COM ABSTENÇÃO DE ELDER MANSUELI, CÂMARA APROVA PARECER DO TCE E DESAPROVA CONTAS DE 2018 DO EX-PREFEITO FLÁ PRANDI

A Câmara Municipal de Jales aprovou, em sessão realizada nesta segunda-feira, o parecer do Tribunal de Contas do Estado (TCE), que é desfavorável à aprovação das contas do ex-prefeito Flá Prandi, relativas ao exercício de 2018.

O detalhe é que o parecer foi aprovado com apenas três votos favoráveis, dos vereadores Rivelino Rodrigues, Ricardo Gouveia e Andrea Moreto. Outros seis vereadores votaram contra, mas foram derrotados, já que para rejeitar o parecer seriam necessários sete votos. É um caso raro em que a minoria vence a maioria.

Com a desaprovação, Flá Prandi poderá ficar inelegível por oito anos, mas a possibilidade é controversa, uma vez que não houve dolo por parte do ex-prefeito. 

O destaque negativo da votação foi a posição estranha do vereador Elder Mansueli, que se absteve de votar contra ou a favor do parecer, ou seja, preferiu ficar em cima do muro. O vereador justificou seu posicionamento com a esdrúxula desculpa de que não poderia votar porque faltou à sessão anterior, quando foi apresentada a defesa do ex-prefeito Flá.

A abstenção de Elder confirma, aparentemente, as suspeitas de que ele faltou à sessão de segunda-feira passada para fugir – sabe-se lá por quais motivos – à responsabilidade de votar a aprovação ou desaprovação do parecer do TCE.    

POPULAÇÃO ESTÁ SENDO CONVOCADA A ACOMPANHAR PROVÁVEL VOTAÇÃO DE PROJETO POPULAR QUE REVOGA TAXA DO LIXO

Hoje é dia de os contribuintes de Jales demonstrarem que a indignação com a cobrança da taxa do lixo e das duas contribuições que a acompanham não é, como diz a música do Skank, do tipo “borboleta sem asas, que não vai além das janelas das nossas casas”.

Segundo estou sabendo, a população está sendo convocada, através de carros de som espalhados pela cidade, a comparecer à Câmara para acompanhar a provável votação do projeto de iniciativa popular que, se aprovado, irá revogar os três tributos criados em agosto do ano passado.

Como já informado por este modesto blog, pelo menos quatro vereadores – Bismark, Zanetoni, Deley e Bruno de Paula – já demonstraram arrependimento por ter ajudado a aprovar a taxa e as contribuições. Há quem diga que o arrependimento do vereador Deley não é assim tão intenso, a ponto de levá-lo a aprovar a revogação.

De qualquer forma, sabe-se que pelo menos seis vereadores já assinaram o requerimento que pedirá urgência na votação do projeto de iniciativa popular, o que permitirá ao presidente Bismark tirar a propositura da gaveta em que se encontra trancada a sete chaves e incluí-la na pauta de votações da sessão desta noite.

A menos que o prefeito Luís Henrique tenha mexido seus pauzinhos durante o final de semana, tudo indica que a revogação será aprovada. Hoje é dia, então, de lotar a Câmara para, com respeito e tranquilidade, acompanhar a posição de cada vereador.

PREFEITURA ALUGA IMÓVEL PARA INSTALAR A SECRETARIA DE ESPORTES

Um amigo leitor enviou gentil mensagem questionando mais um aluguel que a nossa Prefeitura começou a pagar há alguns dias. Trata-se do imóvel da foto acima, situado na esquina das ruas Cinco e Oito, bem pertinho do Paço Municipal. Como se pode notar, ele está abrigando a Secretaria Municipal de Esportes e Juventude.

De acordo com o contrato firmado no final de junho com a Dias e Dias Imobiliária Ltda, o aluguel irá custar aos cofres municipais o valor de R$ 2,3 mil por mês. Não é nada, não é nada, serão R$ 27,6 mil em um ano.

Não custa lembrar que o prefeito alugou, também, um imóvel para instalar a Secretaria Municipal de Obras, a um custo de R$ 41,5 mil por ano. Ainda bem que, graças ao governo Bolsonaro, a Receita Federal foi embora, o que vai proporcionar à Prefeitura uma economia mensal de R$ 4,3 mil com o aluguel do prédio onde ela funcionava.

LUÍS HENRIQUE BATE RECORDE DE NICE E VAI GASTAR R$ 860 MIL COM UNIFORMES ESCOLARES

Em setembro de 2020, o TJ-SP confirmou sentença da Justiça de Jales que havia condenado a ex-prefeita Nice Mistilides a pagar uma multa de, à época, cerca de R$ 60 mil.

O pecado de Nice? Ela bateu o recorde de gastos com uniformes escolares, investindo em apenas um ano (2013) valor superior ao total que o seu antecessor, Humberto Parini, tinha investido em cinco anos. Nice pretendia gastar R$ 430 mil, mas, depois de protestos e denúncias, o valor baixou para R$ 385 mil.

Pra se ter uma ideia, quatro anos depois, em 2017, o então prefeito Flá Prandi gastou R$ 60 mil com uniformes. Registre-se, porém, que Nice não foi condenada pelo recorde de gastos, mas pelo direcionamento da licitação, vencida por uma empresa do Paraná, também condenada a pagar a multa.

O recorde de Nice, no entanto, está ficando para trás. Nossa Prefeitura concluiu, finalmente, a licitação para a aquisição de uniformes que serão distribuídos aos alunos da rede municipal em 2022/23. A licitação foi realizada no início de junho, mas somente na semana passada, dois meses depois, o resultado foi publicado.

E o resultado indica que, sob Luís Henrique, teremos um novo recorde. A aquisição dos uniformes irão custar aos cofres municipais, nada menos que R$ 860 mil. E poderia ter sido pior, já que o prefeito estimava gastar quase R$ 1,5 milhão com os uniformes.

A vencedora da licitação foi a empresa Look Modas e Acessórios Ltda, de Cerquilho, a “Cidade das Rosas”.

Obs.: o prefeito pretendia investir mais R$ 36,1 mil em uniformes para o pessoal da saúde, mas a licitação fracassou nesse quesito.

ACIJ ESTIMA AUMENTO DE CERCA DE 10% NAS VENDAS DE DIA DOS PAIS NO COMÉRCIO DE JALES

Da assessoria de imprensa da ACIJ:

Dia dos Pais está chegando e, neste ano, a data será celebrada no dia 14 de agosto. Até lá, a expectativa dos lojistas é de aumentar o movimento no comércio jalesense. A estimativa da Associação Comercial e Industrial da cidade também é otimista e prevê um crescimento de cerca de 10% nas vendas do varejo local.

“Nos últimos dois anos tivemos a semana do Dia dos Pais muito próximas de picos da pandemia, o que acabou afetando as vendas. Agora estamos muito animados, os comerciantes se prepararam com estoque e muitas lojas já estão no clima da data, com vitrines decoradas para atrair a freguesia”, destacou a presidente da ACIJ, Elaine Borges Bernardes.

A expectativa é maior entre os comerciantes de lojas de produtos voltados para o público masculino, mas a mudança de coleção também favorece vários segmentos como calçadistas e roupas em geral.

Horário especial em Jales

O comércio de Jales vai funcionar em horário estendido no fim de semana do Dia dos Pais para que o freguês tenha mais tempo de pesquisar os produtos e presentear. Na sexta, 12 de agosto, as lojas ficarão abertas até às 22h, e, no sábado, dia 13, até às 16h.

Promoção da ACIJ

Para agradar os consumidores e incentivar as vendas nas lojas físicas, a ACIJ apostou na promoção “Acelere o coração de quem você ama”, que tem a participação de cerca de 150 empresas do comércio de Jales e de outras cidades da região e já premiou quatro pessoas no Dia das Mães e no Dia dos Namorados. A promoção segue e ainda vai premiar mais duas pessoas no Dia dos Pais.

Comprando nas lojas participantes, o consumidor recebe cupons para concorrer a uma moto 0 KM Honda Start, 160 cilindradas, cor vermelha, e o sorteio está marcado para o dia 17 de agosto, data limite para que os consumidores cadastrem os cupons. O vendedor também vai levar um vale-compras de R$500,00.

As lojas participantes estão identificadas com cartazes. Depois de comprar e receber o cupom, é necessário cadastrar no aplicativo ACIJ Jales. Foram distribuídos mais de 150 mil cupons entre as lojas da região. Em caso de dúvidas na hora do cadastro, o telefone da ACIJ para ligações ou mensagens é o (17) 3622-1540.

VOCÊ SABE QUANTOS PROJETOS DE EDUARDO BOLSONARO BENEFICIARAM SÃO PAULO?

Nenhum! É o que diz a jornalista Cynara Menezes. O texto é dela:

Nascido e criado no Rio de Janeiro, o filho Zero Três do presidente, também conhecido como “Bananinha”, usa como imagem de perfil nas redes sociais uma foto sua com a bandeira de São Paulo ao ombro e o skyline da capital ao fundo, com os dizeres: “Trabalhando por São Paulo, lutando por todo o Brasil”. Mas o que exatamente Eduardo fez por São Paulo nestes oito anos? A contar por seus projetos na Câmara, absolutamente nada.

Em 2014, mesmo com seu forte sotaque carioca de playboy da Barra da Tijuca, Eduardo Bolsonaro conseguiu convencer os paulistas de que deveria ser eleito pelo Estado. E foi. Em 2018, repetiu a dose, e recebeu nada menos que 1.843.735 votos do eleitor paulista, se tornando o deputado federal mais votado da História do país. No entanto, a promessa de “trabalhar por São Paulo” ficou esquecida diante das pautas dos armamentos e ideológica. 

Os únicos projetos de lei com alguma relação com São Paulo apresentados por Bananinha foram as propostas de incluir o piloto Ayrton Senna e o tenente Alberto Mendes Júnior, executado na ditadura pela grupo de resistência armada VPR, no panteão dos Heróis da Pátria. A inclusão de Senna foi um dos dois únicos projetos aprovados pelo deputado até hoje –o outro foi a criação do Dia Nacional da Pessoa com Atrofia Muscular Espinhal.

É mais fácil encontrar Eduardo nos Estados Unidos, Israel ou Dubai do que em São Paulo, a não ser em época de eleição. Em 2019, o Zero Três foi alvo de uma reportagem da VejaSP que dizia que os escritórios que ele mantêm na capital só vivem fechados e que ele não costuma dar as caras por lá. Será que os paulistas vão continuar votando em Eduardo Bolsonaro para representá-los na Câmara Federal, mesmo sem ele ter feito coisa alguma pelo Estado em quase oito anos de mandato?

Os bolsonaristas tratam o paulista como otário. Na eleição de 2022, eles querem empurrar, além de Eduardo, outros dois abacaxis para São Paulo: os cariocas Tarcísio de Freitas, que concorre a governador pelo Republicanos sem nunca ter morado aqui, e o ex-deputado cassado Eduardo Cunha, cuja última moradia conhecida foi Bangu 8. Inelegível por 8 anos, Cunha conseguiu os direitos políticos de volta graças a um desembargador de Brasília.

Ou seja, está mais do que claro que o bolsonarismo está exportando as buchas rejeitadas pelo Rio para São Paulo. Os paulistas vão aceitar isso? Tarcísio inclusive admitiu em junho que é do cunhado o imóvel cujo endereço apresentou ao TSE para conseguir aprovar sua candidatura, e que nunca residiu lá. Eduardo Cunha mudou o domicílio eleitoral para São Paulo no começo do ano, mas tampouco tem qualquer relação com o Estado.

JORNAL DE JALES: PELO MENOS SEIS VEREADORES DEVERÃO VOTAR A FAVOR DO PROJETO QUE REVOGA TAXA DO LIXO

Eis a capa do Jornal de Jales deste domingo, que está destacando o início do Censo 2022, que vai tirar as dúvidas e revelar o verdadeiro número de habitantes do município de Jales e dos demais municípios brasileiros. A matéria informa que o Censo, que deveria ter sido realizado há dois anos, começou na segunda-feira, 1º de agosto, e irá transcorrer até outubro. De acordo com o grande ator José Vitorino de Souza, coordenador do IBGE de Jales, a cidade foi dividida em 126 setores, sendo que 11 deles são rurais. Em 11% dos domicílios será aplicado um questionário com 77 perguntas, enquanto nos 89% restantes o questionário terá 26 perguntas.

Destaque, igualmente, para as homenagens dedicadas ao bispo emérito de Jales, o gaúcho Dom Demétrio Valentini. De acordo com o jornal, a comunidade católica de Jales se mobilizou no final da semana passada, quando Dom Demétrio completou 40 anos de ordenação episcopal. Aos 42 anos, ele assumiu a Diocese de Jales, onde permaneceu 33 anos participando ativamente da vida da cidade e região, colocando Jales no mapa em termos nacionais e internacionais. O bispo foi eleito três vezes coordenador das Pastorais Sociais da CNBB e integrou o Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social da Presidência da República.

Na coluna Fique Sabendo, o jornalista Deonel Rosa Júnior informa que a reunião da Câmara Municipal marcada para amanhã, 08, tem tudo para se transformar em um divisor de águas na cena política jalesense. O colunista diz que, se não houver nenhuma intercorrência de última hora, a pauta de votações incluirá dois temas altamente polêmicos. 1º) o parecer do Tribunal de Contas que recomenda a desaprovação das contas do prefeito Flá Prandi, relativas a 2018, o qual, se não houver surpresas, deverá ser rejeitado. 2º) a discussão e votação do projeto de iniciativa popular que revoga a Lei Complementar 320/21, aquela que, para desagrado da maioria dos contribuintes, instituiu a Taxa do Lixo e as duas contribuições inseridas no carnê do IPTU. Segundo Deonel, pelo menos seis vereadores estão dispostos a votar favorável ao projeto de iniciativa popular.

IMAGEM

A foto mostra a banca onde funcionava o “Recanto das Ervas”, na esquina das ruas Oito e Nove, no centro da cidade, bem na frente do Fórum. Segundo informações, ela está abandonada desde o falecimento do dono, o senhor Anísio Aranda Targa, há uns seis ou sete meses. E, se depender da Prefeitura, tudo indica que ela vai continuar “enfeitando” a esquina por muito tempo.  

MARIA BETHÂNIA – “BOM DIA”

Neste ano de 2022 está completando 50 anos que Maria Bethânia lançou o emblemático disco “Drama – Anjo Exterminado”, nome de duas canções que integravam o álbum. Foi o segundo disco da Bethânia que eu, ainda adolescente, comprei na antiga Livraria Marisa. O primeiro tinha sido o “Recital na Boate Barroco”, que eu ouvia sem parar.

Além das duas músicas que deram nome ao disco – a primeira de Caetano Veloso e a segunda de Jards Macalé e Wally Salomão – ele tinha outras canções que marcaram, como “O Circo”, do baiano Batatinha (todo mundo vai ao circo, menos eu, menos eu…), o fado “Maldição”, da Amália Rodrigues, cantado quase à capela pela Bethânia, e “Estácio, Holly Estácio”, do Luiz Melodia.

Mas a música que eu mais gostava no disco era a tristonha “Bom Dia”, do Herivelto Martins e do Aldo Cabral. O dado curioso é que essa canção foi gravada originalmente como um samba, pela Linda Batista, em 1942, mas foi imortalizada como bolero, graças à versão de Dalva de Oliveira, de 1968, àquela altura já separada de Herivelto, com quem foi casada de 1936 a 1949.

A gravação de Bethânia ocorreu exatamente no ano em que Dalva morreu, 1972. O tema da canção, sempre presente na obra de Herivelto, era a separação. E a letra, carregada de expressões dramáticas, tem pelo menos um verso antológico, que nos remete a Fernando Pessoa: “o amor é o ridículo da vida”.

A letra não se resume, no entanto, à conclusão de que o amor é ridículo. Ela nos arrasta por um trajeto doloroso, que inclui um travesseiro vazio, uma busca no apartamento, que já não ecoava nenhum sinal do(a) amante e, finalmente, a toalha encontrada no banheiro com um irônico e perverso “bom dia”. 

No vídeo, uma interpretação mais recente (2010) de Bethânia para o clássico “Bom Dia”:

1 2 3 4 5 1.711