OLAVO DE CARVALHO – O GURU DO BOLSONARISMO QUE NEGAVA A COVID – MORRE DE COVID NOS EUA

O desbocado professor e astrólogo Olavo de Carvalho, o guru do bolsonarismo, morreu na 2ª feira, 24, aos 74 anos. O anúncio foi feito pelas redes sociais na madrugada desta 3ª feira. O professor – que disse há pouco tempo que a covid não existe e que tudo não passa de uma conspiração comunista – teria morrido de covid.

Um dos primeiros a se manifestar foi o Bozo:

A deputada Bia Kicis(PSL), uma das maiores intelectualidades do bolsonarismo escreveu o seguinte:

O deputado Alexandre Frota(PSDB) disse que “eu não tenho nenhum motivo para lamentar nada”. E acrescentou:

A deputada Jandira Feghalli(PCdoB), generosa, disse que não se pode comemorar a morte de ninguém, nem mesmo de um ser humano abjeto como Olavo:

E a filha de Olavo, Heloísa de Carvalho – aquela que descobriu o esconderijo do Queiroz, em Atibaia – pediu que “Deus perdoe ele por todas as maldades que cometeu”. E concluiu:

JUSTIÇA DÁ 15 DIAS PARA EX-BOLSONARISTA SARA GIROMINI PAGAR INDENIZAÇÃO DE R$ 15 MIL A ANTROPÓLOGA

A moça anda meio sumida e arrependida, mas as consequências das insanidades que cometeu nos tempos em que defendia Bolsonaro começam a chegar. A notícia é do portal da Fórum:

A Justiça do Distrito Federal determinou que a ativista de extrema direita e ex-bolsonarista Sara Giromini, que preferia ser chamada pela alcunha Sara Winter, quite em duas semanas a indenização de R$ 15.903,04 a que foi condenada a pagar à antropóloga Débora Diniz, numa sentença proferida em abril de 2021. O valor estipulado em juízo foi em caráter de danos morais.

O caso refere-se a uma ofensa proferida por Sara contra Débora em agosto de 2020, à época do episódio estarrecedor da menina de 10 anos que engravidou, vítima de estupros, no Espírito Santo, e que precisou ser mandada por ordem judicial ao Recife (PE) para ser submetida a um aborto.

As falanges radicais de extrema direita ligadas ao bolsonarismo  atazanaram as redes sociais e chegaram a ir até os locais por onde a menina passava para forçar a não realização do procedimento. Sara, naquele período, era seguidora feroz do presidente da República e numa discussão com a antropóloga, nas redes, disse que ela era “a maior abortista do Brasil”.

Débora, que é professora na UnB, entrou então com uma ação na Justiça contra a bolsonarista, que um ano depois foi condenada, mas até agora não pagou a indenização estipulada pelo magistrado da Arthur Lachter, da 19ª Vara Cível de Brasília.

MULHER DOA RIM PARA NAMORADO, QUE TERMINA RELACIONAMENTO ALGUNS MESES DEPOIS DA CIRURGIA

Deu no portal Metrópoles:

Uma mulher nos Estados Unidos viralizou nas redes sociais depois de contar que doou o rim esquerdo para o então namorado, que terminou o relacionamento alguns meses após a cirurgia.

Colleen Le, de 30 anos, contou no TikTok que o ex precisava, com urgência, de um transplante de rim. O homem precisava fazer diálise desde os 17 anos, devido a uma doença renal crônica.

Após realizar um teste que comprovou que os órgãos eram compatíveis, Colleen logo se ofereceu para doar um de seus rins. “Decidi fazer o teste para ver se éramos compatíveis, porque não queria vê-lo morrer. Eu estava tão nervosa”, comentou.

Em um dos vídeos, ela mencionou que o ex lhe confidenciou que seu rim funcionava apenas 5%. A cirurgia foi feita imediatamente. O casal teve uma recuperação completa e o transplante foi bem-sucedido.

Cerca de sete meses após a operação, o ex afirmou que iria a uma despedida de solteiro em Las Vegas, com o grupo da igreja dele, em um fim de semana.

Colleen disse que não se preocupou com a viagem, porque ele era um cristão devoto. A jovem, então, optou por se concentrar em estudar para as provas finais.

Ela contou aos seguidores que ficou sem palavras quando o então namorado voltou para casa e revelou que a traiu. “Muitas discussões depois… Eu finalmente o perdoei e lhe dei uma segunda chance.”

Três meses depois da traição, o homem terminou o relacionamento, afirmando que, se eles fossem feitos um para o outro, “Deus os reuniria novamente no fim”. Chegou a acusá-la, inclusive, de realizar o transplante para “ficar bem” nas redes sociais. Depois disso, passou a bloqueá-la em todas as contas.

FLÁVIO E EDUARDO BOLSONARO TORRARAM QUASE R$ 500 MIL EM VERBAS PÚBLICAS E NÃO PRODUZIRAM NADA

Deu no DCM:

Dois filhos do presidente Jair Bolsonaro (PL) que atuam no Congresso Nacional, Flávio e Eduardo Bolsonaro, não aprovaram nenhum projeto de lei em 2021. Juntos, 01 e 03 apresentaram seis textos, mas nenhum foi sequer votado. Essa informação é do colunista Ancelmo Góis, do jornal O Globo, no domingo (23).

Dos dois, o senador Flávio foi o mais ‘ativo’, apresentando cinco PL no Congresso. Eduardo, por sua vez, apresentou apenas um texto para alterar regras de vigilância epidemiológica e vacinação no Brasil, protegendo antivacinas.

Desempenho pífio dos dois parlamentares lembra a fama do pai, atual presidente Jair Bolsonaro. Ocupando uma cadeira no Legislativo por cerca de 30 anos, Bolsonaro aprovou apenas dois projetos, tendo apresentado 171 textos.

O desempenho irrelevante vem sendo repetido por sua prole. Na matéria do jornal, há ainda um levantamento de gastos dos dois parlamentares, que juntos somam quase 500 mil reais. Neste quesito, o deputado Eduardo Bolsonaro é o mais ‘produtivo’, tendo gasto cerca de 360 mil reais. Flávio, por sua vez, gastou 114 mil.

Neste ano de 2022, Flávio será o ‘número um’ na coordenação da campanha presidencial de Jair Bolsonaro, o que provavelmente fará seu desempenho parlamentar cair ainda mais. Eduardo, por sua vez, deve buscar manter sua cadeira na Câmara.

Segundo o portal da Câmara dos Deputados, Eduardo Bolsonaro gastou R$ 359.929,03 de verba parlamentar no ano passado. Já Flávio custou aos cofres do Senado R$ 113.883,40 no ano passado. Juntos, somam quase R$ 500 mil (R$ 473.812,43). Filhos que não aprovaram nada e que são caros aos cofres públicos.

JORNAL DE JALES: GRITO DOS DESCONTENTES COM O AUMENTO NO CARNÊ DO IPTU REUNIU PETISTAS, BOLSONARISTAS E ISENTÕES

Eis a capa do Jornal de Jales deste domingo, hoje gentilmente enviada pela Josi Bonfim, uma vez que o eficiente Brasilino Pires da Costa teve que se virar nos trinta e substituir alguns entregadores que foram contaminados pela covid. Como se pode ver, o principal assunto é o imbroglio envolvendo o IPTU. Depois do pega pra capar ocorrido na Câmara, quando alguns vereadores foram homenageados com adjetivos nada elogiosos, a comunidade resolveu se mobilizar para tentar evitar a cobrança das taxas incluídas no carnê do IPTU. O Forum da Cidadania, por exemplo, está coletando assinaturas com o objetivo de apresentar um projeto de iniciativa popular que visa revogar a lei que instituiu a cobrança das indigitadas taxas.

O jornal está lembrando que na quinta-feira, 20, fez um ano do início da vacinação contra a covid em Jales, que ocorreu no dia 20 de janeiro de 2021, com a imunização da enfermeira Sueli da Silva, a primeira pessoa vacinada em Jales. Por conta da data, o jornal analisou dados disponíveis no Vacinômetro e constatou que até a sexta-feira, 21, Jales já tinha recebido 101.282 doses das vacinas Coronavac, Pfizer, AstraZeneca e Janssen. Segundo o JJ, já foram aplicadas 42.708 primeiras doses, 39.252 segundas doses, 18.356 doses de reforço e 966 doses únicas.

A décima edição da Missão Univida, realizada em Dourados (MS), comandada pelo padre Eduardo Lima; a entrega de R$ 50 mil em vales-compras aos ganhadores da promoção Natal da Virada, da ACIJ; as fotos da manifestação dos contribuintes que foram à Câmara protestar contra o IPTU, naquilo que o jornal batizou de “o grito dos descontentes”; o pronunciamento do prefeito Luís Henrique Moreira(PSDB), em defesa do seu projeto que causou todo o descontentamento; e a aprovação do reajuste salarial dos servidores municipais da Prefeitura e da Câmara, que começarão o ano com um aumento de 15% no contra-cheque, são outros assuntos do JJ.

Na coluna Fique Sabendo, o jornalista Deonel Rosa Júnior comenta que um atento observador da cena política local, que esteve na Câmara na segunda-feira, 17, fez uma interessante constatação. Segundo o observador, a revolta causada pelas taxas embutidas no carnê do IPTU foi tão grande que extrapolou preferências político-partidárias, colocando na mesma trincheira petistas e bolsonaristas que, em nível nacional, vivem se estranhando. O colunista, também um expedito observador, ressaltou que além de devotos do ex-presidente Lula e simpatizantes do presidente Bolsonaro – justificadamente apelidados de “gado” – o bloco dos descontentes incluía gente sem vinculações com siglas partidárias.

PREFEITURA CANCELA LICITAÇÃO PARA COMPRA DE NOVO EQUIPAMENTO DE RAIO-X QUE SERIA UTILIZADO NA UPA

O meu amigo Camarada Martini (ao lado), presidente do Conselho Municipal de Saúde, não irá gostar da novidade. 

A Prefeitura de Jales publicou ontem, 22, a revogação do pregão eletrônico iniciado em outubro de 2021, cujo objetivo era a aquisição de um moderno equipamento digital de Raio-X para atender aos usuários da nossa Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

O aparelho de Raio-X utilizado atualmente na UPA, do tipo analógico, tem mais de 20 anos de uso e apresenta problemas frequentemente. Ele foi comprado durante a administração do falecido ex-prefeito Rato, com recursos destinados pelo então deputado federal Luciano Zica (PT).  

A Prefeitura não deu explicações sobre os motivos para a revogação do pregão e tampouco esclareceu se irá abrir uma nova licitação para comprar o equipamento. Tudo indica, porém, que a revogação tenha sido causada por algumas empresas que participaram do certame e, inconformadas com o resultado, vem apresentando recursos contra decisões da Comissão de Licitação.

O Camarada Martini, que acompanha o dia-a-dia da UPA e sabe das dificuldades com o Raio-X, tem se empenhado há muito tempo para a compra de um novo equipamento, cujo valor foi estimado pela Prefeitura em cerca de R$ 360 mil.

Martini inclusive intermediou contatos da Prefeitura com os promotores Claiton Luís da Silva e Horival Marques de Freitas Júnior que, igualmente preocupados com a situação do Raio-X utilizado na UPA, se dispuseram a fazer gestões para que o dinheiro devolvido por uma médica aos cofres públicos – cerca de R$ 320 mil – fosse disponibilizado para a aquisição do novo aparelho.

1 2 3 1.644