DEPOIS DA DEMOLIÇÃO: TERRENO VIRA ESTACIONAMENTO E POEIRA INCOMODA VIZINHOS

A esquina das ruas Dez e Onze, onde ficava a antiga e tradicional residência da família Moraes, recentemente demolida (a casa, não a família), transformou-se num incômodo para os vizinhos. Depois da demolição, nada mais foi feito no local, e muitos motoristas, à falta de vagas para estacionar no centro da cidade, transformaram o terreno numa espécie de estacionamento. Até aí, tudo bem!

O problema é que, com o tempo seco, a poeira levantada do local está infernizando a vida de quem tem comércio ali naquelas redondezas. Lojas de roupas e calçados, farmácias, escritórios, livrarias, etc, sofrem as consequências da falta de providências para isolar o local. Além da poeira, a calçada – como se pode ver na foto acima – foi totalmente destruída, em função do acesso de caminhões ao terreno. Existem relatos de que pessoas já sofreram pequenos acidentes ao passar por aquela “calçada”.

Ouvi dizer que o dono do terreno seria o empresário Irineu Amadeu, o “Cabelim”. Como se trata de uma pessoa de bom senso, acredito que ele já esteja pensando em fazer alguma coisa – como cercar o terreno, por exemplo – para amenizar os problemas causados aos vizinhos. De outra parte, espero que a Prefeitura – a quem cabe fiscalizar e fazer valer o Código de Posturas – também tome as providências que se espera dela. Abaixo, uma foto da época da demolição e outra registrada no domingo.

   

6 comentários

  • Dodô

    especulação imobiliária! Se ele não construir nada, deixar esse terreno como está, bem como o terreno ao lado da igreja universal, em 05 anos poderá ser desapropriado. Sem falar no IPTU progressivo!!!

  • povo revoltado

    Cardosinho, um amigo me contou que a colonia japonesa está muito brava com o nishimoto. parece que eles estao decepcionados, até deram um apelido a ele: nishiMORTO. voce confirma isso?

    • Betto Mariano

      O nishiMORTO se fosse um grande latifundiário de terra seria um ótimo defensor da agricultura brasileira, isso é, se fosse! Abre o zóio japonês!

  • Paulo Henrique

    PARABÉNS CARDOSINHO,, ,,, bem democrático teu blog! Quando comentei tua matéria sobre esse cidadão adquirente da esquina do “Seu Moraes”,, e falei que ele só suga quem o cerca, que não contribui com nenhuma entidade assistencial, que ele não tem compromisso com a cidade, que ele está pouco se lixando com a população se sofre com a poira do terreno ou não , com a calçada destruída atrapalhando a passagem das pessoas num local central e importante da cidade, você vem e exclui meus comentários! Pra mim, , você veio mostrar a sua parcialidade em algumas situações em que escreve, por exemplo, criticas veladas ao prefeito e sua administração. Mas respeito,, pois o blog é seu,, e vc escreve e exclui comentários como lhe convém!

    • Preclaro Paulo Henrique, não se trata de parcialidade ou de conveniência. Acontece que o seu comentário continha coisas que, ao meu ver, poderiam caracterizar ofensa. Tomei a liberdade de exluí-lo até para poupar dores de cabeça prá você e também prá mim. Não podemos, Paulo Henrique, confundir a crítica com a ofensa pessoal. Se eu não estiver enganado na contagem, já temos quatro boletins de ocorrências na polícia, por conta de comentários feitos aqui no blog. Portanto, acho que você poderia ser mais cuidadoso nos seus comentários. O seu comentário aí de cima, por exemplo, faz críticas ao blogueiro mas não é ofensivo. Pelo menos no que diz respeito a mim.

  • Anônimo

    Cardoso seu blog está sendo um divisor de águas… hoje temos que falar assim: antes do blog do Cardosinho as coisas eram assim, depois passaram ser assim!

    Parabéns pela sua atitude!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *