COM PARINI, ARRECADAÇÃO DO IPTU SOBE 131%; E O ISS-QN CRESCE 154%

O prefeito Humberto Parini resolveu prorrogar a dívida com dona Minerva por mais 15 anos. Mas, se dependesse do contribuinte jalesense – e da Câmara Municipal, que aprovou o aumento do IPTU – o prefeito poderia, muito bem, acabar com essa história e espantar de vez o fantasma da dívida, como ele mesmo gostava de dizer.

O números deste ano mostram que, somente com o IPTU, a Prefeitura já arrecadou, até outubro, R$ 5,5 milhões. Até o final do ano, a arrecadação com o imposto deverá chegar a R$ 6,3 milhões. Tais números significam um incremento de 131% sobre os R$ 2,7 milhões arrecadados em 2005, primeiro ano da dinastia Souza Parini.

No mesmo período, a parcela da dívida com dona Minerva, considerado o desconto concedido pela família, subiu 40%, passando de cerca de R$ 1 milhão, em 2005, para algo em torno de R$ 1,4 milhão em 2011. Quer dizer, com um pouquinho de boa vontade e competência, o prefeito poderia ter mantido o acordo com a família Jalles e liquidado a dívida.

Como já foi dito por aqui, o grande salto na arrecadação foi dado entre 2008/2009, quando o prefeito, depois de reeleito, propôs e a Câmara aprovou, uma revisão na Planta Genérica da cidade, resultando em aumentos de até 300% no imposto dos imóveis.

E, se o aumento na arrecadação com o IPTU – entre 2005 e 2011 – já está bem acima dos índices inflacionários do mesmo período, os valores arrecadados com outro imposto tiveram aumento ainda mais desproporcional. Trata-se do ISSQN – Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza, cobrado a empresas e profissionais liberais. Em 2005, arrecadou-se, com o imposto, R$ 1,3 milhão. Em 2011, a arrecadação já bateu em R$ 2,8 milhões, até outubro, e deverá chegar a R$ 3,3 milhões até dezembro. Incremento de 154%.

Só para encerrar: em 2005, a parcela da dívida com dona Minerva  significava 3,3% das receitas previstas no orçamento anual; em 2011, a parcela, devidamente corrigida, significaria cerca de 1,9% das receitas. Portanto, é sempre bom repetir que, se a dívida voltou a crescer, culpa não cabe aos contribuintes.     

6 comentários

  • Jalesense

    Sem hipocrisia, até acho que o IPTU de Jales é baixo, por exemplo uma casa de 250 m2 avaliada em 250/300 mil reais no Maria Silveira paga-se em torno de 1 mil reais anuais, sendo que um carro de 50 mil paga se 2 mil de IPVA. Poderia até cobrar muito mais do imóvel, mas desde que o dinheiro fosse gasto para melhorar o visual e a aparência de nossa cidade,, que está péssima.

  • Anônimo

    Seguindo o pensamento do amigo “Jalesense”, acho que o ISSQN de Jales não é alto, visto que a Costituição Federal estabeleceu a competencia para que os municipios cobrassem referido imposto imponto a alíquota máxima de 5% e em Jales a alíquota praticada é de 3%, ou seja, se 3% resultou em 2,8 milhões sinal que a prestação de serviços movimentou quase 100 milhóes no municipio e se a alíquota fosse de 5% o retorno seria bem maior para os cofres públicos.
    Enfim acho que está razoável as cobranças impostas pela Prefeitura de Jales.

  • Anônimo

    Em tempo – Correção: em vez de “imponto” leia-se impondo

  • Anônimo

    IPVA É IPTU TEM ALIQUOTA DIFERENTE, E NÃO SE PODE PASSAR O TETO. ADEMAIS O IPVA É ESTADUAL, ENQUANTO IPTU É MUNICIPAL

  • MORADOR

    RESUMINDO TUDO É ROUBADO DOS NOSSOS “BOLSOS”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *