PF DE JALES PRENDE EX-PREFEITOS DE GUARANI D’OESTE E TURMALINA POR DESVIOS DE RECURSOS PÚBLICOS

Se eu entendi bem, a prisão do ex-prefeito de Turmalina, José Carlos Massoni, não se deu por desvios em sua administração, mas pela ligação com possíveis fraudes ocorridas em Guarani D’Oeste. A notícia é do G1:

Ex-prefeitos de Guarani d’Oeste (SP) e Turmalina (SP) foram presos na manhã desta terça-feira (7) durante a Operação Cajado, deflagrada pela Polícia Federal de Jales (SP). O G1 não conseguiu entrar em contato com a defesa dos suspeitos.

A operação investiga fraudes e desvios de recursos públicos ocorridos durante a administração do ex-prefeito Odair Vazarin, de Guarani d’Oeste.

De acordo com informações da Polícia Federal, também foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão nas casas dos suspeitos.

Odair Vazarin e José Carlos Massoni serão indiciados pelos crimes de associação criminosa, apropriação indébita previdenciária, desvios de verbas públicas, peculato e estelionato.

Ainda segundo a polícia, as investigações continuam para identificar outros membros da associação criminosa.

Todo o material apreendido será encaminhado à sede da PF e os ex-prefeitos serão interrogados e encaminhados a presídios da região de Jales, onde permanecerão à disposição da Justiça Federal.

A Polícia Federal passou a investigar os ex-prefeitos após o recebimento de uma requisição do Ministério Público Federal (MPF) sobre a instauração de um inquérito policial.

Segundo a PF, o ex-prefeito Odair Vazarin praticou fraudes durante sua administração. Estimativas iniciais da PF apontaram que os prejuízos da cidade ultrapassaram R$ 4 milhões.

Em um dos contratos suspeitos, uma empresa jurídica do Espírito Santo recebeu mais de R$ 130 mil da prefeitura por serviços que não teriam sido prestados. Parte dos valores pagos à empresa teria sido recebida pelo ex-prefeito de Turmalina, José Carlos Massoni, segundo a PF.

A polícia também identificou pagamentos suspeitos de verbas trabalhistas a assessores da prefeitura e do ex-prefeito Mais de R$ 120 teriam sido pagos em indenização de férias e licenças-prêmio, de acordo com a polícia.

O assessor jurídico da prefeitura na época teria recebido mais de R$ 70 mil, entre indenização de férias e licença-prêmio. No entanto, a polícia localizou uma viagem do servidor à Europa que não constava em pasta funcional.

7 comentários

  • HONESTO

    Dias desses à esposa foi cassada, inclusive teve defensores do moco, que o mesmo era honestissimo, ERA mesmo, PF neles.
    Gente, esse pessoal sabe que a PF está em cima, fiscalizando.
    Esse moço é funcionário desde jovem da Prefeitura de Turmalina, tempos do Dr Pavarini, se não aprendeu ainda, esquece.

    • HONESTO

      Passou agora na TV Tem, com todo respeito a classe, mas esse defensor do Massoni é um fanfarrão, disse que o seu cliente não sabia que havia essas coisas erradas.
      Um rapaz que foi gerente do Santanter, Prefeito DUAS/TRÊS vezes da cidade, sua esposa também
      Prefeita.
      O SENHOR adevogado, prá cima do DR PÁDUA, Delegado da PF, tá de brincadeira né.
      Seu cliente irá degustar muitas quentinhas.
      Está de deboche com a inteligência dos leitores do blog.

  • Eita

    E por falar em prisão de ex prefeito Cardosinho, e o ex de Dolcinópolis? Tem notícia? Nunca mais ouvi falar nada kkk.

  • Observador

    Que eu saiba era funcionário do Banespa.

  • Cidadão

    E agora Dovair????

  • Tarda mais nao falha

    E, a justica tarda mais nao falha. O Massoni achava que nunca chegaria nele. E agora ?. So falta os Genros: Braulio e Admilson. Cadeia neles

  • Me parece que a investigação era só na prefeitura de Guarani, apareceu o nome do ex-prefeito de Turmalina por acaso,vem daí o nome da operação cajado,acertaram dois coelhos com uma só cajadada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *