CAMPANHA: ADOTE UMA CALÇADA

A inveja é um dos meus pecados favoritos. Tomei conhecimento do sucesso que está fazendo na internet, a campanha lançada pelo Blog do amigo Marco Poletto, denominada “Adote Um Buraco“. Um dos buracos que ficou famoso depois de aparecer no Blog do Poletto e no Facebook, está instalado já há algum tempo bem em frente ao Fórum Trabalhista, na Rua Nove, pertinho da casa de um outro amigo, o Sílvio Vicente Marques, também chamado entre os amigos pelo carinhoso apelido de  Quebra-Santo. Ouvi dizer que o tal buraco, que aparece na foto aí do lado direito, já foi adotado por um vizinho do Sílvio, o Lenílson, a quem não tenho o prazer de conhecer. O local, que é um exemplo de como propiciar um ambiente favorável ao mosquito da dengue, já ficou conhecido entre os internautas, com o devido respeito, como Buraco do Lê.

Daí que, moço invejoso e desprovido de idéias que sou, resolvi lançar uma campanha parecida e de igual interesse público. Trata-se da campanha “Adote Uma Calçada“. Todos nós sabemos que a responsabilidade por cuidar das calçadas cabe aos proprietários dos imóveis e, quando estes não o fazem, cabe ao Poder Público tomar providências através de seus fiscais, mas, normalmente, esse tipo de fiscalização só funciona em cidades onde a administração pública possui um mínimo de organicidade e comando. Aí do lado esquerdo, por exemplo, temos a foto de uma calçada que precisa ser adotada urgentemente. Ela fica também na Rua Nove, só que na esquina com a Rua Dois, um pouco distante, portanto, do Buraco do Lê.

A outra calçada, da foto aí de baixo, pode ser vista na Rua Três, esquina com a Rua Dez, no chamado quadrilátero central da cidade. Ela fica bem pertinho da casa do professor Neto, que mora do outro lado da esquina. Para quem não sabe, o professor Neto já foi vereador em nossa cidade, se não me falha a memória nos tempos em que o prefeito era o senhor Honório Amadeu. Conta o folclore que, em determinada ocasião o professor, que fazia oposição ao prefeito, proferiu um veemente discurso na tribuna da Câmara, reclamando da situação dos nossos esgotos e garantindo que, se não fossem tomadas providências urgentes, a cidade seria invadida pelas periplanetas americanas. Sem saber o que seriam as tais periplanetas americanas, um vereador aliado do prefeito cuidou de retrucar o professor Neto, dizendo que os americanos nem sabiam onde ficava Jales. Portanto, a tal invasão não passava de intriga da oposição.

Em tempo: periplaneta americana é conhecida vulgarmente como barata, um inseto asqueroso que habita esgotos e também costuma frequentar banheiros e cozinhas. Tem entre 2,5 cm  a   4,0 cm  e  é o horror das garotas (e de alguns garotos também).

1 comentário

  • paulo gonçalves

    TEM UMA TAMBEM DE UM NOBRE EDIL DAS ANTIGAS QUE DISSE, NUM CALORADO DISCURSO NA CAMPANHA DO SR CAPARROZ QUE O ” BRASIL NUM PROGODIA PORUE NÓIS NUM NEGOCEIA, SE NOIS NEGOCIA O BRASIL PROGRODEIA….. ANOS DEPOIS, PERGUNTADO A ESSE NOBRE EDIL O QUE ELE FARIA, SE ELEITO, PELO MEIO AMBIENTE, ELE FOI TAXATIVO: ASFARTARIA TUDO…. AINDA BEM QUE ELE FOI CUIDAR DOS SEUS BOIS….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *