PROJETO DE LEI QUER ACABAR COM O LAUDÊMIO EM PETRÓPOLIS

Acho que esse vereador só está querendo fazer barulho, mas, de qualquer forma, fiquemos atentos ao caso. Aqui em Jales, o laudêmio é pago à família Jalles, por quem transaciona imóveis no centro da cidade e nos bairros Vila Inês e Santo Expedito. 

Só lembrando que nós temos a Vila Inês e a Vila Santa Inês, que são separadas pela Rua Nova Iorque. Na Santa Inês não tem o laudêmio. Mas, vamos à notícia é do UOL:

Um projeto de lei quer acabar com uma taxa até hoje paga por quem vende um imóvel no centro da cidade de Petrópolis, na região serrana do Rio de Janeiro, a herdeiros da antiga família real.

Petrópolis, também conhecida como cidade imperial, era o refúgio dos membros da monarquia brasileira durante o verão.

O pagamento do chamado laudêmio (2,5% sobre o preço de mercado do imóvel) tem de ser feito à vista à Companhia Imobiliária de Petrópolis, entidade administrada pelos descendentes de Dom Pedro 2º. Caso contrário, o comprador – quem, na prática, acaba desembolsando o valor – não recebe a escritura.

Opositores da taxa afirmam que o laudêmio eleva o preço dos imóveis e afasta investimentos da cidade. Ironicamente, a taxa é conhecida na cidade como “imposto do príncipe”.

No ano passado, segundo um representante dos herdeiros, as receitas provenientes do laudêmio totalizaram R$ 4 milhões, divididos entre cerca de dez integrantes da antiga família real.

O vereador Anderson Juliano, do PT, quer acabar com o benefício centenário. Antes dele, outros já tentaram suprimir a taxa, mas não obtiveram sucesso.

Agora, o projeto de lei que propõe o fim do laudêmio real aguarda votação na Comissão de Constituição e Justiça, em Brasília.

A notícia completa, inclusive com um vídeo da BBC, pode ser vista aqui.

1 comentário

  • regina murad

    Este laudêmio é um roubo! Até q. geracão desses príncipes”” teremos q. sustentar? Até nos morros, onde moram pessoas muito carentes o laudêmio é cobrado. Isto é indignante! Este vereador deveria convocar toda a populacão de Petrópolis p/ ir às ruas PROTESTAR contra este” assalto à mão armada”Chega de exploracão!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *