipe é conhecida carinhosamente em todo o Brasil) se encontra na 11ª posição do torneio de acesso, e com apenas 6 rodadas para o final, são poucas as possibilidades de retorno à elite do futebol nacional para a próxima temporada, já que há 10 pontos de diferença para a zona dos quatro clubes que subirão de categoria.

Uma realidade que não condiz com uma instituição que, neste seu primeiro século de vida, conquistou 40 Campeonatos Mineiros, 4 Campeonatos Brasileiros, 6 Copas do Brasil e 2 Copas Libertadores, e que teve craques como Tostão, Dirceu Lopes, Piazza, Joãozinho, Ronaldo, Nelinho, Ricardinho, Raúl Plasmann, Sorín e muitos outros.

Em matéria especial do UOL sobre o centenário do clube, o ex-atacante Tostão, considerado o maior ídolo da história do clube, afirmou que “é absolutamente lamentável (a atual situação). Todos ficamos muito indignados pelo que aconteceu com o Cruzeiro, destruído por uma turma de incompetentes e desonestos dirigentes. Espero que pelo menos o Cruzeiro sirva de lição para outros clubes brasileiros”.

Porém, o craque também disse confiar em que a Raposa voltará em breve viver seus melhores dias. “Claro que é possível o Cruzeiro ressurgir. Acredito muito nisso. Será difícil, mas não impossível. Tudo isso tem de acontecer aos poucos. Não basta apenas voltar à Série A. O clube terá de se reorganizar e afastar todas as pessoas que, de alguma forma, prejudicaram a instituição”, comentou.

TENISTA ITALIANA MOVIMENTA AS REDES SOCIAIS COM FOTO SENSUAL DE NATAL

E agora, a principal notícia do dia. Deu no iG:

O circuito de tênis ainda está de férias aguardando o início da temporada 2021, que está programada para o dia 5 de janeiro. Enquanto isso, os tenistas aproveitam esses dias para passar as férias de Natal com a família.

Porém, o que mais chamou a atenção dessa vez foi uma postagem da tenista Camila Giorgi.

A italiana surpreendeu a torcida com uma pose espetacular de lingerie e salto alto. Tudo em vermelho, a principal cor dessa época do ano.

A foto no Instagram foi seguida de uma breve mensagem de “Feliz Natal” aos seus mais de 280 mil seguidores.

Prestes a fazer 29 anos (fará no dia 30 de dezembro), Giorgi terminou a temporada na 76ª colocação no ranking WTA, após uma difícil temporada em que seus melhores resultados foram as finais dos torneios de Washington e do Bronx.

MPF CITA “17” DE JOGADORES E QUESTIONA CBV SOBRE JULGAMENTO DE CAROL SOLBERG

A notícia é do UOL:

O Ministério Público Federal do Rio de Janeiro (MPF-RJ), estado onde fica a sede da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV), enviou despacho questionando a entidade e o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) do vôlei a respeito do julgamento da atleta de vôlei de praia Carol Solberg.

Ela foi denunciada por gritar “Fora, Bolsonaro” em entrevista pós-jogo na etapa de abertura da temporada 2019/2020 e pode receber multa de até R$ 100 mil (o equivalente à premiação que recebeu nos últimos dois anos), além de ser suspensa por seis etapas do Circuito.

No despacho, assinado pelo procurador Leandro Mitidieri — o mesmo que comandou o grupo de trabalho da Rio-2016 —, o MPF lembra que, há dois anos, não houve punição quando os jogadores Wallace e Maurício Souza fizeram o número 17 com as mãos após uma partida da seleção de vôlei no Mundial, ainda na quadra.

Este era o número do então candidato Jair Bolsonaro, que os dois publicamente apoiavam. A foto foi publicada pela CBV nas redes sociais e os dois nunca foram sequer denunciados.

A comparação entre o caso Carol Solberg e o “17” de Wallace e Maurício Souza já havia sido citado, indiretamente, em nota da Comissão de Atletas do Comitê Olímpico do Brasil (CACOB), na segunda-feira. Na ocasião, os atletas pediram que Carol “possa ter um julgamento justo e com a mesma jurisprudência de casos anteriores envolvendo atletas brasileiros”.

1 2 3 36