JORNAL DE JALES: TCU APROVA RENOVAÇÃO DA CONCESSÃO DE FERROVIA E PONTILHÕES DE JALES PODEM SAIR DO PAPEL EM 2020

Eis a capa do Jornal de Jales deste domingo, gentilmente enviada pelo velho “Brasa”. A manchete principal, como se vê, destaca a decisão da juíza Maria Paula Branquinho Pini, que condenou o Banco Santander a indenizar o Instituto Municipal de Previdência. A matéria explica que a juíza acolheu os termos da ação proposta pelo advogado da autarquia, condenando o banco por danos materiais, sendo R$ 49,3 mil de danos emergentes e outros R$ 46,1 mil de lucros cessantes. Segundo o advogado concursado do IMPSJ, Igor Santos Pimentel, que foi ouvido pelo jornal na manhã de sexta-feira, 29, “fez-se justiça”.

Destaque, igualmente, para o julgamento do Tribunal de Contas da União (TCU), que autorizou a renovação, por mais trinta anos, da concessão da malha ferroviária paulista à empresa Rumo. O jornal lembra que, em setembro, o prefeito Flá esteve em Brasília participando de painel técnico do TCU, quando, falando em nome de 127 prefeitos paulistas vinculados à AMA, defendeu a prorrogação antecipada da concessão. Na quarta-feira, 27, Flá voltou a Brasília, acompanhado do prefeito de Rio Preto, Edinho Araújo, para assistir o julgamento. A Rumo estava esperando a aprovação da prorrogação para fazer investimentos em melhorias na malha, o que inclui a construção de dois viadutos sobre a linha férrea em Jales.

A inauguração em Jales, pelo empresário Clayton Chaves, de um frigorífico de miúdos que exporta seus produtos para a China; a palestra realizada pela Associação dos Engenheiros da Região de Jales (AERJ) sobre as vantagens de quem sabe gerenciar o tempo; a nova fase da ampliada clínica da médica nutróloga Eliane Cervantes; o pedido de socorro de entidades jalesenses, depois que o governo federal cortou os minguados recursos que repassava a elas; e uma matéria especial com alguns torcedores flamenguistas que moram em Jales, são outros assuntos do JJ.

Na coluna Fique Sabendo, o jornalista Deonel Rosa Júnior comenta o destaque obtido pelo professor Eduardo Britto em matéria de meia página na edição de segunda-feira, 25, do jornal Estadão. Eduardo, que foi secretário de Planejamento no governo do ex-prefeito Parini e, atualmente, ministra aulas de Geografia no Colégio Objetivo, em São Paulo, foi ouvido pelo Estadão em matéria sobre o vestibular da Fuvest. O professor, que é titular de uma coluna semanal do JJ, sobre vestibulares, chamou a atenção para o uso, pela primeira vez, do uso de cores na prova. Ele explicou que, “para a Geografia, o recurso foi maravilhoso porque permite explorar a interpretação, por exemplo, em mapas e gráficos”.       

3 comentários

  • É melhor ter um pássaro nas mãos do que 2 voando!

    O prefeito apostará na construção de 2 viadutos e na reforma da praça principal — para se reeleger na próxima eleição. Pois está com a sua imagem desgastada devido ao roubo da Érica, Zona Azul, aumento de IPTU e outros.
    Pediu e ganhou, através do MDB, muito dinheiro do governo pois com R$ 1,2 milhões, ele terá que fazer uma bela reforma na praça central. Alem da Rumo que terá que construir os 2 viadutos.
    Mesmo com o aumento de impostos, a prefeitura parece que continua sem dinheiro. Muita gente pendurada na prefeitura com estabilidade de emprego.
    Com essas obras, ele espera ganhar a eleição mas eu acho que ele queria mesmo era o emprego de deputado.

  • Sem Projetos

    Cardoso, você saberia informar quando foi que a prefeitura assinou o seu último convênio como governo federal?
    Não falo sobre emendas não. Convênios.

  • Sem Projetos

    O jornal do tio do prefeito dá a entender que a renovação foi autorizada graças ao discurso do prefeito, mas não é verdade. Nem houve autorização de construção muito menos o prefeito conseguiu NADA pra Jales.
    A autorização quem dá é o governo federal e vale para TODOS os municípios. Jales não terá vantagem alguma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *