NOVA MEDIDA PROVISÓRIA PERMITE QUE TRABALHADOR TIRE FOLGA NO DIA DO PRÓPRIO ENTERRO

Do site Sensacionalista:

A medida provisória da “Liberdade Econômica” aprovada na semana passada avança ainda mais sobre os direitos trabalhistas brasileiros. Foi liberado o trabalho aos domingos para todas as categorias profissionais sem direito a adicional por hora trabalhada. O trabalhador terá direito a uma folga remunerada a cada quatro semanas.

Hoje o Senado vota mais alguns destaques da MP, como a que permite que o trabalhador tenha um dia de folga em caso de morte, mas só quando for a dele mesmo. Se entrar em coma, terá os dias descontados.

A única forma de faltar sem ser descontado para ir a um enterro de parente é morrendo também.

15 comentários

  • Precisamos de empregos

    Bem antes da Dilma sair.a economia veio piorando. O desemprego está aumentando. Atualmente temos quase 14 milhões de desempregados. Todos querem um emprego. Precisamos dar condições ao empresario que dê um emprego ao trabalhador. Isto significa “menos direitos ao trabalhador e mais, ao empresario”. O que você quer direitos ou emprego?
    Dizer que foi liberado o trabalho aos domingos. É uma piada. Não importa muito. Foi liberado e só! Como trabalhar em posto de gasolina, restaurante, padaria, etc e não dizer que não trabalha aos domingos?
    Dizer que “se entrar em coma, terá os dias descontados”. Arrumar um emprego e pensar em ter coma. Certamente ele não está preocupado. Ele quer o emprego.
    O empregado que quer faltar (sem ser descontado) para ir a um enterro de parente. É um vagabundo! Não quer trabalhar.
    Este site Sensacionalista só faz sensacionalismo

    • Buuuu

      Você deve ser patrão e esta aplaudindo pois os direitos dos trabalhadores acabaram mesmo mas os cegos não querem ver.

      • Precisamos de empregos 2

        Buuuuu
        Como disse o cardozinho
        o Sensacionalista é um site de humor. Seu slogan é “um jornal isento de verdade”. O amigo parece que não entendeu o espírito da coisa.
        Eu fui empregado agora desempregado.

  • Abraham Lincoln

    “Foi liberado o trabalho aos domingos para todas as categorias profissionais sem direito a adicional por hora trabalhada”. Eu já estava escrevendo “fake news”, mas a expressão é muito bonitinha. Prefiro escrever que é “MENTIRA” mesmo; M E N T I R A, assim, com todas as letras. A MP abre espaço para que a folga semanal de 24 horas do trabalhador seja em outros dias da semana, desde que o empregado folgue um em cada quatro domingos. Exemplo para quem precisa de desenho: Poderá acontecer o seguinte: Folgas de segunda, segunda, segunda e domingo. Mas sempre haverá 24 horas de folga. O pagamento em dobro (adicional de 100%) do tempo trabalhado no domingo ou no feriado pode ser dispensado caso a folga seja determinada para outro dia da semana, como no exemplo. Para quem está desempregado, é uma vantagem imensa. Agora para quem é assistencialista, gosta de uma teta, vive de criticar o empregador e é canhoto, é um campo fértil para propagação de MENTIRA.

  • Anônimo

    Dúvida: hoje, dia 19/08 não tem sessão na Câmara de Jales ?

    • Não. A Câmara se reúne três vezes por mês em sessões ordinárias, sempre na 1a, 2a e 4a segunda-feira de cada mês. Na 3a segunda-feira, como é o caso de hoje, não tem sessão.

      • Rapizodia

        Pois é! Levando em conta o custo anual de 2,6 milhões anuais, cada abertura de porta da câmara custa aproximados 70 mil reais! É uma das mais baratas da região segundo publicação de jornais da região. Imagina isso multiplicado pelos mais de 5000 municípios brasileiros! É um desperdício sem precedentes! Sem reforma administrativa e política esse país não sairá do atoleiro, mas é mais fácil caçar a aposentadoria dos mais pobres! E todos batemos palmas quando a reforma foi aprovada, agora vai! É respiramos aliviados feito aquele idiota que está no palácio!

        • Anonimo

          Veja o Projeto de Lei Complementar (PLP) 137/2015.
          A ideia é criar novos municípios.

          Ementa
          Dispõe sobre o procedimento para a criação, a incorporação, a fusão e o desmembramento de Municípios, nos termos do § 4º do art. 18 da Constituição Federal, altera a Lei nº 5.172, de 25 de outubro de 1966, e dá outras providências.

      • Anonimo

        Imaginei.
        Só não sabia sobre o intercalamento das sessões.
        Anotado aqui.
        Obrigado.

  • Antonio Carlos Pinto

    Pensando bem Rapizodia, é muito lucrativo para o povo, que se acabe com câmaras Municipais em todo o país, inclusive fechar o congresso e todo e qualquer espaço em que houver possibilidade de participação da população, pois tudo isso custa muito!

    • Rapizodia

      Não exagera e também esqueça está ideia estúpida! A participação da população na política é importante e é inquestionável, mas só será saudável quando tivermos uma educação de respeito e não um circo administrado por patetas como esse Weintraub. A democracia requer engajamento e não o agir como sanguessugas demostrada pela classe política brasileira! Temos um ou outro parlamentar que tenta implementar uma nova postura no trato público, na sua maioria são um bando de fanfarrões e vagabundos que se especializam em ludibriar o povo humilde despolitizado ou pior ainda, enrola aquele radicalizado que acha que tudo se resolve a bala! Neste sentido, precisamos tomar iniciativas para que estes tipos de políticos não consigam tamanha representatividade. Claro, sempre haverá custo, mas precisamos estirpar o desperdício do setor e impor um novo modelo, do jeito que está não tem país que suporte. Estamos na era tecnologia da informação e ainda temos vice disso ou daquilo e pergunto: prá quê vice!? Façam as contas e vejam se tem sentido!

  • Antonio Carlos Pinto

    Parabens Rapizodia! Agora estamos falando a mesma linguagem. Por mais custoso financeiramente que seja para as comunidades temos que defender essas instituições, que são os únicos espaços democráticos de
    representação e participação popular. Democracia tem um custo e o preço maior é a eterna vigilância.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *