BOSQUE: DEPOIS DE UM ANO DE PARALISAÇÃO DAS OBRAS, PREFEITURA RESCINDE CONTRATO

Eis mais uma obra paralisada da administração Parini. A placa sugere que a intenção era das melhores: a urbanização do Bosque Municipal “Aristophano Brasileiro de Souza”. Mas, como apenas boas intenções não bastam – o inferno está cheio delas, dizem – a repaginação do bosque, por enquanto, deu em nada. Ou quase nada!

A empresa contratada, a WS Mattos Construções Ltda, bem que chegou a iniciar alguns dos serviços, como mostram as fotos abaixo, mas, sabe-se lá por quais motivos, resolveu abandonar tudo e ir cantar em outra freguesia, transformando a urbanização do bosque em mais uma obra inacabada da administração Parini.

Se eu não estiver enganado, a obra está paralisada há quase um ano. Mas não há razões para desespero! O Diário Oficial do Estado, edição de hoje, está trazendo novidades: segundo foi publicado, nosso premiado estadista mandou extinguir, com alguns meses de atraso, o contrato com a WS Mattos Construções Ltda, além de aplicar-lhe uma multa de R$ 68 mil.  

Motivo da extinção e da multa: a empresa deixou de atender às notificações da nossa Prefeitura para reinício dos serviços. Tudo indica que a encrenca vá parar na Justiça. E, com isso, a urbanização do Bosque fica, quem sabe, para o próximo governo municipal.

 

 

 

 

 

          A construção da guarita e do escritório, na entrada do Bosque, foi iniciada pela WS Mattos, mas está paralisada há quase um ano.   

3 comentários

  • Anônimo

    Esse governo Parini não consegue acabar nada!

    Veja as praças, a obra perto do comboio e as praças..

    QUE VERGONHA!

  • Anônimo

    Essa administração é uma piada:

    VEJAM O COMENTÁRIO DE Elaine Cristina SOBRE O ASSASSINATO DOS PEIXES DA PRAÇA DO JAPONÊS:

    02 setembro 2011 às 19:28

    Sim, Sr. Anônimo. Tal conduta também caracteriza maus tratos e pode ser alvo de denúncia, conforme previsão do artigo 29, parágrafo 3º e artigo 32 da Lei nº 9.605/98.

    Se há provas, reuna-as e leve os fatos ao conhecimento do representante (Promotor de Justiça), do Ministério Público.

    Se todos deixarem a seara da indignação e partir para o campo da ação, estes eventos tristes deixarão de manchar a história de Jales.

  • Patrícia

    Seria ótimo ter um bosque iluminado, seguro, com quiosques e com uma boa estradas por entre as arvores para que os cidadãos pudessem usufruir deste ambiente para caminhadas, encontros em dias tediosos com os amigos… enfim, um contato com a natureza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *