JORNAL DE JALES: BX EVENTOS SERÁ PARCEIRA DE EXPOSIÇÃO EM BARRA DO GARÇAS-MT

DSC03351 (2)O Jornal de Jales chegou às bancas e aos assinantes, neste domingo, trazendo como principal assunto a possibilidade de os pequenos hospitais da região serem utilizados para o tratamento de dependentes químicos. Reunião nesse sentido foi realizada durante a semana, com a participação do Consirj-Consórcio Intermunicipal de Saúde, do Ministério Público e do deputado Carlão Pignatari.

Em outra manchete, o jornal destaca que os Lancheiros da Praça do Jacaré estão pedindo tratamento justo, caso a prefeita Nice decida levar adiante o projeto que visa instalar um “lanchódromo” em outro local público.

Destaque também para a preocupação do vereador Luís Rosalino(PT), que está criticando a falta de coordenador no Polo da UAB. Para ele, a prefeita Nice precisa nomear, urgentemente, um novo coordenador, sob pena de, em caso contrário, colocar em risco o funcionamento do Polo.

Na coluna Fique Sabendo, o jornalista Deonel Rosa Júnior informa que a empresa BX-Eventos, do Osvaldo Costa Júnior, o Bexiga, está prestando assessoria às festas de Urânia e Rio Verde-GO. Além disso, a BX Eventos vai ser parceira da Expo Leste, de Barra do Garças, que, segundo o JJ é a maior exposição agropecuária daquela região do Mato Grosso. 

4 comentários

  • anonimo

    Projeto quer que vereadores ‘batam ponto’ em dias de sessões, em GO
    Parlamentares poderão ter salários cortados se faltarem, em Goiânia.
    Pela proposta, presença deverá ser registrada por meio das digitais.
    Do G1 GO, com informações da TV Anhanguera

    5 comentários

    Um projeto de lei quer obrigar vereadores de Goiânia a permanecerem no plenário da Câmara.O texto, de autoria do vereador Paulo Magalhães, propõe a aplicação de ponto eletrônico. Pela proposta, que pode ser votada na próxima semana, os parlamentares deveriam registrar a presença de forma biométrica nas sessões ordinárias na Casa.
    No caso dos vereadores de Goiânia, é exigida a presença na Câmara pelo menos três vezes por semana – às terças, quartas e quintas-feiras -, durante as sessões de três horas, entre as 9h e 12h. Pelo regimento da Casa, descontando os recessos, seriam no mínimo, 180 sessões por ano. Mas em 2012, 42 não foram realizadas porque não havia a quantidade mínima de vereadores presentes. Em 16 delas os parlamentares sequer apareceram no plenário.
    saiba mais
    Três municípios terão novas eleições para prefeito e vice-prefeito em Goiás
    Após polêmica, presidente promete reduzir supersalários da Assembleia
    Justiça de Goiás veta 14º e 15º salários para deputados estaduais
    População critica aumento de 63% no salário de vereadores, em Goiás
    Ex-prefeito gasta dinheiro público em funeral do antecessor, diz promotora
    Na Câmara Municipal há um aparelho na mesa de cada vereador para registrar a presença dele no plenário. Mesmo eletrônico, o sistema não garante que o parlamentar tenha participado da sessão, pois o registro é feito apenas na entrada e a saída não é marcada.
    Caso seja aprovado, o novo projeto deixará o sistema mais rígido. Com a digital, cada parlamentar deverá registrar a presença três vezes durante a sessão: no início, no meio e no fim. O que garantirá a que os vereadores trabalhem, pelo menos, nove horas por semana de frequência.
    O presidente da Câmara, Clécio Alves, não quis comentar as faltas de 2012 porque foi eleito para presidir a Casa este ano. Em 2013, ele garante que nenhuma sessão deixou de ser aberta por falta de vereadores.
    Comparação
    A intenção é repetir na capital o modelo adotado em São Paulo e Curitiba. Lá, os vereadores têm o salário descontado quando faltam às sessões. Se aprovada, a proposta aproximará a realidade dos parlamentares municipais a dos trabalhadores.
    Quem é trabalhador sabe bem como funcionam as regas. Comparecer pontualmente ao serviço é obrigação. Em geral, o funcionário tem direito a um ou no máximo dois dias de folga na semana. Faltas só são aceitas com a apresentação de atestado médico, ou de acompanhamento de idosos ou menores em consultas. Também é aceita a ausência para fazer provas de vestibulares e concursos públicos, desde que seja entregue o comprovante.

    Em caso de falta sem justificativa documentada, o funcionário sofre penalidades. A cada falta, deixa de receber por dois dias: tanto pelo dia não trabalhado quanto pelo dia de folga semanal.
    O presidente da Comissão de Direito Constitucional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Goiás, Otávio Forte, garante que o projeto tem validade e pode ajudar a dar transparência ao trabalho do vereador. “É uma obrigação do parlamentar se fazer presente nas sessões legislativas. Esse controle também é uma obrigação da Casa. Se for necessário estabelecer isso através de ponto biométrico, desde que a Casa aprove esse projeto, não há nenhuma ofensa à Constituição”, diz o advogado.
    tópicos:
    Goiânia

  • Igual

    E,, bixigua vai pegar dim dim de outro porque estamos cansado de so pagar a vc e nada de retribuicao,,, jales nao vai perder nada,,,

  • GARNIZÉ

    Vamos dar as festas para o Nerso da Enxada tocar

  • FALAFINA

    NÃO SEI PORQUE O POVO VINCULA O BIXIGA COM A FACIP

    A FACIP TEM 44 ANOS DE HISTORIA… JÁ ESTE MOÇO…

    RESPEITEM OQUE É DA CIDADE. A FACIP SEMPRE FOI FESTA BOA E POR SINAL ANTIGAMENTE ERA MUITO MAIOR E MAIS RESPEITADA NACIONALMENTE.
    ESSE MOÇO REALIZOU EM JALES UMA QUERMESSE DE CINCO DIAS E NÃO UMA EXPOSIÇÃO!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *