Categoria: Política

PAULO GUEDES VIRA PIADA EM GRUPOS DE WATHSAPP DE ANALISTAS E INVESTIDORES DO MERCADO FINANCEIRO

A lua de mel entre o falastrão e o mercado financeiro parece perto do fim. Deu no portal da revista Fórum:

O ministro da Economia, Paulo Guedes, um dos principais cabos eleitorais do presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido-RJ) durante a campanha de 2018, entre analistas e investidores do mercado financeiro, agora virou motivo de piada entre eles.

De acordo com informações da coluna de Fábio Alves no Estadão, circulam mensagens nem um pouco abonadoras ao ministro em grupos de WatsApp de economistas e investidores.

Em uma delas, uma figurinha de Guedes com o dedo indicador em riste e um leve sorriso no rosto, traz a legenda: “Semana que Vem”, numa alusão ao histórico do ministro de prometer entregar propostas da agenda econômica sempre para um futuro próximo.

Outro meme mostra um posto Ipiranga em chamas, numa referência ao fato de que o mercado deixou de acreditar que Bolsonaro ainda dá a Guedes carta branca para resolver e decidir todos os assuntos da área econômica. Durante a campanha presidencial Guedes era chamado de “Posto Ipiranga” pelo agora presidente.

BOLSONARO DEIXA PARTICIPANTES DO G-20 “EM CHOQUE” AO FALAR DE RACISMO

Depois de virar piada internacional ao ameaçar uma guerra contra os Estados Unidos, o Bozo agora causa espanto com um discurso totalmente desconexo e extemporâneo. A notícia é do respeitadíssimo jornalista Jamil Chade, para o UOL:

A decisão de Bolsonaro de usar a cúpula do G-20 para reclamar de protestos contra o racismo no Brasil gerou um amplo constrangimento e choque entre algumas delegações estrangeiras e até indignação entre as agências da ONU.

Ao discursar na abertura da reunião virtual, o presidente fez uma alusão à morte de João Alberto Silveira Freitas. Mas não como muitos esperavam. “O Brasil tem uma cultura diversa, única entre as nações. Somos um povo miscigenado”, afirmou Bolsonaro.”Foi a essência desse povo que conquistou a simpatia do mundo. Contudo, há quem queira destruí-la, e colocar em seu lugar o conflito, o ressentimento, o ódio e a divisão entre raças, sempre mascarados de ‘luta por igualdade’ ou ‘justiça social’. Tudo em busca de poder”, disse.

Uma parcela das delegações não entendeu imediatamente do que se tratava. Mas, para quem acompanhava a situação no Brasil, a atitude foi considerada como um ato “sem sintonia” com o discurso de direitos humanos das entidades internacionais, principalmente num momento em que a pandemia afeta de forma desproporcional a parcela mais vulnerável da população.

Uma negociadora de alto escalão de um país europeu que acompanha a reunião confessou à coluna que ela e outros ficaram “em choque” ao ouvir a “tese de conspiração” sobre o racismo no Brasil. “Como é que, em pleno século 21, ainda escutamos tais discursos”, questionou a diplomata, na condição de anonimato.

Fontes ainda confirmaram que diplomatas estrangeiros trocaram mensagens comentando a atitude do brasileiro, enquanto outros, sem saber o motivo da declaração, buscavam entender do que Bolsonaro falava.

Na delegação de uma das agências da ONU, a reação foi de indignação. Chamou ainda a atenção que nenhuma referência tenha sido feita pelo presidente sobre a vítima e nem sobre a necessidade de uma resposta que leve em consideração a Justiça.

O discurso de Bolsonaro gerou críticas até mesmo dentro do Itamaraty. Enquanto alguns diplomatas apontavam para o resgate da ideia da “democracia racial”, outros alertaram que a narrativa tenta restabelecer a ideia de um “homem cordial” no Brasil e a construção de uma imagem fictícia de um país onde negros, indígenas e brancos tinham participações iguais na formação do “brasileiro”.

JANAÍNA PASCHOAL SE REVOLTA COM PUNIÇÃO DA GLOBO A APRESENTADORA QUE PUBLICOU FOTO COM JOICE

Esse pessoal da mídia não perde tempo. O narrador Luís Carlos Júnior, do SporTV, ex-marido da apresentadora Janaína Xavier, já está namorando a moça do tempo, a Jaqueline Brasil. E a Janaína já se ajeitou com um advogado. 

Luís Carlos e Janaína foram casados por 14 anos. Deu no portal da revista Fórum:

A informação de que o Grupo Globo puniu a apresentadora do Sportv, Janaína Xavier, por publicar uma foto com a então candidata do PSL à Prefeitura de São Paulo, Joice Hasselmann (PSL-SP), revoltou a deputada estadual Janaína Paschoal (PSL-SP), que acusou a emissora de se render à “imposição de uma agenda” da esquerda.

“O problema é tirar foto com político? Ou tirar foto com político de direita? Suspender a moça é mais que excessivo, resta incompatível com o proceder da emissora frente ao trato dispensado aos outros colaboradores. Isso não é “política da empresa”! É imposição de uma agenda!”, tuitou Janaína Paschoal.

Segundo o portal Uol, em comunicado, o Grupo Globo teria suspendido a xará da deputada estadual de suas atividades alertando para o “rigoroso” código interno da emissora, que proíbe publicações de “apoio ou repúdio a algum candidato”.

“Não devemos fazer posts de apoio ou repúdio a algum candidato; não devemos curtir posts de candidatos; e não devemos entrar em debates sobre este ou aquele candidato. Este princípio básico de isenção é importantíssimo para o nosso Jornalismo”, diz o comunicado, lembrando os “princípios editoriais” da Globo.

Janaína Xavier exibiu nos seus “stories” – mídias do Instagram que são apagadas após 24 horas – uma foto onde aparecia ao lado de Joice. Na mesma imagem estava o namorado da apresentadora, Gustavo Bonini Guedes, que é também advogado da então candidata do PSL.

PT FOI O PARTIDO QUE MAIS CRESCEU EM NÚMERO DE VEREADORES NAS CIDADES COM MAIS DE 500 MIL HABITANTES

Nas 38 cidades brasileiras com mais de 500 mil habitantes moram 37% da população brasileira. A notícia é do Brasil 247:

Diferentemente do que setores da mídia tentam fazer crer, o PT apresentou nas eleições municipais um surpreendente crescimento nos grandes centros urbanos brasileiros. Foi o partido que mais avançou percentualmente em números de vereadores nas cidades com mais de 500 mil habitantes, segundo levantamento do cientista político Jairo Nicolau. Cresceu 6,6% contra 6,3% do DEM e 6,1% do Republicanos. O MDB cresceu 4,9% e o PSOL 4,8%.

Se reduzimos o universo pesquisado para apenas as capitais, o PT ficou ligeiramente abaixo (53 cadeiras a 50) somente do Republicanos, Ao contrário do MDB e do PSDB, que perderam posições nas câmaras das capitais, o PT, o PSOL, o DEM, o Republicanos, o Patriota e o PSD foram as únicas siglas que cresceram em cadeiras no legislativo municipal nestas cidades

Para o vice-presidente nacional do PT, Washington Quaquá, o crescimento do partido nas capitais é um indicador real e palpável da pujança partidária . E fundamental para a definição de estratégias para 2022.

-Em 2016, diante do massacre moral de setores da mídia, o PT recuou. Agora, estamos novamente avançando, numa demonstração da nossa força e de nossa capilaridade. Números de vereadores é um dado real, mostra a força e o tamanho efetivo de sua base – afirmou.

ELEIÇÕES MUNICIPAIS TIVERAM 78 BOLSONAROS E 26 LULAS. SÓ TRÊS SE ELEGERAM

Apesar de ter bem menos candidatos, o time dos Lulas ganhou por 2 a 1. Deu no Poder360:

Lula não foi eleito em São Domingos (MA). Jair Bolsonaro foi derrotado em Laranjal do Jari (AP). Tanto os candidatos que usaram o nome do ex-presidente quanto aqueles que adotaram o sobrenome do atual chefe do Executivo nas urnas não tiveram o sucesso que esperavam nas eleições municipais de 2020.

Dos 26 postulantes filiados ao PT que se identificaram com o nome do ex-presidente Lula, apenas 2 foram bem-sucedidos. Lula do Doce se elegeu vereador por Itaíba (PE), com 483 votos. Lula do Assentamento conquistou uma cadeira na Câmara Municipal de Alto Alegre (RO), com 166 votos. Entre os derrotados está Thamara Lula da Silva, que recebeu apenas 16 votos em Taquaritinga (SP), e Steve Melo Lula Livre da Silva, candidato escolhido por apenas 18 sapeaçuenses, do município de Sapeaçu (BA).

Já entre os candidatos que utilizaram o sobrenome Bolsonaro nas urnas, a taxa de sucesso foi ainda menor. Foi eleito apenas o mais conhecido deles: Carlos Bolsonaro, o “filho 02” do mandatário. Ele foi o 2º vereador mais votado do Rio de Janeiro (RJ), com 71.000 votos. Nas eleições de 2016, foi o mais votado, com 106.567 votos, número 35.567 maior que o alcançado na atual eleição.

Outros 77 Bolsonaros espalhados por 25 Estados não tiveram o mesmo sucesso que Carlos teve no pleito fluminense e não conseguiram se eleger. É o caso de Jair Bolsonaro, que se candidatou a vereador em Laranjal do Jari (AP) e conquistou 22 votos.

Também é o caso de Márcia Bolsonaro, de Irecê (BA), que recebeu apenas 6 votos. E de Bolsonaro Sergipano, que tentou uma vaga na Câmara de Aracaju (SE), mas foi votado por somente 286 pessoas.

Sergipano não ganhou a cadeira de vereador, mas viralizou nas redes sociais com as caracterizações que fez do presidente da República. Apareceu na propaganda eleitoral  da televisão com 1 terno, uma faixa presidencial fictícia, o cabelo penteado para o lado e finalizou a mensagem com o gesto de arma que o presidente costuma fazer.

Ainda no Nordeste, outro candidato atuante nas redes sociais que se gaba de semelhança física com o ídolo é Lula do PT. Ele se candidatou a vereador em Iguatu (CE). Além do nome, outra característica que aproxima os 2 Lulas é a profissão: o candidato de Iguatu é metalúrgico. Porém, não teve o sucesso que o pernambucano teve quando foi eleito e reeleito presidente. Teve apenas 83 votos.

JALESENSE PAULO LANDIM É REELEITO VEREADOR EM ARARAQUARA

Dono de um sobrenome tradicionalíssimo aqui em Jales – e também em Raimundo Nonato(PI), terra do meu avô, de onde vieram os Paes Landim – o jalesense Paulo Fernando Paes Landim, ou simplesmente Paulo Landim, foi reeleito para a Câmara de Araraquara, pelo PT.

Paulo é nascido aqui em Jales, mas está há muito tempo em Araraquara, onde seu pai trabalhou como ferroviário. Por sinal, o pai dele, seo Valdemar, morreu jovem, em um acidente de trabalho.

Em Araraquara, Paulo foi office-boy, garçom, entregador de pizza, etc, e, com muito esforço, formou-se em Administração de Empresas pela Universidade de Araraquara (Uniara). Nos dois primeiros governos do prefeito Edinho Silva(PT), de 2001 a 2008, ele assumiu a coordenação de um Pronto Socorro, onde implantou o atendimento humanizado.

Em 2012, Paulo candidatou-se a uma vaga na Câmara e obteve 805 votos, ficando na suplência. Em 2016, foi eleito com 889 votos e, nas eleições de domingo passado, foi reeleito com 979 votos. De seu lado, Edinho Silva, que voltou ao comando da Prefeitura de Araraquara em 2017, foi reeleito para mais um mandato, o quarto.

E parece que o preconceito contra o PT, em Araraquara, é bem menor do que aquele que existe em Jales. Tanto é que, além de reeleger os petistas Edinho Silva e Paulo Landim, a cidade conhecida como “Morada do Sol” deu à vereadora Thainara Karoline Faria(PT) a maior votação entre os 408 candidatos que disputaram cadeiras na Câmara. Ela obteve 1.838 votos, 109 a mais que o segundo colocado, Gerson da Farmácia(MDB).

Thainara, a moça ao lado, foi eleita pela primeira vez em 2016, quando tinha 23 anos. Ela é a mulher mais jovem a assumir uma cadeira na Câmara Municipal de Araraquara e também a primeira negra a desempenhar o cargo, em 70 anos de história do Legislativo araraquarense.

Advogada, Thainara teve destacada atuação na Câmara de Araraquara, principalmente na defesa da garantia dos direitos das mulheres.

MP DO RIO DIZ QUE FLÁVIO BOLSONARO DESVIOU MAIS DE R$ 6 MILHÕES DA ALERJ COM ESQUEMA DA RACHADINHA

Deu no Brasil 247:

A denúncia do MP apontou que uma parte do dinheiro arrecadado com as ‘rachadinhas’ foi transferida ao patrimônio familiar de Flávio Bolsonaro por meio de três métodos. Uma delas eram pagamentos de gastos da família com dinheiro em espécie, conforme o blog do Fausto Macedo.

A outra maneira eram depósitos em espécie realizados nas contas bancárias do parlamentar e da esposa com valores arrecadados pelos operadores financeiros da organização criminosa, com datas próximas aos vencimentos de dívidas que viriam a ser quitadas nessas contas.

A denúncia apontou que os envolvidos no esquema também faziam transações imobiliárias utilizando, de forma dissimulada, dinheiro em espécie não declarado, oriundo do desvio de dinheiro da Alerj. 

Ex-assessora do senador, Luiza Sousa Paes admitiu em depoimento que era funcionária fantasma no gabinete de Flávio e era obrigada a devolver mais de 90% do salário

Principal assessor de Flávio Bolsonaro na Alerj, Queiroz foi preso no dia 18 de junho em Atibaia (SP), onde estava escondido em um imóvel que pertence a Frederick Wassef, então advogado de Flávio – depois ele deixou a defesa do parlamentar. 

Segundo relatório do antigo Conselho de Atividades Financeiras (Coaf), Queiroz fez movimentações financeiras atípicas. Foram R$ 7 milhões de 2014 a 2017, apontaram cálculos do órgão. 

CANDIDATO COMEMORA VITÓRIA COM CARREATA ANTES DA HORA, MAS ACABA DERROTADO

Nunca se deve contar com o ovo na cloaca da galinha. Em Vitória Brasil, nas eleições 2012, os apoiadores do candidato Paulinho do Açougue saíram às ruas para comemorar a vitória, mas a prefeita Ana Lúcia virou o jogo na última urna, ganhando por apenas 17 votos.

É provável que no domingo passado, Paulinho – finalmente eleito – tenha esperado o  fim das apurações para comemorar. A notícia é do G1:

Porangatu, no norte do estado de Goiás, vivenciou uma situação inusitada na noite de domingo (15). O candidato a prefeito Marcio Luis, do MDB, saiu em carreata por ruas da cidade para comemorar, antecipadamente, a vitória.

No entanto, durante a apuração das últimas urnas, o jogo virou, e a candidata Vanuza Valadares (Podemos), que estava em segundo lugar, venceu a eleição com a diferença de 45 votos.

Depois do resultado oficial com 100% das urnas apuradas, Marcio Luis publicou vídeos em rede social ironizando a situação e reconhecendo a prefeita eleita.

“Os resultados apontavam no sentido da nossa vitória. Já dizia o ditado: ‘Contou com a vitória antes da hora’. Peço desculpa a todos, mas foi realmente o que se apresentava. Todos noticiaram. Nós fizemos uma linda carreata. Não foi o resultado que esperávamos, mas foi o resultado que temos que respeitar”, disse o candidato, em meio a risos.

Vanuza Valadares teve 7.668 votos, o que corresponde a 34,88% do eleitorado, e será a primeira mulher a ocupar o Executivo da cidade. Já Marcio Luis obteve 7.623 votos, que lhe rendeu 34,68% dos eleitores.

COM 33 ANOS, FILHA DE ONEVAN SE ELEGE PREFEITA DE NAVIRAÍ

A dentista Rhaiza Matos, de 33 anos, foi eleita prefeita de Naviraí(MS), com 8.873 votos, equivalente a 36,49% dos votos válidos. Ela derrotou o atual prefeito da cidade, Dr. Izauri(DEM), que ficou com 7.493 votos, ou 30,81% dos válidos.

Rhaiza substituiu seu pai, Onevan José de Matos, ex-vereador em Jales por dois mandatos e ex-deputado estadual do Mato Grosso do Sul por nove mandatos, que faleceu na sexta-feira, 13, antevéspera da eleição.

Onevan não foi o único candidato a prefeito a morrer antes das eleições desse domingo. Em Passa Quatro(MG), cidade com cerca de 16 mil habitantes, o candidato Antonio Claret (PV) faleceu no sábado, véspera da eleição, e foi sepultado no domingo, dia da votação. Mesmo morto, ele foi eleito com 60,8% dos votos válidos. O TSE terá que decidir o caso.

Também em Minas Gerais, na cidade de Joaquim Felício, o candidato favorito, um padre, faleceu a seis dias da eleição. Edílson dos Santos Xavier (PSD), o Padre Edílson, tinha 50 anos e faleceu em decorrência de múltiplos linfomas (câncer) que comprometeram os pulmões.

Padre Edílson foi substituído por seu candidato a vice, Miguel Felipe Ferreira de Oliveira, o Miguelzinho de Helmar (PSD), que acabou vencendo as eleições, com 54,49% dos votos válidos. Nas urnas, o nome que aparecia era o de Miguelzinho, mas a foto era a do Padre Edílson.

Em Bom Jesus do Itabapoana (RJ), o candidato a prefeito Paulo Sérgio Cyrillo faleceu na quarta-feira, 11, a quatro dias da eleição, vítima de um mal súbito durante uma live. O filho do candidato, que tem o mesmo nome do falecido e é o atual vice-prefeito da cidade, só aceitou concorrer no lugar do pai na sexta-feira, a dois dias da eleição. 

Ao fim da apuração, Paulo Sérgio Travassos do Carmo Cyrillo foi eleito prefeito com 32,98% dos votos válidos. Ele derrotou o candidato Roberto Tatu (Republicanos), que obteve 31,17% dos votos. 

Em Pedreira, cidade da região de Campinas, quem morreu foi uma candidata a vereadora – Ana Paula Araújo (Podemos) – que era irmã do candidato a prefeito Lica Di Araújo, também do Podemos. Ela foi vítima de um acidente de trabalho ao utilizar o elevador da loja em que era a gerente.

A morte de Ana Paula causou comoção na cidade de 46 mil habitantes, mas não foi o suficiente para eleger o irmão. Lica foi o terceiro colocado, com 22,42% dos votos válidos. O atual prefeito, Hamilton Bernardes Júnior (DEM), foi reeleito com 36,62% dos votos.

E Ana Paula, mesmo morta, recebeu o voto de 79 eleitores de Pedreira, ficando à frente de 57 candidatos vivos, entre eles o Fábio Maluco, o Clóvis Gardenal, o Dirceu Borboleta e o Xande Pinico.

1 2 3 439