BOLSONARO TRAVA BOLSA FAMÍLIA EM CIDADES POBRES E FILA CHEGA A UM MILHÃO DE FAMÍLIAS

Com o marido desempregado e sem dinheiro do Bolsa Família para comprar o gás, Ivanete está usando lenha para cozinhar feijão e mandioca para a filha. Deu no Blog da Cidadania:

Segundo a Folha de S. Paulo, o governo de Jair Bolsonaro estagnou o programa até mesmo nas regiões mais carentes do Brasil. Uma a cada três cidades mais pobres do país não teve auxílio liberado nos últimos cinco meses.

A pesquisa feita pela Folha, que considerou os 200 municípios de menor renda per capita do Brasil, indica que houve diminuição na cobertura de atendimento e ingresso de novas famílias.

Desde o ano passado, por falta de dinheiro, o governo começou a controlar a entrada de beneficiários no Bolsa Família. Com o congelamento do programa em todo o país, a fila de espera, que havia sido extinta em julho de 2017, voltou e não há previsão para ser zerada novamente.

Bolsa Família enfrenta, sob Bolsonaro, o período mais longo de baixo índice de entrada de novos beneficiários da história do programa.

Sem dinheiro, o casal Ivanete, 19, e Denilson dos Santos, 22, teve que trocar o gás de cozinha pela lenha na hora de cozinhar mandioca e feijão para a filha Ágata dos Santos, 1 ano e 9 meses. Em situações excepcionais, eles matam um dos frangos que rodeiam a residência, localizada num bairro fora da área urbana.

8 comentários

  • Anônimo

    O problema é bem mais estrutural e complexo.
    Mas a dependência do BOLSA FAMÍLIA deveria acabar.
    Deveria impor um prazo ou mudança na família, para cessa o benefício.
    Do jeito que é atualmente, não vão parar NUNCA de receber.
    Mas de qualquer forma, repito: é muito mais complexo , ou “Há mais coisas entre o céu e a terra do que pode imaginar nossa vã filosofia”

  • Sérgio

    “Mas a dependência do BOLSA FAMÍLIA deveria acabar”. O tal anônimo (que se esconde nas redes sociais? Poderia explicar a frase? Por acaso sabe ou algum dia vivenciou a EXTREMA POBREZA? Sabe o que é NÃO ter café da manhã? Sabe NÃO ter acesso à educação, moradia, saúde? Já teve um filho chorando de fome e NÃO ter o que dar para ele se alimentar? Sabe pelo menos o preço de uma sexta basica?
    Sabe quanto ganha por dia um cortador de cana em Alagoas por exemplo?
    Sabe pelo menos quanto está o valor do salário mínimo hoje? Sabe quantos milhões de brasileiros estão desempregados hoje no Brasil? Caso NÃO saiba procure saber. TALVEZ VOCÊ POSSA MUDAR ESSA SUA OPINIÃO EGOÍSTA, ASQUEROSA E NADA CRISTÃ.

  • Anônimo

    O que eu sei é como se escreve “cesta básica” (“sexta básica” – sic), me parece que o Sr. não.
    Portanto, procure saber.
    Estudar e buscar conhecimento NUNCA faz mal.

  • Sérgio

    O senhor já ouviu falar em corretor automático de texto?? Interessante o senhor comentar um erro de digitação e NÃO QUERER COMENTAR meus comentários e minhas indagações. Uma pena, assim fica fácil saber de que lado está.
    Alem disso o senhor escreveu “cessa” ao invés de cessar. Continue filosofando meu caro. Ficar em cima do muro é muito fácil. Responda meus comentários e ficamos quites senhor estudado.

  • Anônimo

    Ficarei com a frase do Ediel, não vou descer ao seu nível para vencê-lo.
    Sou educado!

    Aliás:
    A educação é a arma mais poderosa que você pode usar para mudar o mundo.
    (Nelson Mandela)

    Já a política pública de “transferência de renda” parece que não mudou tanto o Brasil, desde a sua implantação.

    Enfim, segue o jogo.
    “Deus acima de todos”

  • Acabou o dinheiro!

    O governo prometeu, desde 2019, reformular o programa. Ainda não há previsão de quando será apresentada uma proposta. O Bolsa Família tem neste ano um orçamento de R$ 29,5 bilhões, abaixo dos R$ 32,5 bilhões de 2019. Diminuiu o dinheiro. Acabou as tetas!
    Não existe política pública sem financiamento regular e permanente. O orçamento do programa deveria ser fixo, em vez de abrir brecha para uso político. Na reformulação, o governo planeja mudar o nome do Bolsa Família.
    O programa — criado por Lula — dizia existir para diminuir a pobreza principalmente no Nordeste e Norte. Porem não era para eliminar. Na realidade, tinha um uso politico para manter o pobre sob as rédeas do PT. Ou melhor, para sempre votar no PT.
    Deu errado, porem os nordestinos e nortistas votaram maciçamente no candidato do PT. Porem o resto, a região sudeste e sul que pagam a conta, não votaram.

    • Rapizodia

      Este governo nunca acreditou na transferência de renda aos mais pobres, sempre desdenhou e nunca apresentou outra alternativa, mas continua usando a instalada pelos governos anteriores. Alardeia a todos os cantos que o dinheiro acabou, como se um dia tivesse existido para o pobre ou miserável. O governo não vai tributar grandes fortunas, não vai buscar os grandes devedores, mas anistia dívidas de bilionários do mercado financeiro e emprega usurpadores de dinheiro público. Cai matando em cima da classe trabalhadora e da sociedade marginalizada quando reforma a CLT ou trava o bolsa família, tirando direito das pessoas e de quem não tem como se defender, mas mantém os impostos e tributos para sustentar a máquina política corrompida por famílias inteiras de desocupados da qual sempre fez parte e de empresários inescrupulosos que vivem de corromper o Estado. A educação que é a única arma contra este estado de coisas, está a cargo de um parasita que, nem o próprio ou o governo que ele representa, não entende e não se preocupa. A foto da reportagem poderia ser de 50 anos e seria atualíssima. Não mudará nada, talvez fazendo arminha.

  • Sérgio

    De uma coisa não posso discordar de vc. Deus acima de todos… e o pobre cada vez mais miserável. Parabéns. Não sabia, mas vc é um gênio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *