TOM JOBIM, CHICO BUARQUE E TELMA COSTA – “EU TE AMO”

Na semana passada, por conta do “Dia dos Namorados” que ocorreria na terça-feira, 12, postei aqui no blog um vídeo de “A Noite do Meu Bem”, que é tida como a nossa música mais romântica.

Nos comentários, o amigo Ademar Amâncio, de Populina, lembrou que o tema do amor-romântico é o mais visitado na música de todo o planeta e, por conta disso, muitas vezes predominam os versos clichês, nos quais a dupla Sullivan & Massadas são expoentes.

O Ademar citou, em contrapartida, uma música – “Eu Te Amo”, parceria do Chico Buarque com o Tom Jobim – que trata do assunto (o amor, ou, no caso, o desamor) com versos nada clichês, muito pelo contrário.

Composta em 1980 para a trilha de um filme, “Eu Te Amo” fala da dor de uma separação com imagens líricas e versos inusitados. Chico começa dizendo à pessoa amada que “ao te conhecer dei pra sonhar, fiz tantos desvarios; rompi com o mundo, queimei meus navios”. Depois de dizer isso, ele pergunta inconformado “me diz pra onde é que ainda posso ir?”.

Gênio, Chico – que estará completando 74 anos na terça-feira, 19 – não escreve nada por acaso. O verso “queimei meus navios”, por exemplo, faz referência à impossibilidade de voltar atrás, baseado na história de Francisco Pizarro, conquistador do Peru, que costumava atear fogo às próprias embarcações para evitar que seus soldados fugissem.

“Eu Te Amo” não está entre as músicas mais populares do Chico, mas é, sem dúvida, uma das mais bonitas. Há alguns anos, o jornal gaúcho Zero Hora pediu a 10 jornalistas e críticos musicais que fizessem suas listas com as dez melhores canções do Chico. “Eu Te Amo”, incluída em seis listas, foi a segunda mais citada. A primeira foi “Construção”, com sete citações

No vídeo abaixo, gravado em 1984, Chico e Telma Costa – acompanhados pelo maestro Tom Jobim – interpretam “Eu Te Amo”. Telma Costa, a moça lá de cima, morreu prematuramente em 1989, dez dias antes de completar 36 anos e cinco anos depois de gravar seu único disco. Ela foi encontrada morta em um quarto de hotel e, segundo o laudo médico, teria sido fulminada por um ataque cardíaco.

 

2 comentários

  • Em um dos primeiros LPs que eu comprei ,havia justamente esse dueto de Chico Buarque e Telma Costa – Cantora de certa forma inexpressiva,cantava direitinho,mas falta a grande chama e o carisma das grandes estrelas.Se o compositor tivesse gravado com uma grande diva da MPB,a música teria uma dimensão mais popular,e popular no bom sentido.

  • Em ”Eu te Amo” ,Tom Jobim e Chico Buarque dão uma aula de como se fazer uma canção desesperadamente romântica sem lugar-comum.A parte harmônica eu deixo para os entendidos,a letra do Chico é uma sucessão de imagens poéticas inspiradíssima.A dependência do ser amado é tanta que lá pelas tantas o eu lírico diz ”Se nas travessuras das noites eternas,já confundimos as nossas pernas,me diz com que pernas eu devo seguir”.

    Sim,é possível amar sem ser cafona.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *