DIRETORIA DA ADERJ SE REÚNE COM VEREADORES PARA EXPLICAR PROJETO

A Aderj, uma Oscip que mantém vários termos de parceria com a Prefeitura de Jales, no valor total de R$ 7,3 milhões, está pleiteando uma ajuda de R$ 20 mil para manutenção de um projeto com crianças carentes. A ajuda virá dos recursos públicos do Fundo Municipal da Criança e do Adolescente, presidido por Anísio Martins Ferreira Filho, também dirigente da Aderj.

Toda a celeuma em torno do assunto começou porque a vereadora Aracy Cardoso(ex-PT) visitou o local do projeto e constatou que o número de crianças atendidas não correspondia ao que constava do plano de trabalho. Tampouco encontrou por lá alguns dos profissionais responsáveis pelo desenvolvimento do projeto. Mas vamos à notícia da assessoria de imprensa da Câmara.

Na sessão de segunda-feira, 03, por volta das 20h, ocorreu reunião entre os vereadores, representante da ADERJ – Associação dos Deficientes Físicos da região de Jales, Anísio Martins Ferreira Filho e funcionários que prestam serviços na entidade. 

O assunto em pauta foi o Projeto Lei nº 57/2011, de autoria do Poder Executivo, que repassa recursos financeiros, a título de subvenção social para a entidade no valor de R$ 20 mil sendo 10 (dez) parcelas no ano. Os vereadores queriam ouvir explicações e dirimir dúvidas existentes na aplicação dos recursos. 

Na reunião, Anísio fez uma breve explanação do trabalho realizado pela entidade e deixou que os funcionários e os profissionais que prestam serviços à entidade fizessem sua apresentação e esclarecimentos da função e trabalho junto às crianças que frequentam o projeto “Criança Feliz” aos vereadores. 

Ao final, os vereadores que participaram da reunião, se disseram satisfeitos com as explicações prestadas pelo diretor e demais funcionários. Também solicitaram da direção da entidade o encaminhamento para a Câmara, de cópia do quadro de funcionários, com a devida carga horária e também a relação dos alunos que frequentam o projeto. 

O presidente da Câmara de Jales, Claudir Aranda, deixou claro que o projeto volta para a discussão e votação na Ordem do Dia da próxima sessão que acontece nesta segunda-feira (10), de outubro.

7 comentários

  • Anônimo

    EXPLICAR O INEXPLIVACEL

  • orelha em pé

    não sou muito fã desse negócio de entidade gerir milhões em dinheiro público. Sinceramente, não confio muito nessa aderj.

  • Amedrontado

    Mas o Anizinho é honestíssimo igual seu pai
    e seu irmão Ari Dalton.
    Ele detesta mutreta, esse não vai ter duplicata
    como camarada Martini chama.
    Ele é honestiiiiiiiiiiiiiiiimo?

  • Boi Zebu

    Bem que o MALUF deveria coloca-lo de tesoureiro
    de seus bens, ganhados honestamente.

  • Injustiça

    As entidades apenas fazem aquilo que o Estado nao dá conta o certo seria cada um desses vereadores levarem os jovens e adolescentes em situacao de risco para suas casas e irao perceber que 20.000,00 anual nao dá para suprir as necessidades basicas tao pouco atendimento psicologico,fonoaudiologico, assistencial, pedagogico entre outros.

  • Eu conheco o trabalho da entidade

    Eu conheco o trabalho da entidade e dos profissionais pois minha filha é atendida ha 3 anos e nao tenho do que reclamar la eles ensinam direitos das crianças e adolescentes, artesanato, esporte, Computação; trabalhos com materiais recicláveis; Formação de conceitos, como trabalho e nao teno condicoes de pagar ninguem p ficar com ela eu nao sei o que seria de mim se ela nao ficasse lá, só faltava agora o projeto nao dar continuidade, ja estou preocupada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *