Arquivos mensais: Março 2012

CÉLIO BAIÃO SE RECUPERA DE CIRURGIA

O amigo Célio Baião passou por maus bocados, mas, segundo sua esposa, Marli Samartino – que aparece ao lado dele, em foto registrada durante uma das reuniões do Senadinho – está se recuperando bem da cirurgia de urgência a que foi submetido na segunda-feira.

Por enquanto, Célio ainda está no isolamento da Santa Casa de Jales, esperando a cicatrização do corte, e não pode receber visitas. De acordo com a Marli, o Célio correu risco de vida, mas a pior fase já passou e ele está até com saudade do computador, de onde costuma disparar e-mails para os amigos.

Enquanto se recupera, o Célio já se prepara para enfrentar outra prova de fogo: ele tem uma cirurgia agendada para o dia 18 de maio, no Hospital de Câncer, em Barretos. Os amigos – que são muitos – vão estar na torcida para que o Célio supere logo a fase complicada que está vivendo.

CONSELHO TUTELAR SE MUDA PARA A AVENIDA JÂNIO QUADROS

Os jornais do final de semana e os sites de notícias estão noticiando a “inauguração” das novas instalações do Conselho Tutelar de Jales. O Conselho, que funcionava na Rua Treze, perto da E.E. Euphly Jalles, agora está localizado na Avenida Jânio Quadros, em uma das casas do conjunto que já foi chamado de “Ninho dos Tucanos”.

A nova sede do Conselho Tutelar foi inaugurada ontem, sexta-feira, de manhã, com a presença ilustre do premiado estadista. Diz o release distribuído pela assessoria de imprensa da Prefeitura, que o Conselho Tutelar de Jales, fundado em 1991, foi o primeiro do estado de São Paulo e o segundo do Brasil.

A nota da Prefeitura não diz, mas o Conselho Tutelar de Jales foi idealizado pelo falecido médico Masaru Kitayama e já teve sete eleições para escolha dos seus conselheiros (1992, 1995, 1998, 2001, 2004, 2007 e 2010). O delegado aposentado, Milton Birolli Gonzales foi o conselheiro mais votado na história do Conselho. Ele participou da primeira eleição, em 1992, e obteve 1.382 votos. 

Em 2007, o professor Paulo César Turazza, o famoso Ziquinho, chegou perto do recorde de Birolli, alcançando 1.289 votos. Na última eleição, o mais votado foi o radialista e ex-vereador Wilson de Souza Negrão, o Flumenal, com 813 votos. O Conselho – que é presidido, atualmente, pelo comerciante Célio Santo Martins – já teve conselheiros ilustres, como o vereador Claudir Aranda, e folclóricos, como o professor Antonio Valentim Baldan.

NA TRIBUNA DE DOMINGO: MORADORES ACIONAM PREFEITURA NA JUSTIÇA POR CONTA DE ACIDENTES

No jornal A Tribuna desse final de semana, a história de três moradores que recorreram à Justiça para receber indenizações da Prefeitura de Jales, por conta de acidentes nas ruas da cidade. Num desses acidentes, uma ambulância do município atropelou o poste que, há vinte e cinco anos, está fincado bem no meio da Rua Bom Pastor, na Vila Talma.

O acidente causou problemas à coluna cervical do senhor Oscar Carvalho Selis, que perdeu parte dos movimentos. Em primeira instância, nossa Prefeitura foi condenada ao pagamento de R$ 40 mil, a título de indenização. Os outros dois casos estão em A Tribuna, desse domingo. 

EMPRESAS DE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO NÃO QUEREM VENDER PARA A PREFEITURA DE JALES

Depois dizem que sou implicante, mas vejam a quantas anda o prestígio da nossa Prefeitura. O Diário Oficial de hoje traz a publicação da abertura de uma nova licitação para aquisição de materiais de construção. Até aí, nada de mais. Agora, o detalhe: essa é a quinta – eu disse quinta – vez que a nossa Prefeitura vai tentar adquirir os materiais.

Nas quatro vezes anteriores, nenhuma empresa de Jales interessou-se em vender para a Prefeitura. Tudo começou em setembro de 2011, quando Parini publicou o primeiro Pregão. Os recursos, é bom que se esclareça, virão do FEHIDRO, conforme convênio assinado em 2010, no valor de R$ 163 mil, para construção de fossas sépticas na zona rural.

Ainda no ano passado, em novembro, a Prefeitura repetiu o Pregão para tentar adquirir os materiais. Ninguém se interessou. Em dezembro, a mesma coisa. Em fevereiro deste ano, novo fracasso. O quinto Pregão está previsto para o dia 19 de abril. Será que aparecerá alguma empresa interessada?

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL ESTÁ NA COLA DA DEMOP

Alguma coisa estranha anda acontecendo! Um dia desses, um amigo que presta serviços  em prefeituras da região me confidenciou que alguns prefeitos estão recebendo correspondências onde são solicitadas informações sobre a participação da Demop Ltda, de Votuporanga, em licitações. A Demop, vocês sabem, é parceira do prefeito Humberto Parini para assuntos relativos a asfalto.

E ontem, o Diário Oficial do Estado trouxe uma publicação interessante. Confiram:

INTERESSADO: THIAGO LACERDA NOBRE – PROCURADOR DA REPÚBLICA EM JALES

ASSUNTO: SOLICITA INFORMAÇÕES SOBRE A EXISTÊNCIA DE JULGADOS DAS EMPRESAS DEMOP PARTICIPAÇÕES LTDA E SCAMATTI E SELLER INFRA ESTRUTURA LTDA.

Por sinal, a Scamatti & Seller Infraestrutura Ltda – que é uma empresa-irmã da Demop – foi a vencedora da última licitação aberta pela Prefeitura de Jales, para recapeamento de algumas ruas do Jardim Morumbi e do Jardim do Bosque.

INSCRIÇÕES PARA CONCURSO DA PREFEITURA COMEÇAM NA SEGUNDA-FEIRA

A Prefeitura de Jales já publicou os editais do concurso público e do processo seletivo para preenchimento de vagas em alguns cargos da administração pública. As inscrições começarão a ser recebidas nessa segunda-feira, 02/04, e vão até o dia 10/04. No entanto, em virtude dos feriados da semana santa, os candidatos terão apenas cinco dias para fazer suas inscrições, no horário de expediente da Prefeitura.

As inscrições do concurso custarão R$ 50,00 para os cargos de nível médio e R$ 80,00 para os cargos de nível superior. Já as inscrições do processo seletivo para contratação de agentes de endemias ficarão mais em conta: R$ 40,00 . As provas serão realizadas no dia 22 de abril.

O edital completo do concurso público pode ser visto aqui, enquanto o edital do processo seletivo pode ser acessado aqui. As informações completas estão nos editais. Abaixo, um resumo dos cargos, vagas e salários, lembrando que o salário-base de todos os cargos está sendo reajustado em 8%.

Vagas Cargos Vencimentos
05 Técnico em enfermagem 767,08 + 277,80
07 Técnico em farmácia 767,08
01 Fonoaudiólogo 998,87 + 551,81
02 Gestor Público Educacional 1.176,42 + 833,72
05 Professor Educação Musical 1.427,44
12 Agentes de Endemias 534,05 + 90,00

 

 

 

 

 

À PROCURA DE VOTOS

A desculpa oficial é de que a Câmara não comportaria o evento, já que foram emitidos 1.400 convites. Mas, não é improvável que a diretoria do Sindicato dos Servidores tenha marcado a assembléia desta sexta-feira para o Teatro, para não dar muita colher de chá ao presidente da Câmara, Luiz Henrique Viotto, o Macetão. Afinal, os holofotes deveriam ficar focados no candidato oficial, Luís Especiato, que, qualquer criança sabia, chegaria em meio ao evento com as boas novas.

Na Câmara, Macetão sentar-se-ia em sua cadeira presidencial e, provavelmente, até faria discurso. No Teatro, ele teve que ficar na platéia, batendo palmas, como mostra a foto. Mesmo assim, o presidente da Câmara aproveitou-se do evento para fazer o seu marketing pessoal. Ele foi o primeiro vereador a chegar ao Teatro, e, segundo consta, teria distribuído  sorrisos, beijos e abraços aos montes. 

Quem também esteve por lá foi o vereador Osmar Rezende, mas, compromissos como professor o tiraram do Teatro, antes mesmo de a assembléia começar. Já a vereadora Tatinha chegou atrasada e saiu antes de a reunião terminar. Os demais vereadores não deram o ar de suas graças.

TEATRO REVIVE ENCENAÇÃO DE PARINI E SERVIDORES APROVAM 8% DE REAJUSTE

Mudaram alguns personagens, mas o roteiro foi o mesmo de sempre. Dessa vez, pelo menos, escolheu-se um local mais adequado a encenações do tipo: o nosso Teatro Municipal. Desde sempre, sabia-se que o prefeito Humberto Parini repetiria o script de anos anteriores, enquanto o público – no caso, os servidores – mesmo já sabendo qual seria o final, fingiria surpresa e satisfação.

De diferente mesmo, só alguns atores. Antigamente, o próprio prefeito fazia questão de interpretar o papel de mocinho. Agora, visto que é preciso dar visibilidade ao seu candidato, ele entregou o papel de herói ao vereador Especiato. Em meio à peça mal ensaiada, coube ao veterano ator Chico Melfi irromper o palco para interpretar o papel de mensageiro do rei. Fê-lo com a competência de sempre.

Com ares circunspectos, ele empostou a voz para anunciar que – graças à providencial intervenção de Especiato, o novo mocinho – o rei assentiu em conceder aos seus colaboradores, um naco a mais dos dinheiros arrecadados à guisa de impostos. Especiato, o pré-candidato, chegou junto com Chico, mas, como nunca se sabe o que pode sobrevir da lei eleitoral,  achou prudente não subir ao palco. Ele preferiu cumprir sua parte na encenação, distribuindo sorrisos e apertos de mão, em meio ao público.

Foi assim a tarde/noite de sexta-feira no Teatro Municipal. Parini, atendendo a um “apelo do vereador Especiato”, elevou sua proposta de reajuste, de 5,41% para 8%. E a platéia, ou melhor, os servidores, que já conheciam o enredo, aprovaram. Ainda bem que não se cobrou ingresso!         

SINDICATO DOS SERVIDORES PROMOVE ASSEMBLÉIA, HOJE, PARA AVALIAR PROPOSTA DE REAJUSTE DE 5,41%

Os servidores municipais estão sendo convocados para uma assembléia geral, às 17:30 horas desta sexta-feira, no Teatro Municipal. Mais de 1.400 convites foram expedidos, segundo o presidente José Luiz Francisco. Sabe-se que o Sindicato vem tentando negociar com o prefeito, há muito tempo, mas ele adiou as discussões até onde pôde, com o claro objetivo de não proporcionar muito tempo para os servidores se organizarem.

Aliás, sempre que postamos alguma notícia sobre a atuação do Sindicato dos Servidores Municipais, surgem críticas ao órgão, a maioria vinda de comentaristas anônimos. Pessoalmente, penso que os servidores, aos invés de ficarem atribuindo culpas exclusivas ao Sindicato, deveriam se questionar sobre a atuação deles mesmos.

No ano passado, por exemplo, o Sindicato realizou uma assembléia na Câmara, antes de aceitar o reajuste proposto pelo prefeito. Pouquíssimos servidores compareceram e, entre os que estiveram por lá, a maioria era formada por aposentados. Que eu me lembre, não havia um único profissional da Educação naquela assembléia. Natural, pois os profissionais da Educação estão no topo da pirâmide salarial, então, quem está mais embaixo que se vire.

Mas e os servidores da Saúde, onde estavam? Afinal, a Saúde é um dos setores da Prefeitura onde acontecem os maiores descalabros salariais. Os agentes, por exemplo, ganham o menor salário base da Prefeitura, coisa de R$ 535,00. E os servidores dos demais setores, por onde andavam que não compareceram?

Hoje, novamente, os servidores estão sendo convocados para uma assembléia, onde será analisada a proposta de reajuste oferecida pelo prefeito, de 5,41%. Aqueles que reclamam do Sindicato deveriam ir até lá. Somente assim, fortalecendo o Sindicato, é que a categoria vai se fortalecer e conseguir um salário digno para a maioria. Depois, não adianta reclamar.   

OPERADORES DO RADAR CONTINUAM SENDO AMEAÇADOS, SEGUNDO LEITOR

Recebi, ontem, um e-mail sobre o radar móvel que, por interessante, reproduzo abaixo:

“Cardosinho, ontem à noite passei pelo radar, em frente ao Posto Espacial, e os operadores do aparelho estavam criticando a administraçao por não pagar horas extras e nem adicional noturno por operar o radar naquele horário. E vi, também, um veículo tentando atingir um dos operadores do radar. Espero que tomem providências, obrigado.”

Eu também passei pelo local, na quarta-feira à noite, e vi os dois  operadores atrás daquela engenhoca, sem segurança alguma e totalmente expostos à ira de algum motorista mais exaltado. Claro que isso não vai terminar bem.

E hoje, no Antena Ligada, o João Luiz Garcia criticou mais uma vez o tipo de radar implantado pela administração municipal, que expõe os operadores a constrangimentos. O comentarista demonstrou, no entanto,  estar mal informado sobre o aluguel do radar móvel, que vai nos custar R$ 76,9 mil, por dez meses. Ora bolas,  o aluguel do radar já foi amplamente  noticiado pelo jornal A Tribuna. É nisso que dá ficar lendo só os jornais simpáticos à administração.   

Quanto às criticas pelo não pagamento de horas extras e adicional noturno, se isso for verdade, os dois servidores deveriam simplesmente  procurar os órgãos de defesa dos seus direitos, ao invés de ficar reclamando. Prá isso existe Sindicato, Ministério Público, Câmara, etc.

1 2 3 14