EX-PREFEITO SARACUZA É CONDENADO A QUASE NOVE ANOS DE PRISÃO

A Justiça de Urânia condenou o ex-prefeito daquele município, Francisco Airton Saracuza, à pena de 08 anos, 11 meses e 28 dias de reclusão, em regime inicial fechado. Além dele, foram condenados também os ex-assessores jurídicos do município – F.A.P. e R.R.C.B – e o ex-diretor de Recursos Humanos A.G.J.

Este último (A.G.J.) foi condenado a 05 anos, 03 meses e 15 dias de reclusão, em regime inicial semiaberto, enquanto os dois primeiros – os procuradores jurídicos – foram condenados a 03 anos, 02 meses e 03 dias de reclusão em regime inicial aberto, pena substituída pelo pagamento, por cada um deles, de 20 salários mínimos a serem depositados na conta de uma entidade local.

As penas poderiam ser maiores, mas eles foram absolvidos de alguns crimes dos quais foram acusados, como por exemplo, associação criminosa.  A sentença da juíza da Vara Única de Urânia, Melissa Bethel Molina, prolatada no dia 16 de outubro, tem nada menos que 238 páginas e absolveu outros dez ex-assessores e servidores municipais. Para a juíza, eles não agiram de má-fé

 Saracuza e os três ex-assessores condenados foram presos pela Polícia Federal de Jales em março de 2017, por ocasião da deflagração da “Operação Repartição”, que investigou desvios de recursos provenientes da chamada repatriação do governo federal.

Na ocasião, além dos 04 mandados de prisão temporária do ex-prefeito e seus ex-assessores, a Polícia Federal cumpriu 10 mandados de condução coercitiva e 07 mandados de busca e apreensão nas cidades de Urânia, Jales e Votuporanga.

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *