JUSTIÇA PRORROGA AS 11 PRISÕES TEMPORÁRIAS NO ESCÂNDALO DA UNIVERSIDADE BRASIL

A Justiça Federal acatou o pedido da Polícia Federal de Jales e prorrogou todas as onze prisões temporárias dos investigados presos durante a Operação Vagatomia por mais cinco dias. Outras onze pessoas continuam com prisões preventivas decretadas e dois investigados continuam foragidos.

A Operação Vagatomia, da PF e do Ministério Público de Jales, desarticulou, na terça-feira (3), esquema de fraudes no Fies, Prouni e Exame Revalida, e também de venda de vagas no curso de medicina na Universidade Brasil, em Fernandópolis. 

O dono da universidade, José Fernando Pinto da Costa, de 63 anos, e o filho dele foram presos durante a operação. No total a Justiça expediu 22 ordens de prisão (11 preventivas e 11 temporárias). Até este sábado (7), 20 pessoas no total já tinham sido presas e duas continuavam foragidas. 

Na sexta-feira (6), um dos cofres apreendidos na residência de um dos investigados foi aberto por um especialista em cofres. Relógios de luxo, joias e dólares foram localizados e apreendidos pela Polícia Federal. 

Quatro moradores de Rio Preto foram presos, três na cidade, sendo Aurélia Sousa Ferreira, Paulo Marques e Murilo Ferreira de Paula. Em um dos apartamentos, os detidos jogaram celulares e laptops pela janela do oitavo andar, mas os equipamentos foram recuperados pela polícia. 

Foi preso ainda o médico de Rio Preto Frank Ronaldo Soares, de 43 anos,  dono da empresa Ammed, que estava em São Paulo. Frank é suspeito de captar alunos para o Revalida, sobre o qual recaem indícios de irregularidades.

5 comentários

  • Só uma pergunta que não quer calar; a faculdade continua funcionando durante essa tempestade de escândalos? Como está a situação dos alunos?

  • Sérgio

    Caro colega AFF, não queira fazer dessa operação o que a lava jatinho fez com o Brasil, nestes casos, tem que se punir as pessoas, não a empresa. A empresa PJ, não pode ser punida, mas sim seus diretores e seus puxa sacos.

  • Leandro

    Quero ver se vão lacrar a Universidade (igual fizeram com as 2 lojas do Beto calçados), ou se vão nomear administrador judicial….essa quero ver….se teremos dois pesos e duas medidas, como no caso do rapaz da maroca……

  • O que é PJ, o nome da faculdade n é universidade Brasil, afinal quem manda nisso aí?

  • Rubro Negro

    AFFF!!!;;, PJ é a abreviatura de Pessoa Jurídica. No caso desses fatos, quem responde é a pessoa física, ou seja, o diretor e quem mais esteja em conluio com ele. A universidade não pode ser responsabilizada porque se trata de uma ficção jurídica, ou seja, ela não tem vontade própria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *