ARTIGO DE DOM REGINALDO QUE PEDE LEVANTE CONTRA REFORMA DA PREVIDÊNCIA REPERCUTE

O artigo “Proteção social sem lógica mercantil” do bispo de Jales, dom Reginaldo Andrietta, publicado neste final de semana, está repercutindo em setores da imprensa progressista, como é o caso do blog Viomundo, do jornalista Luiz Carlos Azenha.

O artigo foi comentado no blog do procurador regional da República Luiz Francisco Fernandes de Souza, que ficou famoso nos anos 90 por investigar tucanos (sim, já houve um tempo em que eles eram investigados!) e também por desfilar pelas ruas de Brasília com um fusquinha.

E o texto abaixo é parte do que foi publicado no blog Cartas Proféticas, do bispo anglicano dom Orvandil Moreira Barbosa, da Diocese Brasil Central:

Igrejas que se omitem, ignoram ou viram as costas para as brutais injustiças sofridas pelo povo traem o Evangelho e a tradição da “opção preferencial pelos pobres”, portanto, a Jesus.

Em análise à convocação das centrais sindicais à greve geral no dia 05/12 este blogueiro afirmou que “agora temos que parar o Brasil”.

Felizmente mais um bispo católico e cristão reforça a convocação do povo brasileiro ao levante popular contra a quadrilha golpista que arma o bote na Previdência Social com o objetivo de retirar direitos dos trabalhadores e dos idosos.

Dom Reginaldo, de Jales/SP,  acertadamente diz que  “o projeto de Reforma da Previdência Social será votado na Câmara dos Deputados tão logo se concluam as negociações do executivo com o legislativo, na forma de “compra de votos” por meio de cargos e emendas parlamentares. Este projeto reduz direitos constitucionais e ameaça a vida de milhões de brasileiros, de modo especial os socialmente vulneráveis.”

O diocesano de Jales continua em sua mensagem pastoral a denúncia de que “a Constituição de 1988, ainda em vigor, assegurou um sistema avançado de proteção social, conquistado a duras penas pela classe trabalhadora no bojo das lutas pela redemocratização do Brasil. A classe dominante jamais aceitou esse e outros avanços que, em última instância, apenas asseguram as bases para a construção de uma sociedade verdadeiramente democrática e justa”.

Com postura profética do bispo de Jales  denuncia “o congelamento por 20 anos dos gastos com programas sociais e a recente reforma trabalhista ferem gravemente nossa ‘Constituição Cidadã’. Agora, a Proposta de Emenda Constitucional 287, que reforma a Previdência Social, se for aprovada, dificultará o acesso à aposentadoria de milhões de trabalhadores, especialmente rurais, reduzirá drasticamente o acesso ao Benefício de Prestação Continuada, que é o benefício assistencial ao idoso e à pessoa com deficiência, e cortará pela metade as pensões de viúvas e viúvos”.

11 comentários

  • Refinado

    Dom Reginaldo, se preocupe com seus fiéis, tome conta da sua comunidade. Pare de palpitar em politica, seja mais participativo e presente com os membros de sua religião, caso queira se intrometer na politica, largue a batina. Isso não digo somente para ti, mas para todos que tem um proposito de cristo, vocês foram escolhidos para curarem os enfermos, para alimentarem os que tem fome, para visitar os que precisam. Seja um exemplo real de cristo.

    • Acreditar jamais

      Você mesmo fala que ele foi escolhido para curar os enfermos e matar a fome dos mais pobres é isto que ele está tentando fazer ajudar mesmo quem mais precisa a partir do momento que está reforma for aprovada aí você vai ver que o Bispo tem razão defender os fracos e os oprimidos. E viva a Brasil

  • Politica e a religião

    A Igreja Católica é contrária ao envolvimento de religiosos em atividades políticas e partidárias, segundo a CNBB e de acordo com decretos de várias dioceses pelo país.
    Porem, ao menos 23 padres brasileiros, segundo dados do TSE, entraram na disputa eleitoral de 2014, buscando uma vaga de deputado estadual, federal ou mesmo de governador, como é o caso do Padre Ton, candidato ao governo de Rondônia pelo PT. Usam a Igreja para ganhar votos! Logico.
    Em pesquisa, em Brasilia, 71% dos deputados se dizem católicos — formam a Frente Parlamentar Católica — e 16%, evangélicos (bancada evangélica) portanto existem cerimônias religiosas, pelo menos 9 por dia, em horário de funcionamento da Casa, como a Hora do Louvor, o culto da Renovação Carismática Católica, encontros evangélicos, etc.
    Existem partidos de politicos religiosos cristãos com o PRN (de Edir Macedo), o PSC, PTC, etc assim como na suiça, Suecia, Paraguai, e outros paises
    Com certeza os políticos religiosos defendem o interesses das suas igrejas como o projeto da “Cura gay”, isenção de impostos da igrejas, Lei Seca, etc mas não pagam o dizimo da propina recebida.
    Claro!

  • Grobo

    O que esse padre entende de política, esses padres são Petista, a igreja católica é o patrimônio mais rico do mundo, as PUC são as faculdades mais cara do país, não fazem graça para ninguém, Agora vem a igreja católica fazer graça. Até o estacionamento eles cobram. Mais pagar não paga nada, nem imposto.

  • elias

    Estou vendo patrões, empresários, industriais e burgueses opinando acima contra o padre. Antes de ser padre, ele é um ser humano e um cidadão como todos nós trabalhadores (retiro aqui os referidos acima) e tem direito a opinar assim como qualquer um. Quem é a favor dessa reforma escravagista são os ditos anteriormente, empresários, industriais, burgueses e falsos burgues (esses tem aos montes), pois uma pessoa decente, com um minimo de caráter, honestidade, empatia e conhecimento, não é a favor de tal reforma, pois sabe que tal reforma não é a solução do problema, porém, para esses, digamos “patrões”, em nada afeta essa carnificina que estão querendo fazer, muito pelo contrário, os favorecem e muito.

    • PROF. LISANDO CRECE.

      Elias, escreveu bonito e ainda usou bem a gramática, diferentemente do sr GROBO acima.

    • Refinado

      Não sou patrão, não sou empresario tão pouco burguês. Não apoio a reforma da previdência, entretanto, também não concordo com o padre querer usar sua batina para se intrometer em assuntos políticos, como eu disse em meu post “não digo somente para ti, mas para todos que tem um proposito de cristo”.

  • Grobo

    Já passou da hora de mudar as leis trabalhistas…

  • Sebastião Farias

    Concordo. Parabenizamos D. Reginaldo Andrietta, pela sua corajosa, justa, patriótica e cristã iniciativa, se manifestando em favor dos menos favorecidos. Que outros religiosos, guardando a diferença entre politização e partidarização e, espelhando-se na coragem desse Bispo, tomem atitude semelhante para o bem da nação e do país (http://www.viomundo.com.br/politica/levante-popular-pacifico-com-santinhos-para-denunciar-deputados-que-apoiam-reforma-da-previdencia.html#comment-1011821 ).
    Lembrem-se, todas àquelas pessoas, autoridades, magistrados, parlamentares, agentes públicos, etc, que marginalizam, humilham, exploram e negam os direitos das pessoas carentes e necessitadas, para proveito próprio, como: idosos, viúvas, crianças, doentes e especiais, pobres, etc, e ainda, que protagonizam e promovem a injustiça social na nação, são inimigos de Cristo.
    És abaixo, nossa contribuição:
    “Alegra-nos, constatarmos que a CNBB e a Igreja Católica, ambas inspiradas pelo Espírito Santo, não abandonarão os pequeninos marginalizados, explorados e injustiçados pelos soberbos, arrogantes, egoístas, autossuficientes, cujos ídolos são, o dinheiro e riquezas fáceis, os verdadeiros inimigos de Jesus Cristo. Abaixo, segue na íntegra, sugestão nossa à Campanha da Fraternidade – 2017, à Igreja Católica e à CNBB, registrada nos links abaixo, oportunidade em que agradecemos mais uma vez, por essa colaboração.
    http://www.gentedeopiniao.com.br/noticia/justica-que-gera-fraternidade/163653 ; http://www.gentedeopiniao.com.br/noticia/justica-que-gera-fraternidade/163653 ; Comentário:
    “Sebastião Farias – 13/03/2017
    NOSSA HUMILDE CONTRIBUIÇÃO SUGESTÃO À CF2017 Sebastião F. Farias A propósito do assunto, Campanha da Fraternidade – 2017, 2,15)”, onde a Igreja Católica Apostólica Romana-ICAR e a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB , nos convidam no Objetivo Geral da CF2017 a, “Cuidar da criação, de modo especial dos biomas brasileiros, como criar um blog dons de Deus, e com o feliz Tema “FRATERNIDADE: Biomas Brasileiros e Defesa da Vida” e que tem como lema: “Cultivar e Guardar a Criação (Gênesis promover relações fraternas com a vida e a cultura dos povos, à luz do Evangelho”.
    É, portanto, um convite ao reencantamento dos cidadãos, dos cristãos e das pessoas de boa vontade, que necessitam de uma conversão ecológica, política e cidadã, verdadeiras, para sensibilização e atendimento a esse apelo de Deus. Com foco nesses apelos proféticos e, de seu retrospecto histórico, desde a Primeira Campanha da Fraternidade em 1964 até a última mais recente, em 2016 e dessa CF2017 e, como respondeu Jesus Cristo aos judeus, ao ser testado pela malícia dos corações deles, que procuravam um pretexto para acusá-lo: “Dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus” ( Mc 12,13-17).
    Essa passagem do Evangelho, dentre muitos entendimentos, pode explicar também, mais ou menos, nossos direitos e responsabilidades como cidadãos e cristãos, num Estado laico. Ela, nos ensina ainda, como o Santo Padre tem reiterado, que o cristão não pode viver alienado no mundo, pois é sal e luz, vivendo para fazer uma diferença saudável na comunidade; mas sem se esquecer de sua cidadania celestial, atuando como embaixador de Deus, na linguagem de São Paulo, para com os que estão à sua volta, a começar na Família, na Igreja, na Escola, no trabalho e nos mais próximos de si como, marido, esposa, filhos, parentes e amigos, etc.
    À luz de tudo isso, é nosso entendimento que, para que a CF2017 e outras que pela graça de Deus, ainda virão, sugerimos que, além da grande contribuição informativa e de chamada de atenção para os desvios éticos e cristãos dos seres humanos, que a Igreja Católica e as Campanhas da Fraternidade doravante, com foco na correção definitiva, dessas mudanças de realidades indesejáveis, para a sustentabilidade do ambiente natural e para a valorização da humanidade, chame para si, também, a conscientização responsável dos cidadãos, das autoridades e agentes públicos competentes de cada Poder da República, no sentido de que todos, conforme suas responsabilidades legais, assumam compromissos com à correção dos gargalos existentes, que concorrem para tais desvios e realidades indesejáveis, começando pelo que expomos abaixo: i) Carência de maior consciência política, ambiental, cultural e de cidadania do povo, cuja grande maioria, não tem noção do que são os Poderes e Instituições da República, seus papéis e responsabilidades; Essa mesma maioria, sequer, têm noção de seu poder constitucional, dado por Deus para promover-se o bem-estar e a justiça para todos, bem como de seus direitos e responsabilidades constitucionais, etc e, talvez nem conheçam e nem consultam a Constituição Federal, a Constituição Estadual e a Lei Orgânica de seu município;
    ii) A falta de boas práticas executivas de qualidade e, de éticas institucionais responsáveis, voltadas a satisfazerem os cidadãos e contribuintes, por parte da maioria dos agentes públicos, a nível nacional, regionais, estaduais e municipais, tendem a agravar ainda mais, a ocorrência dessas realidades indesejáveis; iii) Com foco na cidadania e na solução desses problemas a partir das comunidades, que a ICAR e a CNBB com a ajuda de pessoas de boa vontade, instruam, incentivem e orientem os cristãos e cidadãos, em todos os recantos do país, a entenderem o papel, a importância e as responsabilidades das competentes Comissões de Fiscalização e Controle-CFC´s, dos Poderes Legislativos Federal, Estaduais e Municipais, de quem devemos exigir protagonismo prático, em tempo real e efetivo na fiscalização proativa e tempestiva, das Políticas Públicas essenciais à sociedade, dos Planos, dos Programas, dos Projetos, etc, da conformidade legal da execução orçamentária e financeira, da funcionalidade plena e da qualidade das estruturas e das obras públicas em construção e/ou construídas, bem como da conformidade, funcionalidade plena e boa qualidade dos serviços públicos oferecidos e/ou prestados, à população, face a sua corresponsabilidade solidária, como fiscal constitucional do povo que é, ao Poder Executivo.
    iv) Assim, a título de ilustração, p. ex., no âmbito dos serviços públicos, dentre outras, são essas, salvo engano, as competências e/ou atribuições fiscalizadoras dos Poderes Legislativos: 1) na área federal ( Artigos. 44 a 46, associados aos Artigos 49 e seus Incisos IX a XI; 50 e 51 da CF); 2) nas áreas estaduais ( Artigos 8º; 9º; 29 e seus Incisos XXXVI e XXXVIII; 36; 46 a 49 e 135. exemplo da CE/RO) e; 3) nas áreas municipais (Artigos 47; 48 e seus incisos VII, XVI e XVIII; 49; 50; 73 e 74. Aqui, os exemplos ilustrativos e escolhidos por nós, a nível regional, foram a Constituição Estadual de Rondônia e a Lei Orgânica do Município de P. Velho/RO).
    v) Tais sugestões e contribuições elencadas, por nós, referentes aos Poderes Legislativos, se justificam, pelo fato de que, sendo eles os legítimos representantes e fiscais constitucionais do povo e do Estado, que são o patrão, são também, co-participantes dos governos e dos seus resultados, juntos e harmonizados com os Poderes Executivos e Judiciários, das instâncias federativas competentes, motivo pelo qual, é da maior essencialidade que os cidadão saibam disso e conheçam na prática, em seus municípios e Estados, quem são os Presidentes e Membros dessas CFC´s. Assim é que, os cristãos e cidadãos, orientados em suas comunidades pela Igreja e CNBB, possam cobrar desses parlamentares, atuação responsável na fiscalização proativa com foco na ética, na conformidade, na agilidade, na economicidade, na boa funcionalidade e na certificação de qualidade das obras, das instituições, das aquisições e na prestação de serviços públicos, emanados das Políticas Públicas de interesse da sociedade, antes de serem, pelos respectivos Poderes Executivos, entregues para utilização e benefícios da população.
    vi) Que a imprensa, parte dela por não informar e nem instruir o povo como deveria, nessa temática cidadã, acumula um passivo significativo nesse sentido, motivo pelo qual, também, a partir de agora, tem a oportunidade de colaborar e de se redimir dessa dívida com a sociedade, cobrando o status das obras e serviços públicos não só dos seus executores mas, principalmente, também dos representantes e dos fiscais do povo, os parlamentares, dirigentes dos Poderes Legislativos, os Presidentes e Membros das CFC´s Temáticas.
    vii) Sobre essas CFCs, seguem algumas perguntas, para quem queira responder: 1) quem sabe e conhece as responsabilidades das CFCs dos Poderes Legislativos? 2) quem conhece o(s) Presidente(s) e membros, das CFCs da Assembleia Legislativa e, das Câmaras Municipais de Vereadores dos municípios de seu Estado? 3) Esses parlamentares e essas CFCs estão cumprindo, na prática, suas atribuições constitucionais de representantes éticos e, de fiscais do povo e do Estado, como deveriam? 4) Esses parlamentares estão procedendo, fato, através das CFC´s de Planejamento, de Execução Orçamentária e Financeira, de Educação, de Saúde, de Segurança, de Desenvolvimento e Meio-Ambiente, de Agricultura, de Obras e Infraestrutura, de Serviços Urbanos, Etc, a Fiscalização efetiva das obras em construção, das instituições e/ou das estruturas públicas, e/ou dos serviços públicos prestados pelos respectivos Poderes Executivos locais e, utilizados pela população local? 5) A imprensa local, alguma vez, fez alguma campanha de esclarecimento ou de conscientização do povo, sobre o papel, importância e responsabilidades dessas CFCs Temáticas, essenciais como órgãos preventivos do desvio e da mal versação dos recursos públicos, do superfaturamento, da corrupção no serviço público, da má qualidade dos objetos públicos, da má prestação de serviços públicos à população e, de cuja omissão, resultam tudo de ruim que se condena e que indigna o cidadão e contribuinte, em relação ao serviço público, já que são, instâncias constitucionais de representação do povo e de fiscalização proativa dos interesses dos cidadãos, repito, para promoverem e fazer o bem e justiça para todos.
    Que Deus nos ilumine com sua luz e sabedoria, para que sejamos sensíveis às profecias da CF2017 e, solidários e compromissados com o futuro da humanidade, para que sejamos conscientes, de que devemos tomar atitudes responsáveis e objetivas, para a busca urgente de soluções viáveis, aos desvios de comportamento e desafios que impactam e comprometem a sustentabilidade dos Biomas Brasileiros, a justiça e o bem-estar dos cidadãos.
    Segue comentário, nosso na matéria do link abaixo, por ser assunto afim, às preocupações da CF-2017, http://planetasustentavel.abril.com.br/blog/planeta-agua/rj-pode-esgotar-reserva-do-paraiba-do-sul-ate-agosto/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *