PREFEITOS RECLAMAM DE RECOMENDAÇÃO DO MPF DE JALES SOBRE JORNADA DE TRABALHO DE MÉDICOS

Reunidos ontem no Fórum de Jales para tratar de assunto referente ao CORECA – Consórcio  Intermunicipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, prefeitos da região reclamaram, em conversas informais, de uma recomendação do Ministério Público Federal de Jales a respeito da jornada de trabalho de médicos do SUS.

Os prefeitos alegam que as exigências do MPF vão dificultar a contratação desses profissionais, uma vez que, a rigor, eles terão que cumprir a jornada de trabalho para a qual foram contratados. Eis a recomendação do MPF:

O Ministério Público Federal em Jales, no interior de São Paulo, recomenda a 40 Prefeituras da região que instalem, no prazo de 30 dias, quadros informativos com os nomes e as especialidades de médicos e odontólogos em exercício nas unidades de saúde. Com isso, a população poderá saber quais profissionais estão em atividade no dia e os horários de início e término das jornadas de trabalho. Além disso, os municípios têm um prazo de 90 dias para implementar pontos eletrônicos  como meio de coibir fraudes no cumprimento das jornadas.

As Prefeituras também deverão disponibilizar na internet e nas unidades públicas de saúde o local e o horário de atendimento dos médicos que ocupam cargos públicos vinculados ao SUS. A recomendação foi motivada pelo fato de não existir controle de frequência eficaz nas unidades de saúde. Utilizam-se, na maioria dos locais, folhas de ponto, o que permite, por exemplo, a saída e o retorno dos profissionais de saúde a qualquer momento durante o expediente, sem qualquer controle e fiscalização.

O MPF visitou unidades de saúde em três municípios da região e constatou diversos problemas relacionados à falta indevida de profissionais. “Além da ausência de médicos e odontólogos que deveriam estar nas unidades de saúde nos momentos das inspeções, chegou-se à absurda situação de se verificar técnico de enfermagem procedendo a atendimento em pacientes em virtude da ausência do médico que deveria estar na unidade”, escreveram os procuradores da República autores da recomendação.

O MPF fixou um prazo de 30 dias, a contar da data de recebimento, para que os municípios informem as providências que serão adotadas. A recomendação foi expedida aos municípios de Aparecida D’Oeste, Aspásia, Auriflama, Dirce Reis, Dolcinópolis, Estrela D’Oeste, Fernandópolis, General Salgado, Guarani D’Oeste, Guzolândia, Indiaporã, Jales, Macedônia, Marinópolis, Meridiano, Mesópolis, Mira Estrela, Nova Canaã Paulista, Nova Castilho, Ouroeste, Palmeira D’Oeste, Paranapuã, Pedranópolis, Pontalinda, Populina, Rubinéia, Santa Albertina, Santa Clara D’Oeste, Santa Fé do Sul, Santa Rita D’Oeste, Santa Salete, Santana da Ponte Pensa, São Francisco, São João das Duas Pontes, São João de Iracema, Suzanópolis, Três Fronteiras, Turmalina, Urânia e Vitória Brasil.

14 comentários

  • CUBA LIVRE

    PELO O QUE ENTENDI OS MÉDICOS NÃO QUEREM CUMPRIR A JORNADA DE TRABALHO PELA QUAL RECEBEM, E OS PREFEITOS AINDA ESTÃO INDIGNADOS COM ISSO?

    OLHA O NÍVEL BRASIL!!!!!

  • Que venham os medicos cubanos

    O MPF esta’ correto em recomendar o citado nessa noticia e se os prefeitos acham dificil, que contratem medicos cubanos.

  • Fern@ndinho

    A mamata acabou negada!!!
    Agora vai ter que cumprir horário e atender corretamente, aquela população que está no desespero, agonia e sofrimento.
    Cadeia em quem não respeitar a recomendação!

  • carnavalesco

    O grande problema, é que não falta trabalho pra médicos…
    Então, eles mesmo pedirão demissão do trabalho, pois os Municípios pagam pouco pelos serviços prestados…
    Conclusão…não teremos médicos sequer 1 hora por dia….
    DIGO, não sou a favor de receberem salários integrais e cumprir jornas parciais…., mas sou a favor de que pague o valor condizente com a jornada de trabalho….

  • Brasileiro

    E de certo com o ponto eletrônico eles vão cumprir o horário né? Chefia nenhuma toma conta dos médicos não, eles vão ser autorizados a sair durante o horário deles e depois voltar pra passar o dedo, eu aposto. Eles sempre foram tratados como estrelas, como chefes deles mesmo. E os prefeitos falar assim, só confirma tudo.

  • Bom Bril

    O município que quiser fazer economia e tiver uma boa saúde preventiva, contrate MAIS MÉDICOS.

  • moradora da região

    Carnavalesco, nao acho 20 mil um valor baixo para um medico de municipio porte I. O problema é eles se acharem melhores que os outros. A partir do momento que decidiram trabalhar com medicina, o mais importante é a saude. O salario deles esta bom demais, afinal, nao vejo medico andando de fusca pelas ruas.

    • Amarela

      pelo visto vc não sabe o q é cursar uma fculdade, se soubesse não estaria falando besteiras, eles tem mesmo q exigir um ótimo salário p recuperar o tempo e o dinheiro q gastou, hj ta difícil de se ver fusca kkkkkkkkkkkkkkkk vai estudar depois veja se vc quer ganhar uma merreca.

      • Brasileiro

        Não é pq gastou dinheiro fazendo faculdade, que tem que recuperar o dinheiro investido em 6 meses. Qualquer negócio que você decide abrir, vc sabe que o lucro vem a longo prazo, mas os médicos querem ver o lucro em 6 meses, sem falar que nem atendem bem, seja no SUS, seja por Plano de Saúde e até no particular. Os cursos de medicina deveriam ensiar humildade, respeito, empatia.

  • Ai ai ai

    Por isso o porque do mais médicos.

  • carnavalesco

    Prezada “moradora da região”, eu não sei de nenhum Município da região que pague R$ 20.000,00. Se existe, eu retiro o que tinha dito acima.

  • JOANA AINDA VIRGEM

    Parabéns ao MPF, tem muitos municípios por esse
    pais a fora que o prefeito ou secretario da saúde
    pega uma porcentagem do recebimento do médico.
    Você acha BOM BRIL que muitos municípios teriam
    interesse pelo programa do mais médicos.
    O dinheiro do profissional vai direto para conta
    ou para OPAS caso dos médicos sem fronteira.
    Agora gostei do MPF, parabéns

  • jorge henrique

    uma pena, quantas pessoas tem vontade de fazer uma faculdade de medicina e não fazem por causa do valor cobrado pelo curso, como é triste viver em um planeta onde nossa felicidade esta relacionada a um pedaço de papel chamado dinheiro.

  • Anônimo

    Parabéns ao Ministério Público, estava na hora, de olhar pelos menos favorecidos, que vão ao Centro de Saúde no horário que o médico deveria estar e quase sempre não conseguem atendimento, pois o médico simplismente não aparece, mas na maioria das vezes não é porque ele está com problemas de saúde não, é porque ele tem 2 ou 3 empregos e não cumpre horário em nenhum deles.
    Acho que os Municípios deveriam ter controle de ponto, mesmo se eles são contratados, se os Municípios ajudassem facilitaria o trabalho do Ministério Público.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *