JUSTIÇA SUSPENDE REABERTURA DO COMÉRCIO DE DUQUE DE CAXIAS, QUE TEM QUASE 200 ÓBITOS PELA COVID-19

A cidade de Duque de Caxias foi a última a adotar o isolamento social no Rio de Janeiro e quer ser a primeira a permitir a reabertura do comércio. Atualmente, é a quarta em número de casos positivos (1.184) e a segunda em número de óbitos (182) no estado.

O prefeito de Duque de Caxias dizia que a melhor de combater o coronavírus seria a fé, mas, quando ele foi acometido pela doença, não ficou em fazendo orações por sua cura. Preferiu correr para um hospital particular da capital, um dos mais caros do Rio de Janeiro. Agora que está imunizado, ele quer expor a população.

A notícia é do jornal carioca Extra:

A Justiça determinou, nesta segunda-feira, que a prefeitura de Duque de Caxias suspenda as medidas de reabertura do comércio que foram adotadas pelo município. Conforme a ação civil ajuizada pela Defensoria Pública estadual, a cidade deve cumprir ações de isolamento e distanciamento social necessárias ao enfrentamento da Covid-19, sob pena de multa diária de R$ 10 mil a ser imposta ao prefeito Washington Reis.

A prefeitura ainda não informou se vai recorrer dessa decisão.

A determinação foi concedida pela juíza Elizabeth Maria Saad, da 3ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ). O texto condiciona a manutenção do decreto a apresentação de um “laudo técnico favorável ao abrandamento das medidas de isolamento social”.

Ainda segundo o texto, Caxias deve promover, imediatamente, campanhas de informação a respeito de formas de transmissão e prevenção da doença. O comércio tinha reaberto após um novo protocolo durante a pandemia. Em entrevista ao jornal “Bom Dia Rio”, da TV Globo, Washington Reis assumiu que a responsabilidade por essa flexibilização será sua, caso aumente o número de casos.

“A responsabilidade é toda minha como prefeito. Também tenho responsabilidade com a arrecadação, que caiu pela metade. Se em junho eu não tiver arrecadação para pagar os médicos, não vamos ter médico. Estou fazendo com muita responsabilidade. A população está consciente, os comerciantes estão conscientes. O comerciante que não colaborar será lacrado e perderá o alvará. Chamamos as pessoas à responsabilidade”, argumentou o prefeito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *