ACORDO QUE TRANSFERE PRÉDIO DA ADERJ PARA O MUNICÍPIO DEPENDE DE EX-FUNCIONÁRIOS DA ENTIDADE

Há um ano, foi anunciado um possível acordo entre a Prefeitura e a Associação dos Deficientes Físicos da Região de Jales (Aderj), que possibilitaria ao município receber o imóvel onde está localizada a sede da entidade, no Jardim do Bosque.

O imóvel seria transferido para a municipalidade em troca de algumas dívidas da Aderj com os cofres públicos, mas, de outro lado, a Prefeitura teria de assumir dívidas trabalhistas que a entidade tem com cerca de 10 ex-funcionários. Transcorrido um ano, o acordo ainda não foi fechado.

O presidente da Aderj, Anísio Martins Moreira Filho, o Anisinho confirmou que “já estava tudo acertado, mas a Prefeitura pediu um prazo de 20 dias para pagar as dívidas que nós temos com alguns ex-funcionários e depois disso não falou mais nada e nem compareceu na audiência marcada pela Justiça do Trabalho para assinatura do acordo”.

Segundo Anisinho, a Aderj estaria até abrindo mão de alguns direitos, para fechar logo o acordo. “Quando nós fizemos esse prédio, a intenção era beneficiar a população. Então, se ele ficar com a Prefeitura vai, de certa forma, ser utilizado em benefício da população”, ressaltou.

Ele explicou que a entidade continua na ativa, embora o prédio tenha sido desativado. O presidente disse que vem pagando do próprio bolso as despesas com água, energia, alarme, etc, e confirmou que o prédio já foi alvo de ladrões e vândalos. “Roubaram um ar condicionado e botaram fogo em um coqueiro. Tivemos que acionar o Corpo de Bombeiros para que o fogo não chegasse ao prédio”.

Por seu turno, o prefeito Flá Prandi explicou que o acordo não foi fechado anteriormente porque a Prefeitura não dispunha dos R$ 400 mil que teria de pagar aos ex-funcionários da Aderj. “Nós vamos propor um pagamento parcelado aos ex-funcionários da Aderj. Se eles toparem receber seus direitos trabalhistas em parcelas, o acordo será assinado e o prédio da Aderj passa para a Prefeitura”.

O prefeito até já faz planos de como utilizar o imóvel. “A ideia é levar para lá a Secretaria da Educação. E como nós estamos iniciando a construção de um posto de saúde no terreno onde ficam os ônibus da Educação, poderemos levar esses veículos para o imóvel da Aderj, que é bastante espaçoso”, concluiu o prefeito. 

2 comentários

  • Santos

    Seria ótimo a Secretaria da Educação nesse local.Em especial para os ônibus inclusive para manutenções, Agora pagar indenizações trabalhista de funcionários da Aderj, sei não em… Há uma pergunta o que diz estatuto da Aderj em caso de extinção etc…

  • Cidadão:

    Mas tem gente já vendendo esse terreno como se fosse seu: 1005928-04.2017.8.26.0297

    Dá uma olhada lá Cardoso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *