MERENDA ESCOLAR: OS NÚMEROS NÃO MENTEM

A professora Élida Barison declarou, ao Antena Ligada, que, em abril deste ano – já sob a responsabilidade da Starbene – foram servidas cerca de 111.000 refeições, enquanto, em maio, esse número subiu para 131.000. São números importantes para se entender a merenda escolar. Senão vejamos: em abril, nós tivemos 18 ou dezenove dias úteis, o que significa uma média diária entre  5.842  e  6.166 refeições. Já em maio, tivemos 22 dias úteis, o que resulta numa média de 5.954 refeições/dia. Isso representa cerca de 1.100 refeições diárias a menos do que foi consumido, por exemplo, em abril/maio do ano passado. Traduzindo em reais, em abril/maio de 2010 gastou-se R$ 1.800,00 a mais, por dia. Mais ou menos R$ 73 mil a mais, apenas em dois meses. 

Só prá que vocês tenham uma idéia, em junho de 2006, quando a Gente Ltda começou a prestar os serviços de fornecimento da merenda, a média diária foi de 5.033 refeições. Em maio do ano seguinte, essa média subiu para 6.007. Em março de 2008, a média foi a 7.050 refeições. Em março de 2009, mais um salto: 8.882 refeições/dia. Uma evolução e tanto, sem dúvida!  Curiosamente, enquanto o número de alunos matriculados caía, a quantidade de merendas aumentava. Mas os números mais escabrosos aconteceram em 2008, ano eleitoral, quando a média diária alcançou, em setembro daquele ano, estratosféricas 9.300 refeições. Como eu já disse, um despautério!

Vou repetir: ninguém tem dúvidas quanto à honestidade da professora Élida. Tenho convicção de que, nem a professora, nem os educadores que assinaram um manifesto de apoio a ela, levaram qualquer vantagem nisso. É evidente, também, que ninguém desviou R$ 6 milhões. Mas os números insistem em demonstrar que alguém levou alguma vantagem! E é importante que se descubra quem foi e quanto foi. O meu nome também está envolvido nisso, mas eu não vou usar a honestidade de ninguém prá tentar esconder os fatos. Muito pelo contrário, eu tenho o maior interesse em que tudo seja esclarecido.

19 comentários

  • Juju 1030

    Me desculpe a Professora, mas quem vai dizer se ela participou ou não da máfia da merenda é a Justiça (lá em cima de preferência).

    Toda a população local sabe que toda a história da Professora é honrosa, razão pela qual acumulou amigos e fãs. Contudo, não se pode afirmar neste momento que estão não participou do esquema das merendas,já que pela própria natureza de seu cargo as irregularidades apontadas eram de seu conhecimento.

    O gestor deve ser responsabilizado por tudo aquilo que acontece em sua área de atuação, afinal de contas foram seis milhões gastos em tão pouco tempo.

    Essa ACP vai se arrastar pelo Judiciário por muito tempo, vão ser postas diversas alegações, assim como o Sr. Prefeito o fez, antes mesmo de ser citado, de ser informado sobre o teor da ação, soltou nota na imprensa alegando perseguições.

    As alegações serão muitas, durante muito tempo, vejam como exemplo a ação da FACIP de 1997.

    Vai-se muito tempo até chamarmos de boca cheia o agente de Improbo.

    Na maioria dos casos, os agentes são dotados de bons advogados, que por sua vez são dotados de capacidade de alegações. Os fatos serão incontroversos, mas a demora na prestação jurisdicional em uma ação desse porte será extremamente demorada.

    O dono deste blog sabe perfeitamente sobre as irregularidades do caso em questão. Sabe ainda, da lisura da Professora, mas sabe também que esta pode ter sido omissa quando da terceirização e fiscalização dos serviços.

    A merenda neste município sempre foi executada de maneira direta. Que delícia a comidinha das tias do Euphly na hora do intervalo!

    Só que de uma hora pra outra, com um estudo pago por não se sabe quem o município de Jales resolver terceirizar o serviço que era bom e econômico, quebrando assim com os princípios da economicidade e eficiência.

    E mais engraçado, em ano de eleição o número de merendas aumentou espantosamente.

    São tantas ações sombrias que permeiam o governo do PT nesta cidade, que se tem medo de falar alguma coisa por aqui.

    Parabéns Valdir pelo seu trabalho, conte sempre com o apoio do JUJU 1030, do Marditolino e do Jacques Brel.

    Abre o olho Jales!

    • Carioca

      Caro Juliano Matos é o seguinte: A professora é competentíssima no quesito evolução educacional na rede pública, mas ela mesmo sabe e declarou isso no rádio, É A GESTORA DA PASTA, OU SEJA, A PESSOA LEGALMENTE RESPONSÁVEL por TUDO que acontece lá. Inclusive a merenda. Não tenho lá muitas dúvidas sobre a sua capacidade ou honestidade, mas acho que como responsável legal deveria esclarecer a evolução na quantidade de pratos e porquê os contratos foram prorrogados tantas vezes sem novas licitações. E mais: por que ela se afastou da pasta no ano passado e voltou repentinamente quando as denuncias começaram. Com a coisa pública não existem generalidades. TEM QUE SE IR EXATO AO PONTO: pão,pão/queijo,queijo.Ninguém se defende alegando ter familia honrada, ficha limpa ou coisa assim.
      A investigação VAI definir as responsabilidades de cada envolvido, mas se o processo resultar em culpa, vai afirmar que se ela não fez(o que eu realmente acredito) deveria ter sido mais rigorosa na fiscalização, afinal ela era, e é, a responsável.Em defesa da sua honra, acho que ela deveria evitar IMEDIATAMENTE que pessoas a envolvam na defesa dos reais culpados, tentando encobrir com a reputação dela a inocência dos outros envolvidos.Para provar que não foi omissa, ela vai ter muito trabalho. Se ela tem boa reputação, o mesmo não se pode dizer de quem tem sete processos e várias condenações, como o prefeito Parini.Há que se separar o joio do trigo, mas não podemos dizer que há apenas trigo. Que há joio, sem dúvida há.

  • Martini

    Todos nos sabemos do caráter da professora Élida.

    Uma pessoa exemplar como esposa, mãe e tão nobre.

    Na época que um amigo foi para sua secretaria,

    pediu a ela que tomasse muito cuidado que estava
    assinando, mas infelizmente assinou.

    Na época esse amigo dizia:
    -Companheiro, isso vai dar pepino, ela é honesta
    mas infelizmente parece que a pressão é forte.

    Hoje as profecias do amigo concretizando.

    Isso me faz lembrar da Bel viúva do ex prefeito
    Guisso.

    Lutei com unhas e dentes pra não fazer CPI dela.
    Porque eu via nela igual dona Élida vejo hoje,
    mas como o ódio da pomba-gira e B, era imenso
    deixou ela na situação que todos nos conhecemos.

    Infelizmente não consegui conscientizar o casal,
    que quando se planta limão não vai colher maçã.
    Somos controlados pela Natureza, não adianta ir
    na igreja, terreiro de macumba e pedir perdão.

    Por isso, que sempre uso do seguinte:
    Nossa vida é igual um extrato bancário, conserve
    saldo bom, caso contrario as duplicatas não cobre.

    • Pois é companheiro, Martini. O camarada Parini afastou de perto dele todas as pessoas que lhe davam bons conselhos. Inclusive aquele nosso amigo que ficou “exilado” na Sibéria e agora está sendo convocado de volta prá perto do prefeito. Ele também dava boas orientações ao Parini, mas não era ouvido. Será que agora vai??
      Me lembro bem, Martini, que você cansou de dizer pro prefeito esquecer aquela história de vingança contra o Jota Erre. Ele preferiu ouvir a primeira-dama e forçou a abertura de uma CEI na Câmara, que resultou na condenação pela Justiça, em segunda instância, da Bel Guisso, uma pessoa sabidamente honesta. E agora, veja só como são as coisas, o prefeito tenta se esconder atrás da honestidade da Élida.

  • zÉ DAS cOVES

    A, VAI TER MUITO TRABALHO MESMO PRA PROVAR ISSO. Antes de escrever abaixossinados deveriam olhar estes números, gente.COmo vão explicar esta diferença? A comida ficou boa de uma hora pra outra ou foi o número de alunos que aumentou?

  • Le

    Ow temos varios alunos gordinhos..q repetem 3x a refeicao por dia…..

  • Juliano Matos

    Carioca, o nobre amigo se equivocou. Juju 1030 não se trata de minha pessoa, aliás, costumo colocar nos posts que envio meu próprio nome, e se quiser saber tudo que penso basta acessar meu blog. E só para lembrar, meu número na campanha foi 5030, e não 1030. Portanto, juju 1030 pertence a outra pessoa. abraços companheiro

  • Juliano Matos

    Mas se quer minha opinião, as vezes as pesssoas pecam por sua ingenuidade. Posso falar pro experiência, e quem nunca abaixou a guarda por ingenuidade ou simplesmente por falta de experiencia. Não digo as velhas raposas envolvidas, mas no caso da Élida eu creio sim que ela entrou de ´´gaiato´´em tudo isso, como também acho que o alessando ramalho cometeu o mesmo erro na facip 2009, mas isso não exime ninguém das responsabilidades do cargo. Aproveitando a frase do Martini, as vezes a vida nos emite duplicatas que não são nossas….

  • Espião Politico

    Sr. Juliano Matos, aproveite a oportunidade que se manifestou de forma tão veemente sobre uma questão que está sendo muito debatida, onde você fala de responsabilidade, transparência etc…..
    Explique para todos o porque do “rol” de processos contra sua pessoa em nossa Comarca.
    É boa oportunidade de colocar situação tão delicada em pratos limpos, pois para ficar emitindo pareceres sobre questões alheias, é bom que tenhamos a“ficha limpa” antes de mais nada.
    Em época de festa junina, quem tem rabo de palha não deve pular fogueira.

  • Juliano Matos

    O Sr. Espião político, se é frequentador assíduo deste blog, já deve ter lido minhas ponderações em questionamentos anteriores. Fique a vontade para pesquisar sobre o assunto. abraço fraterno

  • Juliano Matos

    A sim, esquecendo, estude a lei de ficha limpa um pouco mais. Só é ficha suja quem possui condenação PENAL no mínimo em segunda instância… Quem é alvo de inquéritos, responde processo, foi condenado em ação civil que não seja crimes contra administração pública, tem a ficha limpinha. Todo cidadão de bem é passível de responder por qualquer coisa dessas que eu citei, inclusive eu e você caro ´´espião político´´. O dono deste blog, a presidente Dilma, o Governador Alckmin, enfim todos são passíveis. Uma coisa é responder, outra totalmente diferente é ser condenado. Deu pra entender um pouco sobre a lei???

  • Anônimo

    Só me expliquem uma coisa: a professora Élida era responsável pela contagem dos pratos?
    Ela trabalhava na Secretaria ou na cozinha contando pratos?
    Não havia pessoas em contato mais direto com os pratos utilizados, funcionários públicos, que passavam a quantidade de pratos consumidos?
    Como discutir com o funcionário público atuante diretamente no local dos fatos, que goza de fé pública, a quantidade de merendas servidas?
    Por oportuno, o espião político podia aproveitar suas próprias palavras, e se revelar.
    Abçs a todos.

    • zÉ DAS cOVES

      O cinismo é uma coisa odiosa, ainda mias quando se trata da suspeita de desvio de verbas destinadas à alimentação de criancinhas para campanhas eleitorais. O último posto de “corajoso” anônimo é recheado desse predicado. Um secretário ou prefeito é o cara que assina, obrigatoriamente responsável por isso. É ele quem tem que fiscalizar a aplicação das verbas sob sua tutela. Se alguma coisa sai errado, ainda que não tenha colocado as mãos, ele é responsabilizado. Ou vai dizer que temos em Jales um filhote de Lula que nunca viu nada, nem sabe de nada?É claro que ela não ficava na cozinha contando, mas era a sua obrigação averiguar os números e ver que havia um crescimento astronômico, especialmente em mes de campanha eleitoral. Se não aumentou o número de alunos, a secretária precisa responder na justiça porque triplicou a quantidade de merendas. O relatório vai para a mesa dela e ela assina. Se assinou sem conferir, TEM QUE RESPONDER POR ISSO.

  • zÉ DAS cOVES

    Um lembrete:os uniformes das crianças chegaram na semana passada. Mas o dinheiro da empresa foi pago religiosamente.

  • Anônimo

    Além de ter a obrigação de saber o que está assinando, a professora também tomou conhecimento da possibilidade de irregularidades desde quando começaram as suspeitas e as denuncias. Se não se preocupou em saber o que realmente estava acontecendo ou se a pressão foi tão grande assim, é claro que tem responsabilidade. Gente, asumir função pública não é só status, é também responsabilidade. Ainda mais quando se trata de criancinhas. Isso é imperdoável!

  • pedra no sapato

    Cardosinho,
    considero uma vergonha fatos tão graves serem tratados de forma leviana e como se não tivessem importância. A merenda deve ser de qualidade e atrativa para as crianças, principais interessadas. Crianças bem alimentadas e felizes aprendem com mais facilidade. Onde está a Câmara Municipal? Quais foram as providências tomadas pelos representantes eleitos pelo povo?

    • Prezado “Pedra no Sapato”, merenda de qualidade e atrativa para as crianças é algo que há muito não se via em Jales. A empresa Gente teve sua parcela de culpa pela queda na qualidade da merenda, mas grande parte da culpa deve ser creditada ao prefeito, que foi atrás dos produtos enlatados do governo estadual, demonstrando falta de compromisso com a qualidade e desrespeito com as crianças. A “esperteza” do prefeito colaborou, também, para um razoável aumento nos índices de desperdício da merenda, algo em torno de 20%. O aceitável é de, no máximo, 10%, mas temos cidades onde a merenda é tratada como coisa séria e tais índices ficam abaixo de 3%. Quanto à Câmara, na medida do possível ela fez a sua parte, já que, não fossem as críticas e as denúncias, nenhuma providência teria sido tomada. E você tem razão: o que aconteceu com a merenda em Jales é uma vergonha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *