ALUNOS DE MEDICINA VÃO AO MPF DE JALES COM NOVA DENÚNCIA CONTRA UNIVERSIDADE BRASIL DE FERNANDÓPOLIS

A cada dia, novas revelações. A notícia é do site Região Noroeste:

Um grupo de alunos do curso de Medicina na Universidade Brasil esteve na quinta-feira, dia 19, no Ministério Público Federal de Jales, reforçando denúncia contra a Universidade Brasil de Fernandópolis, onde cerca de 110 alunos, aprovados no processo seletivo de transferência realizado no dia 20 de julho, foram proibidos de assistirem as aulas.

Esses alunos já pagaram mensalidades, análises e até matrícula, levando prejuízo enorme, enquanto outros 100 que foram aprovados na segunda chamada, assistem aulas normalmente. A Universidade chegou a emitir quatro boletos para esses alunos de primeira chamada, nos valores de R$ 8 mil e R$ 9 mil reais, incluindo as mensalidades do mês de agosto e setembro.

O grupo pediu ajuda ao MPF para resolver essa situação, já que esses alunos não fazem parte do esquema de compra de vagas e fraudes no Fies e ProUni, que está sendo investigado pela Polícia Federal.

A Universidade está sendo acusada, agora, de facilitar a análise de documentos dos alunos em segunda chamada e dificultar o primeiro grupo aprovado no processo seletivo de julho.

Outros alunos que representam um grupo de cerca de 50 estudantes de medicina, estiveram pessoalmente na Polícia Federal de Jales, e foram orientados pelo delegado a procurar o MPF.

“A PF nos passou que não está impedindo a faculdade de realizar análises, e que isso é crime e o MEC precisa ser notificado, por isso fomos orientados a procurar o MPF”, disse um aluno.

2 comentários

  • rapizodia

    Acho que para esta universidade o fundo do poço só está começando. Tenho um parente lá e vou conversar com ele para que, se puder, transferir seu curso para outra universidade. Esta gente é uma quadrilha e acho que de agora em diante só tende a piorar, é um barco em um redemoinho e vão querer esfolar os alunos que não tem nada com isso. Há muito que a justiça brasileira não está nem ai para quem será afetado, nem tão pouco o MEC que deixou que isso acontecesse. É só lembrar dos trabalhadores e pequenas empresas afetadas pela lava jato. A PF só quer os holofotes e não coordena suas ações junto com o MPF para salvaguardar inocentes que possam ser atingidos em suas ações, neste caso, os alunos e funcionários. A PF, MPF e MEC deveriam atuar juntos e este último nomeado já um interventor que coordenaria os cursos e transferências de alunos para outras universidade, já que se trata de serviço concedido e autorizado pelo Estado e as pessoas de boa fé, sejam alunos ou trabalhadores agiram inocentes.

  • rapizodia

    Em tempo! Alguns de vocês que me leem, já devem ter visto meus comentários sobre o nosso ministro da educação, pois bem, esta situação já vinha acontecendo nesta universidade, mas de maneira bem velada, assim como em todas as demais Brasil afora, só que sob esta administração desse sujeito no MEC, parece que resolveram arrombar a porta ou chutar a porteira, virou uma coisa de louco, não há qualquer cuidado com a educação, é só lançamento de programa mirabolante, perseguição e nenhuma administração educacional, o cara não entende nada de educação e só se preocupa em seguir as ordens do Paulo Guedes que está pouco se lixando para o problema educacional. Os senhores que votaram nessa trupe familiar insana e que, junto com este ministro medíocre, estão levando a cabo a destruição do Brasil, tenham ao menos a hombridade agora de reclamar e chamar a atenção para colocar ordem nesse desvario, assim como fizeram ao vestir camisetas da CBF e fazerem suas carreatas contra os governos anteriores. Nunca tinha visto o MEC em situação tão degradante, é o apocalipse da educação no Brasil!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *