FONTES DO BLOG DIZEM QUE GOVERNO ESTADUAL CONFIRMOU EXCLUSÃO DA EE.”EUPHLY JALLES” DO PROGRAMA DE ENSINO INTEGRAL

Este aprendiz de blogueiro recebeu informações de uma fonte, ontem, dando conta de que a sexta-feira foi terrivelmente tensa no eixo Prefeitura-Diretoria Regional de Ensino-EE.”Euphly Jalles”. 

O motivo da tensão seria, segundo a fonte, a confirmação, pela Secretaria Estadual de Educação, do cancelamento da inclusão da escola “Euphly Jalles” no Programa de Ensino Integral (PEI), uma espécie de retaliação do governo estadual à decisão do prefeito Luís Henrique de romper os convênios para fornecimento de merenda e transporte escolar aos alunos das seis escolas estaduais de Jales.

Dizem que teria sobrado xingamentos pra todo lado, inclusive contra as inocentes mães de alguns personagens. A inclusão da “Euphly Jalles” no PEI mexeu com a vida de muitos professores. Muitos deles tiveram que deixar a escola, enquanto outros, inclusive de outras cidades, se transferiram para a “Euphly” na expectativa de um contracheque mais robusto. É compreensível, portanto, que estejam indignados com a situação criada pelo prefeito.    

O jornal Diário da Região chegou a noticiar que Luís Henrique teve um encontro na quarta-feira, 03, em São Paulo, com o secretário estadual de Educação, Rossieli Soares, para tratar do assunto. O blog apurou, no entanto, que o encontro teria sido com um assessor do secretário. 

O encontro, segundo informações, não produziu nenhum avanço nas negociações. O governo estadual não se mostrou disposto a aumentar o valor repassado para custeio da merenda e do transporte e nem tampouco prometeu rever o caso da escola “Euphly Jalles”. 

Por sinal, muita gente do mundo político – e também da imprensa domesticada – andou espalhando que o cancelamento da inclusão da EE “Euphly Jalles” no PEI seria um blefe do dirigente regional, Geraldo Niza, com quem o prefeito Luís Henrique vem tendo uma relação, digamos assim, pouco amistosa.

Para algumas pessoas experientes em negociações desse tipo, o prefeito se precipitou ao romper os convênios. Eles avaliam que o alcaide poderia ter adiado essa decisão para o ano que vem, quando a inclusão da escola no PEI já estaria definitivamente consolidada e não correria o risco de cancelamento.

Além disso, dizem eles, com a volta apenas parcial das aulas presenciais nas escolas estaduais, os gastos com a merenda e o transporte não serão assim tão expressivos em 2021.

Há quem garanta, ainda, que o ex-prefeito Flá Prandi deixou R$ 2,3 milhões em caixa para gastos com merenda, uma vez que, com a pandemia e a suspensão das aulas, boa parte do dinheiro repassado pelos governos federal e estadual no ano passado foi economizada.

Segundo um ex-assessor do ex-prefeito Flá Prandi, a Prefeitura só gastou dinheiro com os chamados “kits merendas” entregues durante a pandemia aos alunos mais carentes. O resto ficou no caixa do município.  

2 comentários

  • Apenas 81%

    Falando em imprensa domesticada, aquele jornalista originário do Estado da Guanabara, a propósito do assunto desse post, escreveu no jornal desse domingo que “Em todo o estado apenas 525 dos 645 municípios paulistas mantém convênio para fornecimento da alimentação aos estudantes da Rede Estadual”.
    Concluí disso que ele não dispõe de um senso de proporção muito afinado (pois são “apenas” 81% dos municípios) ou não tem o domínio do vernáculo por utilizar esse advérbio de intensidade. Mas talvez seja apenas má-fé mesmo…

  • Existe amor quando existe objeto amado

    Ao romper os convênios para fornecimento de merenda e transporte escolar aos alunos das seis escolas estaduais de Jales.
    O prefeito achou que tinha prestígio junto ao governo Dória com um suposto apoio de 20 Deputados.
    “Bateu com a cara na porta” na Secretaria da Educação. Tendo que economizar. Teve que pedir ajuda ao governo de São Paulo que está cortando verbas e estatais para todo lado.
    “Sem dinheiro não há amor” já dizia a boa velhinha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *