Arquivos do autor: cardosinho

KID ABELHA – “COMO EU QUERO”

Durante muito tempo, as pessoas cantaram “Debaixo dos Caracóis dos Seus Cabelos” supondo que se tratava de uma linda canção de amor, dedicada por Roberto Carlos a uma mulher. Só depois de muitos anos, se descobriu que, na verdade, Roberto escreveu essa música para o Caetano Veloso.

Consta que, em 1970, o Rei esteve em Londres para uma visita a Caetano, que se exilou por lá depois de preso por alguns meses – juntamente com Gilberto Gil – pela ditadura militar.

Roberto aproveitou para mostrar ao baiano uma música que ele tinha acabado de compor – “As curvas da Estrada de Santos” – e, ao ouvi-la, Caetano, com saudade do Brasil, se emocionou e começou a chorar. Chegando ao Brasil, Roberto compôs “Debaixo dos Caracóis” para o amigo, mas o fez de forma que a censura não percebesse a homenagem a um exilado.

Da mesma forma, a música “Como eu Quero”, do Kid Abelha foi uma das mais cantadas nos anos 80, como sendo uma música de amor. Só que não. “Como eu Quero” é, na realidade uma falsa canção de amor.

Essa música foi escrita por Paula Toller e seu então namorado, Leoni, que se inspiraram em uma história real. A personagem que inspirou a música foi a namorada do baterista Carlos Beni Borja (o segundo, na foto lá de cima), que integrava, à época, o Kid Abelha.

A namorada de Beni era uma moça muito personalista e manipuladora, que queria transformar o rapaz em uma pessoa diferente, ou seja um rascunho em arte final. Ela chegou, inclusive, a pressionar o namorado para que ele saísse da banda, pois queria que ele se tornasse um sujeito sério.

Assim, o refrão “quero você como eu quero”, que muita gente acredita ser uma linda declaração de amor, significa, na verdade outra coisa, tipo “eu quero você do jeito que eu quero e não do modo como você é”. Ou seja, significa a namorada manipuladora tentando impor sua vontade.

No livro “A Canção no Tempo”, que eu ganhei do meu ex-professor de flauta, o amigo Saulo Nunes da Silva, os autores Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello contam que “Como eu Quero” foi desprezada pelos autores e ficaria de fora do disco de 1984, não fosse uma decisão do produtor Liminha que resolveu incluí-la.

Mas, Paula Toller e Leoni contam uma história diferente. Eles dizem que Liminha não gostou do refrão da música e queira deixá-la de fora do disco. “Tivemos que bater o pé para ela entrar. Foi por insistência nossa”, conta Paula.

O fato é que a balada “Como eu Quero”, uma falsa canção de amor, foi o maior sucesso do disco. E agora que você já sabe a história da música, que tal ouvi-la sob o prisma correto. É só clicar AQUI.

TRIBUNA: JALES REGISTROU 535 ÓBITOS EM 2020 E PELO MENOS 14,5% DELES FORAM CAUSADOS PELA COVID

No jornal A Tribuna deste final de semana, a principal manchete trata da demorada repaginação da Praça “Euphly Jalles”. Segundo a matéria, a nossa Prefeitura publicou no Diário Oficial do município o extrato de um aditamento ao contrato firmado entre a municipalidade e a empresa Max Construções e Serviços, prorrogando por mais 365 dias a execução da obra de revitalização daquela praça. Inicialmente, o contrato tinha vigência entre 17 de janeiro de 2020 até 16 de janeiro de 2021, mas agora a obra poderá ser entregue até janeiro do ano que vem. O valor da obra – R$ 1,5 milhão, continua o mesmo. Por enquanto.

Matéria do repórter Alexandre Ribeiro, o Carioca, constata que em 2020, nada menos que 14,5% dos 535 óbitos ocorridos em Jales foram em consequência da malsinada covid-19. E se a conta for feita apenas com os 460 óbitos registrados a partir de março, quando a pandemia teve início, o percentual aumenta para 16,95%. E neste início de ano, o percentual aumentou. Dos 42 óbitos registrados em 20 dias deste ano, pelo menos 08 (19%) foram causados pela covid. A matéria esclarece, ainda, que o estado de São Paulo registrou o maior aumento de óbitos em um ano, desde 1999. No ano passado, o estado contabilizou 356.877 óbitos, 17.2% a mais que em 2019.

A campanha de vacinação contra a covid que, em Jales, teve início na quarta-feira, 20, com a chegadas das primeiras 920 doses; a reunião do prefeito Luís Henrique Moreira com a diretoria do Sindicato dos Servidores; os primeiros projetos do novo prefeito, que irão permitir a compra de instrumentos musicais e a troca de mata-burros; o Plano SP, que deixou Jales na fase laranja, mas com restrições no período noturno e nos finais de semana; e o adiamento do retorno das aulas presenciais nas escolas municipais de Jales, são outros assuntos de A Tribuna.

Na coluna Enfoque, escrita por este aprendiz de blogueiro, a informação dando conta de que, em 2020, os gastos da nossa Prefeitura com a folha de pagamento dos servidores alcançaram a expressiva cifra de R$ 66,1 milhões, aí incluídas as despesas com encargos sociais, 13º salário, direitos trabalhistas, etc. Os números constam de um relatório da Secretaria de Fazenda. Eles mostram que a suposta economia de R$ 40 mil/ano prometida pelo prefeito Luís Henrique em sua festejada “reforma administrativa” representará cerca de 0,060% da folha de pagamento. Ou seja, quase nada. Isso se a economia prometida por LH realmente se confirmar, o que é improvável.

DATAFOLHA: REJEIÇÃO DE BOLSONARO SOBE OITO PONTOS E VAI A 40%

Deu no portal da revista IstoÉ:

A rejeição do presidente Jair Bolsonaro cresceu em meio ao agravamento da pandemia da Covid-19. Segundo a pesquisa Datafolha, 40% da população considera seu governo ruim ou péssimo, um aumento de oito pontos ante 32% em dezembro.

Já os que consideram o governo do presidente ótimo ou bom caiu de 37% para 31% neste novo levantamento e 26% consideram o governo regular.

O presidente tem a segunda pior avaliação entre os presidentes eleitos desde a redemocratização e só perde para Fernando Collor (PRN), que tinha rejeição de 48% e aprovação de 15% em 1992.

Foram ouvidas 2.030 pessoas entre os dias 20 e 21 de janeiro e a margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

PM ACABA COM FESTA CLANDESTINA QUE TINHA CERCA DE 200 PESSOAS EM FERNANDÓPOLIS

A notícia é do site Região Noroeste:

Uma ação da Polícia Militar de Fernandópolis acabou com uma festa clandestina que estava sendo realizada no bairro Jardim Vitória, ao lado do Recinto de Exposições Percy Semeghini. O fato aconteceu na madrugada deste sábado, dia 23.

Segundo informações apuradas pelo regiaonoroeste.com, uma denúncia anônima de perturbação de sossego, levou os policiais a se deslocarem até a Rua Dercílio Luiz Pereira e depois de constatado que havia grande volume de veículos e pessoas, foi feito pedido de reforço policial com início de abordagem.

Foi constatado que no local estavam aproximadamente 200 pessoas, caracterizando aglomeração com algazarra e som em alto volume. Os policiais levantaram a informação de que cada participante chegou a pagar cerca de R$ 10,00 para entrar na festa.

Duas pessoas foram indiciadas e vão responder pelo crime de perturbação de sossego e funcionamento sem autorização devido a Covid.

No momento da ocorrência os PM ainda conseguiram identificar e capturar uma pessoa que estava sendo procurada pela Justiça.

O fato foi apresentado no Plantão Policial de Fernandópolis.

MÉDICO APONTA EM REVISTA CIENTÍFICA QUE INCOMPETÊNCIA DE BOLSONARO DIANTE DA COVID MATOU MAIS DE 150 MIL BRASILEIROS

Deu no Brasil 247:

Um médico brasileiro escancarou em números o resultado da incompetência e do descaso de Jair Bolsonaro, que fez propaganda de remédio ineficaz, como a cloroquina, diante da pandemia de covid-19. “Em carta publicada na noite desta sexta-feira (22) na revista médica The Lancet, o epidemiologista Pedro Hallal, da Universidade Federal de Pelotas, que coordena pesquisa nacional sobre prevalência da Covid-19, disse que se o Brasil tivesse tido um desempenho apenas ‘mediano’ no combate ao vírus, mais de 150 mil vidas teriam sido salvas”.

“A população brasileira representa 2,7% da população mundial. Se o Brasil tivesse tido 2,7% das mortes globais de Covid-19, 56.311 pessoas teriam morrido”, escreveu o pesquisador. “Contudo, em 21 de janeiro, 212.893 pessoas já tinham morrido de Covid-19 no Brasil. Em outras palavras, 156.582 vidas foram perdidas no país por subdesempenho.”

“Se essa responsabilidade é compartilhada entre governo federal, estados e municípios ou se é uma responsabilidade mais concentrada no governo federal, que é a minha opinião, isso é questão para debate, mas o número é indiscutível”, disse Hallal.

DEU NA FOLHA NOROESTE DE HOJE

No jornal Folha Noroeste, edição digital deste sábado, destaque para o adiamento da volta às aulas nas escolas municipais de Jales. Após reuniões com participação de membros do executivo municipal, profissionais da educação e saúde, e mediante parecer do Comitê Municipal de Enfrentamento à Covid-19, o Poder Executivo Municipal decidiu por não autorizar o retorno das aulas presenciais no dia 1º de fevereiro, quando começa o ano letivo. O Decreto nº 8.332, de 20 de janeiro de 2021, que suspende o reinício das aulas presenciais, foi assinado pelo prefeito Luis Henrique Moreira e já está publicado no Diário Oficial. Integrantes do Comitê se reuniram no dia 14 de janeiro com o prefeito Luis Henrique Moreira, na sede da Casa do Médico e, na ocasião, médicos e os profissionais das instituições públicas e privadas puderam expressar suas opiniões sobre o retorno às aulas no próximo mês.

Destaque, igualmente, para a nova reclassificação do Plano SP, anunciada pelo governador João Dória na sexta-feira, 22. Com as taxas de ocupação de unidades de terapia intensiva (UTI) acima de 71% por causa do novo coronavírus (covid19), o governo de São Paulo decidiu colocar todo o estado em quarentena aos finais de semana, feriados e no período noturno dos dias úteis, sempre após as 20h. A medida passa a valer a partir de segunda-feira (25) e deverá pelo menos até o dia 7 de fevereiro. Nesse período só poderão funcionar os serviços considerados essenciais das áreas de logística, saúde, segurança e abastecimento. O restante das atividades econômicas, tal como o comércio, terá que ser fechado nesses dias e horários. Essa foi a terceira reclassificação do Plano São Paulo somente neste mês de janeiro.

Na coluna FolhaGeral, o abstruso redator-chefe Roberto Carvalho, o Pestinha, destaca a atuação da vice-prefeita Marynilda Cavenaghi neste início de administração. Ele ressalta que a presença da vice-prefeita está se tornando constante nos eventos relacionados à administração municipal. Segundo o colunista, Marynilda está certíssima, ao ajudar o prefeito, porque, afinal de contas, vice também ganha salário e pode receber atribuições para cumprir. Falando sobre o coronavírus, Roberto diz que “é preciso endurecer com a população em relação aos cuidados com a covid”. Ele reconhece, no entanto, que é impossível manter toda a população trancada em casa.

EMPRESA QUE ESTAVA CONSTRUINDO PISTA DE CAMINHADA VAI À JUSTIÇA PARA RESCINDIR CONTRATO COM PREFEITURA

A empreiteira AFS Construtora e Engenharia ME, de Fernandópolis, protocolou na Justiça uma Ação de Rescisão Judicial de Contrato Administrativo, com o objetivo de rescindir o contrato assinado com a Prefeitura, em abril de 2020, para construção de uma pista de caminhada na Avenida “Euphly Jalles, no Jardim Estados Unidos.

Antes de recorrer à Justiça, a empresa já tinha protocolado diretamente na Prefeitura um pedido de rescisão amigável do contrato. A empreiteira está alegando que a Prefeitura alterou unilateralmente as condições de pagamento contratadas. Isso porque, em setembro de 2020, foi realizada uma medição no valor de R$ 62,5 mil, mas a Prefeitura só autorizou o pagamento de R$ 58,6 mil.

Além disso, a empresa alega que no decorrer da obra surgiram serviços que não estavam previstos no contrato, mas a Prefeitura não concordou com um acréscimo no valor da obra, relativo aos serviços extras. Um desses serviços consistiria no rebaixamento de diversas tubulações como essas da foto ao lado.

Além da construção da pista de caminhada, a obra – contratada por R$ 450 mil – previa a revitalização do canteiro central da avenida. Antes de abandonar os serviços, a empresa teria executado 20% da obra e recebido cerca de R$ 90 mil. Na ação, a empresa está pedindo que seja dispensada de dar continuidade à obra e que não seja penalizada pela Prefeitura.

FUNCIONÁRIOS DA UPA DE JALES COMEÇARAM A SER VACINADOS NESTA SEXTA-FEIRA

A vacinação contra a covid teve sequência nesta sexta-feira, 22, com a imunização dos profissionais da saúde da UPA de Jales, como mostra a foto aí do lado.

Ao contrário do que informou o blog anteriormente, a Vigilância Epidemiológica não irá reservar metade das 920 unidades da vacina disponibilizadas para Jales, objetivando a aplicação da segunda dose nas pessoas que estão sendo vacinadas.

“A orientação que recebemos foi para aplicar todas as 920 doses da vacina nesta primeira etapa, uma vez que a segunda dose só deverá ser aplicada daqui a três semanas e, até lá, já deveremos ter recebido mais doses da Coronavac”, explicou a enfermeira Renata Rachielli, responsável pela vacinação.

Por outro lado, segundo o presidente do Conselho Municipal de Saúde, José Célio Martini, são infundadas as críticas que estariam correndo em grupos de whatsapp, segundo as quais profissionais de saúde que não trabalham na linha de frente estariam sendo vacinados, em detrimento de outros que atuam diretamente no atendimento de pessoas contaminadas.

Martini garantiu que, como presidente do Conselho, está acompanhando a vacinação e a prioridade para os profissionais que trabalham na linha de frente vem sendo rigorosamente obedecida. “Inclusive a Vigilância vai disponibilizar uma relação das pessoas vacinadas, para o caso de haver alguma dúvida”, explicou Martini.

EM SANTA SALETE, TÉCNICA EM ENFERMAGEM QUE PERDEU TRÊS PARENTES PARA A COVID FOI A PRIMEIRA VACINADA

A notícia é do jornalista Eduardo Monteiro:

O município de Santa Salete recebeu na quinta-feira, 21 de janeiro, a primeira remessa da vacina contra o coronavírus. As 35 doses do imunizante foram distribuídas pelo Grupo de Vigilância Epidemiológica, o GVE-Jales, e levadas para unidade de saúde do município, onde foram aplicadas nos profissionais de saúde da cidade, público alvo desse início de campanha. 

A primeira a tomar a dose foi Celina Nazzi. A técnica em enfermagem, que trabalha no município há 24 anos, representou os companheiros da linha de frente no combate a Covid-19 e também as famílias que perderam pessoas queridas nessa pandemia. Só na família dela, três pessoas morreram por complicações do vírus. O marido e o sogro, que moravam em Santa Salete, e a cunhada dela, de São José do Rio Preto.

“Essa doença é terrível. Eu espero que esse seja o início do fim de tanto sofrimento que milhões e milhões de famílias tem enfrentado pelo mundo por causa desse vírus que levou e continua levando tantas pessoas que amamos”, desabafou emocionada.

No mesmo dia, a maior parte dos profissionais da saúde do município foi vacinada. De acordo com a secretária de Saúde de Santa Salete, Carla Amaral, a expectativa é de que o município receba em breve uma nova remessa da vacina para continuar a campanha.

“É claro que a chegada da vacina nos traz esperança, mas não podemos esquecer que a pandemia não acabou. Juntos vamos vencer esse vírus, mas precisamos dar continuidade aos cuidados básicos, usar a máscara, higienizar as mãos e evitar aglomerações”, alertou a secretária.

É importante lembrar que neste primeiro momento, a vacinação será voltada para os profissionais de saúde. As 35 doses que chegaram na primeira remessa não foram suficientes para que todos fossem vacinados. 

O GVE-Jales, do Governo do Estado, também não informou quando novas doses da CoronaVac devem chegar a Santa Salete, mas garantiu que o município receberá em breve os imunizantes para que seja aplicada a segunda dose nos primeiros vacinados. Em seguida, conforme o recebimento de novas remessas, a Secretaria Municipal da Saúde seguirá com a vacinação dos profissionais de saúde que faltam e os idosos. 

1 2 3 1.519