FLÁVIO VENTURINI E LUIZA POSSI – “BEIJA-FLOR”

Se tivesse feito apenas as melodias de “Todo Azul do Mar” e “Espanhola“, Flávio Venturini já mereceria um lugar no panteão dos grandes compositores brasileiros. Mas ele fez mais que isso: “Nascente“, “Princesa“, “Linda Juventude“, “Uma Velha Canção Rock’n’Roll“, entre outras.

Nascido em 1949, a música entrou definitivamente em sua vida aos cinco anos, quando ganhou um acordeon do pai. Antes dos vinte, ainda nos anos 60, a música já tinha virado profissão. Nos anos 70, ele participou de festivais, gravou – por indicação de Milton Nascimento – com Sá & Guarabira, fez parte do grupo O Terço e fundou a banda 14 Bis, com a qual gravou vários discos.

Em 1982, paralelamente ao seu trabalho com o 14 Bis, iniciou sua carreira solo, gravando nesse ano o LP “Nascente” e, três anos depois, o LP “O Andarilho“. Em 1989, desligou-se do 14 Bis, e continuou sua carreira solo.

Sua obra como compositor foi registrada por diversos artistas, como Leila Pinheiro, Jane Duboc, Emílio Santiago, Simone, Milton Nascimento, Nana Caymmi, Beto Guedes e Peter Gabriel, entre outros.

Uma de suas composições mais recentes, “Céu de Santo Amaro“, foi composta em parceria com Caetano Veloso e… Johann Sebastian Bach. Isso mesmo, “Céu de Santo Amaro” não foi inspirada na cidade natal de Caetano, mas na “Arioso Cantata 156“, do genial Bach. Composta há mais de 200 anos, a música de Bach (se tiver tempo, ouça aqui), caiu como uma luva na letra proposta por Caetano e Venturini.

No vídeo abaixo, uma das canções de Flávio Venturini de que mais gosto: “Beija-Flor”, parceria com o letrista Ronaldo Bastos, interpretada em duo com Luiza Possi, luxuosamente acompanhados pela guitarra e o backing vocal do talentoso Kadu Viana. Confiram:

 

3 comentários

  • Eu sempre achei que os grupos ”14 Bis” e ”A cor do som”,com a mistura de rock e MPB,serviram de base pra grande explosão do rock-brazuca-oitentista.

  • Quanto ao vídeo em questão,apesar da minha preferência por vozes femininas,o falsete de Flávio Venturini encaixou melhor na música do que a voz da filha de Zizi Possi (na mina opinião).

  • Quanto a canção ”Céu de Santo Amaro”,o dueto de Flávio Venturini e Caetano Veloso é um dos momentos mais bonitos da nossa música – E por incrível que pareça,o Jessé quando assinava Tony Stevens fez uma versão em inglês dessa música ( If you could remenber ),bem no estilo agridoce da época.Muita gente ouviu aquela gravação (inclusive eu) sem saber que era o Jessé e sem sonhar que a original era um clássico da chamada música de concerto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *