CORETO DA PRAÇA DO JACARÉ VIRA ABRIGO DE MORADORES DE RUA

Em 1988, quando o então vice-prefeito José Devanir Rodrigues, o Garça, assumiu a Prefeitura por seis meses, em substituição ao titular Valentim Paulo Viola, e aproveitou a oportunidade para reformar a Praça do Jacaré, dotando-a de um coreto, ele jamais poderia imaginar que estaria colaborando com o Movimento dos Sem-Teto.

Mas é isso que está acontecendo. Há cerca de três meses, conforme noticiado pelo jornal A Tribuna, um grupo de moradores de rua utiliza o arejado coreto como abrigo nessas noites quentes que vivemos. Tudo isso acontece a pouco mais de cem metros da “Casa de Apoio ao Migrante”, criada pela administração Parini, mas, pelo menos dessa vez, não se pode atribuir grandes culpas ao governo petista de Jales.

Na verdade, a equipe da Casa de Apoio – agora reforçada pelo célebre Nivaldo Rezende, o Berinjela – bem que vem tentando fazer a sua parte. A coordenadora do projeto, Sirlei Barrientos Marcelino, explicou que os rapazes atualmente acampados no coreto já foram hóspedes da Casa de Apoio, mas, sem conseguir se livrar de seus vícios, preferiram voltar às ruas.

Outro detalhe: todos eles possuem família em Jales, mas querem distância dos parentes. Procurado, o Ministério Público manifestou-se no sentido de que os rapazes – assim como os demais cidadãos – são donos de seus narizes e, desde que não perturbem o sossego alheio, não podem ser tolhidos em seu direito inalienável de ir e vir.  

6 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *