Arquivos mensais: janeiro 2021

VÍTIMA DA COVID, EDUCADOR SERÁ SEPULTADO EM JALES NESSA SEXTA-FEIRA

A notícia é do Jornal de Jales:

Faleceu na manhã de hoje, dia 21, em São José do Rio Preto, o jalesense Cairbar de Oliveira Mendonça. Ele estava internado no Hospital da Beneficência Portuguesa desde o dia 4 de janeiro e veio a óbito por problemas decorrentes da Covid-19.

Cairbar descreveu longa história no magistério, tendo sido professor, diretor, encerrando a carreira como supervisor de ensino.

Ele tinha 78 anos, era viúvo da também diretora de escola Isis Léa Martins Mendonça, falecida em fevereiro de 2014, e deixa três filhos —Fabiano (médico), Patrícia (professora) e Leandro (procurador federal do INSS).

Jornal de Jales apurou que o corpo de Cairbar será velado amanhã, sexta-feira, das 6 às 10 horas da manhã, e posteriormente sepultado.

PESQUISA APONTA BOLSONARO COMO MAIOR CULPADO POR ATRASO DAS VACINAS

A notícia é da revista Fórum:

Jair Bolsonaro (sem partido) é o maior responsável pelo atraso das vacinas contra a Covid-19. Esse é o resultado do estudo divulgado nesta quinta-feira (21) pelo instituto Paraná Pesquisas, que revela que 35,1% dos pesquisados apontam o presidente como principal responsável pelo atraso na imunização do coronavírus.

Em segundo lugar, atrás de Bolsonaro, 29,9% culpam “os laboratórios”. Outors 19,9% dizem que “nenhum desses”, 7,6% acreditam que “todos”, e 5,2% culpam o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello.

O estudo mostra ainda que 78,7% da população se preocupa mais com a própria saúde e com a saúde da família neste momento da pandemia, sendo que apenas 17,2% dizem ter maior preocupação com a situação financeira – 4,1% não opinaram.

A pesquisa foi realizada entre os dias 15 e 18 de janeiro por telefone e ouviu 2.105 pessoas com mais de 16 anos em amostra representativa da população em todo o território nacional. O grau de confiança é de 95% e a margem de erro é de 2%.

JUSTIÇA DE JALES DÁ 60 DIAS PARA PREFEITURA CUMPRIR TAC ASSINADO EM 2019. CASO CONTRÁRIO, MULTA SERÁ DE NO MÍNIMO R$ 100 MIL

Uma decisão da juíza da 1ª Vara Criminal de Jales, Ana Flávia Jordão Ramos Fornazari, responsável também pela Vara da Infância e Juventude, está determinando que a Prefeitura local seja citada para cumprir, no prazo de 60 dias, a obrigação assumida em um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado em agosto de 2019. A pena para o descumprimento inclui uma multa de, no mínimo, R$ 100 mil.

A decisão da juíza atende a uma solicitação do Ministério Público de Jales, representado pelo promotor Cleiton Luís da Silva (foto acima), que ajuizou uma Ação de Execução de Obrigação de Fazer, com pedido de aplicação de multa por descumprimento do TAC.

O TAC foi assinado pelo ex-prefeito Flá Prandi e pelo ex-procurador-geral Pedro Callado. No documento, a Prefeitura se comprometia a implantar no âmbito do município, no prazo de um ano, um serviço de proteção social a adolescentes que estivessem cumprindo medidas socioeducativas de liberdade assistida e prestação de serviços à comunidade.

De acordo com o TAC, a Prefeitura se comprometia, entre outras obrigações, a manter uma equipe com ao menos dois técnicos de nível superior e dois educadores sociais, com formação em psicologia ou em assistência social, para auxiliar e fiscalizar os adolescentes em conflito com a lei, visando a ressocialização deles.

Transcorrido, no entanto, mais de um ano, a Prefeitura não tomou providências para implantar o serviço e cumprir a obrigação assumida no TAC. No final do ano passado, o Ministério Público ainda alertou a administração Flá, sobre as consequências do descumprimento da obrigação, mas não obteve resposta.

Ou melhor, a Prefeitura até que respondeu, mas apenas para alegar que não foi possível contratar o pessoal necessário para a implantação do serviço, em virtude da extrapolação dos limites com gastos de pessoal.

Diante disso, só restou ao MP ajuizar a Ação de Execução. A Prefeitura terá, agora, 60 dias para cumprir o TAC, caso contrário será punida com uma multa, cujo montante será repassado ao Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente.

A juíza Ana Flávia Fornazari, que mandou citar a Prefeitura, assumiu a vaga do doutor Eduardo Henrique Moraes Nogueira, que se aposentou em agosto de 2019. Ela já atuou na área da Infância e Juventude quando era juíza na Comarca de São José das Piranhas, na Paraíba.

Em 2017, Ana Flávia e outros juízes paraibanos assinaram um documento responsabilizando o governo estadual pela morte de sete adolescentes durante uma rebelião em um Centro Socioeducativo da Paraíba.

Em 2018, Ana Flávia foi uma das aprovadas no 187º Concurso para ingresso na Magistratura Paulista. Antes, porém, de deixar a Paraíba e se transferir para São Paulo, ainda houve tempo para a magistrada bloquear R$ 300 mil em bens da ex-prefeita de Cajazeiras(PB), Denise Albuquerque, acusada de improbidade administrativa.

Como se vê, é melhor que os responsáveis pela nossa Prefeitura coloquem as barbas de molho, pois a juíza não costuma dar moleza para políticos.

GOVERNO BOLSONARO AUTORIZA COMPANHIA TEATRAL DE JALES A OBTER R$ 675 MIL ATRAVÉS DA LEI ROUANET

Uma portaria da Secretaria Nacional de Fomento e Incentivo à Cultura, publicada no Diário Oficial da União desta quinta-feira, 21, autoriza uma companhia teatral de Jales – a Manoel de Matos Consultoria e Treinamento Ltda – a arrecadar até R$ 675.069,86, através da Lei 8.313/91, para realização de uma turnê.

Segundo a portaria, a turnê irá apresentar o espetáculo “Chico Santo e a Vaca Estrela”, um monólogo que retrata a rotina de um pequeno produtor de leite.

A Lei 8.313/91, sancionada pelo presidente Fernando Collor, em 1991, recebeu o nome oficial de Lei Federal de Incentivo à Cultura, mas é chamada pelos mais íntimos de LEI ROUANET. O apelido é originário do nome do secretário de Cultura à época, Sérgio Paulo Rouanet. Como se vê, a Lei Rouanet não foi uma invenção do PT e tampouco foi revogada pelo governo Bolsonaro.

Eu não devia, mas me sinto na obrigação de dar uma explicação aos bolsominions ignorantes – perdoem-me a redundância –  que frequentam o blog: a portaria não significa que o governo Bolsonaro vai repassar R$ 675 mil para que o artista jalesense apresente o seu monólogo.

Significa que a companhia teatral poderá dar seus pulos para conseguir doações de empresas e pessoas físicas – até o limite de R$ 675 mil – as quais poderão descontar de seus respectivos impostos de renda o valor eventualmente doado. Empresas podem doar até 4% do valor devido ao imposto de renda. E as pessoas físicas podem doar até 6%.

EPIDEMIOLOGISTA LAMENTA A MORTE DO PAI POR COVID: “ELE PREFERIA ACREDITAR NO WHATSAPP”

Na formatura, Maria Cristina dançou com o pai. A notícia é do G1:

Desde os primeiros casos confirmados do novo coronavírus no país, no fim de fevereiro de 2020, a enfermeira e epidemiologista Maria Cristina Willemann tem alertado os moradores de Santa Catarina sobre a importância de adotar medidas para conter a propagação do vírus.

(…) Em 10 de agosto, por exemplo, Maria Cristina fez um alerta sobre o avanço do novo coronavírus em Santa Catarina em uma reportagem do Jornal Hoje, da Rede Globo. 

“É importante que a população entenda que nós ainda estamos em franca expansão da pandemia em nosso Estado e é preciso tomar cuidado. Não frequentem locais que não estejam adequados. Não frequentem locais onde pode haver qualquer aglomeração de pessoas”, disse em entrevista ao telejornal.

No dia seguinte ao alerta dado no telejornal, a profissional de saúde vivenciou as consequências da Covid-19 em sua própria família: o pai dela, o aposentado Cesar Willemann, de 65 anos, foi internado em estado grave com a doença. Dias depois, ele morreu.

Maria Cristina acredita que notícias negacionistas sobre o novo coronavírus, compartilhadas massivamente no WhatsApp e nas redes sociais, fizeram com que o pai duvidasse dos riscos da Covid-19.

“Ele recebia as informações falsas, como sobre a cloroquina, pelo WhatsApp, que era o meio de comunicação que ele mais usava. Por mais que dissessem na televisão que não tinha evidência científica sobre a cloroquina, ele preferia acreditar no WhatsApp”.

Segundo a epidemiologista, o aposentado não se considerava um fiel seguidor do presidente. “Mas como a maioria da população, o meu pai acreditava nele (Bolsonaro). Ele via as coisas que o presidente falava em defesa da cloroquina e acreditava”, diz.

Para ampla maioria dos especialistas, Bolsonaro atrapalhou o combate à pandemia. Desde os primeiros casos no país, o presidente mostrou-se contrário às medidas recomendadas por especialistas para conter a propagação do coronavírus. Por diversas vezes, ele criticou o isolamento social, atacou o uso de máscaras e desdenhou da CoronaVac, que nesta semana se tornou a primeira vacina a ser aplicada no país.

CHANCELER VENEZUELANO TIRA SARRO DE BOLSONARO

Retaliado pela China, sacaneado pela Índia, isolado pelos EUA. E agora gozado pelos venezuelanos. Deu no UOL:

O Ministro das Relações Exteriores da Venezuela, Jorge Arreaza, compartilhou na noite em suas redes sociais uma charge ironizando a crise de falta de oxigênio nos hospitais do Amazonas.

A imagem publicada pelo chanceler venezuelano mostra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) segurando uma arma enquanto recebe oxigênio do presidente da Venezuela, Nicolás Maduro. A publicação ainda traz a frase “cada um dá o que tem”.

“Melhor explicado impossível. Lições de humanidade”, escreveu Arreaza na legenda.

ESPECIALISTA EM CHINA ASSEGURA: GOVERNO CHINÊS ESTÁ RETALIANDO AGRESSÕES DE BOLSONARO

Aquela parte da imprensa que vive grudada nas bolas do Bolsonaro está tentando nos convencer de que a demora da China para liberar os insumos das vacinas é apenas uma questão burocrática. Mas há controvérsias.

Deu no Brasil 247:

É ingenuidade pensar que a demora da China na liberação da matéria-prima para produção das vacinas no Brasil é algo burocrático, considera o professor do Inper, Roberto Dumas, especialista em economia chinesa. Segundo ele, em reportagem concedida ao jornal O Globo, pode ser uma forma de retaliação do governo chinês às agressões do presidente Bolsonaro, dos filhos e de membros do governo.

“O Brasil passou 365 dias de 2020 xingando a China de forma gratuita nas redes sociais. O governo chinês não gosta de receber críticas nem domésticas nem internacionais. Quando a China quer retaliar de alguma forma, não vai falar claramente, e sim tornar a vida bem mais difícil. E a interpretação das leis permitem isso”, apontou o especialista. 

As acusações do governo contra China foram severas. O deputado Eduardo Bolsonaro, que indiretamente atua no Itamaraty, disse recentemente que o Partido Comunista Chinês estaria praticando espionagem através da Huawei. Além, disso, o governo usou várias vezes o tom xenófobo ao se referir à China.

Segundo o especialista, mesmo que o governo brasileiro tenha certeza de que é uma retaliação, o melhor agora é manter o silêncio e não dar declarações polêmicas. A necessidade é de um reposicionamento estratégico. 

“Na filosofia chinesa, com as declarações, o Brasil fez os chineses ‘perderem a face’. Agora, o que os chineses querem é uma desculpa. O Brasil precisa entregar a face”, avalia ele. 

IMUNIZAÇÃO DE PROFISSIONAIS DA SAÚDE ABRE CAMPANHA DE VACINAÇÃO CONTRA A COVID EM JALES

Da Secretaria Municipal de Comunicação:

A tarde desta quarta-feira (20) vai ficar marcada na história de Jales e na carteira de vacinação de três profissionais da saúde que atuam na linha de frente no combate à Covid-19.

Os três trabalhadores da saúde foram os primeiros moradores de Jales a receberem a vacina contra o coronavírus. O ato simbólico, realizado na sede da Secretaria Municipal de Saúde, registrou o início da Campanha de Vacinação na cidade.

O município recebeu 920 doses do imunizante. A primeira remessa da vacina chegou no início desta tarde e foi recebida pela equipe do Grupo de Vigilância Epidemiológica Estadual (GVE) e Secretaria Municipal de Saúde de Jales.

Três doses foram retiradas das caixas para utilização no ato de abertura da Campanha de Vacinação. Foram vacinados a enfermeira Sueli da Silva (ESF Luiz Ernesto Sandi Mori), o enfermeiro Luiz Fernando Bertoldo (Santa Casa) e o técnico em enfermagem Pedro Arthur dos Santos (SAMU). Eles foram escolhidos por fazerem parte da linha de frente no combate à doença e também em função do tempo de serviço de cada um e na representatividade de seus colegas de profissão.

O secretário de Saúde, Dr. Alexis Shiguero Kitayama, saudou as autoridades presentes e ressaltou que “hoje é um dia histórico, muito esperado por todos. Enfrentamos essa pandemia com limitações de ir e vir, de abraçar e muitas outras, mas, hoje, chegou a esperança”.

Emocionados, os três profissionais vacinados falaram sobre este importante momento para suas vidas. “Diante de tanto sofrimento, angústias, lutas, a vacina é uma esperança”, relatou Sueli. Pedro, que há 34 anos trabalha na área da saúde, falou da surpresa de ter sido um dos escolhidos. “Essa é uma vacina muito esperada porque a gente sai de casa para enfrentar a linha de frente da Covid e sabe do perigo que corremos. Realmente essa vacina nos trouxe esperança”.

Luis Fernando Bertoldo, que  trabalha há dez anos na Santa Casa, agradeceu a oportunidade de ter sido um dos selecionados e “representar todos os meus amigos profissionais de saúde que enfrentam diariamente esta batalha. Se Deus quiser vamos vencer”. Todos foram vacinados pela enfermeira Renata Rachieli, responsável pelo setor de imunização.

A vice-prefeita Marynilda Cavenaghi, antes de falar sobre a importância do início da Campanha de Vacinação, pediu uma salva de palmas em homenagem aos profissionais da saúde. “Estava aqui quando as vacinas chegaram, foi um momento de muita emoção, de mistura de sentimentos, de sorrisos e choros. Jales está pronta para iniciar essa imunização que entra para nossa história, proporcionando esperança a todos. Que Deus dê forças para vocês, profissionais da saúde, continuarem este trabalho fundamental para salvar vidas”.

Cumprindo os protocolos de prevenção ao coronavírus, um grupo restrito formado por autoridades municipais e estaduais, além de gestores hospitalares, profissionais da saúde e imprensa,  acompanhou a aplicação das vacinas.

UM VÍDEO ESCLARECEDOR

Tudo indica que muitos brasileiros ficarão sem vacina até o final deste ano. Jales, por exemplo, recebeu apenas 920 unidades da Coronavac, o que, considerando que cada pessoa terá que receber duas doses, será suficiente para vacinar 460 profissionais da saúde, ou 18% dos que atuam em Jales. 

Pois bem, o vídeo abaixo explica por que o Brasil está encontrando dificuldades para conseguir vacinas e insumos. O vídeo tem 13:30 minutos e começa com uma fala de quase 4 minutos do desbocado Ciro Gomes, mas tem outras coisas interessantes. 

Se você é bolsonarista, é melhor não ver. Para quem não é, vale a pena conferir. É só clicar aqui.

 

VACINAS CHEGAM A JALES E SAÚDE PRETENDE INICIAR VACINAÇÃO AINDA HOJE

A Secretaria Municipal de Saúde recebeu, por volta das 15:00 horas desta quarta-feira, a primeira remessa de vacinas contra a covid – a Coronavac – para iniciar a vacinação em Jales.

Segundo informou a enfermeira Renata Rachielli, responsável pelo setor de vacinação da Secretaria, Jales recebeu 920 unidades, que já foram devidamente acondicionadas em refrigeradores, como mostra a foto acima, em que aparecem o secretário de Saúde, Alex Kitayama, e o presidente do Conselho de Saúde, José Célio Martini.

Renata esclareceu que as vacinas serão insuficientes para vacinar todos os profissionais da saúde da cidade – que são cerca de 2.500 – de forma que serão priorizados os profissionais que estejam atuando na linha de frente do combate à covid.

“Eu quero pedir a compreensão da população, principalmente aqueles que seriam vacinados na primeira fase da imunização – profissionais de saúde, idosos acima de 75 anos e indígenas – porque neste primeiro momento não será possível vacinar a todos. Nós vamos seguir as orientações que estão chegando da Diretoria Regional de Saúde e vacinar apenas os profissionais da linha de frente”, explicou Renata.

A enfermeira confirmou, também, que a vacinação deverá começar ainda nesta quarta-feira.

1 2 3 11