GLOBO, QUE JÁ FOI CONTRA O DÉCIMO-TERCEIRO, AGORA É CONTRA O AUMENTO DO SALÁRIO MÍNIMO

images_cms-image-000474844

A notícia é do Brasil 247:

Em abril de 1962, o jornal O Globo, à época conduzido por Roberto Marinho, publicou uma manchete em que previa algo desastroso para o Brasil: a criação de um décimo-terceiro salário.

Hoje, ninguém questiona o fato de que o décimo-terceiro é um dos principais alavancadores das vendas do comércio no fim de ano e já foi devidamente incorporado aos custos das empresas, sem que nenhum desastre tenha ocorrido.

Nesta quinta-feira, último dia de 2015, o Globo retoma sua tradição contrária a qualquer política trabalhista. Em editorial interno, classifica como “tosco” o argumento usado pelo ministro do Trabalho, Miguel Rossetto, para defender um aumento do salário mínimo ligeiramente acima da inflação – com reajuste de 11,67%, o piso salarial foi a R$ 880,00.

Segundo O Globo, trata-se de “seríssimo problema” que inviabiliza as contas públicas. O Globo ainda ironiza e afirma que, se o mínimo fosse capaz de estimular a economia, por que não triplicá-lo?

Coincidência ou não, os três irmãos Marinho (Roberto Irineu, João Roberto e José Roberto) formam a família mais rica do Brasil, com patrimônio superior a US$ 25 bilhões.

A tese dos três, no entanto, não encontra amparo nos dados do Dieese, que aponta que a política de valorização do mínimo, que teve ganhos reais de 77% desde 2002, foi um dos principais fatores de inclusão social nos últimos anos.

3 comentários

  • anonimo

    É muito fácil quando se tem um patrimônio desse os Marinhos vim a público falar um monte de asneiras.

  • Anônimo

    Um “Seríssimo problema” Não seria quem sabe os salários exorbitantes dos deputados, senadores, ministros do supremo… Quanto será que o pais gasta com essa massa de serventia duvidosa todos os meses? E alguém vem falar de aumento de mínimo? Porque não falam dos aumentos do máximo?

  • Urtiga

    Será que os coxinhas que são apaixonados pelas noticias da Rede Globo sabem disso ? Bando de desinformados!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *