DEU NA FOLHA NOROESTE DE HOJE

No jornal Folha Noroeste, edição digital deste sábado, a principal manchete diz que a “Prefeitura devolverá ao Estado, a responsabilidade de custear as despesas de alunos da rede estadual”. Na matéria, a municipalidade justifica a decisão de romper convênios com o governo estadual afirmando que, “segundo dados da Secretaria Municipal de Educação, o motivo da não renovação do convênio se deve principalmente à histórica insuficiência de recursos repassados pelo Estado ao Município para cobrir os gastos com a alimentação e o transporte escolar dos alunos do Estado”. De acordo com o prefeito, a refeição diária de cada aluno matriculado nas escolas estaduais custa R$ 4,47 e a Prefeitura recebe apenas R$ 1,50 por refeição para ajudar nas despesas.

O jornal está destacando também a chegada de uma nova remessa de vacinas contra a covid-19. Na manhã de quarta-feira, 27, o município de Jales recebeu 710 doses da Fiocruz (Oxford/AstraZeneca) para continuidade da vacinação de grupos prioritários, que começou no dia 20 de janeiro com as 920 primeiras vacinas da Coronavac, disponibilizadas pelo Ministério da Saúde. De acordo com a enfermeira da Vigilância Epidemiológica, responsável pela vacinação, Renata Forti Rachieli, até a tarde de terça-feira (26), 647 profissionais da saúde que trabalham na linha de frente contra o Coronavírus já tinham sido vacinados em Jales.

Na coluna FolhaGeral, o palestrino redator-chefe Roberto Carvalho, que não dorme há três dias por conta da final da Libertadores, comenta os rumores que surgiram nos botequins da cidade, sobre supostos fura-filas na vacinação da covid em Jales. Pessoas não prioritárias teriam recebido a primeira dose da vacina, o que está sendo investigado pela PF de Jales, diz o colunista. Roberto comentou, também, a nomeação do delegado de polícia aposentado Altair Ramos Leon, para o cargo de diretor de Mobilidade Urbana da Secretaria de Desenvolvimento Urbano, que cuida das coisas do trânsito. Segundo o colunista, o doutor Altair é “a pessoa certa no cargo certo”.

1 comentário

  • Anônimo

    No jornal, caderno “da redação” consta:

    A Prefeitura de Jales tem agora um projeto de arborização para a cidade. Já começou pelas praças e está chegando às ilhas das avenidas com poucas arvores. O projeto prevê o plantio de árvores frutíferas de variadas espécies.

    É muito boa a atitude da secretária municipal de Agricultura, Abastecimento e Meio Ambiente – Sandra Gigante –, pois além de sombra, as árvores vão fornecer frutas para gente e bichos. Mas há uma pergunta: os frutos não colhidos poderão ocasionar sujeira e proliferar pragas?

    Os analistas lá do botequim da vila observaram: “Sempre há solução. Em Belém do Pará, há mangueiras na arborização urbana. Aqui, o projeto deve ter sua cartilha para distribuir responsabilidade a todos: órgãos públicos e privados, profissionais qualificados e cidadãos”.

    Servidores da limpeza da cidade fizeram uma roçada dentro do leito no esgoto a céu aberto na Avenida Maria Jalles. Deixaram galhos e capim cortado na calçada, no trecho entre a Rua das Palmeiras e a Rua 10. Podiam ter triturado e destinado a adubo orgânico.

    Das duas anotações, uma conclusão: É PRECISO APRIMORAMENTO DA MÃO-DE-OBRA dos Executores de serviços públicos. Estudar o assunto a ser executado é sempre uma ótima saída.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *