PATROA TARADONA FOGE COM GAROTO DE 15 ANOS

O caso aconteceu em Olímpia, terra do Deonel e do anestesista Carlos Humberto, o Carlão. E deu no site de notícias VotuporangaTudo:

Ifolha
25/02/2011

Uma mulher cujas iniciais seriam J.P, de 26 anos de idade, que seria casada com um comerciante local, está sendo acusada de ter fugido com funcionário, de inicial G., que tem apenas 15 anos de idade. De acordo com a polícia, junto com o marido, ela seria proprietária de uma lanchonete localizada na avenida Dr. Andrade e Silva, centro de Olímpia.

Por isso, a mãe do menor, C, de 34 anos de idade, que reside no Jardim Santa Fé, zona leste da cidade, registrou um boletim de ocorrência policial no 1.º Distrito Policial (DP) de Olímpia, para apurar possível indução à fuga, entrega arbitrária ou sonegação de incapazes. A mulher pode ser enquadrada no artigo 248 do Código Penal.

Segundo o boletim de ocorrência número 86, registrado no final da manhã da quarta-feira, dia 23, às 11h28, o menino teria saído de sua casa por volta das 7 horas para ir à escola e, até então, ainda não havia retornado para casa. Consta que ele saiu carregando apenas seus documentos pessoais.

Ifolha
25/02/2011

Uma mulher casada, cujas iniciais seriam J.P, de 26 anos de idade, que seria casada com um comerciante local, está sendo acusada de ter fugido com funcionário, de inicial G., que tem apenas 15 anos de idade. De acordo com a polícia, junto com o marido, ela seria proprietária de uma lanchonete localizada na avenida Dr. Andrade e Silva, centro de Olímpia.

Por isso, a mãe do menor, C, de 34 anos de idade, que reside no Jardim Santa Fé, zona leste da cidade, registrou um boletim de ocorrência policial no 1.º Distrito Policial (DP) de Olímpia, para apurar possível indução à fuga, entrega arbitrária ou sonegação de incapazes. A mulher pode ser enquadrada no artigo 248 do Código Penal.

Segundo o boletim de ocorrência número 86, registrado no final da manhã da quarta-feira, dia 23, às 11h28, o menino teria saído de sua casa por volta das 7 horas para ir à escola e, até então, ainda não havia retornado para casa. Consta que ele saiu carregando apenas seus documentos pessoais.

Segundo consta no boletim de ocorrência, o menino trabalha na lanchonete há cerca de um ano e meio, da qual J. seria a proprietária. A acusada teria começado a assediar o funcionário, durante o período em que seu marido esteve preso na Polícia Federal.

A mãe relatou no DP, que soube que o filho teria fugido com a patroa quando recebeu uma mensagem por volta das 16h20, que teria sido enviada de um telefone da cidade de Frutal, Estado de Minas Gerais.

Na mensagem, o filho dizia para não se preocupar porque estava bem e, inclusive, que não colocasse a polícia e nem ninguém atrás deles. Teria pedido também, que a mãe mandasse sua transferência da escola onde estuda, para um endereço que ele passaria, assim que arrumassem um lugar fixo para ficarem.

Horas depois, por volta das 19h30, o filho teria voltado a ligar, consta que ainda de Frutal, dizendo a mesma coisa e acrescentando que tem medo de vir embora com receio do que lhe possa ocorrer.

Consta que pelo DDD dos telefones, a mãe verificou que os números das linhas eram de Frutal, Estado de Minas Gerais, para onde se dirigiu na noite de terça-feira, 22, na tentativa de localizar seu filho, mas não obteve êxito.

Consta também que a mãe de J. teria informado que fez um empréstimo para a filha de aproximadamente R$ 9 mil, entregando-lhe o dinheiro. Já a mãe do adolescente teria informado que os dois teriam fugido em uma motocicleta, Honda CG 125 de cor preta. Entretanto, afirma que seu filho não sabe dirigir nenhum veículo automotor, mesmo uma motocicleta.

Também consta no registro policial, que um funcionário da Lanchonete, M., cuja idade não consta no boletim, teria afirmado que G. teria dito a ele que os dois pretendiam fugir para Fortaleza.

A mãe afirma saber que M. ainda mantém contato com os dois e que poderia prestar mais informações.

Ainda consta que a mãe relatou que no domingo, dia 20, J. teria chegado em sua casa com as malas com a finalidade de morar com o menino, situação que não foi aceita por ela, que, inclusive, teria sido obrigada a chamar a polícia para que J. fosse embora.

1 comentário

  • Renato César Pereira

    Velhas Virgens
    agora que você tá saciado
    a libido tá descansando
    esta pensando com mais clareza

    foi muito bom, muito legal
    você e ela quantas loucuras
    fantasias satisfeitas

    melhor parar por aqui
    pague o taxi e siga seu caminho
    e não esqueça do conselho do magrão

    quem dá ajuda é pai
    quem faz caridade é monge
    não se meta a levá-la pra casa
    toda puta mora longe
    toda puta mora longe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *