EIS O QUINTAL DA PREFEITURA

OU… DE COMO A ADMINISTRAÇÃO PARINI DÁ BONS EXEMPLOS

De vez em quando, ouço pessoas reclamando da limpeza da cidade, principalmente, das calçadas e terrenos vagos, invadidos pelo mato. É natural que as pessoas reclamem, afinal, elas pagam impostos e têm o direito de exigir que a administração municipal preste bons serviços. Por outro lado, vejo o pessoal da equipe de combate à dengue – sob o comando do vice-prefeito Clóvis Viola – se esforçando prá não deixar que o Aedes Aegypti prolifere e faça aumentar os casos da doença em Jales. Muitas vezes, vi o próprio Clóvis – um batalhador – pedindo que a população colabore, limpando seus terrenos e eliminando os pontos que possam favorecer a procriação do mosquito da dengue.

Pois então, dê uma olhada na foto aí de cima e na outra mais abaixo. Pode acreditar, você está vendo o almoxarifado da Prefeitura. Máquinas e caminhões que estão parados há muito tempo, alguns com o capô aberto, deixados à própria sorte e passando a impressão de que estamos diante de um cemitério de sucatas totalmente imprestáveis. Pior ainda: abandonados em meio a um matagal que não poderia jamais estar ali.

E agora a pergunta que você também deve estar se fazendo: como é que nós podemos esperar que uma administração mantenha a cidade limpa, se ela não consegue manter limpo nem o próprio quintal? O que esperar de uma administração que deixa caminhões e máquinas – patrimônios públicos, adquiridos com dinheiro de impostos – abandonados como sucata, para, depois, leiloá-los a preços de bananas? Melhor não esperar muita coisa!

E não se deixe enganar, meu prezado leitor. Sempre que situações como essa são expostas, o prefeito Humberto Parini procura se eximir de culpa. Apesar de centralizador e inoperante, ele nunca se acha culpado de nada. Posso assegurar, no entanto, que a responsabilidade por coisas escabrosas como essa que estamos mostrando, não pode ser atribuída apenas aos funcionários, pois eles trabalham de acordo com as condições e as ferramentas que lhes são oferecidas. E, na administração Parini, o almoxarifado sempre foi tratado como um setor sem importância nenhuma.

2 comentários

  • Carioca

    E que eu saiba, o almoxarifado tem responsável. Um carnha baixinho de cavanhaque e que tem estreitos vínculos com o prefeito.
    Que não é você, claro.

  • Preclaro Alexandre,baixinho de cavanhanque, tudo bem! Agora quanto aos vínculos, eles já não são mais tão estreitos assim. E prá falar a verdade, o personagem a quem você está se referindo também já foi muito mais próximo ao prefeito. Pelo que sei, se dependesse do alcaide, ele também já estaria fora da Prefeitura. O último boato é que o prefeito faria uma troca, já que não consegue se livrar dele: o personagem em questão iria prá agricultura e o cunhado do prefeito para o almoxarifado. Uma bela troca, você não acha?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *