A VIDA DEPOIS DO PODER

Vida de ex-prefeito não é fácil!  Por isso, vou me permitir dar um conselho às amigas que visitam este blog. Se o seu marido estiver com sérias intenções de se candidatar a um cargo de prefeito, seja lá onde for, use toda a sua autoridade e tire, urgentemente, essa tresloucada idéia da cabeça dele.

O poder é gostoso, mas também é muito perigoso, principalmente quando o sujeito não sabe lidar com ele. Alguns políticos acham que ele dura prá sempre, mas o poder, invariavelmente, um dia chega ao fim e, por outro lado, os problemas permanecem. E aparecem as ingratidões:  aquelas empresas amigas que ofereciam facilidades e, eventualmente, ajudavam a pagar os advogados do poderoso da vez, são as primeiras a desaparecer. Os “amigos” de ocasião, esses vão-se embora antes mesmo de o prefeito virar ex. E até uma ou outra namoradinha – quanta ingratidão! – também já não vai sentir aquela mesma atração de antes.   

Mas nem todo mundo desaparece, muito pelo contrário: sobram os promotores públicos e os oficiais de justiça, aparece a depressão, a gastrite  e, nos casos mais graves, até uma impotência sexual. E com o desaparecimento das empresas amigas, sobram também os advogados pro ex-poderoso pagar e, se os advogados não derem conta do caso, sempre sobra alguma devolução de dinheiro ao erário público. 

Vejam, por exemplo, o caso do ex-prefeito de Mirassol, Edilson Garcia. Ele ficou apenas oito meses no poder, mas foi tempo suficiente prá arrumar dor-de-cabeça pro resto de sua existência. Na semana passada, o juiz da 1ª Vara Cível de Mirassol, Marcelo Haggi Andreotti, julgou procedente uma Ação Civil Pública, impetrada pela Prefeitura de lá, e condenou o ex-prefeito, entre outras coisas, à devolução de cerca de R$ 220 mil aos cofres públicos, além de multa. O ex-prefeito tem direito a recurso, mas isso não sai barato.

Como se vê, a vida depois do poder não é nada fácil.

DESTAQUES DOS JORNAIS

Estas foram as manchetes dos jornais locais, neste final de semana:

Folha Noroeste: “Justiça condena ex-prefeito Joaquim a devolver valores pagos em aluguéis”

Folha Regional: “Santa Casa de Jales inaugura nova UTI Geral”

Jornal de Jales: “Promotor pede a cassação do prefeito de Dirce Reis”

A Tribuna: “Falta de internista impede funcionamento”

A manchete de A Tribuna faz referência à nova UTI Geral da Santa Casa de Jales. Segundo o jornal, apesar de inaugurada com uma prestigiada cerimônia, no último sábado, ela ainda não tem data para começar a funcionar. Um entrave entre médicos – que querem um internista para fazer a triagem dos pacientes – e a Provedoria, que alega não ter dinheiro para contratar o profissional, ainda impedia que os pacientes da antiga UTI fossem transferidos para a nova. Outras manchetes de A Tribuna: “Júlio semeghini diz que duplicação não está garantida” e “Incêndio destrói casa no São Judas”. Em sua coluna de bastidores, Enfoque, o jornalista Paulo Aruca cita a atuação dos blogs mantidos na internet por ex-parceiros do prefeito Parini  e, de outro lado, critica o silêncio da oposição em relação ao governo petista de Jales.

O Jornal de Jales deu destaque para o caso de Dirce Reis e diz que o vereador José Guilherme está requerendo uma sessão extraordinária da Câmara para votar o afastamento imediato do prefeito Cridão. O jornal também destaca a inauguração da nova sede da Procuradoria da República, em Jales, que agora passa a funcionar na Rua 15. O JJ também repercutiu palavras do secretário de Gestão do Estado, Júlio Semeghini, com a manchete “Duplicação da Euclides da Cunha patina, reconhece Semeghini”. Na coluna Fique Sabendo, o jornalista Deonel Rosa Júnior falou sobre as entrelinhas do discurso do provedor Garça, durante a inauguração da nova UTI da Santa Casa. Segundo Deonel, Garça mencionou a parceria entre ele e o prefeito Humberto Parini e teria aproveitado o discurso para “criticar os fuxiqueiros que vivem tentando jogar um contra o outro”.

A Folha Noroeste destacou a sentença publicada no final de dezembro de 2010, onde a juíza de Direito, Marina de Almeida Gama, da Vara Única de Urânia, julgou procedente uma Ação Civil Pública proposta contra o ex-prefeito Joaquim Pires da Silva. Segundo a Ação proposta, o ex-prefeito contratou o aluguel de um prédio para o Conselho Tutelar do município, mas teria dado utilização diversa e inadequada ao imóvel. Boa parte da edição da Folha Noroeste pode ser lida no blog do jornal, cujo link está aí do lado direito.

EMPREGOS: JALES É A ÚNICA CIDADE DA REGIÃO COM RESULTADO NEGATIVO

O Ministério do Trabalho e Emprego divulgou, nessa semana, os números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados-CAGED, relativos ao ano de 2010. O resultado demonstra que o número de vagas formais – empregos com carteira assinada – evoluiu em três das quatro principais cidades da região, na comparação entre 2009 e 2010. Votuporanga, Fernandópolis e Santa Fé do Sul apresentaram crescimento no número de carteiras assinadas. Somente em Jales, verificou-se uma diminuição nos empregos formais, em 2010, comparando-se com 2009.

Votuporanga foi uma das cidades da região em que o emprego cresceu. Conforme post anterior, o prefeito Júnior Marão está comemorando o crescimento recorde de 73%, ou seja, Votuporanga criou 1.853 novas vagas em 2010, enquanto, em 2009, haviam sido criadas 1.072. Mas foi Fernandópolis quem apresentou, em termos de percentual, o resultado mais expressivo da região. Foram criados 1.590 novos empregos, em 2010, enquanto em 2009, haviam sido criados apenas 365. Um crescimento, portanto de 335%.

Em Santa Fé do Sul, o crescimento bateu em 29%. A cidade criou 381 empregos em 2010, contra os 295 criados em 2009. Até Palmeira D’Oeste, apresentou resultado melhor que Jales. Em números absolutos, foram 40 novas vagas em 2010, mas, na comparação com 2009, quando foram criados apenas 07 novos empregos, Palmeira D’Oeste apresenta um crescimento superior a 400%.

E agora, os números de Jales: em 2009, o saldo foi de 373 novas carteiras assinadas. Em 2010, esse número caiu prá 367, significando um resultado negativo de quase 2%. Vejam bem, resultado negativo, enquanto a geração de empregos, em 2010, cresceu em toda a região, bateu recorde no Brasil, com crescimento de 153%, e no Estado de São Paulo, com saldo positivo de 161%.

A abertura de novos empregos, normalmente, não acontece por acaso. Na maioria das vezes, é fruto do esforço da administração municipal, bem como dos incentivos que os prefeitos se dispõem a conceder àquelas empresas que queiram se instalar em seus respectivos municípios. O resultado negativo de Jales nada mais é do que o resultado da falta de uma política de incentivo à instalação de novas indústrias e, pior ainda, o resultado da falta de empenho de uma administração incompetente e voltada apenas para o próprio umbigo.

VOTUPORANGA COMEMORA RECORDE NA GERAÇÃO DE EMPREGOS

Votuporanga comemora novo recorde na geração de empregos, atingindo o melhor índice de sua história. O anúncio foi feito pelo prefeito Junior Marão no final da tarde desta sexta-feira. “Foi o maior saldo e a maior variação de empregos em Votuporanga nos últimos tempos, desde que os números oficiais passaram a ser divulgados pelo CAGED, Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, órgão do Ministério do Trabalho e Emprego”, comemora Marão, assinalando que “em 2010 tivemos o maior crescimento já verificado, superando a todos os municípios de igual porte, atingindo 1.853 novas vagas no mercado formal”, diz Marão.

Os números foram apresentados ao prefeito pelo secretário do Desenvolvimento Econômico Diogo Mendes Vicentini. “Em 2010, os setores de serviços e indústria tiveram o melhor desempenho na geração de vagas formais, juntos criaram 1.136 empregos, o que equivale a mais de 60% do total de novos postos no município”, continua o prefeito. “Outros detalhes interessantes foram a participação do comércio, que formalizou 480 novas vagas, a comprovação de que o mercado da construção civil está em alta, com mais de 300 novos trabalhadores, além do enxugamento da máquina pública, que teve redução de 61 vagas no mesmo período”, revela Marão.

Por seu turno, o secretário do Desenvolvimento Urbano, Diogo Mendes Vicentini acrescenta que, segundo os números do Caged, Votuporanga conta hoje com mais de 20 mil trabalhadores no mercado formal. O gráfico divulgado pelo Caged destaca ainda que a evolução do emprego por setor de atividade econômica de Votuporanga passou de 1072, em 2009, para 1853, em 2010, um crescimento de 73%.

SHAOLIN TEVE PEQUENA MELHORA, DIZ MULHER DO COMEDIANTE

Humorista continua sedado na UTI do Hospital das Clínicas

Com informações do R7 – Record Notícias

A mulher do humorista Shaolin, Maria Laudicéia dos Santos, disse ontem, sábado (22) que o artista apresentou uma pequena melhora em seu estado de saúde. Ele continua internado em estado grave na UTI (Unidade de Terapia Intensiva), do Hospital das Clínicas, e não há previsão de alta.

Ainda segundo a mulher, Shaolin permanece sedado para preservar as condições cerebrais dele. De acordo com os médicos, nos próximos dias, a quantidade de sedativos que o artista recebe será diminuída aos poucos. Na noite de sexta-feira (21), foi realizada uma cirurgia para inserção de um cateter que diminui a pressão dentro do crânio de Shaolin. 

O comediante da TV Record deu entrada no pronto-socorro do HC na madrugada de sexta-feira, após ter passado por cirurgias em um hospital da Paraíba para conter um traumatismo craniano e uma fratura exposta no membro superior esquerdo.

No HC, ele está sob cuidados de uma equipe multidisciplinar, com médicos especializados em cirurgia de trauma, neurocirurgia, ortopedia e medicina intensiva.

GAL COSTA DEIXA TWITTER DEPOIS DE ATACAR “PREGUIÇA BAIANA”

Deu no Terra Magazine:

A cantora baiana Gal Costa já arrebatou mais de 39 mil seguidores no Twitter, mas anunciou que vai deixar o microblog, depois de chamar os baianos de “preguiçosos” e ofender muitos dos fãs que a acompanhavam.  Gal reclamou da dor de cabeça de um técnico de ar condicionado. “Como na Bahia as pessoas são preguiçosas! Técnico do ar-condicionado não pode terminar o trabalho pq está com dor de cabeça. Essa é a Bahia!!!”, tuitou. E seguiu-se uma série de ataques à reclamação considerada preconceituosa.

Logo apareceram vários críticos que chamaram a atitude de “racista”. A discussão foi longe até que a baiana sentenciou: “Tomei a decisão de ficar distante do twitter porque não aguento a intolerância das pessoas e a grosseria”. Ela se queixou do jornal baiano “Correio”, que fez uma reportagem sobre o desabafo de Gal, que atualmente reside em Salvador.

Gal defendeu-se em posts seguintes: “@CarolFelidae – ñ é racismo meu filho, é REALIDADE!!!!”. “Tem gente mais preguiçosa em cidades q tem mar”, teorizou a cantora, ressaltando que também morou 23 anos no Rio de Janeiro e tem autoridade para falar.

As críticas às tuitadas não cessaram e ela protestou: “Gente, chega! Acabou o assunto da preguiça. Ñ se pode falar nada aqui q tudo vira polemica. Sou baiana e falo pq posso. Vou sair. Tchau.”  Apesar das pedradas, surgiu o movimento “#ficagalcosta”, para que ela volte a tuitar.

(Cláudio Leal e Dayanne Souza, Terra Magazine)

Os baianos que se entendam, mas, cá entre nós, a Gal tem razão quanto à intolerância. A preguiça dos baianos é algo que já virou folclore, muita gente faz piadas sobre ela, então por que essa conversa de racismo e preconceito? Talvez por isso mesmo é que a Gal não gosta muito de falar. Ela prefere cantar. E faz isso divinamente e, às vezes, maravilhosamente preguiçosa.

You need to a flashplayer enabled browser to view this YouTube video

HOMEM CAI EM BURACO E FICA EM ESTADO GRAVE

O problema dos buracos parece que é geral. Um dia desses, noticiamos que um caminhão caiu em um buraco, em Votuporanga. Aqui em Jales, o caso mais grave talvez tenha sido de uma amiga, a Fernanda, que, há alguns dias, torceu o tornozelo ao enfiar o pé em um buraco do asfalto. O caso da manchete acima aconteceu em São José do Rio Preto e foi noticiado pelo DiárioWeb, neste sábado:

(por Augusto Fiorin)

Está internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Austa, em Rio Preto, o comerciante A.P.S., 39 anos. Ele sofreu traumatismo craniano ao cair com sua bicicleta, às 22 horas de ontem, em uma cratera na Rua Benedito Sufredini, no bairro São Deocleciano.

O estado de saúde do paciente é considerado gravíssimo. Segundo boletim de ocorrência registrado no Plantão Policial, com a queda, a vítima teria batido fortemente a cabeça, provocando a lesão. O frentista S.O.S., que trabalhava em um posto de combustíveis próximo ao local, viu o acidente e acionou o Resgate do Corpo de Bombeiros, que levou A.P.S. ao Austa.

A bicicleta ficou destruída. De acordo com a assessoria de imprensa da Prefeitura, uma equipe da Secretaria de Serviços Gerais já esteve no local para verificar o buraco e tomar providências. Foi registrado boletim de ocorrência e o caso será investigado pelo 3. Distrito Policial.

O curioso nessas histórias é que sempre tem um frentista por perto prá acionar o Corpo de Bombeiros ou o SAMU. No caso acima, as iniciais do nome do frentista – S.O.S. – veio bem a calhar.

JALES: UMA ADMINISTRAÇÃO ANESTESIADA

O atento companheiro Murilo Pohl repercutiu em seu blog uma matéria que está na Folha Noroeste, edição de hoje. Diz a manchete que “Saracuza assina convênios que totalizam R$ 1,4 milhão“. Na matéria – ilustrada com a foto ao lado, onde aparece também o gerente da Caixa Federal, filial de Jales, João Carlos Dácia – está sendo dito que o prefeito de Urânia, Francisco Airton Saracuza(PP), assinou nove (09) convênios com o governo federal, totalizando o valor citado na manchete.

Claro que o Murilo – e eu também – ao destacar essa matéria, não o faz apenas porque tenha algum apreço pela ordeira população de Urânia. Nós o estamos fazendo, pelo que nela está implícito. Afinal de contas, vocês já leram em algum dos jornais da nossa cidade, neste começo de ano, ao menos uma noticiazinha onde o prefeito Humberto Parini apareça assinando convênios? Claro que não leram! Até onde se sabe, a recém-instalada secretaria de Comunicação não conseguiu produzir nenhuma notícia sobre isso, muito provavelmente,  porque não foi assinado nenhum convênio mesmo. A Comunicação, já dissemos, é importante, mas ela sozinha não faz milagres.

Em um post anterior, falamos de Fernandópolis que, neste início de ano, já assinou vários convênios, totalizando pouco mais de R$ 13 milhões. Agora é Urânia quem está nos deixando prá trás nesse quesito. Querem outro exemplo da pasmaceira em que vive a administração municipal? O jornal Folha Regional, que publica os atos oficiais da maioria dos municípios da região, trouxe em sua edição deste final de semana, apenas quatro (04) publicações da Prefeitura de Jales, o mesmo número, por exemplo, das publicações da Prefeitura de Dirce Reis

A matéria completa da Folha Noroeste pode ser lida no Blog do Murilo.

RUA CARLOS DRUMOND DE ANDRADE

“No meio do caminho tinha uma pedra
tinha uma pedra no meio do caminho
tinha uma pedra
no meio do caminho tinha uma pedra …”

(Carlos Drumond de Andrade)

Se, ao invés de ficar ouvindo conversa de bêbados na praia de Copacabana, resolvesse andar pelas ruas do Jardim Arapuã, aqui em Jales, principalmente, pela rua que leva o seu nome, certamente que o poeta Carlos Drumond de Andrade encontraria muito mais do que uma pedra no meio do caminho. Encontraria várias pedras, buracos e costelas dos mais variados tamanhos e matizes.

Os moradores da Rua Carlos Drumond de Andrade já não sabem mais o que fazer. Um deles, o Onivaldo, me disse que se mudou para Jales há apenas dois anos, mas que, nesse período, já viu seus vizinhos organizar dois abaixo-assinados, sem, no entanto, conseguir sensibilizar o prefeito Humberto Parini. Onivaldo e os outros vizinhos não entendem porque a rua onde moram está tão esquecida. “Nós pagamos impostos como todos os outros cidadãos. Já falamos com vereadores, mas ninguém conseguiu convencer o prefeito.  A Prefeitura andou recapeando aquela avenida ali prá baixo. Por que não trouxe o recape até aqui?“, pergunta ele.

As fotos abaixo demonstram que Onivaldo tem motivos para estar descontente com a administração, mas mesmo assim ele consegue manter o bom humor: “passar de carro pela nossa rua, é só prá quem não tem problemas de coluna“, diz ele. Onivaldo faz bem em manter-se bem humorado. Afinal, como diria Drumond, ser feliz sem motivo é a mais autêntica forma de felicidade.

1 1.355 1.356 1.357 1.358 1.359 1.369