POPULAÇÃO SE ARMA CONTRA A CRIMINALIDADE NA REGIÃO

Como consequência da onda de crimes bárbaros que a TV mostra todos os dias e da falta de leis que punam os criminosos com rigor, a própria sociedade – na contramão das campanhas de desarmamento – está buscando meios de se defender. Vejam a notícia do Diário da Região:

Jornal010620130045A região de Rio Preto está cada vez mais armada. Os registros e transferências de armas de fogo no Noroeste paulista cresceram 54% no ano passado, na comparação com 2011, de acordo com a Polícia Federal. Neste ano, a tendência de aumento permanece: até abril, foram registradas 520 armas, mais da metade do total de 2012.

Tantos registros de armas se contrapõem aos números regionais da Campanha Nacional do Desarmamento. No período de janeiro de 2012 até abril deste ano, foram registradas 1.465 armas de fogo na região e entregues 604. Ou seja: para cada arma entregue, foram registradas outras duas. Para o ex-secretário nacional de Segurança Pública, José Vicente da Silva, a “corrida armamentista” regional é consequência direta do crescimento da violência. “É a resposta da sociedade, que se sente insegura”, afirma.

Nos quatro primeiros meses do ano, a região teve um aumento nos casos de homicídio doloso (intencional), que passou de 51 para 59 ocorrências, e de tentativas de homicídio, de 111 para 138 casos, na comparação com igual período de 2011. Os casos de estupro também cresceram, de 258 para 268 ocorrências. Os dados são da Secretaria de Estado da Segurança Pública, e se referem aos 139 municípios do Departamento de Polícia Judiciária do Interior (Deinter-5).

Os números escondem casos com vários requintes de crueldade. Em março deste ano, a caseira Vanda Villa da Silva, 49 anos, foi espancada até a morte por três rapazes no sítio onde ela vivia com o marido, em Neves Paulista. Tudo por causa de uma dívida de R$ 100 em drogas contraída pelo filho de 23 anos.

A notícia completa, do Diarioweb, pode ser lida aqui

8 comentários

  • jjnatalin

    acredito que a tendência será a população se armar, já
    que os marginais não são desarmados e nem presos. Mais
    um resultado da tendência progressista atual, que também
    será tombada.

  • LEO DO BIG PLAZA

    Comprei um taco de beisebol bom

  • eloiza

    É esta muito dificil de viver no interior paulista, ontem mesmo estava trancada na minha casa com meu filho ,pois tinha um monte de mocinhos dando cavalinho de pau em frente a praça no jardim pegolo , se vc reclama é ior então é ficar trancados mesmo.

  • cascatinha

    Nos Estados Unidos se compra armas no Walmart, inclusive arma de guerra. A idade mínima é 16 anos. Acreditar que a polícia vai nos proteger é tontice, o negócio é nos armar e nos proteger.

  • Felpudo

    Cascatinha, meu prezado, quanto mais armas, mais violencia. Se arma resolvesse o problema da violencia, os Estados Unidos seria o país mais pacifico do mundo. Lá, os caras matam até presidentes. O diabo mora junto com as familias que guardam armas em casa.

  • Bento

    É diferente você ter uma arma em sua casa, para se proteger e proteger sua familia de ter uma arma para cometer crimes. A arma sózinha não mata ninguém, o que mata é o deliquente que a sustenta. Sou a favor de pessoas de bem ter sim arma de fogo em suas residências para sua proteção, mas digo, dentro de casa, não ficar saindo com elas pra todo lado como muita gente faz. Só que adquirir uma arma no Brasil pelos termos legais da lei não é fácil, e muita gente acaba adquirindo no submundo, no tráfico das mesmas, e acaba assim ajudando o crime. O Brasil deveria facilitar o armamento legal, e coibir pesado o armamento ilegal. Pessoas de bem armados é segurança, pessoas deliquentes armados é insegurança.

  • jjnatalin

    bento- concordo com tuas colocações. mais armas em nossas
    mãos menos bandidos vivos.

  • anomino

    Oi amigo a praça de João Mariano de Freitas não está escrito praça do Jacaré, nunca foi. Estiver mau informado
    é so ir na camara dos veriadores obrigado abraçossssss….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *